1. Spirit Fanfics >
  2. O Encanto da Cerejeira >
  3. Capítulo 34 - SASUKE - As chaves

História O Encanto da Cerejeira - Capítulo 37


Escrita por:


Capítulo 37 - Capítulo 34 - SASUKE - As chaves


Sakura está cansada, as palavras de Ino permanecem irritando-a e o pensamento de que finalmente veria o potencial de Sasuke, a invadiu por um breve momento no começo da noite, mas foi um pensamento equivocado. Além disso, não é uma coisa que devesse desejar nesse momento que procura por algo sério.

O que a preocupa porém, nem é o moreno, mas o que ouviu de Deidara. As palavras do amigo ainda estão fixas em sua mente, ela precisa ter uma conversa séria com Sasori, mas não vai conseguir fazer isso hoje por esse motivo disse ao ruivo que ele não podia visitá-la.

—        Talvez amanhã depois de uma dose de uísque e uma longa noite de sono.

Ela suspira.

A amizade benéfica começou depois de uma saideira, ambos estavam bêbados e os toques tiveram inicio, Sakura iria parar, não queria destruir a amizade deles, mas o ruivo disse que ia ser apenas coisa de uma noite então ela se deixou levar.

Quando se deram conta transavam com certa frequência, mas a amizade deles não foi afetada, pelo contrário, apenas se fortificou.

Com isso em mente foram impostas três regras, sem cobranças, sem ciúmes e se alguém começasse a se apaixonar eles parariam. Mas parece que não deu muito certo, ela suspira, deveria ter imaginado.

A casa de Sakura aparece a sua frente e ela estaciona o carro. Infelizmente a chave da porta da garagem está dentro de casa o que faz com que tenha que entrar pela porta da frente. Depois de descer do carro e fechar o portão da garagem, ela se encaminha até a porta da frente preparada para pegar suas chaves, mas não as encontra.

Sakura tateia sua bolsa, liga a lanterna do celular, mas não encontra as chaves. Refazendo em sua mente, todo seu dia a procura de um momento em que tenha se separado do objeto se lembra perfeitamente que trancou sua casa e colocou as chaves na bolsa, mas fora isso não se lembra de ter tocado no objeto pelo resto da noite.

Sakura percebe que terá que dormir em um hotel e ao chegar nessa conclusão suspira. Nesse momento ouve o motor de um carro. Ainda não é tão tarde, mas seus vizinhos raramente transitam pela rua nesse horário.

Ao se virar a rosada vê um carro se aproximar e se surpreende, já que é bem parecido com o de Sasuke. O carro para em frente a sua casa e um moreno alto sai do veículo. O Uchiha se aproxima.

—        Ahn, o que faz aqui?

Sasuke tira do terno um chaveiro, que ela reconhece imediatamente, e estende para ela.

—        Esqueceu isso.

Sakura pega o objeto.

—        Ok, como você está com as minhas chaves? E como sabe onde eu moro?

—        Ino me pediu para trazê-las e me deu seu endereço.

Sakura se surpreende, devia ter imaginado. A rosada se vira destrancando a porta.

—        Entre.

—        Está tarde, não quero incomodar.

—        Veio até aqui trazer minhas chaves, o mínimo que posso fazer é lhe oferecer alguma coisa.

Um sorriso malicioso se forma em seus lábios ao pensar no que disse, ela não consegue evitar, mas como está de costas para ele isso o impede de ver. Ao entrar Sakura liga as luzes sendo seguida por ele que a vê tirar os saltos caminhando em direção a uma bancada com copos, garrafas de bebida e gelo.

—        Uísque, vinho, rum. O que quer beber?

—        Um copo de uísque.

Sasuke observa a casa quando ela se aproxima com o copo.

—        Obrigado. - ele pega a bebida e seus dedos roçam nos dela. - É uma bela casa.

—        Obrigada, eu mesma projetei. Queria criar meu próprio espaço.

—        Não esperaria menos.

Sakura sorri e Sasuke se aproxima de um quadro com o nome de Deidara no canto inferior esquerdo.

—        Não o vi mais na exposição - ela se põe ao seu lado - pensei que tivesse ido embora.

—        Estava ocupada com Sasori, não quis atrapalhar.

Sakura abre um sorriso ao ouvi-lo.

—        O que é isso? Ciúmes?

Sasuke não olha para ela, ele realmente se irritou com a atitude de Sasori. Não que sinta qualquer coisa por ela, longe disso, mas teve a sensação de ter outra pessoa tocando no que é seu.

—        Não há razão para sentir ciúmes. - ele diz.

Ela o observa sem uma expressão especifica no rosto e ele se sente incomodado com a análise.

—        O que foi?

—        Mesmo sendo o irmão mais novo do Itachi, vocês não se parecem muito, talvez na aparência possamos dizer que são irmãos, mas não tem nada a ver um com o outro.

—        O conhece tão bem?

—        Somos amigos. - ela dá de ombros. - Mais uísque?

—        Por favor.

Ele entrega o copo a ela que torna a enchê-lo.

—        Então, - ela se aproxima entregando o copo - por que trazer as chaves?

Ele permanece em silêncio durante algum tempo bebericando o uísque e pensando no motivo nada nobre que o levou aquela casa.

—        Você precisava da chave para entrar em casa.

Ele diz finalmente.

—        Hum.

Ela pega o copo vazio de sua mão e o leva para a bancada deixando-o lá, assim como o seu. Quando volta a se aproximar todos os pensamentos impuros que teve desde que o conheceu, ainda que sejam poucos, lhe voltam a mente.

—        É uma pena na verdade.

Ele a observa se aproximar e parar a sua frente.

A rosada já não consegue evitar o desejo de saber se ele é tão bom quanto parece e se deixa ceder aos encantos do moreno soltando por fim um desabafo.

—        E eu aqui pensando que houvessem segundas intenções.

Um sorriso malicioso surge nos lábios rosados pelo batom. Sasuke entende a deixa, ele não é o único que quer isso.

Seguindo seus instintos ele leva a mão a nuca dela aproximando-a para um beijo, e preciso dizer, um daqueles de tirar o fôlego. A mão livre do Uchiha se fixa na cintura de Sakura puxando-a contra seu corpo e as mãos dela se encaixam entre os fios negros da cabeleira do moreno.

A língua dele abre caminho entre os dentes dela tocando todo o interior daquela boca que a tempos deseja, e o gosto dela é ainda melhor do que imaginava.

Sakura sente a mão dele descer até sua bunda e não vê a hora dessa mão tocar sua pele. O beijo se intensifica e ele percebe que esse toque não lhe é suficiente.

Sasuke a prensa contra a parede em um desejo necessitado dela ali e agora. Sakura parece defender o mesmo pensamento, pois não se afasta ou o impede de continuar.

A mão direita do Uchiha desce até a coxa dela segurando-a com firmeza e levantando-a levemente, o que faz o vestido se erguer um pouco. Apoiada nele e com as costas firmes na parede, ela se impulsiona um pouco levando sua outra perna a altura do quadril do moreno e prende-o cada vez mais perto. Estimulado pela pressão contra o corpo dela, seu membro começa a ganhar vida.

Nesse momento o vestido já está na cintura e ele prende as mãos na macia bunda da rosada apertando-a com vontade enquanto seus beijos acariciam-na no pescoço.

Sakura geme ao sentir o aperto de seus dedos, as leves mordidas e chupões dele e é o som mais sexy que Sasuke já ouviu, ela ainda tem as mãos presas em seus cabelos e sua cabeça está levemente erguida. Os beijos a excitam e lhe dão prazer, mas não é suficiente, isso leva sua mão esquerda a alcançar a mão de Sasuke e direcioná-la até seu seio, ainda por cima do vestido, gemendo ao sentir que ele a acaricia.

Seus corpos estão contra a parede e ela está bem presa a ele, o que o faz levar sua mão livre ao outro seio, arrancando mais gemidos.

Sakura está ensopada de prazer e isso a faz remexer um pouco os quadris, Sasuke sente a necessidade dela por ele que talvez esteja tão forte quanto o desejo dele por ela, ele precisa tê-la agora. Seus lábios se direcionam ao pé do ouvido dela e roçam sua pele ao falar.

—        Há muita roupa entre nós, - ele sussurra arrancando um arrepio da rosada - precisamos dar um jeito nisso.

Ela não diz nada, mas um gemido alto ao sentir o membro dele escapa de seus lábios, ele até agora não a alcançava pela altura que estava, mas o volume ficou grande demais para ser ignorado pela sensível região entre suas pernas.

Aceitando isso como um sim, ele volta a segurá-la pela bunda encaminhando-a para o quarto, não parando de beija-la nem por um segundo.

Sasuke não conhece a casa, mas por sorte acerta de primeira. O cômodo está escuro e a única luz existente é provinda da lua. Ele a deita e isso a faz entrar em um contato maior com o volume da calça. Outro gemido é dado, apenas por imaginar todo o membro dentro de si Sakura se arrepia e não consegue esperar um minuto mais. Isso a faz tirar o terno e desabotoar a camisa de Sasuke que não para de beijá-la e também começa a despi-la.

Os beijos se tornam cada vez mais possessivos e necessitados. As mãos do Uchiha são ageis e logo lhe tiram o vestido e o sutiã deixando-a sem nada acima da cintura. Ele se ergue levemente tirando a camisa e começa a tirar a calcinha da rosada enquanto a rosada toca os próprios seios em uma vontade louca de sentir prazer. É uma cena linda vê-la se tocar de olhos fechados e mordiscando os lábios, mas ele não se permite perder o foco e termina de despi-la.

Quando a pele de todo o corpo dela está a vista ela se decide que também precisa apreciar a visão que é Uchiha Sasuke nu, completo e inteiramente para ela.

Os dedos da rosada tateiam a calça dele desabotoando-o e abaixando sua calça, surpreendendo-a com o grande volume que até então estava pressionado pelo tecido. Sakura morde os lábios, ele deve ser uma delicia, ela pensa e acaricia o membro por cima da cueca, que não precisa de qualquer estimulação, pois já está rígido, tanto que Sasuke não consegue mantê-lo preso.

O Uchiha abaixa a cueca e finalmente se livra das peças, não demorando a deitar-se sobre ela com seus lábios roçando-a e as mãos dela acariciando-o. Agora é entre eles apenas, sem qualquer tecido os separando, pele contra pele.

As mãos macias alcançam-lhe o membro e a intensidade nos movimentos lhe arranca gemidos, mas Sakura não aguenta mais esperar ela precisa senti-lo. Por isso suas mãos sobem pelo corpo do Uchiha tocando-lhe o pescoço e aproximando-o de seus lábios, mas ele não se deixa aproximar e continua a beijá-la descendo aos poucos.

Os dedos de uma das mãos firmes a acariciam em seu sexo e a outra brinca com seu seio enquanto seus beijos alcançam o seio livre.

—        Você está tão molhada, parece até que estava esperando por mim.

Sentir o toque de seus dedos e ouvir sua voz rouca faz um arrepio cálido percorrer o corpo da rosada arrancando mais gemidos, mas ela não precisa disso só precisa dele dentro dela nesse instante. Antes que possa tomar controle da situação, porém, sente dois dedos penetrarem-na e moverem-se tocando-a em áreas que a enlouquecem e a fazem revirar os olhos pelo prazer.

O movimentos desses dedos, o som que eles fazem, o aroma que sobe tudo isso é excitante, prazeroso. E senti-lo tocá-la dessa forma, alcançando seu ponto mítico faz os gemidos aumentarem, faz as ondas de prazer crescerem. Nesse momento de pura luxúria, ela consegue sentir uma excitação como nunca antes, consegue sentir o quanto está molhada, o quanto está preparada para ele.

—        Consegue sentir como suga meus dedos?

—        Ahh, Sa-Sasuke...

Ele a observa atento a todos os detalhes que seu corpo lhe mostra, seus lábios entreabertos, seus olhos fechados, sua respiração entrecortada, suas costas arqueadas ao senti-lo, tudo.

O que mais quer é tê-la nesse exato momento, mas sabe que preliminares fazem do sexo tão bom quanto deve ser, não que ele precise, pelo menos não com ela, mas quer lhe proporcionar o máximo de prazer que conseguir.

—        N… Não faça isso… Não me faça esperar tanto… Eu preciso de você agora.

O Uchiha a observa surpreso percebendo que não há necessidade de preliminares os dois já estão em êxtase, com o desejo e a luxuria tomando conta de seus corpos mostrando a extrema necessidade que têm um pelo outro.

—        Por favor… Mmmm...

Um gemido acompanha o pedido enquanto ela morde os lábios de olhos fechados ao senti-lo tocar-lhe seu interior. Os dedos do Uchiha tocam áreas  que fazem sensações maravilhosas lhe correrem o corpo,  ele sabe exatamente onde tocar. E não há muito o que lhe ronde a mente nesse instante. Não há nada que a rosada consiga pensar agora, a não ser em o quão maravilhosos são os dedos que a penetram. Ela se entrega a essa sensação não tem forças para resistir, está extasiada demais.

—        Por favor...

Ela está implorando? Um sorriso malicioso se forma no rosto do moreno.

Ele se aproxima de seu ouvido, aumentando a velocidade das estocadas, também anseia por penetrá-la, mas ainda há tempo para uma provocação.

—        O que você quer Sakura?

—        Eu preciso… A-ahh… Eu... Ah... Ah... Aaaaahhhh... – o sorriso ele aumenta - Preciso…

Sakura se sente no ápice, está fora de si, não pode esperar, não pode esperar nem mais um segundo.

—        Não estou ouvindo.

—        Me fode agora, me fode como ninguém fodeu até hoje…

Sasuke não pode continuar a brincadeira. Mesmo que pretendesse fazê-la pedir um pouco mais, não consegue mais aguentar, quis provoca-la mas acabou que ela apenas o fez ficar ainda mais excitado, Sasuke nem imaginava que isso era possível. A voz necessitada que escapou dos lábios atraentes da Haruno arrancou arrepios por todo seu corpo. Os gemidos que ela solta, a forma como suga seus dedos, a maneira como se contorce e rebola diante dele é única e faz o tesão aumentar gradativamente. Não é possível que isso aconteça com tão pouco, mas essa mulher o está levando a loucura.

Sakura tateia o criado mudo ao lado e tira uma camisinha da primeira gaveta. Ao ver isso Sasuke sorri e pegando a embalagem a abre com os dentes, depois de se proteger ele então se posiciona e avança sem pressa ainda que seu desejo seja totalmente oposto.

—        Ahhhhhh.

As unhas de Sakura lhe arranham as costas, mas ele não se incomoda com isso, o fato apenas o excita. Sasuke espera que ela se acostume a ele, mas Sakura não precisa se acostumar apenas quer senti-lo cada vez mais fundo então remexe o quadril rebolando e surpreendendo-o. Entendendo a iniciativa ele começa seus movimentos aproximando seus lábios do ouvido dela e seu halito cálido faz os pelos do pescoço da rosada se eriçarem.

—        Quero ouvir você gemer pra mim rosada.

A voz dele máscula, forte e excitante a alcança, ela o sente pulsar dentro de si e é a melhor sensação que já sentiu em sua vida. Sakura segura seu pescoço aproximando seus lábios do ouvido esquerdo do Uchiha.

—        Me dê prazer Sasuke.

Ouvi-la o atiça e os movimentos se aceleram cada vez mais, entrando cada vez mais fundo.

—        Ahh… Ahh... Ahh... Sa… Aahh...

Ela sente toda a extensão desse membro maravilhoso invadi-la e não quer que isso acabe nunca.

—        Ahhh... Mais forte, ma... ahhh...

As investidas de Sasuke se tornam mais intensas assim como seus beijos mais possessivos, ela pertence a ele e a ninguém mais, e ele quer deixar isso claro, o que o faz deixar inúmeros vergões pela pele branca da rosada.

—        Você é minha Sakura.

—        Sim. Ahhh, Eu... Mmmm... Sou sua.

A velocidade aumenta e o suor se mistura ao desejo e ao aroma de cada um, eles estão no ápice do prazer. Nenhum dos dois jamais imaginou sentir tanta excitação, tanto tesão.

As unhas de Sakura voltam a arranha-lo, ela o aperta dentro de si contraindo-se e solta o grito mais sensual o qual o Uchiha já ouviu, em seguida relaxa desfalecendo.

Sakura percebe os movimentos diminuírem, ele quer esperar que ela se recupere.

—        Não pare. - ela sussurra sem forças - Quero sentir mais.

A velocidade dos movimentos volta a aumentar, ela ainda consegue sentir prazer em cada célula de seu corpo, foi o melhor orgasmo de sua vida, mas não é suficiente, ela sabe que ele pode lhe dar muito mais.

—        Você não tem… Ideia… Do quanto… Eu queria te comer todinha.

—        Mmm… Então me mostra.

Ela sussurra em seu ouvido e o moreno perde a razão. Ele a vira na cama deixando-a de quatro, empinada para seu deleite, proporcionando a melhor vista da noite. Suas estocadas ficam mais fortes, os gritos e gemidos de Sakura, mais altos e o som de suas intimidades se chocando apenas aumenta o prazer.

—        Isso é tão boomm… Aahh... Aaaahhhh...

Ele sente que o momento está chegando, então em um movimento rápido a ergue colocando-a sentada sobre si. A sedutora mulher de fios rosados envolve o pescoço dele em um abraço enquanto seus beijos tornam o momento ainda melhor. Sasuke segura a bunda dela conduzindo os movimentos, Sakura poderia comandar, mas ela o deixa ter o controle, dessa vez.

Sasuke não consegue mais aguentar, o interior de Sakura parece suga-lo ele quer se render a isso.

—        Eu vou… Sakura eu vou gozar.

Ao ouvi-lo, Sakura toma o controle da situação até sentir-se derramar sobre ele ao mesmo tempo em que ele despeja tudo dentro dela. Ela não sente o gozo esparramar-se em seu interior, mas sente o calor de seu corpo, o calor dele dentro dela.

Suas respirações estão desreguladas e depois de um breve tempo para se recuperarem se jogam na cama um ao lado do outro. Sasuke tira a camisinha, dá um nó jogando-a no chão.

Eles ficam ali, em silêncio, parados por alguns minutos, tentando fazer sua respiração voltar ao normal e seus corpos esfriarem, apenas apreciando a companhia um do outro.

Sakura nunca se sentiu assim antes, é como se um gatilho tivesse sido ligado em seu cérebro ao simples toque do Uchiha, gatilho esse que lhe permitiu presenciar e apreciar inúmeras sensações de uma única vez. Ele a satisfez como nenhum outro homem antes dele e isso a assusta ao mesmo tempo que a excita.

Depois de algum tempo ela o observa, todo esse momento foi ótimo e inesquecível, mas não lhe foi suficiente. Esse pensamento, leva sua mão a percorrer a pele desnuda do Uchiha alcançando seu membro que não demora a enrijecer-se para a surpresa de Sasuke. Como alguém pode despertar tanto desejo nele?

Sakura começa beijando seu pescoço e descendo os beijos, ao mesmo tempo que movimenta sua mão em um sobe e desce excitante e depois aumenta a velocidade, voltando, em seguida ao movimento lento. Isso enquanto distribui arrepios ao correr as unhas por sob a pele, na cintura do moreno, arranhando-o de leve.

Sasuke tem os olhos fechados, ele não consegue abri-los, a onda de prazer que ronda seu corpo o impede. Seus gemidos parecem estimula-la, porque ele sente o sorriso através dos beijos sempre que algum som é expelido por ele.

Os beijos da rosada se tornam mordidas possessivas que apenas o fazem gemer mais alto. A medida que os lábios lhe roçam a pele se aproximando de onde mais deseja seus beijos, mais excitação corre por ele.

Ela chega até a área em que quer seus lábios, mas não abocanha seu brinquedo de prazer como imaginou que faria. Apenas dá alguns beijos a sua volta.

Impaciente com a demora e sentindo-se extremamente excitado, Sasuke envolve seus dedos pelos fios rosados tentando direcionar seu rosto para onde deseja que sua boca lhe toque.

Ao perceber a impaciência do Uchiha, Sakura ri aumentando o movimento de sua mão fazendo os dedos de Sasuke fraquejarem e sua força diminuir, ele ouve a risada e isso o faz direcionar o olhar até ela.

Suas orbes negras focam-se no rosto da Haruno e percebe um olhar sapeca e um sorriso malicioso desenhado em seus lábios que mostram a ele que ela apenas o instiga mais a fim de provoca-lo.

—        Pare de me provocar Sakura.

—        Peça com jeitinho que eu realizo seu desejo.

Ela diz lambendo a ponta do pulsante membro, isso faz um arrepio cálido correr por todo seu corpo. Ele não é de pedir, não, Uchiha Sasuke não pede. Isso é o que o faz segurar os fios com um pouco mais de força e direcionar os lábios da rosada ao seu membro rijo.

—        Ah.

Um pequeno murmúrio escapa da rosada ao arranha-lo em seu abdômen com força dessa vez. Mais arrepios correm o corpo do moreno, principalmente quando ela o aperta um pouco mais e o lambe.

Ainda assim, o moreno não consegue controlar a boca dela, ela só vai abocanha-lo quando quiser e por enquanto, apenas distribui beijos enquanto o masturba de modo magistral.

—        Você tem que pedir Sasuke.

Mais uma lambida e ela estala a língua umedecendo o lábio inferior em seguida, sem desviar o olhar jade do moreno.

—        Prometo que não vai se arrepender.

Sakura suga a ponta do pênis demonstrando a ele como é sincera ao falar.

—        É só pedir.

Sasuke cerra os dentes. Ele detesta pedir. Melhor, ele não o faz. Uchiha Sasuke não pede. Mas nesse momento, ele não se importa, apenas quer que ela lhe mostre do que é capaz.

—        Por favor Sakura, me mostra o que essa boca linda pode fazer.

Outra risada gostosa e sexy é dada por ela e o faz se arrepiar novamente.

Sasuke nunca implorou por um oral, mas o que ele mais deseja é a boca dela acariciando seu membro rígido. O que essa mulher está fazendo com ele?

Atendendo o pedido do Uchiha Sakura o abocanha, devagar, acariciando suas bolas com as mãos arrancando altos gemidos do moreno.

Os movimentos de sobe e desce ficam mais rápidos, as chupadas mais intensas e cada vez mais excitantes. Essa é uma sensação que nunca teve com nenhuma outra mulher, ele nunca aproveitou tanto o sexo.

Sakura não para, assim como os gemidos dele. Sasuke nem sonhava que alguém conseguiria fazê-lo gemer tanto de prazer.

—        Ahhh, Sakura.

Ele sente um sorriso provir dos lábios dela ao ouvi-lo o que a faz aumentar os movimentos.

—        Mmm…

Ela murmura enquanto abocanha o pau duro do moreno. Ele não consegue resistir a ela, seus dedos apertam os fios rosados novamente e ele estoca a boca de Sakura.

—        Que boca maravilhosa… Aahh Sakura...

Sasuke sempre soube se segurar, se manter atuante durante vários minutos, mas os lábios dela, a língua da rosada parecem tirar todo esse controle. Ele só quer gozar dentro dessa boca irresistível, ainda assim, a avisa antes.

—        Eu vou... SAKURA EU...

Os movimentos acelerados não param e ele sente que ela implora por sentir seu gosto e sem conseguir se conter Sasuke despeja tudo o que tem na boca da rosada.

O moreno desfalece com a respiração acelerada. Que boca maravilhosa, ela foi a primeira mulher que o levou as alturas dessa maneira.

Sakura se afasta engolindo sua porra e se aproxima dele por cima lambendo os lábios apreciando seu sabor.

—        Você tem um gosto inesquecível Sasuke-kun.

Ele se surpreende com o sufixo utilizado, mas isso apenas o atiça. Virando seus corpos e deixando-a abaixo dele, vê novamente o sorriso sexy em seus lábios.

Ele fica perdido por um momento nesses lábios e não consegue evitar quando ela o vira novamente invertendo suas posições.

—        Ainda não acabei, e sou eu quem está no comando.

Com as pernas abertas e o abdômen dele entre elas, Sakura o beija. Primeiro os lábios, depois o pescoço, ele está totalmente submisso as vontades dela, já perdeu todo o controle sobre si. Seu membro ainda não está aliviado e ao perceber isso a rosada se ergue um pouco. Ela senta de uma vez soltando um grito de prazer que o excita.

—        Ahhh, que delicia.

—        Rebola pra mim Sakura.

Um arrepio corre pelo corpo de Sakura ao ouvir tais palavras e seus quadris respondem antes mesmo que ela consiga processar o que ouviu.

Movimentos circulares, lentos, mas que logo mudam para um sobe e desce excitante, arrancando gemidos dele e de si própria. Sasuke coloca suas mãos na bunda macia da Haruno e ao aperta-la ouve mais um gemido quase contido quando ela morde o lábio inferior. Ele a ajuda nos movimentos e não demora até que cheguem ao clímax.

Sakura sente seu corpo estremecer e seus músculos se contraírem enquanto deixa escapar um lindo grito de prazer, sentindo seu corpo amolecer em seguida. Sasuke não consegue esperar que ela se recupere e com isso a vira deixando-a abaixo de si e agora toma controle da situação.

Sakura não se recuperou é fato, mas ainda assim, isso está muito bom e ela não quer que ele pare, afinal seu orgasmo veio, mas seu gozo ainda não.

—        Não se atreva…. A parar. - ela diz entre respirações.

Sasuke coloca uma das pernas dela em seu quadril. Ela alcançou o clímax, não tem dúvidas de que não aguentará por mais tempo e isso se torna verídico quando, em uma investida, Sakura o sente inteiro pulsante dentro de si o que a faz despejar tudo o que tem nesse pau que lhe proporcionou tantas sensações.

Entretanto, não é apenas o gozo que escapa da rosada, mas também um longo e sexy gemido que vem acompanhado de ondas elétricas por todo seu corpo, o que a faz arregalar os olhos ao sentir-se estremecer novamente. Isso não é possível, eu acabei de ter um orgasmo. Ela pensa, mas seu corpo não se importa com a lógica.

—        Eu vou...

—        Dentro não. - ela diz.

Quando percebe que não consegue mais aguentar, Sasuke sai de dentro dela despejando todo seu conteúdo no corpo da rosada. Sakura está cansada e extasiada demais para pensar nisso, mas para o moreno o fato de ter sua porra espalhada pelo corpo escultural a deixa ainda mais sexy.

O Uchiha se joga ao lado dela enquanto Sakura ainda respira com dificuldade tentando se recuperar do que quer que tenha sido isso. Ela já teve transas antes, já enlouqueceu de prazer em meio aos lençóis mas de alguma forma isso supera qualquer outro momento. O que o moreno a fez sentir superou qualquer um antes dele, isso foi a melhor coisa que ela já sentiu na vida.

—        Isso foi incrível. - ela diz ainda com a respiração acelerada.

—        Você foi incrível.

Ele a observa desnuda ao seu lado, ela está vermelha e suada pelo que acabam de fazer, mas ele não tem dúvidas de que a vê corar, ou ao menos é o que faria se já não estivesse tão vermelha. Ainda assim, o olhar que ela desvia, demonstra que ficou acanhada ao ouvi-lo.

Como a mulher de alguns minutos atrás pode estar envergonhada ele não sabe dizer, mas Sasuke sabe que nunca viu nada mais lindo em toda a sua vida. Ela é sexy e ao mesmo tempo delicada, o que o faz querer protegê-la na mesma quantidade que quer estar entre suas pernas.

Depois de se recuperar ela se deita de bruços com a cabeça sobre os braços observando-o.

—        Quem imaginaria que acabaríamos aqui?

—        Não eu.

Ela ri. Uma risada pura, sincera e linda.

—        Levou algum tempo para admitirmos que queríamos isso.

—        Você mais que eu. - ele diz.

—        Será que foi mesmo?

Ela ergue uma sobrancelha.

—        Somos dois teimosos - ele dá de ombros - não poderia ser diferente.

—        Tem razão.

—        Mas você não facilitou nem um pouco, principalmente no começo. Foi difícil aprender como lidar com você.

—        Tudo bem admito ter sido um pouco extrema.

—        Um pouco? Depois da cena do elevador, quando nos encontramos de novo, você nem me deu bom dia.

—        Você mereceu, aquela porta de elevador era importante para mim.

—        Prometo nunca mais fazer isso.

Ela ri.

—        Que bom que aprendeu a lição.

Eles se observam em silêncio, Sakura ainda leva um sorriso no rosto e Sasuke não consegue parar de apreciar sua beleza.

—        Você é linda.

Ela cora novamente. Sasuke não está acostumado a admirar a beleza de alguém. Ele observa mulheres bonitas, aprecia mulheres sensuais, mas nunca parou para admirar nenhuma delas pura e simplesmente pela beleza que expressam captando cada misero detalhe para fixar na memória. Mas Sakura é diferente, com ela é sempre diferente.

Os olhos dela começam a pesar e ela os fecha, ele a toca no ombro ainda observando-a o que a faz abrir os olhos novamente. Sasuke a aproxima dele puxando levemente seu braço, querendo sentir o toque de sua pele contra a dele, e Sakura se deita em seu peito.

Não demora para que ela perca a consciência. O Uchiha por sua vez permanece desperto algum tempo mais contemplando esse lindo corpo que tem a pele contra a sua, admirando-a dormir, essa é, sem sombra de duvida, uma das cenas mais lindas que já viu.

Sasuke não consegue entender a crise de ciúmes que teve. Seus olhos estão focados nela, essa noite ela foi toda e inteiramente dele e essa é uma sensação que está familiarizado, usufruir do que é seu.

Ela era minha conquista, sim, foi isso. O pensamento o ronda.

A partir do momento em que decidiu que iria conquista-la ela passou a ser dele, e Uchiha Sasuke é um homem extremamente possessivo. Foi isso que o levou a ter ciúmes. Ele ainda a observa enfeitiçado por esse corpo e, com essa visão em mente, acaba por cair no sono também.

 

Sasuke desperta com um peso sobre seu peito. Ao abrir os olhos percebe que não foi um sonho, aquela noite inesquecível tinha mesmo acontecido.

Seus olhos focam-se nela e seus dedos acariciam-lhe as costas, os minutos se passam, mas ele não se importa, esse corpo tão próximo do seu, desenhado pelos deuses é a única coisa que lhe importa agora.

Ao ver os primeiros raios de sol adentrarem o cômodo e perceber que amanheceu ele se surpreende consigo mesmo.

O que é que estou fazendo? Ele se pergunta. Eu nunca fico até o amanhecer.

O moreno já deveria ter ido, mas observa-la dormir é tão tranquilizante que o faz querer passar a vida fazendo-o e foi isso que o impediu de sequer pensar em deixa-la.

O rosto dela é delicado e doce e seu corpo é esplendido, cada curva, cada detalhe, desde as covinhas em suas costas até a forma como seus lábios se entreabrem ao dormir. Todo esse corpo é magistral, magnífico e ele não se cansa de admira-lo.

Ela o cansou, mais que isso, ela o satisfez. Em todas as vezes que dormiu com alguém, Sasuke se sentia incompleto, como se faltasse alguma coisa, é claro que ele não tinha a mínima ideia do que era, ainda não tem, mas é bom se sentir completo uma vez.

Estar entre as pernas dela, foi uma das melhores sensações que já teve e ele quer repeti-la com mais frequência. Afastando-o de seus pensamentos ele a vê respirar fundo e para de acariciar-lhe as costas.

—        Bom dia. - ela murmura ainda de olhos fechados.

—        Bom dia.

—        Pensei que já teria ido.

Eu também, ele pensa.

—        Preferi esperar que acordasse.

Ela fica em silêncio por alguns poucos segundos de olhos fechados e dá um longo suspiro se erguendo em seguida.

Sakura se afasta espreguiçando-se de costas para Sasuke, deixando-o admirar seu corpo.

—        Vou tomar banho, você vem?

O celular dele toca.

—        Pode ir na frente.

Ela abre uma porta diferente da que eles entraram noite passada, provavelmente a do banheiro e ele procura pelo celular no terno.

Ao encontra-lo, o atende.

—        Alô.

—        Teme o que está fazendo?

—        Por quê?

—        Como por quê? Temos que tirar as medidas dos ternos hoje esqueceu?

Sasuke se lembra que Naruto tinha falado sobre isso. Por ele, compraria um terno novo, ou usaria algum que já tem, ele tem vários, mas tanto sua mãe quanto a de Naruto insistiram para que as roupas fossem feitas por um alfaiate. Sendo assim, eles precisam ir até lá para tirar as medidas para as peças.

—        Que horas precisa que eu esteja pronto?

—        Agora seria uma boa e abre logo essa droga de porta, dattebayo.

—        Não estou em casa.

—        Minha nossa você tinha que escolher transar logo essa noite, dattebayo? Eu não posso demorar vou sair com a Hinata.

—        Não se preocupe, chego aí em meia hora.

—        Tá bem, estou esperando.

Sasuke começa a se vestir, o banho vai ter que esperar.

Quando termina de se vestir, caminha até o banheiro e a visão quase o faz desistir de Naruto.

Sakura está de costas com a cabeça erguida deixando a água lhe molhar o rosto. As gotas d'água percorrem o corpo da rosada por um caminho que ele gostaria que seus dedos percorressem.

Sakura desliga o chuveiro e o observa pegando uma toalha, ela se seca rapidamente e a enrola no corpo. A rosada foca sua atenção na roupa do Uchiha.

—        Não vai tomar banho?

—        Não tenho tempo, preciso ir. Naruto me ligou e...

Ela passa por ele saindo do banheiro e Sasuke hesita. O aroma dela o invade deixando-o estático.

Você é o padrinho Sasuke, o dobe precisa de você. Você é o padrinho, o dobe precisa de você. Você é o padrinho, o dobe precisa de você. Esse mantra se repete inúmeras vezes em sua mente enquanto ele tenta se convencer.

Sakura abre o closet a procura de algo para vestir.

—        Não precisa se explicar. - ela diz sem olhar para ele - Você tem seus compromissos não é como se fossemos casados, não me deve explicações.

Ele a entende, essa foi apenas uma noite de prazer para ambos, ela deve estar acostumada com despedidas rápidas pela manhã.

Sasuke se aproxima dela tocando-lhe o ombro e deslizando sua mão até sua nuca, arrancando-lhe um arrepio. Sakura se vira e ficam frente a frente, ele não demora para aproximar seus lábios. Ela toca o rosto dele com uma das mãos e a nuca com a outra, ele ainda tem uma mão presa a nuca dela enquanto os dedos da outra apertam sua cintura, não há segundas intenções, apenas o beijo.

É um beijo lento, no qual ambos saboreiam o gosto um do outro, ele precisava disso antes de deixa-la. As línguas deles brincam na boca um do outro, variando a boca em que se encontram. Quando estão prestes a se afastar Sakura prende o lábio inferior dele entre os dentes dando uma leve mordiscada e o solta devagar.

Esse beijo foi diferente dos outros, ele pareceu... Puro talvez? Essa pode ser uma palavra que o defina, porque ele nada queria dela, apenas sentir o gosto dos seus lábios. Isso pareceu ser suficiente para ele e, por mais surpreendente que seja para a rosada, para ela também, esse único beijo lhe basta.

Eles finalmente se afastam e ao reabrir os olhos observam um ao outro.

—        Obrigado pela noite passada.

Ela sorri.

—        Sou eu quem tenho que agradecer.

—        Até logo.

—        Até.

Sasuke se afasta deixando-a no quarto de pernas bambas pelo beijo inesquecível que acabou de receber.

Esse homem consegue levar qualquer mulher a loucura, ela pensa tocando os lábios, mas um beijo desses é capaz de te fazer se apaixonar.

Ela ouve o motor do carro ser acionado e se distanciar ao passar dos segundos.

Sakura se senta na beira da cama, próxima dos pés e permanece em silêncio sem nada especifico em mente, apenas desfrutando da sensação que esse beijo lhe proporcionou. Mas balança a cabeça negativamente se levantando.

—        Sasuke não parece ser o homem de uma única mulher, é melhor não criar expectativas.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...