História O Encanto da Cerejeira - Capítulo 28


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha
Tags Gaara, Itachi Uchiha, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha
Visualizações 84
Palavras 3.802
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 28 - Capítulo 28 - Preparativos para um casamento


Fanfic / Fanfiction O Encanto da Cerejeira - Capítulo 28 - Capítulo 28 - Preparativos para um casamento

Sakura abre os olhos com uma dor de cabeça leve e suspira. Ela se lembra que hoje será a prova dos vestidos e ao analisar sua semana e o decorrer do mês, percebe que está bem dedicada ao trabalho, mas isso a está afastando de suas funções no casamento de Naruto e Hinata, que por sinal está muito próximo, então se decide por arcar com suas responsabilidades como madrinha. O que inclui, planejar os chás de panela e lingerie. Por isso, decidiu que daqui para frente não irá sair tarde do trabalho e se dedicará inteiramente a isso.

Com um suspiro e uma espreguiçada ela se ergue indo para o banheiro fazer sua higienização.

Assim que sai do banheiro, pega o celular e vê uma mensagem de Gaara.

*Jantar hoje ás sete?*

*Por mim tudo bem, você vem me buscar ou nos encontramos no restaurante? Quer dizer , vai ser um restaurante?*

*Sim, vai sim. Passo aí às sete.*

*Até lá.*

Sakura sai do quarto. Ela não vê Tatsuo, nem o ouve no caminho para a cozinha, mas percebe que a pia está molhada, indicativo de que talvez ele já tenha tomado café.

Depois de um café reforçado, ela anota que saiu em um post-it, que sempre deixa perto da geladeira e deixa a casa se dirigindo a loja de vestidos.


O caminho até a loja não demorou muito, o trânsito de domingo, como sempre, não é grande.

Nesse momento ela se encontra sentada em um banco a espera de Hinata que experimenta o vestido de noiva. Algumas das garotas ainda não chegaram, mas estão a caminho, em compensação, Karin, Kushina e Hanabi já estão aqui.

Elas conversam entre si, mas Sakura não está tão interessada.

    Desculpem o atraso. - Tenten se aproxima.

    O que aconteceu? - Sakura pergunta.

    Aconteceu um acidente na rodovia principal. As meninas também devem ter pegado o trânsito, considerando que elas precisam passar por ela para vir.

Interrompendo Tenten, Hinata entra na sala e surpreende a todas. Sakura leva as mãos aos lábios assim que a vê.

—    Minha nossa ele é lindo. Hinata você está maravilhosa.

    Concordo, - Tenten diz - Hina, você está linda.

    Nee-chan estou sem palavras.

    É a visão de um anjo. - Kushina sorri admirada.

    Meu primo vai pirar ao te ver assim. - Karin sorri.

A morena fica sem graça com os comentários, mas sorri em agradecimento.

    Então esse está bom?

    Está perfeito.

Temari entra na sala e se aproxima com um sorriso.

—    Ele foi feito para você. - ela continua.

Hinata olha para seu reflexo no espelho.

    Fiquei em dúvida quando decidi como ele seria, mas acho que fiz uma boa escolha.

    Podia ter um pouco mais de decote.

As meninas olham para trás ao ouvirem Ino.

    Cala boca Porca.

A loira ri e se aproxima.

    Calma, calma, estou só brincando. Você está incrível Hina.

    Vocês serão as damas de honra?

Uma mulher se aproxima.

    Sim, são minhas cinco damas de honra, minha madrinha e minha futura sogra.

    Ah, quem é a madrinha?

    Sou eu.

Sakura ergue a mão se aproximando.

A mulher ergue a mão para as moças que também trabalham no lugar.

    Lili, Hanna tragam as roupas das damas de honra. Eileen leve a mãe do noivo  para ver o vestido dela.

Quando termina de dar suas ordens,  a mulher olha para Sakura.

    Venha comigo meu bem.

Sakura a segue e elas vão para uma sala cheia de vestidos.

    O estilo tradicional, possibilita poucas alterações, a minha preferida é o vestido da madrinha. Eu escolho os tons dos vestidos para que não quebrem o tom da decoração, por isso sei como será cada flor e tecido dessa cerimônia.

Sakura a ouve atentamente.

    Girassóis. - ela diz pensativa - As roupas do noivo e do acompanhantes serão em tom bege claro, as damas de honra terão vestidos em tom areia. Então você, deixe-me ver.

Ela continua a mexer em alguma vestidos.

    Sim, esse será perfeito.

Ela tira de um dos vários cabides, um vestido em tom cinza claro, frente única, pregueado feito em chiffon. É lindo.

    Ele irá combinar perfeitamente com o tom da roupa do padrinho.

    Eles já vieram ver suas roupas?

    O padrinho e o noivo sim, os acompanhantes virão essa semana.

    Ah.

    Experimente-o

Sakura pega o vestido e se encaminha até um dos provadores de volta à sala onde as outras estão.

Depois de todas experimentarem seus vestidos, as garotas vão para um café onde jogam conversa fora.


Assim que volta para casa Sakura se joga na cama com o vestido de Hinata na mente.

Será que um dia serei eu a usar um daqueles?

Ao pensar isso ela rapidamente se lembra de Gaara, mas por incrível que pareça o ruivo não é o único que lhe vem a mente. Não faz o menor sentido, realmente, considerando que não há nada entre eles, mas Itachi também lhe vem a mente, assim como Lee e com isso, ela se deixa imaginar como alguns de seus amigos ficariam com os trajes de noivo entre eles Sasori, Deidara e Tatsuo, ela sorri com o pensamento pois, como esperava, eles ficariam irresistíveis. Porém um novo rosto surge em sua mente trajando um smoking cinza chumbo com um sorriso sexy. Ao ver a imagem de Sasuke, Sakura rapidamente balança a cabeça negativamente e dá leves tapas no rosto tentando despertar de tantos pensamentos. Em seguida se ergue e vai para um banho.

Depois do banho ela vai para a cozinha e percebe que seu freezer está vazio, a casa de Haruno Sakura nunca deve estar sem sorvete. Ao ver que o relógio marca quatro e dez, ela não demora a pegar as chaves do carro e ir para a mercearia mais próxima. Ela roda todo o lugar, mas não encontra seu sabor favorito, por isso sai do estabelecimento e vai para o próximo.

Isso se repete algumas vezes e ela está começando a ficar estressada, ou seja, precisa ainda mais de seu sorvete.

Ela entra em um minimercado de estrada que divide a população. O que isso significa? A avenida em questão leva a dois possíveis caminhos além do centro de Konoha, sendo elas, uma boa área de se viver onde a classe média descança sua cabeça a noite, lugar esse onde a rosada vive, e o monte Olimpo. A região recebe esse nome, pois os grandes nomes de Konoha vivem por lá, ou seja, um lugar bem distante de Sakura. É lá inclusive onde a família Uzumaki tem a mansão.

Angustiada ela segue até o setor dos sorvetes e procura pelo sabor, mas nada, nem um único pote.

    Não é possível.

Ela brada irritada.

    Perdida?

Ela se vira e vê Sasuke, mas o moreno é irrelevante nesse momento, isso porque os olhos esverdeados focam no que o Uchiha tem em mãos.

Sua boca saliva, mas ela não deixa transparecer.

    Ahn, pra que tanto sorvete?

Na verdade o que ela pretendia dizer era: olá, como está indo? Mas o que saiu foi isso.

Ele olha para a cesta em suas mãos, na qual seis potes de sorvete sabor floresta negra estão.

    Ah, pra ser sincero não tenho ideia.

    O que?

    Não são pra mim, não sei como alguém consegue comer tanto doce.

    E, por que apenas esse sabor?

Sasuke a observa analisando-a e ao perceber como seus olhos estão focados nos potes, ele sorri.

    Você parece querer um.

Ela foca no moreno e se recompõe.

    O que? Não, imagina.

    Você é uma péssima mentirosa.

Ela suspira.  Só em situações assim.

    Tudo bem, o que você quer pelo sorvete?

Um sorriso maroto surge nos lábios do moreno.

    Tenho várias idéias, mas não acho que aceitaria nenhuma delas.

    Então pense em algo que eu aceitaria.

Sasuke dá dois passos em direção a Sakura que não se afasta como seu instinto manda. Sasuke ergue uma sobrancelha.

    Pensei que iria se afastar.

    O que quer?

Ele está a poucos centímetros dela e Sakura o observa atentamente, por um breve momento ela se esquece do sorvete, afinal tem algo tão apetitoso quanto bem próximo de seus lábios. Por um breve instante ela gostaria de saber qual o gosto desses lábios. Sasuke observa cada traço do rosto da rosada, ela não hesitou ou se afastou nada, isso mostra o quão determinada está e por isso, ele se afasta.

Sakura se surpreende e o vê pegar um dos potes e logo o estender a ela.

    Pegue.

Ela pega o pote sem hesitar. Normalmente ela pensaria um pouco antes de aceitar qualquer coisa dele, tal como aconteceu com o vinho, mas ela nunca negaria sorvete. Porém, está curiosa pela boa ação.

    Por que?

    Agora estamos quites.

    Que?

    Você pegou minha encomenda.

Ela se surpreende pelo nobre gesto do moreno.

    Ahn, obrigada.

Ela observa o pote em suas mãos.

    Não foi nada.

Ele segue para o caixa e Sakura o acompanha em silêncio.

    Para quem está levando?

Ele a observa com o canto dos olhos e eles entram na fila do caixa, Sakura primeiro.

    Para uma maníaca por doces.

    Próximo.

A atendente a chama e ele paga pelo sorvete, Sasuke vai em seguida. Ela o espera para acompanhá-lo. Depois do que ele fez o mínimo que merece dela, é gentileza.

    E por que só um sabor?

Ele volta seu olhar para ela e eles saem do mercado.

    Por que, com tantos sabores, você queria esse?

    É o meu favorito.

    É estranho eu estar excitado com a ideia de te ver comendo uma cereja?

Ela se surpreende ao ouvi-lo e ruboriza, ele sorri com o efeito causado.

    É-é claro que é... - ela gagueja ao falar - I-isso te faz um pervertido.

Ela se afasta um pouco preparada para sair o mais rápido possível da frente do moreno.

—    O-obrigada pelo sorvete.

Ela segue para o próprio carro a passos rápidos e entra sem demora. Depois de colocar o sorvete no banco do carona, ela suspira.

Como eu pude sequer pensar que ele fosse alguém gentil? E o pior de tudo é eu quis beijá-lo, ele. Foi por um mísero período de tempo, mas eu quis.

Ela olha para o sorvete que foi a única razão de ter passado o que passou.

Argh por que eu corei? Sakura sua idiota!

Ela bate no volante irritada e depois de alguns segundos que leva para se recuperar volta para casa.



    Sai daí sua idiota, você vai morrer.

    Você fala como se ela te ouvisse.

Tatsuo ri. Ele chegou a pouco, logo depois de Sakura, que estava no jantar com Gaara, no encontro mais normal que tiveram, mas apesar disso foi bem agradável. O sorvete ao qual se esforçou tanto para conseguir está pela metade dentro do freezer.

Ela tentou ignorar o que se passou com Sasuke, ou seja, o fato de que quis beijá-lo, e, felizmente, conseguiu. Durante o jantar sequer se lembrou do moreno, após ser deixada em casa logo recebeu a companhia do amigo e aquele momento sombrio ficou para trás. Agora eles estão sentados no sofá assistindo um filme de terror.

A mulher com quem Sakura gritava a pouco acaba de ser morta e a rosada dá um tapa no braço do sofá.

    Eu disse que você ia morrer.

Tatsuo ri da amiga e foca sua atenção na televisão.

Assim que o filme termina eles conversam um pouco sobre como foi o dia e vão para a cama.

A rosada se deita lembrando que a poucas horas atrás imaginou vários noivos, incluindo o Uchiha que tanto a irritava, por isso solta um longo suspiro.

    Hora de dormir Sakura, você está precisando.

Após esse sábio conselho ela cai no sono.


O dia amanhece e ela não demora a se levantar e depois de se aprontar para o trabalho, para sua surpresa, Tatsuo já está de pé preparando o café da manhã.

    Bom dia.

Ele lhe sorri.

    Bom dia.

Ela se senta na bancada e o observa.

    Por  que está acordado tão cedo?

    Preciso encontrar uma casa para ficar, não vou ficar dependendo de você. Todos querem sua privacidade.

Ela apoia os cotovelos na bancada e com o queixo nas mãos solta um suspiro.

    O que foi? - ele pergunta.

    Não é nada.

Ele ergue uma das sobrancelhas descrente e ela volta a suspirar.

    É só que… A Hina vai casar então, de repente, surgiu uma vontade de encontrar alguém sabe. Eu estou saindo com um cara, ele é incrível, estar com ele é incrível, mas as coisas estão tão lentas.

    De novo com isso? Por que você não pode simplesmente esperar pelo amor como uma pessoa normal?

    Haha.

Ele ri.

    Repetindo o que eu disse muitos anos atrás, essas coisas não acontecem do dia para a noite, você não pode querer apressar nada assim, vai acontecer no momento em que acontecer.

    Você faz parecer tão simples.

    É simples, vocês que gostam de complicar.

Ela suspira e eles tomam o café juntos. Em seguida Sakura deixa sua casa e segue para o trabalho.


Essa foi uma semana corrida, com o trabalho e os preparativos para o chá de panelas que vai acontecer no domingo. Sem contar que as aulas ainda estão acontecendo, mas pelo menos isso a preocupa menos, afinal eles estão indo bem, todos eles, até mesmo o pai de Hinata o que Sakura julgava ser impossível.

Ela voltou uma vez na loja de roupas para o ajuste do vestido, mas não foi necessário muito pois a peça parece ter sido feita para ela.

Nessa fase das coisas, Sakura conhece os convidados de Hinata melhor do que ela mesma. Felizmente o chá de panelas está quase todo organizado, será um evento misto, em estilo simples e tranquilo, mais como um chá da tarde. Ela tem ciência de que pessoas importantes irão participar desse evento, como alguns parentes de Hinata e outros de Naruto e por isso será algo mais comportado.

A rosada está realmente se esforçando como madrinha e mesmo não se dedicando 110% ao seu trabalho está exausta. Ser madrinha não é tão fácil quanto parece. Bolo, decoração, salão, lembrancinhas, lista de convidados, ela não quer nem imaginar como Hinata estaria se tivesse que fazer tudo isso sozinha.

Ela se joga na cama exausta e ouve o barulho do chuveiro no quarto de hospedes. Com isso se lembra de uma de suas conversas com Tatsuo.


Ela se senta e apoia o braço no encosto do sofá.

—   E o coração?

Ele coloca o pescoço no encosto do sofá deixando a cabeça levemente pendida e solta um longo suspiro.

—   Você sabe, depois dela eu nunca mais fui o mesmo.

Ela o observa entristecida, ele não se recuperou nada, mesmo com esses anos de distância.

—   Como ela está? - ele pergunta.

—   Ela tem um filho, mas acredito que esteja divorciada.


Ele ainda não está recuperado e isso a preocupa. Felizmente, ou infelizmente, sua cabeça tem coisa demais pra pensar e com isso logo se esquece do flashback que teve a pouco.

Os outros problemas e dores de cabeça, são seus projetos, o evento e o chá de lingerie. Seu trabalho parece ter triplicado agora que não tem tempo para ele, Shizune deu a entrevista para a revista onde Itachi trabalha e teve uma nota sobre o evento na página três do jornal, se é que alguém ainda lê isso. Mas também teve uma manchete no site da editora então foi uma grande divulgação.

Agora o chá de lingerie a está exaurindo. Ela já tem tudo preparado, mas não tem ideia de como levará Hinata até o local. Será uma surpresa e ela não pode suspeitar.

O toque do seu celular lhe chama a atenção afastando-a dos pensamentos. Ela desbloqueia a tela.

*Oi, queira saber se quer sair comigo nesse fim de semana, estava pensando que podíamos acampar.* - Gaara.

*Adorei a ideia, mas estou sem tempo para nada por causa do chá de panelas, então vou ter que recusar. Por falar nisso, você não vai?

*Para ser sincero, havia me esquecido totalmente disso, que bom que me lembrou.*

*É uma pena não podermos ir, sinto muito.*

Ele não demora a digitar uma resposta.

*Não se preocupe, sempre teremos outra chance.*

Sakira suspira e observa o teto de sua sala, ignorando o trabalho por algum tempo.

Já fizemos três encontros e ele é demais, mas ainda não transamos, esse acampamento talvez fosse a oportunidade perfeita, mas não vai rolar.

Ela termina o trabalho e antes de voltar para casa passa na casa de Kushina, onde acontecerá o chá de panela.

Depois de longas conversas de madrinha e mãe do noivo, ela volta para casa, afinal o fim de semana vai ser corrido.


Sakura nem soube o que é folga nesse sábado por causa de tanta coisa que precisou resolver, claro que ela teve ajuda, mas ainda assim parece que tudo a exauriu. Por isso decidiu tomar um longo banho em sua banheira antes de dormir, já que seu dia não será fácil quando amanhecer.

Depois do banho ela cai exausta na cama e perde a consciência antes que perceba.

Ela desperta em um pulo pega seu vestido e logo se despede de Tatsuo dirigindo para a casa dos Uzumaki.

Ao chegar lá, vê muita movimentação, pessoas andando de um lado a outro e uma correria daquelas. Assim que encontra Kushina elas se cumprimentam e cuidam do restante dos preparativos. Quando o relógio marca duas da tarde tudo está perfeitamente arranjado.


Foi uma tarde agradável, com alguns discursos de parentes e amigos mais distantes, algumas brincadeiras comportadas e muitos presentes.

Sakura sequer teve tempo de conversar com as pessoas por causa das preocupações com todos os detalhes desse chá e esse é o único momento do dia que teve um pouco de sossego. Ela está agora, em uma das sacada da grande mansão com uma taça de champanhe em mãos observando o céu que está atingindo um tom alaranjado.

No mesmo instante ela se lembra de Itachi e de suas palavras, mas dura pouco pois a paisagem a sua frente a faz esquecer de tudo, apenas admirar esse evento natural é o que importa.

    Como eu disse, é lindo.

Ela se vira e vê Itachi se aproximar com um sorriso no rosto.

    Oi.

    Foi difícil te encontrar e falar com você hein.

Ela ri.

    Sou uma mulher ocupada.

    Deu pra notar.

Ele se coloca ao lado dela observando a vista a frente.

    E o evento, como as coisas estão?

    Bem, será na semana que vem então espero vê-lo lá.

    Sou um bom voluntário e cumpro com minha palavra.

Ela sorri.

    Obrigada por ir, por falar nisso e também pela ajuda que deu.

    Não se preocupe com isso.

    Mas você disse que queria uma recompensa.

Os olhos enegrecidos do moreno focam nos lábios da rosada, mas ele logo desvia o olhar e sorri.

    Ah, aquilo. Não leve tão a sério o que eu falo, aceito alguns dangos.

Ela volta a focar a sua frente, por um momento pensou que ele diria outra coisa, qualquer outra coisa, mas não foi assim.

    Senhorita Sakura.

Sakura olha para trás e vê um dos empregados.

    A senhora Uzumaki está a sua procura.

    Eu já vou.

A mulher se afasta e Sakura volta a olhar para Itachi.

    Como eu disse, sou uma mulher ocupada. Nos vemos.

    Ahn Sakura.

Ela para antes de deixar a varanda e olha na direção do moreno.

    Quer sair comigo qualquer dia?

Ela se surpreende com o convite repentino e fica em silêncio por algum tempo.

    Claro que se você não quiser, não tem problema eu.

    Não, não, eu gostaria, apenas estou bem sobrecarregada ultimamente.

E já tenho alguns encontros para cumprir.

    Se estiver com tempo me chama, sabe que sempre conheço os melhores lugares.

    Claro.

Ela se afasta, mas para assim que passa pela porta. Isso é surreal, ele realmente parecia estar convidando-a para um encontro, mas isso não é algo que ele faria, não o Itachi que ela conhece, ele não vai a encontros. Sakura balança a cabeça negativamente afastando o pensamento e volta ao salão principal a procura de Kushina.

Depois de conversar com a patriarca Uzumaki e, notando que os convidados já se despedem, ela também decide ir embora. Sua despedida é um pouco demorada, pois há muitos agradecimentos, principalmente de Kushina, mas seu carro logo aparece a sua frente e a única coisa que deseja nesse momento é sua cama.

Ela volta para casa e cai no sono assim que sua cabeça toca o travesseiro.


A semana após o chá de panelas também passa corrida apesar do trabalho parecer ter diminuído, claro que isso se deve aos seus projetos terminados. As aulas de dança também estão menos exigentes, assim como as tarefas como madrinha. Nesse momento ela apenas se foca nos projetos atuais e no evento que acontecerá no fim de semana.

Por causa da sua ausência no local durante o último fim de semana, ela não tem a menor ideia de como está a decoração terminada de tudo e por isso está super ansiosa.

Shizune ligou para ela para falar que apareceram alguns doadores e tudo se deve a divulgação, por isso ela agradece imensamente a Itachi.

Nesses últimos dias, eles tem conversado mais que antes e apesar de gostar disso, a aproximação repentina do moreno a deixou receosa.

Tatsuo sai a maior parte do dia a procura de um bom lugar para reabrir sua academia. Não é um trabalho fácil, principalmente por que Tenten também tem uma academia no centro de Konoha, mas ele não é de desistir sem tentar. Sua futura casa também está em sua lista de tarefas e ele disse a ela que não ficará muito mais morando com a rosada.

Sakura observa o teto de seu quarto em um suspiro se lembrando de Gaara. O ruivo deixou a cidade para uma audiência em Suna e ficará longe por algum tempo, sendo assim não poderá ir ao evento. Eles estão bem, mas ainda não definiram o que têm como um relacionamento, ela decidiu que tomará essa decisão logo, afinal já tiveram vários encontros e para ser sincera, ainda que a química não tenha rolado ela quer que dê certo com ele.

Porém antes de tomar qualquer decisão em relação ao ruivo ainda tem Lee. Ele ficou tanto tempo longe que a rosada teve tempo para pensar e já não acha que é uma boa ideia misturar o que eles têm, principalmente porque ela o ama demais e não quer que terminem por dar um fim a amizade que construíram ao longo dos anos.

Por fim há Sasuke. Sakura percebeu que o moreno tem investido um pouco e insinuado que ela o agrada, seria mentira dizer que o contrário não acontece, mas ela não quer se envolver com ele. Já é difícil o suficiente lidar com Uchiha Sasuke, se ela adicionar sexo a bagagem isso será ainda pior. Ou melhor talvez.

O toque do celular a desperta de seus pensamentos e quando pensou que seus problemas com os rapazes tivesse chegado ao fim vê uma mensagem de Sasori.

Mesmo tendo voltado a falar com ela normalmente por mensagens, quando estão frente a frente o ruivo age estranho e ela não consegue entender o porquê. Talvez seja por causa do sexo que ela negou, mas se fosse isso ele apenas procuraria em outro lugar.

Ela suspira e desbloqueia a tela abrindo o aplicativo de mensagens.

*Tenho que estar lá que horas?*

*Umas nove da manhã, para conseguirmos terminar as coisas e separar as pessoas nas barracas.*

*Nos vemos amanhã então, até.*

Ela observa a tela, frio, ele está muito frio. Depois de mais um suspiro ela desliga a tela e fecha os olhos, afinal precisa dormir, um longo fim de semana a espera.

Notas Finais


Não sei se ficou muito longo, se sim me desculpem. Espero que tenham gostado, até.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...