1. Spirit Fanfics >
  2. O Encanto da Cerejeira >
  3. Capítulo 37 - SASUKE - Minhas sinceras desculpas

História O Encanto da Cerejeira - Capítulo 40


Escrita por:


Capítulo 40 - Capítulo 37 - SASUKE - Minhas sinceras desculpas


Ainda surpreso Sasuke observa a rosada, que leva um vinho na mão e um lindo sorriso no rosto, e não consegue nem mesmo disfarçar.

—        Esse é o momento em que você diz que ele está envenenado e ai eu bebo de cara emburrada para provar que não está.

Ela diz com um largo sorriso no rosto e o moreno revira os olhos.

—        Eu não fiquei emburrado.

—        Ah, ficou sim.

—        Tanto faz. - ele abre passagem - Entre.

Ela passa por ele e o aroma adocicado da rosada logo invade as narinas do Uchiha que fecha a porta seguindo para a sala acompanhado dela.

Sakura observa o apartamento a sua volta, a última vez que esteve ali foi quando trabalhou com Sasuke no aniversário de Konoha.

Seu olhar pousa sobre uma escultura pálida de seus amigos. Ela se aproxima e vê o perfil deles, os rostos, os cabelos todos os detalhes até a altura dos ombros. Sakura observa a arte a sua frente maravilhada. O rosto de Hinata está encostado no de Naruto, de forma que apenas o lado esquerdo apareça. Seus olhos estão fechados e há um leve sorriso em seu rosto, Naruto por outro lado, tem um largo sorriso e observa Hinata.

Sakura se surpreende com a qualidade da obra, todos os detalhes estão expressos no gesso frio, desde as listras no rosto de Naruto, até os delicados lábios de Hinata.

Sakura convive com a amiga a anos e pode dizer que essa pessoa de gesso poderia com toda certeza substituí-la e ninguém notaria, por causa da imensa semelhança entre a arte e o real.

—        Nunca imaginei que fosse tão bom.

—        Não é nada.

Ele diz sem graça e pega o vinho da mão dela caminhando até sua copa.

Quem diria que eu viveria para ver o Sasuke sendo modesto.

Os olhos esverdeados procuram por mais alguma obra de arte e terminam em um esboço inacabado do qual se aproxima.

—        Quem é?

Sasuke a observa e se aproxima com duas taças em mãos.

—        Ninguém.

Ela pega a taça e o observa sem acreditar no que ele diz.

—        Claro.

—        Não é mentira, realmente nunca vi essa mulher.

—        E a esculpiu? - seu tom de voz ainda é descrente.

—        Sim.

Ele dá de ombros e Sakura volta seu olhar para a peça.

—        Talvez seja a mulher dos seus sonhos que seu subconsciente está tentando mostrar.

—        Não fale bobagens.

Ela ri.

—        Apenas esculpo sem ninguém em mente, a não ser que queira esculpir alguém específico como o Dobe e a Hinata. Ela é apenas uma pessoa aleatória.

Os olhos jade se voltam para a escultura quase pronta e a rosada se aproxima dela.

—        Você não pode dar isso.

Ele se surpreende preocupado.

—        Por que?

—        Como vou superar um presente desses?

Ele revira os olhos relaxando.

—        Seja criativa.

Ao observá-lo focado no vinho Sakura tem uma vaga lembrança do gosto do beijo do moreno e por um instante imagina como será beijá-lo após uma taça de vinho, perdendo qualquer vergonha ou hesitação, ela se aproxima dele parando a sua frente.

Sasuke se surpreende com a aproximação, mas não o demonstra ao invés disso afasta a taça dos lábios e sorri.

—        Sabia que não viria até aqui a essa hora apenas por uma boa ação.

Sakura acha esse sorriso sedutoramente irritante, mas isso apenas a faz sentir mais vontade de beijá-lo. Ela sorri em resposta.

—        Tenho que me desculpar, não é mesmo?

Quebrando o vazio entre seus lábios, o moreno a beija enlaçando seus dedos entre os fios rosados. Sakura leva as mãos para a nuca dele envolvendo seu pescoço ainda com a taça em mãos.

Sasuke leva a mão, na qual segura sua taça, para as costas de Sakura onde mesmo a aproxima de si. O beijo começa lento, delicado no qual ambos contemplam esse momento, saboreando o gosto um do outro, tal como se aprecia um vinho.

O doce sabor de Sakura se mistura ao do vinho e Sasuke, pela primeira vez em sua vida, adora o gosto adocicado que ronda seu paladar. Quando eles se afastam, depois de algum tempo após esse longo beijo se observam por um breve momento.

As íris jade brilham de uma maneira que Sasuke não achou que fosse possível, como duas belas pedras preciosas diferentes de qualquer outra e o sorriso da rosada apenas o faz querer despi-la aqui mesmo e beijar cada parte desse corpo.

Sakura também se sente estranha, afinal não é sempre que um homem consegue fazê-la delirar apenas com um beijo. E é assim que ela se sente nesse momento, pois o suave beijo a satisfez, mas ela quer repeti-lo mais. Além disso, a sensação que tem com esse maldito beijo a recorda daquele que a deixou dias sem falar com o moreno.

—        Não deveria ter me atiçado, senhorita Haruno.

Ele abre um grande sorriso afastando-a da lembrança. Ela também sorri, mas é um sorriso simples que o faz focar toda sua atenção nos belos lábios que o formam.

—        Engraçado.

Sakura leva a mão a calça dele acariciando seu membro surpreendendo-o.

—        E sequer precisei me esforçar senhor Uchiha.

O sorriso dele retorna ainda maior que o anterior e Sasuke volta a aproxima‑la para um beijo, porém, ao contrário do anterior, um pouco mais fogoso.

Dessa vez, eles se afastam por causa da falta de ar e Sasuke tira a mãos dela de seu pescoço pegando a taça vazia e levando-a para a copa. Sakura morde o lábio inferior observando-o se afastar. Ela ainda pode sentir o gosto dele e, pela primeira vez na vida, se percebe viciada nesse gosto.

Como consegui ficar três longos dias longe desses lábios?

Sua maliciosa mente lhe recorda que não é apenas o gosto de seu beijo que é bom, assim como não foi apenas seus lábios por onde os dele passaram beijando-a.

Um arrepio percorre seu corpo com a recordação e seu corpo aquece ao vê-lo se aproximar novamente.

—        Foi desculpas que veio pedir não foi?

—        Já está pensando em se aproveitar de mim?

Ele ri e a puxa para perto.

—        Ah Sakura, você ainda não viu nada.

Sasuke volta a beija-la, em nada comparado aos beijos anteriores, ele parece ansioso, e necessitado por esse gosto, por essa boca, por essa rosada.

Suas mãos tocam as coxas dela e a puxam para si separando-as e as colocando ao lado de sua cintura a qual Sakura envolve com as pernas. O moreno tem seu pescoço envolvido por um abraço enquanto os beijos se intensificam. Seus lábios logo se afastam dos dela deixando uma trilha de beijos pelo pescoço claro e suas mãos apertam sua macia bunda fazendo-a arfar.

Sakura aproxima seus lábios da orelha direita de Sasuke e morde o lobo fazendo-o arfar enquanto beija a suave pele dela.

—        Estou louca para conhecer seu quarto.

Ela sussurra causando arrepios no moreno e ele não demora a reagir ao comentário e aproxima seus lábios da orelha dela.

—        Tenho certeza que irá gostar.

Ele dá algumas leves mordidas na área.

—        Mmm.

Sasuke caminha até o próprio quarto voltando a beija-la sem parar e logo a deita na cama.

Não há cortinas pelo quarto, ele não se incomoda com a luz do dia por isso não as usa. Por esse motivo, a luz da lua ilumina todo o cômodo. Ainda beijando-a, as mãos firmes tocam a pele macia por debaixo da blusa arrancando alguns arrepios e sem demora tira a blusa dela seguida pelo sutiã.

Sakura aproveita cada segundo e cada beijo, as mãos dele acariciando-lhe os seios arrancam alguns gemidos e com tão pouco ela já se sente entregue e quer aproveitar disso cada vez mais.

Por Sasuke já estar sem camisa Sakura apenas se empenha em tirar-lhe a calça e quando termina tem apenas a cueca impedindo de ter contato com seu objeto de prazer. A peça principal porém, não é tirada pois o Uchiha acredita que ela deve receber sua total atenção nesse instante.

Ele não demora a despi-la sem nunca deixar de beija-la, por suas coxas, pernas e, até que esteja completamente nua, deposita pequenos beijos sobre seus pés surpreso porque o aroma dela está presente em toda a extensão de seu corpo.

Quando volta a se aproximar dela a beija com vivacidade acariciando o botão de prazer e sentindo a mão dela a acariciar-lhe. Sakura está ensopada, ansiando por ele, mas sua frase sobre as intenções do moreno quando lhe perguntou se ele se aproveitaria dela voltam a mente do Uchiha. Ao dizer isso ela indicou que cederia aos caprichos dele e, desejoso de algo, decide colocar essa teoria a prova.

Os beijos se encaminham para o pescoço de Sakura, abaixo da orelha direita, onde ele sussurra.

—        Quero que se toque para mim.

Ela se surpreende com o pedido, mas se endireita, sentando-se encostada na cabeceira da cama e Sasuke se afasta um pouco até perto dos pés do móvel observando todo esplendor do corpo a sua frente.

Sem qualquer vergonha, ignorando seu observador, ou talvez excitada por ter um espectador, Sakura toca os seios com ambas as mãos acariciando-os sem pressa, de olhos fechados. Devagar, sua mão direita desce percorrendo seu abdômen, ela desliza as unhas por sob a pele causando arrepios, até alcançar o umbigo, e nesse momento afasta seus joelhos um do outro deixando as pernas abertas expondo toda sua feminilidade.

Ela brinca na área fazendo movimentos circulares, por ser uma região sensível isso lhe arranca alguns gemidos. Com a boca entreaberta e uma respiração calma, Sakura continua a acariciar seu seio esquerdo e os movimentos circulares fazem todo seu corpo se aquecer em um arrepio cálido.

Quando sente toda a umidade apontando a necessidade por seus dedos ela os penetra sentindo-se aperta-los contra sua vontade, não que quisesse evitar isso. A sensação a faz abrir a boca, arquejando e ao sentir-se bem não demora com os movimentos.

Os dedos se separam, abrindo a intimidade já inundada e depois adentram-na em estocadas, ora lentas, ora rápidas. Ainda assim, a rosada não deixa de acariciar seu seio, apertando o bico entre o indicador e o polegar, puxando-o e sentindo inúmeras sensações.

Vários gemidos escapam de seus lábios, seu corpo reage a cada toque, cada carícia e isso fascina o Uchiha. Sasuke está admirado e excitado ao vê-la se tocar dessa maneira, é uma visão linda ele admite, mas não consegue mais se conter e se aproxima acariciando o seio livre.

Sakura para seus movimentos e o observa surpresa, mas ele não para pra lhe olhar nos olhos, ao invés disso aproxima seus lábios do pescoço dela beijando-o logo depois de inalar seu aroma. A mão livre do Uchiha alcança a mão dela e segurando-a recomeça os movimentos. É ela quem se toca, mas é ele quem comanda o toque.

Sasuke segura a mão dela e lhe encaminha até seu ombro deixando-a lá. Sakura não entende porque ele a impediu de continuar a se tocar, mas permanece com a mão no ombro do Uchiha.

Os dedos dele voltam a correr pelo corpo desnudo da rosada causando arrepios por onde passa. Ao chegar na área entre suas pernas, os dedos ágeis do Uchiha lhe arrancam gemidos mais intensos que os anteriores, e isso sem sequer penetra-la, apenas brincando com seu botão do prazer. Quando percebe que ela está no ápice do desejo, Sasuke a penetra com três de seus dedos.

—        Aaaahhhh.

As unhas se cravam na pele dele quando as ondas de choque originadas daquela sensível região, que pulsa quente e úmida, percorrem o corpo da rosada. Sasuke sente os músculos da área se contraírem entre seus dedos, mas ao invés de parar de avançar, inicia seus movimentos rápidos, acariciando o interior dela e fazendo-a se contorcer de prazer.

Sakura está extasiada, esse foi o melhor orgasmo que já teve, isso é uma dádiva que apenas o Uchiha tem, proporcionar a Haruno seus mais intensos e prazerosos orgasmos. Todas as suas células ainda sentem o choque que correu seu corpo ao presenciar a magia desses dedos. E ele não parou por aí, está tocando áreas que nem mesmo tinha conhecimento de que lhe davam prazer.

Sakura arqueia as costas, pois não consegue evitar fazê-lo, está excitada demais, com desejo demais, com um apetite voraz por ele, alucinada demais de prazer, tudo nela nesse momento é demais, e ela não quer que acabe.

Outro orgasmo a alcança e ela despeja tudo o que tem nos dedos dele deixando seu corpo desfalecido sobre a cama.

Mantendo seu olhar sobre ele, o vê levar os dedos a boca.

—        Como seu gosto pode ser tão bom?

Ela sorri e dá de ombros, ainda ofegante.

—        Sou toda boa.

O moreno sorri aproximando-se dela beijando-a e logo os braços dela envolvem seu pescoço aproximando-o mais, aprofundando o beijo. Os lábios dele começam a descer fazendo um rastro de calor por onde passa. Eles param em um dos seios e novamente, sem demora, a fazem gemer mais uma vez. Enquanto sua língua brinca com um dos mamilos, sua mão esquerda dá atenção ao outro seio e sua mão livre acaricia a pele dela.

—        Isso é tãããao boom... Mmm...

Ela morde o lábio inferior e Sasuke desce seus beijos voltando a deixar um caminho de fogo. As mãos do moreno o acompanham acariciando os lados da cintura e param na linda bunda que essa sedutora mulher possui.

—        Pensei que o pedido de desculpas era meu.

Ela diz para lembrá-lo, mas sinceramente não vê a hora de senti-lo abocanhá-la.

As orbes negras se erguem até ela e ele sorri.

—        A culpa é sua por ser tão gostosa senhorita Haruno.

Ela sorri ao ouvi-lo.

—        Então sirva-se senhor Uchiha.

Como se aceitasse de bom grado a permissão, Sasuke beija o clítoris e, com movimentos circulares que sua língua realiza e chupadas espetaculares, a faz gemer.

—        Mmm. Isso…

Ela enlaça seus dedos nos fios enegrecidos e aprecia as sensações as quais o Uchiha lhe proporciona.

—        Mais… me dê… AAAAhhh... mais...

Com os polegares Sasuke expõe toda a feminilidade da rosada e sente seu aroma. O cheiro parece enfeitiça-lo e ele não demora a abocanhar essa área tão rosada.

—        Aaaaahhh. M… mais.

A língua dele é magistral e a leva a loucura, com os dedos entrelaçados aos fios negros ela o aproxima cada vez mais de seu sexo na esperança de sentir ainda mais prazer.

—        Mais forte… mais... AAAAAHHHHhh...

Sakura arqueia as costas ao sentir-se derramar sobre a boca do Uchiha. E quando volta a tocar suas costas no colchão, está arfante.

—        Cada vez mais gostosa.

Ela o vê lamber os lábios e se aproximar dela.

—        Acho que tem que provar o quanto.

Ele a beija com desejo e ela retribui se recuperando.

O volume entre as pernas de Sasuke já não pode ser ignorado por ele e por isso ele libera seu amigo de batalha ao tirar o boxe.

Um arrepio percorre o corpo de Sakura ao sentir suas intimidades se roçarem e suas mãos não demoram a apalpa-lo. Os movimentos continuam assim como os beijos e os toques dos dedos dele na área íntima dela.

Com a mão livre Sakura afasta a cabeça dele interrompendo os beijos e fazendo-o olhar para ela.

—        Já estou prontinha para você senhor Uchiha.

Sasuke afasta os dedos totalmente ensopados e os aproxima para que ambos os vejam.

—        Acho que está certa, mas será?

Ela aproxima os lábios do ouvido dele para sussurrar.

—        Só tem um jeito de descobrir.

Um grande sorriso se apresenta no rosto do moreno e ele pega uma camisinha rasgando-a com os dentes e, depois de se equipar, se prepara para entrar.

—        Aaahhhh...

Ela o sente adentrar seu interior e logo os movimentos se iniciam. Primeiro lentos, mas isso não demora muito.

—        Aaahh…. Sasuke eu quero… aaahh...

O moreno aumenta a intensidade das estocadas a levando a loucura e no quarto apenas os gritos banhados de prazer, gemidos intensos e o som de seu sexo estão presentes.

—        Eu quero mais… Mais fundo… a-ahh… mete mais fundo.

Sakura se sente no ápice pronta para gozar e quando seu gozo chega o orgasmo o acompanha e as sensações que apenas sentiu com ele voltam. Ao notar que ela gozou e ouvir seu sexy grito ele para, mas ela quer sentir mais disso, não quer que isso acabe.

—        N… Não pare…

Ele sorri ao ouvir o pedido necessitado da rosada, mas o sorriso logo se desfaz por causa do tesão que o ronda nesse momento fazendo-o aumentar a intensidade de suas investidas.

Ela sente novos orgasmos e goza mais uma vez, não acreditando que sua excitação aumente a cada estocada. Sasuke a vira deixando-a de quatro para ele com total visão de sua linda bunda.

—        Ahh Sakura… Você… me deixa louco…

—        Mmm… A-ahh... A-aahh... A-ahh...

Sentindo que já não consegue segurar ele despeja tudo o que tem em uma última estocada.

Sakura consegue senti-lo pulsante e nunca se sentiu tão bem em toda a sua vida. Sasuke não pode acreditar que alguma mulher seja capaz de excita-lo tanto, de fazê-lo gozar dessa forma.

Ao sair de dentro dela o moreno se joga na cama tirando a camisinha e ela desfalece ao seu lado.

—        Você é sempre incrível assim?

—        Eu disse que sou muito bom no que faço.

—        Bom, talvez tivesse razão.

—        Talvez? - ele finge indignação e ela ri.

Que belo som, ele pensa.

—        Acho que agora já posso opinar.

Ele abre um grande sorriso.

—        Pois é. Também posso dizer que dormi com minha vizinha.

—        Errado senhor Uchiha, não somos mais vizinhos.

O Uchiha se silencia por um momento pego de surpresa, afinal, ela tem razão.

Ela suspira cansada.

—        Mas pode continuar a dizer que nunca recebeu uma crítica.

Ele sorri novamente.

Sakura está exausta e um cochilo cairia bem, mas ela precisa ir.

Depois de algum tempo para criar coragem ela volta a abrir os olhos e se senta colocando as pernas para fora da cama, mas é impedida de sair pois Sasuke segura seu pulso.

—        Onde vai?

Ela o observa.

—        Para casa.

—        Por que?

—        Não fico até amanhecer.

—        Eu também não, mas abri uma exceção. Além disso, acho que descansei um pouco.

Ele sorri malicioso e Sakura gostaria de não ceder a esse desejo que a invade ao vê-lo, mas não consegue e voltando a se aproximar, esquecendo-se de qualquer cansaço, tem mais uma longa rodada de sexo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...