1. Spirit Fanfics >
  2. O Encanto da Cerejeira >
  3. Capítulo 46 - SASUKE - O chá de lingerie

História O Encanto da Cerejeira - Capítulo 50


Escrita por:


Capítulo 50 - Capítulo 46 - SASUKE - O chá de lingerie


—        Ótimo Hina, agora temos algumas perguntas para você.

Sakura pega um envelope guardado em uma gaveta de um móbile e se aproxima de Hinata.

—        Essas perguntas foram feitas para o Naruto e, considerando o noivo que tem não se surpreenda se for alguma idiotice.

Hinata ri.

—        Eu deveria estar assustada?

—        Talvez.

—        Primeira pergunta: quando Naruto te deu o primeiro beijo?

—        Essa é fácil, foi no parque Ōtsutsuki no nosso piquenique noturno, era o nosso terceiro encontro eu acho.

—        Minha nossa Hinata, você errou. - Tenten diz.

—        O quê? - ela se surpreende - Impossível eu nunca esqueceria algo assim.

—        Mas parece que esqueceu morena, -, Temari sorri - agora tem que pagar um castigo.

—        Só depois de ouvir a resposta.

—        O primeiro beijo foi quando vocês foram ao hóquei.

—        Não se leva uma garota ao hóquei. - Ino diz.

—        Eu gosto de hóquei. - Rika se pronuncia.

—        Você é estranha.

—        Ele sugeriu isso em uma conversa, - Sakura continua - disse que tinha ingressos ou algo assim e ela aceitou ir.

—        Sim, eu me lembro disso, mas não foi quando demos nosso primeiro beijo.

Temari ri.

—        Hina, quem foi que disse que vocês deram o primeiro beijo?

—        O que?

—        Veja bem Hina, - Sakura diz - a pergunta foi quando Naruto te deu o primeiro beijo? Ele depositou um beijo na sua testa antes de deixa-la em casa.

Ela observa Sakura sem saber o que dizer.

—        Pior hora para ele ter boa memória.

As meninas riem.

—        Seu castigo Hina. - Temari sorri.

Hinata suspira.

—        Qual é o castigo?

—        O primeiro é meu.

Sakura gira um dos botões fazendo com que as músicas de fundo que tocavam a pouco, ganhem um pouco mais de volume e coloca a música que deseja. Ao ouvir o toque Hinata a observa surpresa.

—        É brincadeira, não é?

I'm telling you loosen up my buttons, babe, uh-huh!

Estou dizendo para você abrir meus botões, amor, uh-huh!

But you keep fronting, uh

Mas você continua me enfrentando, uh

Saying what you gon' to do to me, uh-huh!

Dizendo o que você vai fazer comigo, uh-huh!

But I ain't seen nothing

Mas ainda não vi nada

—        É assim que se vinga de alguém, gostei de ver Testuda.

—        É um strip pro Naruto então capricha. - Temari diz.

Hinata começa um pouco envergonhada com a situação, mas logo se solta e dança ao som de buttons enquanto as meninas a animam.

—        Linda.

—        Uhuu.

—        Gostosa.

Quando a morena fica apenas de roupas íntimas Sakura abaixa o som.

—        Tá bom Hina, já pode parar.

—        Eu queria ser uma formiguinha para ver o Naruto se contorcendo ao ver esse vídeo. - Ino diz.

—        Vídeo? - Hinata pergunta confusa.

—        É claro, você precisa de uma boa recordação. - a loira diz.

 

Duas horas antes

—        Ótimo meninas. - Ino diz satisfeita consigo mesma. - Agora temos câmeras por toda a sala.

As meninas param de fazer o que estão fazendo e observam a loira, elas repararam que a Yamanaka estava inquieta indo de um lado ao outro, mas não imaginavam que se tratava disso.

—        Você instalou câmeras? - Rika pergunta surpresa.

—        É claro, isso tem que ser registrado. Ainda que seja apenas para nós.

—        Então vai fazer um CD disso. - Sakura cruza os braços em frente ao peito.

—        Essa é a ideia.

—        E como pretende editar os vídeos se não sabe mexer nem no seu próprio celular? - Temari pergunta.

—        Depois eu levo pro Shisui editar.

—        Isso vai estar nas mãos de um homem? - Tenten diz - Está brincando comigo?

—        Ele é um homem decente e não é como se fossemos transar para ele postar na internet, mas não se preocupe eu sou precavida.

—        O que quer dizer?

—        Que ela vai estar com ele todo o tempo. - Sakura diz.

—        Isso me tranquiliza muito. - Karin se irrita e olha para Ino - Você sabe tanto sobre informática quanto eu sei sobre mecatrônica.

—        Não enche quatro olhos.

—        Essa loira azeda tá me tirando do sério.

—        Meninas não tem porque brigar, sou boa com edição de vídeo, mexo com isso, publicidade e propaganda lembram? Edito os vídeos.

—        Obrigada Rika. - Sakura diz.

Karin volta a sua tarefa irritada com Ino e Sakura suspira.

 

Atualmente

—        Então tudo aqui está sendo gravado?

—        Sim, mas não se preocupe, - Rika diz - tudo será entregue nas suas mãos, ninguém além de nós vai ter seus micos.

—        Não apenas os dela, - Temari diz - ainda tem muita coisa para acontecer.

—        Posso me vestir de novo?

—        Não Hina, - Karin diz - ainda temos alguns castigos que serão melhor aproveitados se estiver desse jeitinho.

Hinata volta a se sentar no pouf do centro. A rosada entrega o papel com o envelope para Ino que o pega animada.

—        Próxima pergunta: - a loira diz - Qual o hábito dele, lembrando que essa é a opinião do Naruto, que você considera mais irritante?

Ela pensa por um instante em duvida sobre o que responder.

—        Quando vamos ao Ichiraku e ele insiste em falar que é apenas para satisfazê-lo e que podemos fazer outra coisa, mas o que me incomoda é que realmente gosto de lá.

—        Ah, caralho Hinata, esse era o meu castigo.

A morena sorri animada.

—        Sinto muito, sem castigos hoje.

—        Ok, próxima.

Temari estende a mão pedindo o papel e Ino o entrega.

—        Qual era a roupa que você estava usando no dia em que o conheceu?

—        Por favor, isso é sério? - Hinata pergunta indignada. - Ele nem deve lembrar.

—        Errado Hinatinha, - a loira sorri - ele lembra de tudo.

Ela toca a têmpora pensativa.

—        Era um vestido longo e lilás, ele era liso sem nenhum desenho e tinha um detalhe que lembrava um cinto na altura do quadril, ele tinha os mesmos padrões das alças.

—        Ah, - ela diz desanimada - acertou.

—        Minha vez.

Karin pega o papel com Temari.

—        Vamos lá Hina, quem é a pessoa de quem ele mais tem ciúmes?

Hinata pensa um pouco sobre isso. Naruto é a pessoa mais tranquila que a morena conhece, mas ela sabe que sempre há ciúmes, nem que seja apenas com uma pessoa em especial mas revendo seu relacionamento, imagina qual seja a resposta.

—        Acho que é um empate, ele tem tanto ciúmes do Kiba quanto da mãe dele. Nos tornarmos muito amigas e ele reclama que passo mais tempo com ela do que com ele, e com Kiba ele pensou que tínhamos algo quando me conheceu e meio que tem uma birra com ele.

Karin a observa extremamente chocada.

—        Mas… O que? Como caralhos você acertou isso?

—        Acredite estou me esforçando muito.

As garotas riem e Hanabi pega o papel.

—        Quem disse eu te amo primeiro?

—        Ele.

Hanabi sorri.

—        Errado.

Hinata pensa um pouco.

—        Não tem como isso estar errado.

—        Você disse que o amava enquanto dormia, ele nunca contou antes porque queria ser o primeiro a dizer.

—        Isso não é justo, como eu poderia saber disso?

—        Não sou eu quem faço as regras nee-san, apenas as cumpro e é simples, errou paga castigo.

Hinata suspira.

—        O que é?

—        Você vai meio que passar um trote.

—        Sou péssima nisso.

—        Então se esforce.

Hanabi estende o celular a irmã que o pega receosa.

—        Pra quem eu tenho que ligar?

—        Para o último número.

Hinata olha o último número e vê que não está salvo como contato.

—        E quem é?

—        Ligue e verá.

—        O que tenho que dizer?

—        Vai ter que fazer uma declaração de amor.

—        O que? Eu não posso fazer isso.

—        Confie em mim nee-san, agora ligue.

—        Ah, e tem que ser bem sensual.

—        Hanabi!

—        Vamos Hina, - Rika diz - sem medo.

Hinata suspira e liga.

—        Coloca no viva voz.

A morena faz como Ino diz e espera, chama quatro vezes antes de atenderem.

*Alô.*

Hinata reconhece a voz de imediato e trava.

—        Vamos Hinata. - Hanabi sussurra.

*Alô.*

A voz é repetida.

—        E-eu...

—        Toma, - Temari entrega outro papel que estava dentro do envelope - eu tenho uma cola.

Hinata dá uma lida rápida nas primeiras palavras e suas bochechas já começam a ruborizar.

*Tem alguém aí?*

—        S-seus cabelos vermelhos, a-ardentes como... a paixão, intensos... como o fogo, me fazem perder a razão sempre que a vejo. - ela começa aos tropeços. - O brilho em seu olhar desperta em mim desejos que sequer sabia existir, minha existência já não encontra sentido se não for ao seu lado. Quando o calor e o prazer se manifestam eu… - ela hesita sem conseguir prosseguir.

*Acabou?*

—        Gostaria que tivesse.

Hinata sussurra e algumas risadas são dadas, incluindo a mulher no outro lado da linha.

—        Quando o calor e o prazer se manifestam, eu só desejo estar ao seu lado e amar cada… Cada… Sinto muito eu não consigo.

—        O que? Mas já? - Ino diz.

—        Ela foi mais longe do que achei que fosse. - Rika diz.

—        Tudo bem, a gente te perdoa. - Karin sorri.

—        Mas falta o pedido de casamento. - Tenten se pronuncia.

—        É sério?

—        Lê só o fim. - Sakura diz e a morena volta a olhar o papel.

—        Eu te amo mais que a mim mesma e por isso quero estar sempre ao seu lado. Quero, do mais íntimo do meu ser, que esse também seja seu desejo, Kushina, quer se casar comigo?

*É claro que aceito me casar com você Hina.*

—        Obrigada senhora Uzumaki e me desculpe por isso.

*Mas você não aprende mesmo, é Ku-shi-na. E não se preocupe comigo Hina, eu já sabia que você ia ligar.*

—        Ei, isso não é um trote se a outra pessoa já sabe. - Ino diz.

*A Hina não sabia Ino, então vale.*

—        Por isso eu disse que era meio que um trote.

—        Agora já pode dizer que recebeu uma boa declaração tia Kushi.

Kushina ri.

*Vou acabar roubando essa carta para fazer meu marido lê-la para mim.*

—        Opa, quando quiser. - Temari diz.

*Boa festa meninas.*

Hinata desliga e devolve o celular a irmã.

—        Por que não a chamou? - Ela pergunta a Sakura.

—        Eu chamei, mas ela achou melhor não vir porque se estivesse aqui, temia que você ficasse muito envergonhada.

—        Sua sogra é de ouro Hina. - Rika diz.

—        Eu sei.

Rika é a próxima.

—        Vamos lá Hina, essa é fácil, qual é a comida preferida dele?

—        Lamén.

—        Errado de novo.

—        Não é possível, como isso pode estar errado?

Mais risadas são dadas.

—        Você é a comida preferida dele Hina.

A morena de olhos perolados se surpreende e cora quase que imediatamente. Ela tampa o rosto escondendo-o e murmura, ainda com a palma sobre a pele.

—        Qual é o castigo?

Rika pega uma banana de dentro de uma sacola e a estende para Hinata que, ainda corada, pega a fruta.

—        Sensualize.

—        Isso não se faz.

Hinata descasca a banana.

—        Espera, espera. - Temari se pronuncia e rapidamente pega seu celular ligando a câmera.

—        É sério?

—        Tem que ter boa qualidade, as que estão espalhadas pela sala não vão gravar isso tão bem.

Hinata suspira.

—        Nunca deixe meus sobrinhos pegarem isso. - Hanabi diz.

—        Agora sim, sensualize Hinata.

Depois de um suspiro a morena coloca os cabelos do lado direito atrás da orelha e abre a boca para comer a fruta, ela o faz devagar e lambe a banana na ponta. Seus lábios voltam a rodear a fruta enquanto sua língua dança pela superfície dela, em seguida volta a beijar a ponta e colocando uma parte dela na boca, arranca um pedaço.

—        Uhuu, está aproveitando Naruto?

—        Ele não quer ouvir sua voz Porca.

As garotas riem enquanto Hinata continua sem se importar com a plateia. Ela volta a lamber a banana, com a língua a mostra e de olhos fechados.

Ao reparar que a morena está concentrada no que faz Rika se pronuncia.

—        Acho que ela esqueceu que estamos aqui.

—        Eita que ela se empolgou. - Tenten fala animada.

—        Isso está ficando demais, - Karin diz - o Naruto vai infartar ao ver uma coisa dessas.

—        Aproveita para fazer nele enquanto assistem.

Hinata a ouve e volta a corar parando o que faz logo em seguida.

—        Ela ficou com vergonha Porca, parabéns agora o Naruto não aproveitou tudo.

Mais risadas são dadas e Hinata termina de mastigar a banana comendo o resto da fruta.

—        Vamos logo para a próxima.

O papel é entregue a Tenten que é a última a fazer perguntas, enquanto isso, Temari salva o vídeo e guarda o celular.

—        Tá, a última, - Tenten diz - presta bastante atenção Hina, quando foi a última vez que transaram?

—        Que tipo de pergunta é essa?

—        Vamos, Hina, todas já sabemos. - Temari diz.

—        Ele contou isso?

—        Acredite, não foi fácil convencê-lo. - Karin suspira seguida por Hinata.

—        Com tanta coisa por causa do casamento, acho que já faz mais de um mês.

—        Coitado no Naruto. - Ino diz debochada.

—        Seja mais específica Hina, ou terá que pagar o castigo. - Rika diz.

—        Foi na noite do nosso noivado.

—        Calminha morena, - Temari sorri para ela - você terá toda a lua de mel para colocar isso em dia.

—        Tá, então, se ela acertou, sem castigo. - Tenten diz - Triste isso, muito triste.

—        Então acho que terminou.

Temari se levanta batendo as mãos uma vez.

—        Vamos pra próxima brincadeira. Ela é bem simples na verdade e quem acertar entrega um presente, mas quem errar tem que explicar como se usa o presente que tirar.

—        Por que acho que isso não vai prestar? - Sakura pergunta.

—        Porque não vai. - Karin responde.

Ino se ergue e se afasta.

—        Explique como funciona esse jogo.

—        Cada uma vai dizer duas coisas que já passou com a Hina, uma delas verdade e a outra mentira. A Ino vai trazer duas plaquinhas para cada uma, e as outras vão tentar dizer qual delas é a verdadeira. É agora que os presentes serão entregues, o castigo pra quem errar é entregar um dos presentes que eu e Ino compramos e explicar como usá-lo.

As meninas se surpreendem e Ino volta com uma grande caixa em mãos, colocando-a aos pés de Hinata.

—        Os presentes estão sortidos, a atendente da loja os embalou, nem eu nem Temari sabemos o que tem em cada embalagem. Quem acertar pode entregar o próprio presente ou um dos presentes comportados que Sakura e Karin compraram. Onde eles estão? - a loira observa a rosada.

Sakura se ergue e vai até o quarto onde outra grande caixa guarda alguns presentes e os deixa ao lado da caixa que Ino acabou de colocar aos pés de Hinata.

—        Ótimo, quem acertar pega um desses - Ino aponta para a caixa de Sakura - ou entrega um presente próprio. Quem errar tem que pegar um desses - ela aponta para a caixa que trouxe - e como a Temari disse, explicar como usá-lo.

—        Eu sabia que não viria boa coisa dessas duas.

—        Algum problema com isso quatro olhos?

—        Não, não, nenhum na verdade. Afinal, assim o jogo fica até melhor.

Ino entrega as plaquinhas e Temari estende um pequeno porta canetas que tem alguns palitos dentro. Cada uma tira um.

—        Essa é a ordem, sentem de acorde e não contem nada muito longo.

As meninas se ajeitam e Rika é a primeira a falar.

—        Eu começo. Ok, primeira história:

“Hina e eu estávamos indo para a aula, como sempre, mas fomos paradas por um cara. Ele era muito gato e já chegou paquerando a Hina, lógico que sai de perto porque percebi que estava sobrando. Depois disso, quando nos encontramos de novo, perguntei como foi, ela disse que a única coisa que ele queria é que ela fizesse o trabalho dele. Foi uma bela de uma decepção na verdade.”

Rika suspira se recordando da cena.

—        Certo, são duas histórias não é?

—        Lembre-se que uma delas é mentira. - Karin diz.

—        Sim, eu sei. - ela pensa um pouco a respeito - Ah, a segunda história é essa:

“Estávamos viradas por causa da cafeína e energéticos que tomamos para conseguir estudar para a prova, mas na manhã da prova comemos um bolo que estava muito, muito bom. Durante a prova eu vi a professora sendo abduzida, mas não disse nada porque estava com medo de ser levada também já a Hina viu um grande cachorro vermelho que falava as respostas da prova pra ela. Descobrimos depois que tinha maconha no bolo, é claro que levei bomba na matéria, mas a Hina passou fácil, brisa maldita a que eu tive, mas enfim, a culpa não foi nossa.”

—        Então meninas, - Rika observa as amigas - qual acham que é verdade?

Ino, Karin e Tenten erguem a placa com o número um.

Sakura, Temari e Hanabi erguem a placa de número dois.

—        Então? - Temari pergunta.

—        Hina?

Rika foca em Hinata assim como as outras.

—        O bolo batizado era de chocolate.

—        Tá brincando, a história do bolo era verdade? - Tenten pergunta.

—        Era.

—        Puta que pariu garota você blefa muito bem. - Karin diz.

—        Uma história insana dessas só podia ser verdade. - Sakura comenta.

—        O problema é que essa maldita é muito boa com histórias.

Ino murmura com um suspiro.

—        Tudo bem, chega de lamentações. - Temari diz - Hora dos presentes. Primeiro os decentes, eu começo.

A loira pega um grande saco de presente que guardava perto de si e o entrega a Hinata que logo abre. Todas se surpreendem ao ver o conteúdo.

É uma cesta com algumas coisas dentro, as quais Hinata lê para deixar as outras a par.

—        Balas efervescentes, refrescante bucal - ela foca na embalagem - para os mais prazerosos orais, também tem dadinhos e alguns óleos para massagem.

—        Não era pra ser o presente descente agora? - Sakura pergunta.

—        Isso é o mais descente que consigo.

Algumas risadas são dadas e a loira dá de ombros. Hinata se ergue e a abraça.

—        Obrigada Temari.

—        Sou eu agora.

Sakura entrega um saco de presente branco com detalhes em lilás ao qual Hinata abre sem demora, a morena sorri ao ver o presente. Se trata de um lindo baby doll lilás, cor preferida de Hinata, ao qual a morena simplesmente adorou.

Ela se aproxima de Sakura abraçando-a.

—        É lindo Saku, eu amei.

A rosada sorri e Hanabi se ergue pegando seu presente é um objeto retangular coberto com um papel roxo.

—        Não é bem um presente decente, mas enfim. - ela dá de ombros e entrega o pacote.

Hinata logo abre e se surpreende quando vê o que o papel cobre.

—        Hanabi por que...

—        Eu sei que você não é tão comportada assim.

—        O que é? - Rika pergunta animada e Hinata mostra o presente.

As meninas riem ao ver a capa de um Kama Sutra.

—        Eu gostei dessa garota. - Ino diz.

—        Devíamos tê-la levado junto. - Temari completa.

—        Agora os menos comportados, lembrando que vocês terão que explicar como se tira proveito do presente. - Sakura diz com um sorriso ao observar Ino - É isso não é?

—        É, é. Tira um presente da caixa Hina.

Ino se ergue ao dizer e espera Hinata escolher um.

—        Pode abrir.

Ao abrir Hinata encontra uma algema com estampa de onça e uma cauda.

—        Essa é boa. - Temari diz.

—        Preciso de uma cadeira aqui.

—        É pra já.

Temari vai buscar a cadeira e Ino se ergue, pegando a cauda e colocando-a no quadril. Temari chega com a cadeira e Ino puxa a morena levemente, para que se erga do pouf e se sente na cadeira. Em seguida pega a algema e segura um dos pulsos da Hyuuga.

—        Agora vou te mostrar como usar isso.

A loira coloca uma das algemas no pulso de Hinata prendendo-a com uma das mãos nas costas, fixando o aro livre no encosto da cadeira. E logo se ergue pegando as orelhas de gato colocando-as.

—        Veja bem Hina. - Ino se afasta um pouco - Tudo se trata de contexto. A história tem que ter um contexto, como por exemplo, - a Yamanaka fica de quatro no chão observando a Hyuuga atentamente - um tigre feroz que está caçando.

Ino se aproxima aos poucos engatinhando sem tirar os olhos da morena.

—        Ele analisa sua presa, vulnerável, deliciosa completamente entregue a sua frente.

A loira para em frente a Hinata e se ajoelha ali, em seguida, com as unhas, devagar, arranha a pele da morena começando pelos pés.

—        Tudo o que ele mais quer é se saciar no jantar de hoje.

Hinata engole em seco enquanto as mãos da Yamanaka sobem por suas pernas e apalpam suas coxas. Sem demorar um segundo mais, a morena fecha as pernas com força, para evitar que Ino as segure.

—        Tudo bem, acho que já está bom de castigo.

—        O que? Rápido assim? - Temari pergunta indignada.

—        Eu sou a noiva e decido a hora de acabar com o castigo.

Ino volta a se levantar com um sorriso e Temari suspira.

—        Agora me solte, preciso abrir os outros presentes.

—        Deveria ficar assim.

Ino diz, mas se aproxima para soltá-la. Hinata terminou o castigo de maneira rápida pois, conhecendo a Yamanaka como conhece, sabe que ela não hesitaria em continuar.

—        Prontinho morena.

Ino se afasta levando a cadeira consigo e Hinata volta a sentar-se no pouf, a loira logo volta ao seu lugar também.

—        Karin, sua vez.

A ruiva suspira ao ouvir Ino e se ergue, enquanto Hinata escolhe o próximo presente. Hinata ri ao ver do que se trata e mostra a Uzumaki.

—        Eu meio que estou em dúvida sobre como deve ser essa demonstração. - a Hyuuga diz.

Temari se prontifica pegando um pepino e estendendo-o para a ruiva.

—        Vamos ter uma aula de sexologia agora meninas, - Ino diz - mostre-nos como se põe uma camisinha Uzumaki-sensei.

Karin suspira e, pegando a caixa de camisinhas, começa sua aula super didática.

—        Tudo bem, vamos lá turma. Primeiro vamos deixar claro para que esses preservativos servem. Durante a ejaculação, o homem despeja todo seu sêmen no útero feminino e isso é o que resultará na fertilização e geração de um bebê.

—        Detalhado, muito detalhado. - Ino diz.

—        Está ensinando como colocar camisinha ou como fazer sexo? - Temari diz.

Algumas risadas são dadas.

—        Estou explicando garotas, isso é muito importante para que não tenham bebês inesperados.

Ela diz séria entrando na brincadeira e alguns risinhos ainda escapam. A ruiva volta a sua aula.

—        Enfim, para evitar que isso aconteça e que vocês peguem algumas doenças, essa coisinha mágica foi feita.

Mais algumas risadas. Karin limpa a garganta observando-as severamente.

—        Vou mostrar agora como devem colocá-la. Depois de desembala-la devem desenrola-la e, com o pênis ereto, por favor não tentem fazer isso em um amiguinho murcho.

As garotas riem.

—        Coloquem-na na cabeça do pênis - ela representa o que diz ao colocar o preservativo no pepino - e lembrem-se de apertar a ponta da camisinha para que não entre ar, isso irá impedir que ela estoure quando seu parceiro ejacular. Continue desenrolando-a até a base do membro, quando fizer isso aperte bem o espaço que está na ponta dela para tirar todo o ar. E é isso meninas, podem transar a vontade. Só lembrem que eles tem que dar o nó no meio da camisinha, não queremos gozo jogado pela casa. Ou talvez queiramos.

Karin dá de ombros.

—        Certo, - Sakura diz com uma risada - vamos continuar.

Tenten é a próxima a se erguer, Hinata já está abrindo o presente quando a amiga se levanta.

—        Vocês são terríveis.

Hinata ri e mostra o presente a Tenten.

—        Só pode ser brincadeira.

O presente em questão é um pênis de borracha ao qual Hinata logo estende para Tenten que o pega confusa.

—        Vocês não querem que eu me masturbe aqui, não é?

—        Opa, que isso? Não, não. - Temari diz - Queremos que mostre pra Hina como se faz um bom boquete.

—        Se bem que, pelos gritos que eu ouvi quando dormimos no mesmo andar acho que ela já é muito boa nisso. - Ino murmura e Hinata cora.

—        Vamos Tenten.

—        Certo. Bom, - Tenten segura o brinquedo meio sem graça - você tem que...

—        Que foi Pucca, - Ino diz - com vergonha?

—        A culpa não é minha se não tenho didática pra isso.

—        Minha nossa, você é professora, deveria ter didática para tudo.

—        Não é assim que funciona.

—        Ela deve fazer isso em silêncio. - Sakura diz - Feche os olhos e fantasie, esqueça de nós por um tempo e vá apenas falando o que você faz.

—        E a caçadora mostra as garras.

Ino a observa comum grande sorriso.

—        Não enche Porca.

Tenten observa o pênis de borracha e respira fundo seguindo o conselho da rosada.

—        Comece com movimentos lentos, você precisa excita-lo então não vá com muita sede ao pote.

Ela demonstra com as mãos, mostrando a todas o que deve ser feito.

—        Toda a área é sensível então seus movimentos provavelmente já o deixarão entusiasmado. Mas isso não se trata apenas do que você faz com as mãos ou com a boca, mas como age diante dele. Você tem que mostrar desejo.

Ela se abaixa um pouco aproximando os lábios do brinquedo.

—        Use sua língua, mova suas mãos, mas não tire os olhos dele e mostre a ele o quanto isso também a excita.

Tenten lambe a ponta do pênis e começa a ganhar o tom rubro no rosto. Ela afasta os lábios da peça.

—        Abocanhe-o sem parar de masturba-lo, aumente os movimentos e depois diminua e então repita de novo.

Para demonstrar o que diz Tenten abocanha o brinquedo e ela se nota quente. O rosto de Neji alcança sua mente e mesmo que a borracha não seja nada parecida com o que está acostumada, sua fantasia a anima um pouco.

—        Isso continua. - Ino finge um gemido estimulando-a.

Risadas são ouvidas e Tenten se afasta recuperando-se.

—        Nesse momento, ele já está no ápice e alguns beijos ajudam também. Continue o boquete até sentir que ele irá gozar e saboreie o sabor dele ou nãoo, você decide.

—        Falta mostrar essa parte. - Temari diz.

—        Que?

—        Anda logo. - Ino diz animada.

—        Vou adorar editar isso pra mandar pros seus namorados. - Rika diz.

—        Como é?

—        Esquece ela e vai logo. - Temari diz.

Tenten suspira e volta praticando o que acabou de ensinar. Depois de pouco tempo ela se afasta.

—        Ótimo, ele gozou, acabou.

Tenten entrega o novo brinquedo da Hyuuga constrangida e volta a se sentar com algumas risadas a sua volta.

—        Acho que agora é a minha história. - Tenten diz respirando fundo. - Vamos lá.

 

As meninas compartilham histórias e vergonhas e se divertem ao pagar o castigo e quando terminam Hanabi se pronuncia antes das outras.

—        Antes que continuemos com as brincadeiras e castigos, - Hanabi olha pra Hinata e todas focam nela - tenho uma surpresinha pra Hina.

—        E o que é? - Tenten pergunta curiosa.

A Hyuuga mais nova vai até a própria bolsa e tira um pacote de presente de lá, tem o formato de uma caixa e Hinata tem medo do que pode ser, depois de um Kama Sutra, pode ser qualquer coisa.

—        Aqui está a minha surpresa.

Hanabi não entrega o presente a Hinata. Na verdade, ela mesma o abre e logo estende o conjunto para que todas o vejam.

—        Eu não acredito.

Hinata ri vermelha de vergonha com as mãos no rosto, sem tampar os olhos, ao reconhecer a peça de imediato. O conjunto que está nas mãos da mais nova dos Hyuuga é idêntico ao qual a mini Hinata no topo do bolo usa.

—        Obrigada Hanabi.

A mais velha se ergue e se aproxima para abraçar Hanabi e volta seu olhar perolado às amigas quando se afasta da irmã, sorrindo para elas.

—        Meninas, vocês são demais.

—        Nós sabemos - Ino diz fazendo as amigas rirem.

A festa segue com algumas outras brincadeiras e quando está perto da uma da manhã elas se despedem. Não que fosse necessário afinal elas poderiam dormir ali mesmo, mas Sakura precisa levar Hinata de volta para a casa dela.

—        Vamos Hina.

Sakura digita algo em seu celular e elas entram no carro. Hinata sorri para a amiga.

—        Nossa Saku nem sei como agradecer, foi incrível. Você é a melhor madrinha que eu poderia ter.

—        Obrigada, mas não me agradeça ainda.

—        Não? - ela pergunta confusa - Por quê?

—        Por que a surpresa ainda não acabou.

—        O que quer dizer?

—        Espere e verá.

Elas seguem em silêncio até a casa da morena e Sakura estaciona em frente ao lugar e desce com Hinata.

—        Não estou entendendo, pensei que tivesse mais uma surpresa.

Sakura observa o celular e sorri para a morena.

—        E tem, mas a surpresa não é minha. Espero pelo agradecimento amanhã.

—        O que?

Sakura se afasta e Hinata observa a própria porta, abrindo-a sem muita demora e antes mesmo de entrar já consegue sentir o cheiro agradável de jasmim, as luzes estão apagadas, mas o lugar está iluminado, pois há um caminho de velas. O chão está repleto de pétalas vermelhas e no fim do corredor um belo loiro com nada mais que uma cueca boxe a aguarda.

—        Oi amor.

Ele lhe abre o maior sorriso que consegue e Hinata leva as mãos a boca surpresa, seus olhos começam a lacrimejar e Naruto se aproxima ficando a poucos centímetros da morena, seus olhos a observam com doçura e ele a toca no rosto.

—        Espero que ainda esteja bem disposta.

Ela ri, mas ainda tem lágrimas nos olhos.

—        Eu estou.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...