1. Spirit Fanfics >
  2. O Encanto da Cerejeira >
  3. Capítulo 59 - GAARA - Revelações

História O Encanto da Cerejeira - Capítulo 159


Escrita por:


Capítulo 159 - Capítulo 59 - GAARA - Revelações


Apesar do caminho até a casa de Sakura ser relativamente tranquilo, ela percebeu que Sasuke não está normal, é tão obvio que não tem como não ver.

É claro que por se conhecerem a pouco tempo não poderia dizer que sabe exatamente do que se trata, mas de tudo o que ouviu desde que se encontraram pela primeira vez no dia, além da feição séria que ele leva, pode dizer que é algo importante e também dão a ela certeza quase que absoluta, de que não vai gostar.

A casa surge no campo de visão de ambos e o carro logo é estacionado, o que faz a rosada voltar seu olhar para o moreno.

—        Então, o que é que tem de tão importante que não pôde falar antes?

Há silêncio por algum tempo e Sakura percebe que ele está hesitante.

—        Durante essas semanas que trabalhamos juntos, desde que nos conhecemos, já sobrevivemos a muitas brigas e discussões. Já dançamos juntos, eu te dei um vinho, você recebeu minha correspondência, enfim, mesmo com nossas diferenças tivemos bons momentos.

Sakura tem seus olhos focados no moreno, mas as orbes negras não se voltam para ela.

—        Posso dizer que somos amigos e eu gosto do que temos, ainda que pudesse haver um pouco mais.

Ela revira os olhos.

—        Por isso decidi contar por mim mesmo, já que sei que se souber por outra pessoa vai ser muito pior.

Ela o observa com o olhar preocupado.

—        O que aconteceu?

—        Você certamente se lembra de quando brigamos por causa do hospital que mudei de lugar sem te consultar.

—        Não tem como esquecer.

—        Naquela noite também fomos ao bar, se lembra disso?

—        Sim.

—        Antes que você chegasse, eu estava com meus amigos e nas nossas conversas acabou surgindo uma aposta. - o olhar dela se atenta um pouco mais - Me desafiaram pois afirmei que poderia dormir com a mulher que eu quisesse.

É claro que ele pensaria isso de si mesmo, afinal ainda que seja convencido, isso é realmente algo que pode fazer.

—        Eles não acreditaram muito nisso. - ele a afasta dos pensamentos - Na verdade, a princípio, não houve dúvida de que eu conseguiria, até que a mulher fosse escolhida.

Os olhos esverdeados se arregalam percebendo o rumo que a conversa toma.

—        A mulher da aposta foi você.

A rosada o observa ainda processando o que acaba de ouvir.

—        Que?

Sasuke não olha para ela, permanece com as orbes negras focadas a sua frente.

—        Eu tinha até o casamento de Naruto para dormir com você. Depois da nossa briga eles acreditaram ser impossível, mas não era e acho que as chances eram bastante altas para mim, mas o Akasuna apareceu e isso complicou as coisas.

—        Espera, - ela não o deixa continuar - deixa eu ver se eu entendi direito. Você fez uma aposta e eu era o prêmio?

—        Não exatamente.

Ele finalmente foca nela e percebe que a rosada o observa seriamente, sem conseguir esconder a irritação.

—        Ah sim, é verdade, eu era apenas o que te levava ao prêmio.

O moreno se cala ao ouvir o tom de voz que Sakura leva. Não há apenas raiva por causa da brincadeira idiota, ela também está surpresa com o que acaba de descobrir.

—        Não é bem assim. - Sasuke diz enfim, depois de algum pouco tempo de silêncio.

—        E como é?

O moreno se cala mais uma vez desviando o olhar.

Sakura tem ciência de que jogos como esse são comuns entre amigos, ela mesma já participou de algo parecido, mas está irritada porque nessa aposta era apenas um joguete nas mãos deles.

Sakura está irritada, mas também se sente um pouco magoada por descobrir que eles não são amigos, não de verdade. Por isso não demora a abrir a porta e deixar o carro seguindo para casa.

—        Sakura espera.

Ela o ouve, mas não para. A batida da porta é ouvida e ela logo sente o moreno lhe segurar o braço impedindo-a de continuar.

Sakura puxa o braço para perto de si olhando-o com raiva e o Uchiha volta a aproximar o braço para perto do corpo.

—        Desculpe, por isso e por tudo. A aposta era apenas uma forma de mostrar que eu conseguiria ficar com qualquer mulher, independente de quem fosse. Não foi pessoal, nem proposital.

—        Nossa isso me deixa muito mais tranquila.

Sasuke se cala. Não há muito o que possa dizer que a convença que está sendo sincero em suas desculpas. Ele realmente se importa com a rosada e aprecia o relacionamento que desenvolveram, aprecia essa amizade.

—        Eu realmente te considerei um amigo, inclusive dividi minha geleia com você, eu não faço isso com ninguém! - ela diz irritada - E agora descubro que sou apenas uma aposta.

Ela solta uma risada seca. Que ironia.

 —       Não precisamos envolver a geleia nisso.

Ela ergue o olhar observando-o seriamente.

—        Você não é só uma aposta. - ele continua - Ainda somos amigos, esse só foi o jeito errado de querer começar uma amizade. Vamos, me dê mais uma chance de me redimir.

—        Você já usou todas as chances que tinha.

Sasuke suspira.

—        Sakura, eu não me importava com o que você sentia quando fiz essa aposta, não me importava com você, para mim você era apenas uma colega de trabalho bastante irritante por sinal.

Ela solta uma risada seca.

—        É bom saber que podemos ser sinceros agora.

—        Não disse que ainda penso assim.

Ela se cala ao ser interrompida e não demora para que ele tome a palavra novamente.

—        Você ainda consegue ser irritante às vezes, mas realmente te considero uma amiga. É estranho para mim, nunca tinha visto mulher nenhuma dessa forma, pelo menos não depois de Izumi. Fiz essa aposta sem saber que era você, quando a aceitei não tinha ideia de que você seria a escolhida, sequer pude imaginar.

—        Isso não me conforta.

—        Sei que não, mas saber disso pelo menos deixa claro que em nenhum momento quis brincar com você. Principalmente porque aprendi a gostar de estar com você, o estranho é que foi pelo mesmo motivo pelo qual antes brigávamos. Foi errado fazer uma aposta dessas e eu não pretendia te machucar, mas realmente não me importava se fizesse, porém isso foi antes.

—        Está dizendo que agora se importa?

—        Sim. - Não há hesitação em sua voz - Me importo porque como disse te considero uma amiga, você se tornou alguém importante para mim. É por isso que estou te contando porque sabia que seria pior se ouvisse de outra pessoa.

Sim. Provavelmente seria pior, Sakura sabe disso. Também sabe que é bobeira se atentar a isso, dessa vez ninguém saiu machucado então talvez ela possa relevar.

—        Não me diga que só eu acredito que somos amigos.

Ela não responde de imediato, mas não demora a dar uma resposta a ele.

—        Talvez eu também pense assim.

Ele abre um pequeno sorriso ao ouvi-la.

—        Então sabe que amigos perdoam amigos.

Os olhos esverdeados permanecem no moreno encarando-o seriamente e ficam dessa forma por algum tempo. Sasuke não desvia o olhar.

—        Sermos amigos não me impede de ficar irritada com você.

O moreno engole em seco.

—        Quero que me diga quem mais participou disso?

Há certa hesitação, mas Sasuke logo dá sua resposta.

—        Kiba, Neji, Shino, Suigetsu, Shikamaru, Itachi e Deidara.

Ela se surpreende ao ouvir o nome de Deidara e de Itachi.

—        Que ótimo, meu melhor amigo também fez parte disso.

—        Ele acreditava que eu não tinha chances com você.

—        E não tinha.

—        Em algum momento eu tive.

—        Não, eu não sou tão ingênua para cair na sua lábia.

Ele abre um sorriso fraco.

—        Eu me lembro diferente.

—        Vai começar?

—        Não, não, tudo bem, me desculpe.

Ele ergue as mãos em um gesto de rendição.

—        Te dei o nome deles e um pedido de desculpas além de ter dito por mim mesmo o que aconteceu, será que agora pode me desculpar?

Os olhos jade estão fixos nas orbes negras.

—        Talvez, mas não hoje.

Sakura volta a se aproximar de casa, passando logo pela porta, não voltando sua atenção ao moreno em seu gramado.

Já dentro de casa, Sakura segue para a sala deixando a bolsa na mesa de centro e se senta no sofá onde afunda seu corpo. Sentada, com um suspiro lhe escapando dos lábios, ela se lembra de algumas coisas do passado e memórias sobre a aposta que participou a alguns anos.

A aposta que a Haruno fez, aconteceu pouco antes de terminar o ensino médio, na época Sakura foi desafiada pelas amigas, pois ainda era virgem e não importava o que fizesse ou com quem se relacionasse, não conseguia gostar de ninguém para que tivesse sua tão esperada primeira vez. Ela estava impaciente por isso, mas o cara certo não aparecia, então Ino sugeriu a aposta.

Ela se lembra de estar sentada no sofá da antiga casa de Tenten com as amigas ao seu lado.

Flashback on

—        É definitivo agora, - Ino diz - você vai perder o lacre se alguém superar suas notas.

—        Isso é impossível. - Tenten diz - Ninguém supera as notas da Sakura.

Tatsuo as observa com um sorriso no rosto e os braços apoiados no balcão que divide a cozinha da sala.

—        Vocês são uma comédia.

Elas o observam. Sakura apoia os braços no encosto do sofá sentando-se sobre as pernas e olhando atentamente para o rapaz, Ino se ajoelha em cima do móvel e Tenten apenas ergue um pouco o corpo para olhar para ele.

—        O que sugere então? - Ino pergunta.

—        Ela não pode fazer isso com qualquer um.

—        Mas ela não se apaixona. - Tenten reclama.

—        Ainda assim, isso não é uma coisa a ser feita as pressas, o ideal é que seja feito com quem ela ame ou ao menos alguém que conheça. Além disso, - ele observa a irmã de olhos semicerrados - porque querem tanto que Sakura perca o lacre como vocês disseram?

Elas se entreolham cúmplices, Tenten ainda não contou ao irmão que já não é uma garota pura e não pretende dizer tão cedo.

—        Ué, - Tenten dá uma risada forçada - por que ela quer, mas não tem ninguém que seja o cara certo.

—        E vocês?

—        Está fazendo muitas perguntas. - ela diz desviando o olhar do irmão.

—        Quem foi?

Ele diz se aproximando e vendo-as se sentarem normalmente e o observarem. O mais velho dos Mitsashi se senta na mesa de centro de frente para elas.

—        Do que está falando? - Tenten se faz de desentendida.

—        Para quererem tanto que ela deixe de ser virgem deve haver um motivo.

O rapaz não tem uma resposta de nenhuma delas então foca seu olhar na caçila dos Yamanaka.

—        Deidara já sabe Ino?

—        Ficou louco? Se ele sonhar que já transei mata o cara que saiu comigo.

Tenten a observa fuzilando-a com os olhos.

—        O quê? - a loira dá de ombros - Não tem como esconder mais, ele já descobriu.

—        Então?

Tenten suspira.

—        Hagane Kotetsu.

Tatsuo se surpreende, ele é pelo menos cinco anos mais velho que sua irmã.

—        Nós começamos a namorar a algum tempo, estávamos esperando o tempo certo para contar.

—        E quando seria? Quando engravidasse?

Ela se sente envergonhada ao ouvir o irmão, não pelo que fez, mas sim por ter escondido dele.

—        Desculpe.

Tatsuo suspira.

—        Não tem como voltar atrás agora.

—        Nossa, eu queria que meu irmão fosse compreensivo desse jeito. - Ino murmura.

—        Quero que o traga para conversar comigo pelo menos.

—        Hai.

—        Ainda não decidimos quem vai quebrar o lacre da Testuda.

—        Ino! - Sakura diz envergonhada.

—        Como eu disse, - ele foca seu olhar na rosada - não deve ser alguém que você nem conhece.

—        Já sei.

Os olhos da Yamanaka brilham em um brilho assustador, tanto para Sakura quanto para Tenten, Tatsuo apenas a observa curioso pela próxima loucura que sairá da boca da loira.

—        Tatsuo está certo, ela precisa de alguém que conheça, que tenha algum tipo de relação, além de ser alguém que não a deixaria largada em um motel qualquer as três da manhã.

—        Não estou gostando do rumo dessa conversa. - a rosada sussurra.

—        Então ninguém melhor do que um amigo.

—        E quem você indicaria? - Tenten pergunta receosa.

—        Alguém que tenha conhecimento sobre o assunto e que tenha conhecimento sobre isso.

O sorriso de Ino se abre maliciosamente e seus olhos focam o único rapaz do lugar que a observa surpreso.

—        O que me diz Tatsuo?

Sakura sente seu rosto ganhar a tonalidade de um tomate e esquentar, se quisessem cozinhar na cabeça dela, não teriam problema com o calor.

—        Está brincando né? - Tenten a observa.

—        É claro que não, é perfeito. Ele seria gentil com a Sakura e já fez isso antes então não teria problemas.

—        N-não ligue para ela Tatsuo - Sakura balança as mãos freneticamente em frente ao corpo - ela é maluca.

—        Não se preocupe.

Flashback off

 

Sakura sempre foi a melhor nas provas, mas naquela ocasião alguém a superou e por isso acabou cumprindo o desafio, mesmo que essa não fosse sua intenção no inicio. Essa provavelmente foi a aposta mais idiota que fez na vida, apesar de ter sido bem eficiente. A diferença? Ele sabia sobre a aposta.

Ela sabe que apostas são feitas sempre, em vários lugares, mas ainda assim está irritada. Não, ela está mais que irritada, está puta, muito puta. Com Sasuke, com Itachi, mas principalmente com Deidara, afinal o loiro é seu melhor amigo.

Essa é a razão pela qual chama um táxi para visitar o loiro.

 

—        Oi rosada.

Sakura entra na casa de Deidara com uma expressão irritada e o Yamanaka percebe isso.

—        O que aconteceu?

—        Por que fez uma aposta que me envolvia?

Deidara trava e seus lábios entreabertos fazem com que Sakura note que está surpreso por ela saber sobre isso.

—        Estou esperando uma resposta.

—        C-como sabe sobre isso?

—        Não importa. Agora me responda.

Sabendo que não tem como se desculpar sem contar tudo, o loiro suspira e começa a falar.

—        Fizemos a aposta no dia que estava irritada com Sasuke. Não sei como começou, não estava lá na hora, quando cheguei eles já estavam discutindo isso. Quando soube que Sasuke estava confiante em ficar com qualquer mulher e que a mulher em questão era você disse que era impossível porque você o odiava. Dizer isso não o impediu de continuar firme, por isso entrei na aposta porque sabia que você destruiria o ego dele.

—        E nem se importou em como eu me encaixava nisso? - Ele foca nela não entendendo ao que exatamente se refere - Eu podia ter me apaixonado por ele sabia? Poderia estar machucada agora por causa dessa brincadeira idiota que vocês fizeram. Não que ele faça meu tipo, mas poderia ter acontecido, nos tornamos amigos afinal.

O loiro se surpreende.

—        Vocês viraram amigos?

—        Nem sei mais, depois disso estou questionando o que é a amizade. Afinal meu melhor amigo também participou de uma aposta em que eu era um joguete, um prêmio.

—        Não é assim Saku.

—        E como é? Pelo que posso ver vocês me trataram como se eu fosse um objeto e ninguém além de mim mesma tem direito de decidir sobre o meu corpo.

—        Nunca quis que parecesse isso.

—        Vocês não pensaram em nenhuma consequência, pois bem, aqui está a consequência de seus atos.

A surpresa volta a feição do loiro e certa aflição o ronda.

—        O que quer dizer?

—        Você ganhou a aposta?

A mudança de assunto o confunde.

—        S-sim.

—        Que bom que ganhou algo, mas é assim que as coisas funcionam não é, você perde algo para ganhar outra coisa em troca. Espero que tenha valido a pena.

Sakura se afasta, mas Deidara segura seu braço.

—        Espera, como assim? Do que você está falando?

—        Sasuke não me conhecia. Quando ele fez a aposta ele nem gostava de mim, mas você conhecia, você me conhece a vida inteira e ainda assim participou disso. Acho que é assim que vê nossa amizade, não preciso de amigos assim.

Ela puxa o braço ao qual ele segurava e se afasta, mas o loiro a segue.

—        Sakura espera, por favor. O que aconteceu com a raiva e a irritação?

Ela para de andar. É claro que é muito mais fácil ser desculpado por uma Sakura irritada do que por uma magoada, ele sabe disso. Nesse momento ele toparia levar um soco dela, mas não ouvir o que acaba de dizer.

—        Eu estou irritada, muito, muito irritada, inclusive tive que me segurar para não dar um tapa em Sasuke. Mas não consigo me irritar com você, pensei que chegaria aqui querendo bater em você, mas não aconteceu, há apenas, não sei, decepção talvez? - Ela dá de ombros - Sim, talvez seja isso. Decepção pelo meu melhor amigo brincar comigo.

—        Por favor Saku.

—        Tchau Deidara.

Sakura se afasta do apartamento e segue para casa, assim que chama por um táxi.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...