História O Dono Do Morro - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Dono Do Morro
Visualizações 43
Palavras 4.198
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem



Obs:Rafa na capa....

Capítulo 3 - 3 Capítulo


Fanfic / Fanfiction O Dono Do Morro - Capítulo 3 - 3 Capítulo

1 semana depois....

                           Lavínia

Ja se passaram uma semana que eu estava naquela casa, aquilo já estava me incomodando, de ficar aqui , mas o pior é que eu sei que eu vou passar mais tempo aqui do que eu imagino. Olhar para a cara daquele bruta montes me dá nojo, como ele teve coragem de bater em uma mulher ?!? Agora sei que ele é capaz de tudo para que o obedessam.
Desço para a cozinha e vejo que ele está lá.  Fingo que nem o vi e passo direto, pego uma maçã e tento sair o mais rápido possível daquele ambiente.

- Bom dia -  Diz ele olhando fixamente para mim.
Olho em sua direção e deixo ele no vácuo. 


- Além de atrevida é mal educada. -
Diz ele irritado por ser ignorado.


- Educação eu tenho mas sei com quem usar.


- Deveria repensar como você fala com as pessoas porque um dia desses você pode acabar sem dentes, e eu nem é uma ameaça da minha parte.


- Aaah não?!?- Digo com ironia- Então porque está me falando essas coisas?


- Só estou avisando, lembrando que você mora na favela, aqui ninguém deixa barato esse tipo de comportamento.


- E essa preocupação saiu de onde ?


- Saiu de lugar nenhum, só não quero perder a minha empregadinha. - Diz com um sorriso sarcástico.


- Vai se ferrar! - Digo brava e saindo da cozinha.
Estava subindo as escadas quando sinto uma mão puxando meu braço brutalmente. Me viro e dou de cara em seu peitoral, olho para cima e vejo que seu rosto está vermelho de raiva.


- Nunca mais fale assim comigo! Muito menos me xingue, entendeu?
Continuo olhando para o seu rosto meio que não acreditando no que tava acontecendo.


- ENTENDEU ? - ele grita e aperta meu  braço com força.


- Entendi, agora me solta. - Digo tentando me livrar de seu aperto.
Ele solta meu braço com brutalidade quase me fazendo cair da escada.
Que inferno!!! Eu odeio esse cara !!!!
Vejo ele subindo as escadas, indo para seu quarto. Espero ele entrar para correr para o meu quarto. Uns minutos depois observo pela janela Rafael saindo da casa com sua moto  preta brilhante.


14:00h


Estou limpando a sala para adiantar o trabalho quando ouço a porta abrindo.


- Oi maninho, estava com saudades - Diz uma garota de cabelos pretos entrando na sala, pelo visto ela ainda não me viu.


- AAAAAAH - Ela grita ao me ver - Quem é você e o que está fazendo aqui ?


- Eu sou Lavínia Cooler e aparentemente empregada do seu querido irmãozinho. - Digo com ironia e um sorriso falso.


- Hum, não sabia que meu irmão  tinha uma empregada tão bonita. Você é da onde ?


- Daqui mesmo, sou lá da rua de baixo.


- Por isso que eu nunca te vi por aqui, não costumo ir na rua de baixo. Brenda Sevilla, irmã do Rafa.


- Prazer em te conhecer. - Digo acenando de leve e voltando a limpar o chão.


A porta abre com força e vejo Rafael entrando na sala.


- Fez o almoço? - pergunta ele.


- Fiz. - Digo terminando de passar pano no chão da sala.


- Isso é jeito de tratar uma dama tão bonita e dedicada Rafael ?- Diz Brenda  encarando Rafael de um jeito assustador.


- Ela não é uma dama para mim. - Diz ele indo para a cozinha.


- Relaxa, eu vou conversar com ele. - Diz Brenda.


- Não precisa, não ligo para a opinião dele. - Digo com desdém e pego o material de limpeza. - Mas obrigada  pela atitude.
Vou para o quintal limpar as folhas que caíram na grama, sinto um olhar nas minhas costas. Olho de canto de olho e vejo Brenda me olhando, acho que ela tem pena de mim, não  exatamente de mim mas sim da maneira como seu irmão me trata.
                         
                              Brenda


Olho Lavínia se esforçando lá fora, ela parece cansada. Deve ter limpando essa casa toda, sozinha. Não acredito que Rafa está deixando isso acontecer.


- Meu irmão é realmente um idiota - Digo e em seguida suspiro.


Vou para cozinha decidida em falar com ele. Entro lá e vejo Rafa comendo em uma mesa enorme sozinho, vendo-o assim fico até triste porque de um jeito ou de outro o representa muito. Ele sempre ficou sozinho, amigos de verdade eram poucos e a vida com nossos pais não foi fácil. Sorte minha que ele nunca me deixou sozinha, sempre esteve presente quando eu precisava.


- Por que você trata a Lavínia daquela forma tão bruta e desnecessária? - Digo indo em sua direção irritada com o que aconteceu agora a pouco.


- Porque ela é uma simples empregada e o irmão dela é um tremendo de um filho da puta.


- E só por que ela é uma empregada que ela merece menos respeito que você, e quem é você pra falar do irmão dos outros? Esqueceu de como as pessoas nos julgavam por causa de nossos pais ?


- Brenda, lição de moral agora não- Diz ele me olhando emburrado.


- Não estou te dando lição de moral só estou refrescando a sua memória que pelo visto é curta.


- Porra Brenda cala essa boca - Diz ele nervoso e se levantando e indo ate o seu quarto.


                           Lavinia


Ouço o Rafael gritar na cozinha, decido não me intrometer , até porque a bomba sempre estoura para mim, continuo juntando as folhas . Quando termino vou para cozinha e vejo que não tem ninguém, apenas alguns pratos e copos sujos, lavo os mesmo rapidamente.


Depois de limpar tudo vou ate a sala e vejo a Brenda deitada no sofá , assistindo um filme, ela olha para mim e pausa o filme.


-Já terminou, de limpar a casa? - Diz a Brenda 


-Sim - Digo olhando para ela 


-Já almoçou? - Diz ela se sentando no sofá. Ainda não entendi o porque ela esta fazendo aquelas perguntas 


-Não estou sem fome. 


- Posso te fazer uma pergunta ? - Diz ela me olhando serio 


-Pode - Digo meio desconfiada 


-Porque você trabalha pro meu irmão? Ele te maltrata tanto , porque ainda não se demitiu?


-Então é uma longo historia - Digo colocando uma mecha do meu cabelo atras da orelha 


-Eu tenho muito tempo, senta aqui do meu lado - Diz ela me dando espaço para sentar , sento do lado dela


-Então.....- Conto para ela tudo que aconteceu, des que a gente se viu pela primeira vez, ela ficou pasma com que aconteceu.


-Eu não acredito que meu irmão , te fez de moeda de troca , por conta do seu irmão - Diz ela parecendo chateada com o Rafael.


- Pois e ....


-meu irmão não era assim antes -Diz ela de cabeça baixa 


-Como assim? - Digo um pouco curiosa.


-Brenda , eu já falei pra você não entrar nesse assunto. - Diz o Rafael descendo as escadas. 


-Foi mal Rafa , eu sou preciso desabafar - Diz ela levantando a cabeça


-Ta se você quer desabafar , desabafa sobre sua vida não sobre a minha ,OUVIU? -Diz ele nervoso. 


-Ta bom Rafael ta bom - Diz ela um pouco sem paciência.


Ele sai de casa sem se despedir , que já era imaginado.


-Desculpa Lavinia,mas eu não posso - Diz ela. 


-Não tem problema,eu entendo - Digo normalmente


- Então quer assistir um filme? - Diz ela Abrindo um sorriso meio forçado


- Pode ser - Digo sorrindo


Ela escolhe um filme e ficamos assistindo. Depois que o filme termina , ela me ajuda a arrumar a bagunça que estava naquele sofá e depois vai embora.
Depois de arrumar tudo vou para o meu quarto , tomo um banho rápido e coloco um pijama bem confortável, fico deitada na cama , olhando pro teto quando acabo caindo no sono...


3h00


Acordo com barulhos de pessoas gritando e de tiros, não estou entendendo nada. Me levanto e olho pela janela, a visão que vejo não é a das melhores. Várias pessoas correndo apavoradas e uns caras desconhecidos com metralhadoras atirando para todo lado. Que isso? Um campo de guerra?
Saio do meu quarto desesperada tentando encontrar o Rafael mas não tem ninguém em casa. Volto para o meu quarto decidida a ficar lá até esse pesadelo acabar, o que eu menos quero agora é levar um tiro. Os sons de tiros foram ficando mais fortes, o que significa que eles estão bem próximos. O que eu fiz para merecer isso?


- O que vocês estão fazendo aí? - grita um cara com a voz grave.


- O que você acha? - Diz outro zombando do cara. - Queremos o Dono do morro.


Tremo na base com aquele comentário, se eles me acharem aqui vão concluir que eu sou a namorada ou uma parente dele, o que não é verdade, vão me matar.


- Hoje não. - Diz o cara da voz grave em seguida ouço vários tiros.
Me jogo no chão para não ter o perigo de ser atingida. Depois me levanto e tomo coragem para olhar pela janela, a três corpos no chão da rua. Que horror !
Fico um tempinho tentando relaxar até ouvir um barulho lá em baixo. É hoje que eu morro. Tomo coragem e vou para a área de limpeza correndo, pego um cabo de vassoura e vou em direção a sala. Não vou morrer sem lutar. Ouço vozes masculinas e um gemido de dor.

- Eu vou matar esse cara véi! - Diz o cara que tinha discutido com os bandidos agora pouco.

- Depois você pensa nisso, agora me ajuda aqui.
Ouço a voz de Rafael e chego na sala mais rápido.

- O que você está fazendo? - Diz Rafael  me olhando de uma forma interrogativa.

- Do que você tá falando?- Digo, não entendendo a reação dele.

- Esse cabo de vassoura ae - Diz Rafael apontando para o mesmo.

- Aah, é que eu pensei que fosse uma invasão a casa, algo do tipo. - Digo tentando não passar a vergonha que estava sentindo. - O que aconteceu com o seu braço?

- Fui baleado de raspão no confronto.
- Diz ele fazendo uma careta de dor.

- Entao vai no posto daqui do morro.

- O posto tá fechado - Diz o cara de voz grossa que reparando bem é bem bonito, ele é alto, atlético e tem uma tatuagem no pescoço bem chamativa.

- Eu posso ajudar com isso, eu estava fazendo faculdade de Medicina.

- Ótimo, vou levá-lo para o quarto. - Diz o cara bonito levando o Rafael para o quarto dele.
Vou ao banheiro e pego a maleta de primeiros socorros e vou em direção ao quarto de Rafael. Bato na porta e o ouço gritar:

- NÃO  DEIXA ESSA EMPREGADINHA ENTRAR AQUI DG !

Nem machucado esse cara cede, a minha vontade é deixar ele machucado mesmo, até a ferida infeccionar.

- Deixa de ser teimoso cara, você pode até morrer se não for tratada essa ferida.

- MAS EU NÃO  QUERO QUE ELA ENTRE AQUI PORRA!


- PARA DE FRESCURA CARAI, PODE ENTRAR.

Entro sem cerimônia e observo Rafael  de cara feia me olhando. Tô nem aí,  se ele quiser se salvar vai ter que me aturar. Limpo a ferida e coloco faixa em seu braço.

- Prontinho! Já desinfeccionei o ferimento, agora é só limpar todos os dias, se quiser pode passar no posto pra ter certeza que o ferimento está bem. - Digo guardando os produtos na maleta. Olho para Rafa e ele está de cabeça baixa.

- Se ele não agradece, eu agradeço. Obrigado - Diz esse tal de DG.

- De nada, não fiz mais do que meu trabalho.

- DG, me espera na sala por favor. - Diz  Rafa.

- Tá bom - Diz ele saindo do quarto. Antes de passar da porta ele sussura:
- Boa sorte.

Ele sai e eu suspiro. Acho que eu vou precisar.

- Eu também vou indo. - Digo tentando escapar daquela situação.

- NÃO, você fica.

Paro de andar e me viro em sua direção.

- E então,  o que você quer comigo?

- Queria fazer uma pergunta. - Ele olha nos meus olhos.

- Faz.

- Porque você me ajudou?

- Porque eu não queria te ver naquele estado e também como eu disse antes, não estou fazendo nada além do meu serviço aqui.

- Ata, pode ir embora.

Antes de sair do seu quarto, me viro e falo:

- Eu também não queria que você morresse - Digo saindo do quarto e indo ate o banheiro guardando a maleta de primeiros socorros.
Vou até a sala e vejo o tal Dg sentando no sofá, ele me chegar e me olha.

-Então tudo bem com você?

- sim, ele so queria falar uma coisa - Digo indo ate ele

- entendi... e acho que esqueci de me apresentar, sou o Diego mas me chame de Dg - Diz ele sorrindo, alem de sem bonito tem um sorrisso MARAVILHOSO

- Prazer eu sou a Lavínia,  mas pode me chamar de qualquer jeito - Digo rindo

- Senta pra nós conversar - Diz ele sentando no sofá, eu sento logo em seguida no seu lado - Então você mora aonde...E que dizer você morava aonde?
Pelo visto ele sabe que o amiguinho dele me fez de "Moeda de troca" que nem diz a Brenda

- É eu morava na rua de baixo, na rua 2

- A sei você e a irmã do Breno, certo?

- Sim....E posso te fazer uma pergunta?

- Pode sim.

- Então falta muito pro meu irmão terminar de pagar?

- Então ele devia uns vinte mil, como na boca nos cobra juros ele ta devendo bastante, mas eu acho que ele ja pagou uns quatro mil

- Nossa, e não tem nem como eu ajudar - Digo abaixando a cabeça

- Ei não fica assim não , daqui a pouco ele paga tudo e você sai daqui  - Diz ele levantado minha cabeça

-Espero - Digo um pouco triste

- Oque eu posso fazer pra ver você, fica feliz?

-convencendo seu amiguinho me deixa ver minha família, mas isso é impossível

- Eu posso tentar

- SERIO! - Digo abraçando ele e o soltando rapidamente - Desculpas

- Não tem problema- Diz ele rindo

- Que gritaria e essa aqui? - Diz o Rafael descendo as escadas

- Relaxa mano so estamos conversando - Diz o Dg levantando do sofa, e eu levanto logo em seguida

- e você oque ta fazendo aqui? Vai fazer um lanche para nos vai - Diz o Rafael

- Eu não quero - Diz o Dg olhando para mim

- Mas eu quero , vai logo vai   - Diz o Rafael sentando no sofá

- Nem machucado, você para de ser grosso , Caralho - Digo revirando os olhos

- Vou lavar sua boca com água e sabão  pra ver se você para de ser tão respondona.

- Nem se atreva a tocar em mim. - Digo séria.

Vou a cozinha e pego os ingredientes para fazer o lanche.

                             Rafael

Vejo DG seguindo Lavínia com o olhar, o que me deixa bem irritado.

- O que vocês estavam conversando ? - Digo tentando não passar emoção.

- Nada de mais. - Ele diz passando a mão no cabelo.

- Está interessado nela?

- Não sei, você está?

- Não diga besteira cara, porque eu me interessaria nela?

- E eu vou saber ? Não estou dentro de você para saber o que sente.

- Mas eu te conheço e sei quando fica interessado em uma garota.

- Gostei dela sim, não vou negar. É bem bonita e atraente, daria bem na minha ...

- Já sei, não precisa completar. Mas infelizmente pra você, isso nunca vai acontecer. - Digo com um sorriso no rosto.

- Porque não? Garanto que ela preferia tá na minha casa do na sua.

- Mas ela ta na minha, então você tem que se conformar e ficar longe dela entendeu?

- Fala sério Rafa, não é assim que se conquista uma garota.

- Eu não quero conquistar ninguém, você só fala besteira. Aliás ninguém toca no que é meu, nem você e nem ninguém

- Ahaam sei.

- Tá avisado. - Digo com uma voz autoritária.

Lavínia aparece na sala e me entrega o lanche.
- Aqui está o seu lanche.  - Diz ela emburrada - Precisa de mais alguma coisa?

- Não, pode ir.

- Ok, Boa noite Dg. - Diz ela com uma certa cumplicidade.

- Boa noite - Ele responde.

Ela sobe as escadas e vai direto para o seu quarto.

                          Lavínia

Entro no meu quarto exausta, me jogo na cama e durmo rapidamente.

7:00h

Acordo com o despertador gritando no meu ouvido. É hora de trabalhar. Tomo banho e me arrumo para ir fazer o café da manhã. Faço o café e como depressa para não encontrar Rafael. Depois de comer começo fazer as tarefas de casa, começando pelas roupas. Lavo elas e estendo no varal, pego as roupas secas e começo a passar elas. Olho no relógio e são 10:00 da manhã. Depois de terminar de passar a roupa e guarda-las  vou para o jardim descansar um pouco. Respiro o ar puro, olho para o céu e observo as nuvens se movendo lentamente. Era um bom dia para ir na sorveteria mas como estou presa aqui, esse desejo não poderá se realizar. Sinto um olhar sobre mim e olho em direção ao olhar e Rafael está me olhando fixamente. Me levanto e volto a fazer as tarefas de casa.

15:00h

Terminei minhas tarefas e me tranquei no quarto, não queria ter mais uma briga desnecessária com o Rafael. Eu tô parecendo uma prisioneira nessa casa, não posso fazer nada. Fico deitada olhando pro teto, imaginando quando eu vou sair daqui.

- OOOOI - Diz Brenda entrando com tudo no meu quarto.

- O-oi - Digo assustada.

- Vamos sair ?

- Não posso sair daqui - Digo desanimada.

- Porque não? Meu irmão não ta em casa. - Ela diz animada - Então  você pode sair.

- Prefiro não arriscar Brenda.

- Aff,  tá bom. Então o que você quer fazer ?

- Bom... De manhã cedo eu queria sorvete.

- Então você terá sorvete. - Diz ela com um sorriso de lado.

Ela pega o seu celular e liga para alguém.

* Ooi DG, preciso de um favorzão seu*

Eu não acredito que ela vai fazer isso.

* Então, eu precisava que você pegasse uns sorvetes para mim... Não, não pode, agora vai lá pegar os sorvetes*

Ela se vira em minha direção e fala:

- Que sabor você quer ?

- De menta com chocolate.

- Ok.

* Um de menta de chocolate e o outro de flocos, e escolhe bem os sorvetes porque não quero que eles cheguem aqui todos derretidos... Se vira cara, não quero saber, vai logo ... Estou na casa do Rafa com a Lavínia, aproveitei que ele saiu pra falar calmamente com ela ... VAI BUSCAR LOGO ESSA PORRA*

Ela grita e desliga o celular. Meu Deus, ela chega a dar medo quando está brava.

- Pronto! Daqui a uns minutinhos nossos sorvetes estarão aqui. - Diz ela calmamente, nem parece aquela que estava berrando no celular.

- Obrigada.

- Foi nada.

- O Rafael não está em casa ? - Digo surpresa lembrando do que ela tinha dito na ligação.

- Ele acabou de sair. Foi resolver algumas coisas por causa do confronto de ontem.

- Aah, entendi.

- Vamos pra cozinha esperar o sorvete?

- Bora.

Descemos para a cozinha e preparamos os potinhos e as colherzinhas. A campainha toca e Brenda foi atender o DG. Uns 2 minutos se passou e de repente ouço uns gritos:

- NÃO DG!

- MAS EU QUERO PARTICIPAR CARAI.

- MAS NÃO  VAI, É PAPO DE MULHERES, VOCÊ NAO VAI ENTENDER.

- QUEM DISSE QUE EU QUERO OUVIR VOCÊS, SÓ QUERO O SORVETE.

- NÃO VAI COMER O NOSSO SORVETE!

DG entra na cozinha, me dá um aceno rápido e deixa a sacola com os sorvetes em cima da mesa, Brenda vem logo atrás gritando:

- VOCÊ NÃO PODE ENTRAR, É O DIA DAS GAROTAS.

- Não é mais. - Diz ele se sentando ao meu lado e abrindo um pote de sorvete de creme.

- Que sorvete é esse, eu não pedi esse sabor. - Diz Brenda olhando DG com raiva.

- Esse é pra mim, o de vocês tá ali dentro- Diz ele apontando para a sacola.

- Intrometido ele né - Diz Brenda olhando para mim.

Não conseguindo mais, solto uma gargalhada. DG vira e me olha surpreso com a minha gargalhada espontânea.

- Que isso?- Diz ele.

- Tô rindo, não tá vendo?

- Caramba véi, vocês hoje só estam me dando patada.

- Isso mesmo Lavínia, tem que ser assim com homem piranha.

- Para de falar mal de mim pra ela,o que ela vai pensar da minha boa pessoa?

- Vai pensar que você quase engravidou a rua 5 toda.

- É O QUE ? - Digo surpresa com aquela revelação.

- Isso não é de tudo verdade. - Diz ele tentando se explicar - Não acredite nela.

- Eu mentiria pra você? - Diz Brenda.

- Eu acho que não.

- Viu , ela confia em mim. - Diz Brenda se gabando.

Pego meu sorvete e Brenda faz o mesmo. Conversamos de vários assuntos até DG se virar pra mim e falar :

- Você quer ir no bailão com a gente?

- Eu ... Não gosto muito desses tipos de baile.

- E o Rafa não vai deixar. - Diz Brenda comendo o seu sorvete.

- Mesmo eu acompanhando ela ?

- Duvido que ele vai deixar, ainda mais com você. Do jeito que você é atacante, não ia demorar nem um minuto pra dar em cima dela.

- Você gosta de me difamar né.

- Não querido, só falo verdades.

- As suas verdades, não as minhas.

- Sei, todo mundo diz que...- Brenda é interrompida pelo seu próprio celular  que estava tocando. - Já volto, só vou ali no jardim atender.
Ela sai e eu olho para DG.

- O que foi?  - Diz ele parecendo desconfortável com o meu olhar.

- É verdade tudo aquilo que ela disse ? -  pergunto.

- Não tudo, esse povo fala demais e inventa o que não deve.

- E  o que é verdade?

- Você está bem curiosa - diz ele sorrindo e se aproximando de mim. - Te causo alguma coisa que não devia ?

Ele se aproxima mais e eu ouço um estrondo vindo da porta, no primeiro momento eu pensei que era Brenda voltando mas quando eu virei o rosto percebi que era Rafael que acabara de chegar e estava furioso.

- O QUE SIGNIFICA ISSO ? - ele grita.

Tomei um susto enorme e me levantei com medo.

- Nada cara, só estávamos conversando. - Diz DG calmamente.
As vezes me pergunto porque ele não sente medo do Rafael.

- Não é o que eu vi.

- Não sei o que você viu mas não estava acontecendo nada demais.

Rafael me olha de um jeito ameaçador.

- O que está acontecendo aqui ? - Diz Brenda entrando na cozinha.

- Eu que te pergunto Brenda, o que está acontecendo aqui?

- Ouch, nada de mais, estamos tomando sorvete e conversando algum problema?

- Sim, todos. Porque o Dg  está aqui com vocês duas sozinhas.

- Porque ele que trouxe o sorvete, e você nunca reclamou do Dg sozinho comigo, agora só porque a Lavínia tá aqui começou essa putaria?

- É diferente Brenda, você não sabe das coisas então é melhor não se meter - Diz Rafael.

- Sinceramente eu não te entendo mais. - Ela diz pegando seu sorvete e se despede de mim - Depois a gente conversa.

- Ok - Digo baixinho só pra ela escutar, ela acena e vai embora.

- E você, vai para o seu quarto agora.- ordena Rafael.

- Sim senhor - Digo um pouco irônica e vou para o meu quarto de cabeça baixa pensando que eu nunca deveria ter saído de lá.

22:00H

Estou no quarto desde o incidente de hoje a tarde. Decido ir dormir já que está tarde. Deito e quando eu quase consegui dormir escuto umas batidas na porta.

- Pode entrar. - Digo sonolenta
   A porta se abre e DG aparece.

- O que você está fazendo aqui? - Digo confusa.

- Vim te trazer uma boa notícia, você poderá ver a sua familia.

- Sério ? Obrigada DG - o abraço.

- Sim mas vai ser por pouco tempo e eu vou te acompanhar. - ele responde correspondendo o meu abraço - Não esperei até amanhã porque queria que você dormisse bem com essa noticia.

- E eu vou.

- Agora eu vou indo porque o Rafa não pode nem sonhar que estou aqui.

Ujg- Tudo bem, boa noite.

- Boa noite- Diz ele saindo do meu quarto rapidamente.
  Finalmente poderei dormir tranquila nessa casa, vou rever minha família e isso é tudo o que quero agora.


Notas Finais


Beijuuuuu seus gostososss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...