1. Spirit Fanfics >
  2. O Encanto da Cerejeira >
  3. Capítulo 45 - SASUKE - Surpresa

História O Encanto da Cerejeira - Capítulo 49


Escrita por:


Capítulo 49 - Capítulo 45 - SASUKE - Surpresa


A sexta chega e Sakura está extremamente ansiosa. Além das garotas ainda está trocando mensagens com Naruto, pois ele é de fundamental importância nessa surpresa. Em um pulo ela se levanta da cama e toma um banho rápido seguindo para a construtora.

Sasuke não estará lá e ela agradece por isso, depois da última noite não conseguiria se concentrar em nada se o Uchiha estivesse ao seu lado. Por isso, há alivio já que essa semana ele está unicamente no vilarejo. Por ainda ter algumas coisas a resolver, referente ao vilarejo mesmo, não irá até o rio Naka hoje.

O dia segue corrido e ela sequer vai almoçar com as amigas, considerando que Hinata não esteve na confeitaria, pois levou o bolo ao orfanato, as meninas decidiram não se reunir hoje.

Quando o relógio aponta cinco e trinta ela se ergue pegando suas coisas e deixando a sala. Ao sair vê Karin e se aproxima dela.

—        Já estou terminando as coisas, umas seis e dez chego na sua casa.

—        Nos vemos lá.

—        Tchau.

Sakura se afasta e não demora a alcançar o carro e deixar o prédio. Quando sua casa aparece à sua frente vê o carro de Hanabi, ela abre o portão da garagem, estaciona e deixa o veículo, mas não o fecha, ao invés disso se aproxima da Hyuuga.

—        Guarda seu carro lá dentro, cabe pelo menos mais dois.

—        Tá.

Hanabi estaciona o carro, Sakura fecha o portão e elas entram pela porta da garagem.

—        O que tem em mente?

Elas levam as coisas que Hanabi trouxe, para a cozinha da rosada.

—        Fiz um bolo simples de apenas duas camadas, tenho algumas ideias para decorá-lo, mas o topo do bolo é que será minha obra prima.

Sakura não entende, mas não tem tempo para perguntar pois a campainha é tocada.

—        Fique a vontade, já venho explicar onde estão as coisas.

—        Tá.

Sakura segue para a porta e destranca-a.

—        Nos ajude a trazer as coisas.

Ino entra sem pedir licença e a rosada deixa a casa se aproximando do carro de Tenten.

—        Trouxe várias coisas e temos apenas três horas para arrumar tudo.

—        Vamos conseguir.

Sakura as ajuda e não demora a Karin, Rika e Temari chegarem.

Uma festa requer mais pessoas, mas considerando que o chá de panelas, já aconteceu e que estava repleto de amigos da família ao quais Hinata não tem qualquer intimidade, Sakura preferiu deixar apenas pessoas com as quais a morena não teria vergonha de dançar poledance, por exemplo.

Está tudo uma loucura, risadas para cá gritos para lá, a sala de Sakura sequer consegue ser reconhecida tanto pelas inúmeras sacolas quanto pelos móveis faltando. Elas afastaram o sofá para dar mais espaço e colocaram uma mesa alugada no lugar da mesa de centro que já foi tirada do cômodo. Há alguns poufs em cor roxa e preta. A decoração de Tenten parece progredir aos poucos e, mesmo em toda a bagunça, já pode se ter uma noção de como as coisas estão.

O relógio mostra oito e quarenta e dois e Sakura as observa preocupada. Está quase tudo arrumado, mas ainda faltam algumas coisas.

—        Ei Saky, você precisa buscar a Hina. - Rika diz.

—        Mas ainda não terminamos.

—        Até você chegar isso aqui já vai estar um brinco. - Karin diz. - Agora vai logo.

—        Mas, vocês conseguem terminar?

—        Que pouca fé. - Ino resmunga.

Temari sorri para Sakura.

—        Vai lá, a gente se vira.

A rosada afirma em um aceno e deixa a sala indo para sua garagem, se afastando sem demora da casa.

 

Quando a casa de Hinata surge em seu campo de visão seus olhos procuram pelo relógio vendo-o marcar nove e oito. Assim que estaciona, a rosada deixa o carro caminhando até a porta da morena e toca a campainha. Demora um pouco para que seja atendida e por isso repete o gesto mais duas vezes.

Por um momento Sakura se preocupa, Hinata deveria estar em casa afinal não disse nada para as amigas ou para o noivo sobre sair a algum lugar. Por causa da preocupação em ter sua surpresa arruinada, a Haruno pega celular e envia uma mensagem a morena.

*Hina, está em casa?*

A mensagem é enviada e recebida, mas não é visualizada, porém pouco tempo depois que envia a porta é aberta a sua frente.

—        Sakura?

Hinata a observa surpresa principalmente pelo fato de que a amiga raramente a visita sem avisar antes. Sakura percebe o cabelo da morena molhado e nota que acabou de sair do banho, por isso sente grande alivio, nem tudo está perdido.

—        Ocupada?

—        Ahn, não, não, entre.

Sakura entra e se encaminha para o sofá.

—        O que a trás aqui? Q-quero dizer, não que eu não goste da sua visita apenas...

Sakura ri.

—        Não se preocupe Hina, eu entendi.

—        Então?

A rosada suspira demonstrando cansaço e a morena se senta no sofá acompanhando-a.

—        Preciso de ajuda. - Sakura diz.

—        Ajuda? - Hinata a observa - Com o que?

—        Tenho um encontro e preciso de uma opinião sincera.

A morena a observa com carinho e um sorriso singelo.

—        No que eu puder ajudar irei ajudar.

—        Ótimo porque é exatamente disso que preciso, mas não aqui.

Sakura se ergue ganhando a atenção da morena.

—        Espera como assim?

—        Vim direto do trabalho, por isso quero que me acompanhe até minha casa, assim pode me ajudar a escolher o lugar do encontro e a roupa perfeita.

—        Mas sempre fez isso sozinha.

Hinata a observa sem entender o comportamento da amiga.

—        Já está desistindo?

—        É claro que não, apenas estranhei o comportamento.

Sakura respira profundamente e foca seu olhar na amiga.

—        Não é um encontro normal. - ela diz devagar - Como você está em um relacionamento sério, tão sério que vai casar, preciso de uma opinião mais madura. Ino provavelmente me mandaria com um vestido curto e decotado.

Hinata ri.

—        Tem razão. Tudo bem, - a morena se ergue - vou pegar minha bolsa.

Sakura abre um sorriso para a amiga e segue para o carro pegando o celular para digitar uma mensagem, primeiro a envia a Naruto e em seguida a encaminha para o grupo.

*Já a estou levando para a minha casa.*

Não demora para Hinata deixar a casa e se sentar ao lado da rosada e o carro segue para a casa da Haruno.

—        E então, que tipo de encontro você quer? Para precisar de ajuda deve ser alguma coisa especial. Onde Sasuke vai te levar?

Sakura hesita.

—        Ele ainda não vai me levar a lugar nenhum.

Os olhos perolados a observam confusos e Sakura logo a responde depois de um suspiro.

—        Quero mostrar a ele que busco por algo mais sério, mas não sei como. Tudo bem que foi o Naruto quem te pediu em namoro, mas você deve ter dado alguma dica ou qualquer coisa assim.

—        E por que não diz isso a ele?

—        Eu diria, mas... - A rosada hesita novamente.

Ainda que seja uma desculpa para levá-la para sua casa, a conversa é bem real. Sakura realmente quer mostrar para o moreno que quer algo sério, por que já está ciente de que está se apaixonando.

—        Mas. - ela diz estimulando-a.

—        Esquece, vai parecer bobo.

—        Somos amigas, bobagens é o que compartilhamos.

Sakura ainda se mantém em silêncio durante algum tempo.

—        Quero que Sasuke sinta vontade de ficar comigo por que ele quer, não porque eu disse. Mesmo que, ainda que eu dissesse, ele provavelmente não iria querer nada sério.

Ela diz a última frase emburrada e Hinata se surpreende com o que ouve, principalmente pela ênfase no “ele”. A morena sabe que Sakura sempre foi direta e não hesita ao dizer o que quer, mas ao olhar para a rosada percebe que ela pode ser tão boba e tímida em relação a isso quanto a própria Hyuuga é. Perceber isso a faz soltar uma risada.

—        Hinata!

—        Desculpe. - ela se controla - Tudo bem, vamos pensar.

Elas permanecem em silêncio enquanto o carro avança.

—        Pode levá-lo para lugares que casais geralmente vão, isso deve ajudar o subconsciente dele de alguma forma.

—        É sério? Sabe de quem estamos falando? Quando que Uchiha Sasuke aceitaria fazer qualquer outra coisa além de sexo?

—        Vocês já almoçaram.

—        E não passou disso.

—        E um jantar?

—        Não, apenas procuramos um ao outro para nos satisfazer.

Hinata morde o lábio inferior pensativa e a casa da rosada surge em seu campo de visão. Sakura estaciona o carro em frente a sua garagem, não o guardará, afinal tem três carros lá dentro já que cedeu seu lugar ao carro de Karin e assim o seu deverá ficar do lado de fora.

—        Vai deixá-lo aqui mesmo?

—        Ah, sim.

—        E não tem perigo?

—        É um bairro seguro.

Sakura abre o carro e desce, Hinata a acompanha e elas seguem para a porta principal.

—        Como foi a entrega do bolo hoje?

—        Boa, - Hinata sorri - eles são uns amores como sempre.

Sakura abre a porta adentrando a casa que tem tudo escuro sendo seguida da morena.

—        Não tem luz?

—        Estou com um problema elétrico, mas já resolvo.

Elas se dirigem para a sala e por um momento Hinata acha que a luminosidade vem da lua, mas logo se dá conta de que a luz é amarelada e não branca. Quando chegam à sala e Sakura liga a luz Hinata se surpreende levando as mãos aos lábios.

A sala está decorada puramente em roxo e preto, há um cabideiro repleto de boas de plumas e penas nesses dois tons, tendo apenas uma branca em destaque.

A mesa está repleta de arranjos de lisiantos mesclados entre roxo e branco, e rosas roxas, onde as flores têm penas negras envolvendo-as. Há ainda vários docinhos com formato de corset e um bolo de apenas duas camadas em branco, roxo e preto com uma bonequinha de pele clara, com cabelos negros idênticos aos de Hinata. Ela está sentada de pernas cruzadas, com uma lingerie branca, cinta-liga e salto na mesma cor.

Há velas espalhadas por todo lugar, cortinas em tecido roxo e lâmpadas brancas deixadas em locais estratégicos para iluminar o cômodo deixando-o com um tom púrpura que, unidos as várias meias finas e longos colares de pérolas espalhados pela sala, dão um toque sensual a sala da Haruno. Isso é intensificado pelo aroma que ronda o lugar, a morena consegue identificar o cheiro de jasmim. O aroma lhe é familiar, pois Ino a fez conhecê-lo, dizendo que era afrodisíaco.

—        Vamos fazer uma orgia aqui?

Hinata pergunta rindo.

—        Eu disse que essa garota não era tão comportada quanto parecia. - Ino aponta para a morena que ri ainda mais.

Os olhos perolados estão marejados.

—        Ah, por favor Hina, - Hanabi a abraça - deixe para chorar no seu casamento.

—        Está brincando? Esse é o momento perfeito para ela chorar, porque quando as brincadeiras começarem - Ino abre um belo sorriso malicioso - haverá muitas lágrimas.

Karin se aproxima de Sakura.

—        Tem certeza de que foi uma boa ideia deixá-las com as brincadeiras?

—        Agora é tarde demais.

—        Sakura sua mentirosa.

Hinata a observa e a rosada sorri.

—        Não foi mentira, não tudo. Precisava de uma desculpa e aproveitei para conseguir um conselho.

—        Conselho sobre o que? - Tenten a cutuca.

—        Isso não importa, - Ino se pronuncia - vamos começar essa festa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...