1. Spirit Fanfics >
  2. O Encanto da Cerejeira >
  3. Capítulo 55 - ITACHI - A festa

História O Encanto da Cerejeira - Capítulo 122


Escrita por:


Capítulo 122 - Capítulo 55 - ITACHI - A festa


Sakura obseva tudo de longe, ela achou o pedido lindo, nunca imaginaria que algo assim aconteceria, até porque Hinata não mencionou nada. A única coisa na qual consegue pensar agora é em quanto os quatro que conversam entre si estão felizes, mesmo que o senhor Hyuuga tenha aparecido, provavelmente para esclarecer as coisas.

—        Foi bonito, mas dava pra ser mais criativo.

Sakura foca seu olhar no moreno ao seu lado com um sorriso.

—        Você acha?

—        Com certeza.

—        Então como você faria?

Ele pensa um pouco, mas sorri.

—        Talvez um dia você descubra.

—        O que?

Ela pergunta indignada com o que acaba de ouvir.

—        É claro, não faz sentido dizer ao aniversariante como vai ser sua festa surpresa.

—        O quê? Mas isso não é justo.

—        Parece bem justo para mim.

—        Não pode dizer que faria melhor se não tiver como provar isso.

O sorriso dele aumenta e ele a puxa para perto.

—        Não vou dizer.

Ela bufa, mas assim que ouve o toque de uma de suas músicas preferidas, se recupera rapidamente e se afasta do Uchiha segurando seu braço e surpreendendo-o.

—        Amo essa música, vamos dançar?

Ele sorri.

—        É claro.

Itachi se deixa ser levado pela rosada para a pista de dança. Algum tempo depois, as amigas da Haruno aparecem e se unem aos dois.

 

Depois de algumas músicas, o moreno se afasta um pouco apenas admirando a namorada que dança com as amigas. Em um primeiro momento elas dançam apenas entre si, no entanto, não demora para que isso mude e cavalheiros se unam a elas, se não por vontade própria, por ciúmes.

Depois de encontrar os pais e conversar um pouco com eles, Itachi volta a se aproximar da rosada envolvendo sua cintura e surpreendendo-a.

—        Você não se cansa?

Sakura ergue o olhar para ele com um belo sorriso.

—        Nunca.

—        Tem algumas pessoas que querem muito te conhecer.

Ela se surpreende e o observa.

—        Quem?

—        Vem comigo.

Eles se afastam da pista de dança seguindo para uma mesa e Sakura finalmente percebe de quem se trata.

De repente ela sente um frio na barriga, que aumenta a medida que seus passos se aproximam da mesa destinada aos Uchiha.

Sem demora Mikoto se levanta e se aproxima de Sakura abraçando-a.

—        Finalmente.

Sakura retribui o abraço.

—        Queria muito te agradecer, mas os ensaios foram um tanto quanto puxados e eu tinha que ser profissional.

Ela se afasta mantendo o olhar sobre a rosada e suas mãos nos ombros da Haruno.

—        Você fez meu filho voltar para casa, não sabe o quão grata sou por isso.

Sakura cora.

—        Não fui eu, ele apenas precisava de um empurrão.

—        Não seja modesta, sei que ele só ouviu porque foi você. Digo isso porque o conheço, porque sou a mãe dele.

Ela ri.

—        Venha, venha sentar conosco.

Ela se aproxima da mesa e vê um homem de feição séria se erguer. Ele estende a mão para ela que a aperta.

—        Muito prazer Sakura, sou Fugaku, pai de Itachi.

—        O prazer é meu.

—        Vamos, sente-se.

Sakura o faz.

—        Então, - a expressão em seu rosto permanece séria - o que você faz?

—        Sou arquiteta.

Fugaku ergue uma sobrancelha.

—        Qual seu sobrenome?

—        Haruno senhor.

Há surpresa no rosto do patriarca.

—        Trabalha com os Senju?

Sakura se surpreende pela facilidade com a qual o Uchiha associou seu sobrenome ao lugar onde trabalha. Isso porque, apesar de ser bem reconhecida no ramo, geralmente o nome da construtora se destaca mais do que o seu próprio.

—        Sim.

Ela responde e Mikoto não gosta dessa conversa.

—        Tudo bem, já chega disso, parece uma entrevista de emprego.

O olhar da morena se volta para Sakura e um grande e belo sorriso se forma no rosto da matriarca Uchiha.

—        Então, quero saber tudo o que puder me contar. - os olhos dela brilham de excitação - Onde estudou? Tem família por aqui?

—        Vai assustá-la mãe.

—        Ah, - ela se contém - desculpe querida, mas não tenho muita experiência com as namoradas dos meus filhos, eles nunca trazem ninguém para casa. Para ser sincera depois que crescem eles nem se preocupam em ao menos ligar para os pais. Olha o lugar onde consegui falar com você porque ele nem se dignou a marcar um jantar para nos conhecermos.

Sakura cora e Itachi revira os olhos.

—        Sinto muito, a culpa foi minha. Ultimamente estou com tantas coisas para resolver tanto do trabalho quanto do casamento que não tenho tempo para mais nada.

—        Bom, posso entender isso, mas espero que não demore a nos visitar.

—        Assim que tiver algum tempo prometo um jantar.

A rosada abre um lindo sorriso que contagia a mesa pois tanto Mikoto quanto Itachi sorriem também. Claro que não é tão contagiante a ponto que alcançar Fugaku mas, mesmo que não esboce um sorriso, o patriarca da família está feliz pelo filho já que ele realmente parece estar bem ao lado dela. Além disso, o nome da Haruno já alcançou os ouvidos do Uchiha outras vezes, apenas com elogios.

Parece que meu filho sabe escolher. O mais velho pensa ao observar a bela mulher e profissional responsável, com um belo caráter e que parece ser quase tão radiante quanto sua esposa. Ele sabe, apenas por olhar para Sakura, que as duas mulheres se parecem muito. As orbes negras se voltam para Mikoto. Sim, ele sabe escolher, exatamente como eu.

—        Não é Fugaku?

A morena o afasta de sua análise fazendo-o voltar sua atenção a mesa. Antes que tente se inteirar do assunto, os belos olhos negros que tanto o encantam percebem seu deslize.

—        Ah que ótimo, - ela diz - pare de viajar querido, preste atenção nas conversas em que está.

—        Desculpe.

—        Bom, - ela continua - como eu dizia para Sakura, nossa casa está sempre a disposição para que eles passem alguns dias lá. Eu pessoalmente adoraria poder passar o dia inteiro com você.

—        Sim, claro.

O Uchiha afirma em um aceno e um sorriso sincero se forma nos lábios da rosada.

—        Não gosto de incomodar, mas sinceramente também adoraria passar o dia com a senhora.

—        Outra vez com isso? Ora Sakura vamos, nada de senhora, me chame de Mikoto, Mi-ko-to.

—        Desculpe.

O toque da música chama atenção de Mikoto animando-a e fazendo com que se erga.

—        Estou cansada de ficar sentada, quer dançar Sakura?

A rosada dá de ombros.

—        Por que não? - ela olha para Itachi - Você vem?

—        Pode ir.

—        Espero que você não seja como seu pai, - Mikoto diz enquanto Sakura se ergue - ele nem se levanta para dançar comigo, considerando minha profissão é bastante frustrante.

—        Acho que ele prefere admira-la.

Eles se surpreendem e pela primeira vez desde que se aproximou da mesa, Sakura consegue ver um sorriso no rosto de Fugaku.

—        Essa garota sabe do que fala.

—        Parece que eu estava certa afinal.

Eles observam a matriarca, mas ela não diz nada apenas segura o braço de Sakura e a leva para a pista.

As duas dançam unidas as amigas da rosada e de Kushina que não tarda a se aproximar. Com o tempo a pista começa a ficar mais vazia e quando o relógio aponta quatro da manhã, Karin observa as amigas.

—        Estou indo embora.

—        Já? - Temari diz - Está cedo.

—        Eu estou cansada.

—        Sua velha.

Tenten, que está bêbada, acusa a amiga que apenas revira os olhos em resposta.

—        Suigetsu já foi, ele teve um problema de família e precisou ir mais cedo e estou mesmo cansada.

—        Tá bom, tchau então. - Temari diz.

—        Tchau.

As garotas dizem e a ruiva se afasta. Tenten é a próxima a ir, acompanhada por Neji e logo Sakura também sente o cansaço. No entanto, antes de ir para a mesa onde Itachi está, caminha até o bar e pede uma bebida, sem álcool dessa vez.

—        Parece que você e minha mãe viraram amigas.

Ela se surpreende ao ouvir a voz de Sasuke que abre um sorriso para ela.

—        Ela é uma mulher incrível.

—        Até você irrita-la.

Ela ri.

—        Todo filho tem medo da mãe. A minha, por exemplo, é maluca e morro de medo de ela enlouquecer ao ponto de fazer algo sem volta.

—        Não importa o que sua mãe faça, nunca irá superar a mulher que na frente dos meus amigos no dia do meu aniversário anunciou que eu era um homem porque tinha entrado na puberdade.

Ela ri.

—        Sua mãe fez isso?

—        Imagine a minha cara.

—        Não se preocupe, minha mãe já me fez passar alguns gorilas também.

Ele sorri.

—        É um dom que apenas elas têm.

Ela ri se lembrando da mãe.

—        Sim, acho que tem razão.

—        Aqui senhorita.

—        Obrigada.

O barman entrega o que Sakura pediu e foca o olhar em Sasuke.

—        Senhor?

—        Negroni.

O rapaz se afasta e o moreno foca seu olhar na rosada mais uma vez.

—        Então foi você quem fez meu irmão voltar para casa?

—        O que? - Sakura se surpreende - Não, não. Eu apenas disse pra ele falar com seu pai, talvez isso ajudasse. Não tenho nada a ver com o que aconteceu.

—        Considerando que eles ficaram não sei quantos anos sem se falar garanto a você que teve uma grande importância na reconciliação deles. Conquistou minha mãe com isso, parabéns.

A rosada se lembra que Itachi disse algo parecido, mas realmente não acha que seu conselho tenha sido tão bom assim.

—        Não foi nada tão grande assim.

Sua voz não é mais alta que um murmúrio que pode ser ouvido mesmo com o som da música ao seu redor. Ao ouvi-la o moreno sorri mais uma vez.

—        Você é muito modesta.

Há surpresa no rosto dela uma vez mais e não demora para que baixe o rosto envergonhada. O moreno a observa achando graça da modéstia, mas distancia o olhar ao ver o barman estender seu drink.

—        Obrigado.

Eles se afastam do balcão.

—        Está indo para a mesa deles? - ele pergunta.

—        Sim.

—        Então vamos juntos.

Os passos deles se encaminham em direção à mesa em que os Uchiha se encontram.

—        Você tinha razão no fim.

Ela foca o olhar sobre ele.

—        Sobre o que?

—        Tem um dom, nunca vi meu pai sorrir para uma completa estranha antes, ele nem faz isso com a gente, você com certeza é muito boa em conquistar Uchiha's.

Mais uma vez a rosada enrubesce e baixa o olhar, não pensou que Sasuke estivesse vendo-os, e aquilo nem foi grande coisa. Assim que as orbes negras do caçula veem seu irmão mais velho observa-los, aproxima seu rosto da rosada falando um pouco mais baixo, mas alto o suficiente para que ela o ouça.

—        Não seja tímida, isso é bom. Vai conquistar toda a família.

Surpresa com a aproximação ela dá um passo ao lado se afastando dele e ao focar seu olhar sobre ele, vê um belo sorriso.

—        E não se esqueça, somos amigos sendo assim ainda me deve um almoço.

Sakura desvia o rosto se lembrando que prometeu um almoço a ele e seus passos finalmente os fazem chegar a mesa onde parte da família Uchiha se encontra.

Assim que o olhar dela se foca no namorado, percebe uma feição séria no rosto dele. Entretanto, Mikoto também se aproxima pelo lado oposto e, sua risada, a faz focar sua atenção sobre a morena.

—        Oi, - ela diz focando mais uma vez em Itachi - vamos?

—        Vamos.

O moreno não demora a se erguer e Sakura foca sua atenção nos pais dele.

—        Foi um prazer conhecê-lo senhor Uchiha.

Ela estende a mão a ele.

—        Igualmente Sakura.

Mikoto se aproxima e dá um abraço na rosada.

—        Obrigada pelo que fez pelo meu filho Sakura. Serei eternamente grata por isso.

—        Já disse que não foi nada.

—        Bobagem, não me importo com sua modéstia.- ela se afasta com um sorriso. - Cuidado na volta.

—        Tudo bem.

—        Tchau Sakura.

Os olhos esverdeados voltam-se para o Uchiha mais novo que já está sentado e lhe estende o copo em sua mão.

—        Tchau Sasuke.

—        Vamos.

Com a mão envolta na cintura dela, Itachi a afasta da família.

—        Vamos nos despedir das meninas, da Hina e do Naruto. - ela diz.

—        Hm.

Sakura acha a resposta um tanto quanto estranha, ele não parece tão animado quanto a algum tempo atrás.

Sem dizer mais nada, Sakura se aproxima das amigas e se despede delas, seguindo para onde os noivos estão logo depois e entram na fila ao vê-los recebendo vários abraços. Quando sua vez chega, Sakura abraça a amiga enquanto Itachi cumprimenta Naruto.

—        Estou muito feliz por você Hina, sei que vai ser muito feliz.

A morena se afasta e sorri para a rosada.

—        É como você disse, eu já sou.

Elas se abraçam uma vez mais.

—        Aproveite a lua de mel.

Hinata ri.

—        Sim, eu vou.

Sakura se afasta da amiga e se aproxima de Naruto abraçando-o, e o moreno se aproxima de Hinata.

—        Parabéns, - Sakura diz - você sabe mesmo fazer um discurso.

Ele ri.

—        Planejei aqueles votos por meses.

Ela se afasta.

—        Valeu a pena, foi lindo. Realmente desejo o melhor para vocês.

Ele sorri para a rosada.

—        Eu sei Sakura-chan, e obrigado por isso.

—        Estamos indo, - Sakura diz - boa lua de mel para os dois.

—        Obrigado. - eles respondem.

Com o braço ao redor da cintura da rosada, eles seguem para a porta principal onde vários manobristas se encontram. Depois de dizer a um dos rapazes a marca do carro e início da placa Itachi foca em algum ponto a sua frente.

Sakura percebe que ele não está tão sorridente quanto antes e estranha esse fato, mas ver o carro que a levou ao encontro se aproximar chama sua atenção.

—        Esse é o mesmo carro de antes, de quem é?

—        É meu, mas como prefiro andar de moto ele raramente fica comigo.

Assim que o carro para, eles entram.

 —       Foi um belo casamento, - ela diz mantendo o olhar no escuro borrão do lado de fora - nunca pensei que Naruto pudesse dizer coisas tão bonitas.

—        Sim.

—        E aquela música que a Hina cantou foi realmente linda.

—        É.

Sakura se cala por um momento focando seu olhar sobre o dele brevemente e desviando-o em seguida, o moreno a acompanha nesse silêncio, mas ele não dura muito pois a Haruno logo volta a falar.

—        Acho que preciso encontrar logo um dia para jantar com seus pais, sua mãe foi bastante persuasiva.

—        Sim, ela é.

Há silêncio outra vez. Ela percebe respostas curtas e que ele fala o mínimo possível, então volta a notar que ele está estranho. Passando a noite por sua mente, percebe que ele estava com essa expressão quando foi chamá-lo para ir embora. Talvez algo tenha acontecido com o pai dele.

Ela está em dúvida se pergunta sobre o assunto ou apenas permanece em silêncio, e se decide pela segunda opção. Mas quando estão se aproximando da casa da rosada ela percebe que o moreno segura o volante com força e isso a preocupa.

—        Aconteceu alguma coisa enquanto eu estava dançando?

Ele a observa com o canto dos olhos.

—        Não.

—        Certo, então por que está apertando o volante como se o odiasse?

O moreno percebe o que faz e afrouxa um pouco as mãos.

—        Não é nada.

—        Então aconteceu alguma coisa.

Assim que o carro para em frente a casa ele desliga o motor, mas seu olhar permanece focado a frente.

—        Então?

—        Foi só uma discussão idiota.

—        Com seu pai?

O moreno se cala e abre a porta.

—        Vamos entrar.

Itachi deixa o carro e Sakura faz o mesmo com os dois seguindo para a porta.

Sakura destranca a casa e os dois entram em silêncio. Nesse momento, eles deveriam estar bem e aproveitando a noite, mas o moreno realmente parece incomodado.

Depois de colocar a bolsa na mesa de centro, o olhar dela se encaminha até o namorado que observa o quadro de Deidara.

A passos lentos, a Haruno se aproxima se colocando ao lado dele e, ao olhar para seu rosto consegue perceber que não há tristeza ou cansaço, ele parece realmente incomodado até… Ah. Ela percebe a irritação e por isso percebe a pessoa com quem ele discutiu.

—        Foi o Sasuke não foi?

O moreno a observa ainda em silêncio.

—        Por que vocês discutiram?

Ainda não há resposta então a rosada se põe na frente do moreno.

—        Ei, - ela ergue as mãos tocando o rosto dele fazendo-o olhá-la - por que vocês discutiram?

Vendo o olhar com o qual ela o observa ele sabe que não importa o que diga, ela não vai desistir até que seja sincero. É por isso que fecha os olhos e solta um longo suspiro antes de voltar a focar nela.

—        Por você.

A rosada se surpreende com o motivo da discussão dos irmãos e por isso baixa as mãos afastando-as do rosto do Uchiha. Sakura pensou que o assunto estivesse resolvido com eles, foi clara com Sasuke e já se entendeu com Itachi então por que caralhos os dois discutiram por ela?

—        E como eu fui motivo de uma discussão?

—        Isso não vem ao caso.

—        Como não? Sou o assunto principal da briga de vocês, tenho o direito de saber.

Os olhos negros de focam sob os jade por alguns poucos segundos, mas logo se afastam fazendo-o focar em qualquer outro lugar.

—        O que mais poderia ser? - ele murmura - A obsessão que ele tem em você.

Sakura se surpreende ao ouvi-lo, seus lábios entreabertos e olhos levemente arregalados demonstram isso.

—        Você só pode estar brincando. - ela murmura.

—        Por que estaria? - ele volta a observá-la - Sabe bem que ele tem interesse em você.

—        E eu não tenho nele.

—        Mesmo assim isso não o deixa mais longe de você.

Os belos olhos da Haruno se arregalam um pouco mais.

—        Não é possível que estejamos voltando nesse assunto.

—        Não é como se pudesse ignorar que isso acontece.

—        Não importa porque eu não quero nada com ele.

—        O quão claro deixou isso para ele?

—        Não acredito que esteja mesmo me perguntando isso.

Sakura se vira ficando de costas para ele completamente indignada pela dúvida do rapaz outra vez.

—        Ele se interessa por você e não pretende desistir, você goste ou não esse é um fato. E depois daquela dança…

Ele deixa a frase solta no ar o que incomoda a rosada que se vira mais uma vez para observá-lo.

—        Depois da dança o que? Vamos, termina, eu quero ouvir o resto.

—        Ele não sabe perder Sakura, vai fazer o que estiver ao seu alcance para conseguir o que quer, e agora ele quer você.

—        Eu não acredito que estou ouvindo isso. - Sakura se surpreende com o que ouve - Você realmente acha que sou tão influenciável assim? Que sou tão idiota para cair na lábia dele? É isso o que realmente pensa?

O moreno se surpreende com as perguntas e percebe a merda que falou. Sakura apenas se vira de costas para ele e se afasta.

—        Vai embora.

O rapaz se surpreende e ouvir a voz embargada dela o faz respirar fundo para se acalmar. A última coisa que precisa agora é brigar com ela ainda mais pelo motivo que é.

—        Desculpe, eu não quis dizer isso, devia ter escolhido melhor as palavras e...

—        Não, - ela o interrompe - você disse o suficiente.

A Haruno abraça a si mesma enquanto se sente frustrada pelo que ouviu.

—        Sakura.

Ela não lhe dá atenção e continua sem se virar, mas o moreno logo se aproxima dela segurando seu braço arrependido pelo que disse.

—        Sakura me desculpa.

Em um toque delicado o Uchiha causa arrepios ao recostar suas mãos sobre o braço desnudo da rosada

—        Por favor, eu sou um idiota.

Ela vira a cabeça levemente para observá-lo e sente seus beijos lhe tocarem o ombro, encaminharem-se em direção a nuca, orelha e por fim terminam tocando-lhe a face.

Itachi a vira devagar aproximando seus lábios, ele não tem pressa, ela é toda dele ninguém pode estragar esse momento, apenas eles importam. Os movimentos começam lentos, mas tornam-se deveras intensos.

Sakura toca o pescoço dele com uma das mãos e com a outra lhe toca o rosto, as pontas de seus dedos tocam o cabelo preso do Uchiha, tanto os próximos a nuca, quanto os que lhe caem pelo rosto e ela gosta de tê-lo tão perto.

Ele leva sua mão esquerda que lhe tocava o ombro até sua nuca enlaçando seus dedos nos fios rosados que tanto o atraem, e a outra envolve a cintura dela, aproximando-a de si.

Seus lábios tem perfeita sincronia, suas línguas invadem o espaço um do outro em revezamento saciando o apetite de ambos pelo sabor que a boca a qual beijam lhes proporciona. Os breves momentos dados aos pulmões de encherem-se de ar para que recuperem o fôlego, são os únicos em que se afastam.

Sakura envolve seu pescoço em um abraço aproveitando cada beijo. A mão do Uchiha que antes lhe tocava a nuca desce percorrendo as costas da rosada causando-lhe arrepios, ela nunca se sentiu assim, a sensação que Itachi lhe proporciona é a melhor que já sentiu, o simples toque de suas peles lhe deixa em êxtase, faz cada pelo de seu corpo se arrepiar.

Em um abraço, com os braços a envolvendo, Itachi a ergue do chão e os direciona ao quarto. Ele não acende a luz, não é necessário, a lua ilumina bem o lugar. O moreno a deita na cama, com toda a delicadeza com a qual consegue e se põe acima dela enquanto seus beijos ainda acontecem, mas entre um beijo e outro o Uchiha afasta um pouco seus rostos admirando-a.

Ela abre os olhos e o vê observá-la, alguns fios dele lhe caem sobre a face e ela aproxima os dedos levando-os para trás da orelha.

—        Eu te amo Sakura.

Ela sorri corada, mas ainda que seja à luz da lua, ele percebe.

—        Eu também te amo seu Uchiha bobo.

Ele sorri ao ouvi-la, não sabe o que é melhor, se é tê-la em seus braços, ou ouvir seus lábios dizerem que o ama.

Ele volta a se aproximar e a beija.

Sakura quer mais contato, ela quer sentir o calor de sua pele e isso a faz começar a desabotoar a camisa dele. Ela tira a camisa enquanto os beijos se tornam mais intensos e envolventes.

Itachi toca-lhe o rosto ao beija-la e tem a mesma opinião que Sakura o que o leva baixar o zíper de seu vestido e tirá-lo aos poucos. Quando o vestido alcança a cintura da rosada ele observa a pele alva.

Ela é linda.

Sakura o puxa para perto beijando-o, ela não quer distância entre eles, ela precisa dele. Precisa de seus toques, precisa de seus beijos, dos carinhos.

Itachi afasta seus lábios dos dela levando-os para o pescoço da rosada percorrendo a pele clara e lhe trazendo sensações jamais sentidas.

Seus beijos são calmos, delicados, mas ele deixa marcas por onde passa. Os lábios alcançam um dos seios, mas pouca pele pode ser beijada já que o tecido da lingerie permanece em seu corpo. Isso faz as mãos do Uchiha encaminham-se para as costas da Haruno soltando o sutiã.

Assim que o tira o joga longe e leva seus lábios ao mamilo esquerdo arrancando um gemido dela.

—        Aahh.

Com uma das mãos Itachi acaricia o seio livre enquanto percorre com a língua o colo do seio e suga o mamilo. Mais um gemido escapa pelos movimentos que ele faz e a rosada sente seu corpo aquecer assim como sua intimidade que se ensopa ansiosa.

As duas mãos do moreno agora se dedicam aos seios enquanto seus lábios beijam a área entre eles descendo e deixando marcas e fogo. Sentir esses toques faz a rosada gemer, mas saber que o caminho que ele percorre lhe trará o paraíso é o que realmente aumenta sua excitação.

As mãos dele percorrem o corpo modelado alcançando a calcinha no instante em que seus lábios passam pelo umbigo e ele a abaixa, devagar, mantendo os beijos, causando arrepios.

Quando a calcinha está jogada em algum canto do quarto, suas mãos correm a pele macia erguendo as pernas dela e deixando-as sob seus ombros. Suas mãos continuam a acaricia-la alcançando o interior das belas coxas parando sob elas e expondo a ele toda a feminilidade da Haruno.

O aroma já pode ser sentido antes mesmo que ele se aproxime e Sakura já sente os arrepios apenas por estar exposta. A excitação corre seu corpo ao vê-lo olhar sua zona proibida com tanto desejo.

A língua do rapaz corre ao redor dos lábios fazendo com que ela puxe as pernas involuntariamente enquanto sente os arrepios correrem seu corpo. Ela sente a língua áspera alcançar seu clitóris e o sente abocanhar a região sugando-a vorazmente.

Sakura contrai as costas ao senti-lo, todo seu corpo queima e a excitação a invade. As mãos do Uchiha apertam as pernas dela ainda tocando-as pelo seu interior e sua língua corre ao redor da intimidade pulsante.

Sentindo tudo intensamente, cada toque, cada beijo, cada lambida, até mesmo a respiração quente dele sobre sua área mais sensível, ela não consegue se conter e sentindo tudo explodir dentro se si, solta um excitante grito que acompanha seu orgasmo.

A mente da rosada está perdida nas sensações mas ainda assim ela se surpreende com o que aconteceu. Como pode ter tido um orgasmo se ele nem mesmo a penetrou ainda?

Claro que ela se sente assim, antes nenhum homem foi capaz de desvendar os mistérios e segredos de seu corpo como ele consegue, nenhum outro a deixou tão entregue como ele é capaz.

Suas pernas flexionadas estão apoiadas no ombro dele que acaricia a pele de suas coxas causando novos arrepios. O rosto do moreno se afasta um pouco, ao que a rosada acredita que seja para deixá-la se recuperar, mas sem qualquer aviso prévio, a língua dele toca sua sexualidade penetrando-a. Um intenso gemido corre pelo quarto enquanto seu interior se umedece ainda mais. Ela consegue sentir cada movimento que para si parece chegar amplificado ao máximo fazendo-a sentir prazer como nunca imaginou ser capaz.

Os movimentos aceleram e seus dedos agarram o cabelo de Itachi, ela quer sentir mais, ela precisa sentir mais e ele parece perceber essa necessidade, pois os movimentos de sua língua a fazem estremecer, seus músculos se contraem e seu corpo desfalece derramando sobre ele uma grande quantidade de sua essência.

Itachi inala esse perfume único que apenas ela exala. O gosto do beijo dela é bom, mas saborea-la dessa forma é ainda mais delicioso, pois ela está totalmente entregue a ele.

Sakura sente as contrações e o calor correndo todo seu corpo enquanto desfalece sob o colchão. Com um belo sorriso o moreno se ergue colocando-se sobre ela que ainda tenta recuperar a respiração. Ao sentir a aproximação dele a rosada abre os olhos devagar e vê o olhar repleto de malícia que acompanha o sorriso sedutor.

—        Você é extremamente sedutora sabia? Em cada detalhe desse lindo corpo.

Uma das mãos dele dedica carícias a cintura da rosada enquanto os dedos da outra descem acariciando a pele macia. Sakura já sabe o destino deles e por isso se sente umedecer mais uma vez.

Os lábios do Uchiha dedicam beijos a dobra do pescoço dela que, unidos a ponta dos seus dedos, fazem os arrepios correrem.

—        Tão sensual.

O hálito quente de seu sussurro faz mais arrepios correrem o corpo e um gemido escapa. A língua dele sobe pelo pescoço e seus lábios alcançam o ouvido esquerdo dela. Mas, antes de dizer qualquer coisa, um alto gemido é ouvido no quarto quando ele a penetra com dois de seus dedos.

Sakura contrai as costas sem conseguir evitar ao senti-lo remexer seu interior ele alterna entre estocadas rápidas e carícias lentas fazendo um gancho para tocar em tudo o que consegue e dar a ela mais prazer.

—        Olha como você está necessitada, - ele sussurra deixando-a mais entregue - olha como você os suga.

As mãos da rosada o abraçam e suas unhas arranham a pele dele ao sentir mais um dedo dentro de si. Ela não consegue pensar com clareza porque ele tirou toda sua clareza.

A mão livre do rapaz alcança seu membro que anseia por se livrar do tecido que o prende e o liberta. Como sempre que a vê tão entregue, o membro pulsa desejando-a como a nenhuma outra.

Itachi se estimula preparando-se para o prato principal ao mesmo tempo em que a atiça e faz gemer.

—        Agora que já se saciou do aperitivo, - ele sussurra tirando seus dedos de dentro dela - está na hora do prato principal.

—        AAAAAAHHHHHn.

Sakura o sente de uma vez pulsante, rijo, grosso e delicioso e acompanhando seu grito, novos rondam o lugar. O aroma do sexo, assim como o som deles se chocando os atiça e envolve o quarto.

Sakura solta gemidos ao senti-lo toca-la em todo seu interior, ao sentir as estocadas tão intensamente. Mas ela não é a única que deixa os gemidos escaparem, isso porque o moreno a sente suga-la com desejo, ele sente o quão necessitada ela está, o quão precisa ser saciada por ele e isso apenas aumenta seu tesão.

Sakura sente seu corpo quente enquanto sua pele roça na dele, sente os arrepios, sente ondas de prazer, sente o choque atingi-la e por isso um grito escapa enquanto ela o puxa para perto deixando marcas de suas unhas sobre a pele do Uchiha. Sakura sabe que normalmente seu corpo desfaleceria depois disso, mas os choques não se interrompem, ela sente essa deliciosa sensação se repetir de novo e de novo enquanto ele a penetra cada vez mais forte, enquanto o devora cada vez mais faminta e sedenta, sem ter qualquer controle de seu próprio corpo.

—        Aaahn Sakura.

O som escapa do moreno em um gemido gutural e, apoiando seus braços sobre o colchão de lençóis bagunçados para aumentar a força de suas estocadas, ele sente os dedos finos envolverem seus fios negros puxando-o para mais perto no instante em que a rosada arqueia as costas ao senti-lo.

—        Aaahhhh!! - ela exclama.

Os lábios dele a tocam no pescoço e Sakura fecha os olhos arfante e extasiada de prazer, sentindo-o crescer dentro de si, sentindo-o tocar todo seu interior nesse vai e vem estimulante, saciando-a inteiramente.

Como resposta a essa maravilhosa provocação, ela o contrai dentro de si sem sequer consegui controlar esses espasmos.

—        Estou no meu limite pequena e você ainda me aperta assim?

O sussurro rouco faz um rápido sorriso se formar no rosto dela, mas o prazer a impede de se concentrar nisso.

Mais uma vez ela sente os choques enquanto seu corpo ferve ao soltar um alto gemido e estremecer sentindo um novo orgasmo ronda-la.

—        Ita… A-aaaahhh, Itachi.

Ouvi-la gemer seu nome em um tom tão sensual, faz o tesão do moreno aumentar ao ponto de que não consiga mais se controlar e, por isso, Itachi se prepara para se afastar já que não usa nenhum preservativo. No entanto, impedindo-o de se afastar a rosada o prende com suas pernas ao redor dele. Isso surpreende o Uchiha, mas o faz sorrir.

—        Quer minha porra tanto assim?

Com os dedos enlaçados nos fios negros, Sakura o puxa para perto abraçando-o contra seu peito enquanto sente o clímax alcançar o ápice.

—        Cala boca e anda logo.

Itachi sorri. Ouvi-la tão necessitada dele é música a seus ouvidos e por isso intensifica as estocadas não demorando a ouvir um delicioso grito rondar o quarto.

Senti-la aperta-lo tão intensamente enquanto suas estocadas continuam, sentir o corpo atraente estremecer em seus braços o impede de se conter um segundo mais e ele se derrama sob ela banhando seu interior.

Sakura sente a intensidade de sua porra chocar-se contra seu útero e ainda sentindo os efeitos do seu orgasmo, geme uma vez mais gozando sobre o cacete duro que tanto lhe trouxe prazer.

O aroma do sexo ronda o quarto enquanto eles tentam recuperar o oxigênio. O corpo da rosada ainda treme pelo exercício praticado e sua respiração ofegante acaricia as costas do moreno que acaricia a pele alva roçando seu nariz e seus lábios sobre ela.

—        Estava tão necessitada de mim assim?

Sakura não o responde, ainda está tentando se recuperar da sensação única que foi sentir o choque da porra dele contra seu útero. O moreno se ergue saindo de dentro dela e foca seu olhar sobre essas lindas íris esverdeadas.

—        Você é incrível.

Os belos olhos verdes se arregalam e a rosada cora desviando o olhar.

—        V-você fez todo o trabalho. - ela murmura.

Ele sorri e acaricia os lábios dela com o polegar. As belas jade se voltam para ele.

—        Me desculpe por ter sido tão idiota.

Um sorriso malicioso se forma no rosto da rosada, ele ama como ela pode ir de tímida a sedutoramente maliciosa em questão de segundos.

—        Não seja mais idiota ou terá que me compensar.

O sorriso do moreno se alarga e ele aproxima seus lábios. Um beijo delicado e sem pressa, suas línguas dançam invadindo o espaço livre de suas bocas e o beijo se desenrola enquanto seus corpos se emaranham entre os lençóis.

 

O calor de domingo aquece os corpos sobre a cama despertando o moreno que olha para o seu peito e sorri ao admirar a mulher que se encontra aninhada ali. Itachi está feliz por ter se entendido com ela, não gosta da ideia de Sasuke estar rondando-na, mas sabe que a rosada é firme o suficiente para não ceder aos charmes de seu caçula.

Ouvi-la inspirar profundamente o faz perceber que despertou e sem demora ganha um par de jades sobre si.

—        Bom dia.

Ele diz e ela abre um belo sorriso ao ouvi-lo.

—        Uhm, bom dia.

Os olhos negros se atentam aos detalhes dela, ao brilho que suas belas jade escondem, a forma como seus lábios são deliciosamente atraentes e apetitosos, como seu sorriso é lindo.

—        O que foi?

Ela diz com esse mesmo sorriso que o encantou um segundo atrás.

—        Estava apenas admirando minha namorada.

Os olhos levemente arregalados a impedem de esconder sua surpresa e seu rosto corado não a deixa ocultar sua vergonha. Sakura baixa o olhar sentindo seu rosto queimar e isso apenas faz o sorriso surgir no rosto do Uchiha.

—        Preciso dizer que você é extremamente apetitosa envergonhada desse jeito.

Os olhos verdes se erguem mais uma vez e com eles semicerrados os foca sobre o moreno.

—        Sim, - ela diz depois de uma longa análise - você tem mesmo cara de Lobo Mau.

—        O que?

Ele a questiona confuso.

—        Atacar uma pobre e indefesa moça porque ela parece apetitosa é definitivamente algo que o Lobo Mau faria.

Ele se surpreende com a frase mas abre um belo sorriso.

—        E eu que sempre achei que tivesse mais cara de príncipe encantado.

—        Não, não tem e fico feliz que não tenha.

—        Por quê?

Ele ergue uma das sobrancelhas curioso.

—        Bom, porque o Lobo ouve melhor, enxerga melhor e no fim ainda come.

Ouvi-la arranca uma risada do Uchiha.

—        Eu sempre achei a história da Chapeuzinho Vermelho muito estranha, mesmo.

—        Me poupe por favor senhor Lobo.

O moreno ri mais uma vez e se coloca acima dela, deixando-a com as costas no colchão e arrancando uma risada.

—        Me desculpe pequena, mas estou faminto.

Uma risada escapa ao ouvir a imitação do Uchiha e sentir a mordida na dobra de seu pescoço. Com as mãos no peito de Itachi ela o afasta um pouco, mas mantém o sorriso em seu rosto enquanto seus olhos se focam no rapaz.

—        Eu sou o prato principal, é claro que você está.

Com um grande sorriso nos lábios, os olhos negros captam cada detalhe desse rosto e termina focado nos olhos verdes.

—        Eu amo você.

Sakura não consegue se impedir de sorrir e por isso ergue a mão e acaricia o rosto dele enquanto mantém seu olhar sobre as orbes profundas que tanto a atraem.

—        Eu também te amo.

O sorriso do Uchiha pode ser visto mais uma vez e ele se aproxima selando os lábios da rosada nos seus. Não é um beijo intenso, sedento, mas não é possível dizer que seja menos saboroso. O peito de ambos se enche de uma alegria que foi sentida apensa entre os dois, uma felicidade os preenche e eles sabem que esse é o lugar onde devem estar, nos braços um do outro.

Quando o beijo é encerrado os pares de olhos ainda se focam um sobre o outro, mas essa troca de olhares é interrompida por causa de um ronco. Os dois se surpreendem e o moreno se afasta focando na barriga desnuda da Haruno.

—        Parece que mais alguém está com fome.

Ela ri.

—        Sim.

Depois de depositar um selinho nos lábios rosados ele se senta sobre a cama e a puxa para se sentar também.

—        Deixe-me demonstrar minhas habilidades.

Sakura solta uma risada.

—        Por favor.

Ambos se erguem e depois de vestir algo seguem para a cozinha onde o moreno mostra a ela, mais uma vez, que não é bom apenas tirando fotos ou na cama.

Depois do café da manhã, eles deixaram a casa e o Uchiha a levou em novos lugares para apreciar arte, cultura e diversão. Assim, mais uma vez, Sakura passou um belo dia ao lado do Uchiha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...