1. Spirit Fanfics >
  2. O Encanto da Cerejeira >
  3. Capítulo 47 - SASUKE - Um dia dos caras

História O Encanto da Cerejeira - Capítulo 51


Escrita por:


Capítulo 51 - Capítulo 47 - SASUKE - Um dia dos caras


Naruto olha para o lado e sorri ao ver a bela morena em seus braços.

Como posso ser tão sortudo?

Os lábios dela estão entreabertos e o rosto sereno, ela sempre fica linda dormindo e ele ama observa-la.

O celular toca e ela se remexe em seus braços enquanto o loiro estende a mão para pegar o aparelho.

—        Alô.

*Dobe se veste, estou indo pra sua casa.*

—        O que? Como assim? Eu estou ocupado.

*Não me importa, se troca que estou indo praí.*

Sasuke desliga o telefone

—        Isso nem é hora de ligar dattebayo.

Hinata respira fundo e abre os olhos observando o amor da sua vida. Ele volta seu olhar para ela e deposita um beijo em sua testa.

—        Bom dia amor.

—        Bom dia.

O sussurro baixo da morena o alcança.

—        Quem era?

—        O Teme. Ele disse que estava vindo para cá.

Hinata se surpreende e se senta rapidamente levando o lençol consigo para cobrir o corpo e assustando o Uzumaki.

—        Minha nossa eu me esqueci.

—        Se esqueceu do que?

—        Preciso passar na confeitaria.

Ela se ergue depressa abrindo o guarda roupas a procura de algo para vestir. Naruto se senta observando-a.

—        Mas Hina, íamos ficar juntos hoje.

Ela volta a se aproximar dele, já de lingerie posta e se senta em seu colo com as mãos em seu rosto depositando um beijo suave sob seus lábios. Quando se afasta o observa e é retribuída no olhar.

—        Prometo dar algum tempo pra você, mas hoje realmente não posso. Além disso, Sasuke-kun está vindo pra cá, divirta-se com ele.

—        Me divertir com o Teme? Está errando de amigo.

Hinata ri, ele ama essa risada.

—        Vocês são amigos por alguma razão.

—        Ainda me pergunto o porquê.

Ela dá um selinho rápido no loiro ainda com um sorriso no rosto.

—        Preciso me trocar

—        Fazer o que?

Ele suspira e ela se ergue se trocando.

 

Naruto observa o moreno a sua frente visivelmente irritado.

—        Caralho Teme, aquilo são horas, dattebayo?

Sasuke ri.

—        Agora sabe como me sinto. Vamos, temos um problema.

Naruto suspira e tranca a porta de Hinata com sua chave seguindo para o carro de Sasuke.

—        Que problema?

—        Nossas mães.

O loiro o observa confuso ao entrar no carro.

—        Como assim?

—        Elas querem que façamos uma dança a mais no casamento?

—        Como é? Sabe quanto tempo levei pra aprender aquele troço maluco que elas chamam de dança? E agora querem que eu aprenda outra coreografia uma semana antes para o meu casamento? Elas são loucas?

—        Para o seu próprio bem, sugiro que não use essa palavra na frente delas.

—        E por que essa hora? Eu estava com a minha noiva porra.

Sasuke se surpreende com o estresse de Naruto.

—        Acalma seu pau, não vai ter transa hoje.

—        Cala boca Teme.

Sasuke sorri.

—        Você é sempre assim quando não consegue transar? Já sei como te irritar a partir de agora.

—        Não enche, dattebayo.

Sasuke ri e eles seguem para a mansão dos Uzumaki.

 

Já de carro estacionado, Naruto desce sendo seguido por Sasuke e entra em sua antiga casa. Kushina e Mikoto riem sentadas na sala de estar, cada uma em uma poltrona.

—        Oi mãe.

Naruto estende a mão e as mulheres se erguem.

—        Que demora.

—        Ele teve que se arrumar, sabe como ele é demorado pra isso, parece até mulher.

—        Está dizendo que eu vivo me atrasando Sasuke? - Mikoto cerra os olhos.

—        Não, não mãe, eu nunca disse isso.

—        Bom mesmo.

—        Então, por que estou aqui?

—        Porque estávamos pensando em fazer uma surpresa pra sua noiva. Se você e seus amigos dançarem, já até vi várias coreografias e...

—        Mãe, - o loiro a interrompe e observa a mãe atentamente - eu amo vocês, do fundo do coração, mas já estou saturado de danças.

Sasuke ri.

—        O que foi Teme?

—        Não, nada.

—        Mas filho se você tentar eu sei que consegue.

—        Também acho isso desnecessário, ainda mais uma semana antes do casamento.

Kushina observa a amiga ao ouvir Sasuke.

—        Será que me precipitei em ter essa ideia?

—        Não é uma ideia ruim Kushi, é ótima, sinceramente. É por isso que acho que devíamos tentar.

—        Uma semana, - ele altera a voz - falta uma semana pro meu casamento.

—        Uzumaki Naruto você está erguendo a voz para nós?

O loiro toma ciência do que acabou de fazer.

—        Não, não, de forma alguma. - ele volta a baixar o tom - Apenas estou dizendo que levei muito tempo pra aprender aquela dança, não vou conseguir aprender isso em uma semana. Além disso, temos tanta coisa pra resolver do casamento e também do trabalho. Por favor, não me façam passar por isso.

Kushina suspira.

—        Acho que ele tem razão.

—        Sim, pois é.

Naruto suspira aliviado.

—        Então vamos fazer essa dança quando o Sasuke for casar. - Mikoto diz animada.

—        Ei, ei que isso? Não me envolvam nessas louc...

O olhar mortal com o qual as matriarcas das famílias Uzumaki e Uchiha o observam, fazem um calafrio correr a espinha do moreno e o impede de terminar a frase.

—        Era só isso? - Naruto as observa com o olhar cansado.

—        Sim. Mas já que não vamos ensaiar, podemos passar o dia juntos.

—        Mãe eu queria sair hoje sabe, queria ficar um pouco...

—        Longe de mim? - ele se surpreende ao ouvi-la - Você está muito rebelde pro meu gosto, antes era só eu pedir e você ficava.

—        É que ele não conseguiu transar com a Hinata hoje de manhã.

—        SASUKE!!!

O loiro grita e a ruiva leva uma das mãos ao queixo.

—        Ah sim, agora faz sentido.

Naruto suspira e observa a mãe.

—        Tá bom, eu fico.

A Uzumaki abre um sorriso enorme e abraça o filho.

—        Ótimo, vamos passar o dia juntos, nós quatro.

Sasuke sorri da animação de Kushina, faz muito tempo que ele não sai com a mãe e a tia, apesar de não terem muitas coisas que agradem aos quatro elas são bem esforçadas e ele nunca se sente mal ao estar com elas.

—        Já que vamos ficar juntos o dia inteiro, - Kushina continua - que tal uma partida de Street Fighter?

O sorriso do moreno se desfaz, ele odeia jogar vídeo game com elas. Por quê? Porque sua mãe nunca perde.

—        Ótimo, - a morena diz com um sorriso - estou louca para acabar com a raça desses dois perdedores.

 

Como esperado, não houve nenhuma vitória do Uchiha, nem de Naruto, as mães deles são terríveis quando se trata de jogos. Isso não se resume apenas a Street Fighter, jogos como Mortal Kombat X, Rocket League, jogos de futebol, não importa, elas são mulheres que conviveram a vida inteira com homens, elas aprenderam a jogar e o fazem melhor que qualquer um deles é capaz.

Nesse momento eles estão sentados comendo um lanche enquanto observam uma batalha de titãs e quando a luta chega ao fim Uchiha Mikoto se ergue vitoriosa.

—        INVICTA!!! Não adianta, ninguém consegue me derrotar.

Kushina suspira irritada.

—        Vai chegar uma hora em que você vai ser derrotada da pior maneira.

—        Vai sonhando.

Sasuke ouve o toque de seu telefone e ao ver que recebeu uma mensagem, desbloqueia o aparelho para lê-la.

*Estamos indo pra o estádio, te vemos lá.* - Suigetsu

—        Mãe, tia Kushi, nós precisamos ir.

—        O que? Já?

Mikoto observa o filho.

—        Sinto muito.

—        Tá né, fazer o que.

Sasuke sorri com a expressão da mãe. Ela parece uma criança.

—        Voltem mais vezes para fazermos coisas assim. - Kushina diz. - E Naruto, me dê logo netos.

O loiro sorri com o comentário da mãe, ao qual já está acostumado.

—        Eu também preciso de netos. - Mikoto diz emburrada.

—        Tchau pra vocês.

Sasuke se afasta seguido por Naruto.

—        Tem como me deixar em casa? Queria passar na confeitaria.

—        Não dá, tenho compromisso.

—        Caramba dattebayo, é meia hora.

—        Eu tenho compromisso, aliás você vem junto.

Naruto para de andar.

—        Eh?

—        Anda logo e entra no carro.

Naruto faz como o amigo diz ainda surpreso, Sasuke não é desses que sugere uma saída, geralmente é o loiro quem tem que arrastá-lo para longe do trabalho.

—        Teme onde vamos?

—        Nos distrair um pouco.

Sasuke gira a ignição e se afasta da casa.

 

Assim que chegam ao destino ambos saem do carro. Naruto reconhece o estádio assim que o vê e apesar de animado com a ideia, não entende o motivo de estar ali.

—        Ei Teme, você está me levando para um jogo?

O loiro ergue une as sobrancelhas realmente confuso. Ao vê-lo Sasuke revira os olhos.

—        Não seu idiota estou te levando para uma aula de mergulho, o que parece?

—        Ei, sem estresse, dattebayo. Só fiz uma pergunta válida, faz tempo que não assistimos a um jogo juntos eu só me surpreendi.

—        Tá, tá.

Eles se aproximam da cabine e Sasuke entrega os ingressos. Os dois entram, se aproximando da arquibancada que está repleta e Naruto avista seu grupo de amigos um ao lado do outro, já vestidos com a camiseta do time. Suigetsu, Shino, Sai, Kiba e Shikamaru estão sentados, nessa respectiva ordem e eles veem dois lugares vagos ao lado do azulado.

—        Caralho, vocês demoraram hein? - Kiba diz ao vê-los.

—        Eu nem sabia que tinham ingressos para o jogo.

Naruto se aproxima passando pelos torcedores e chegando até os amigos sentando na poltrona vazia. Sasuke se senta ao seu lado.

—        Ah, foi de última hora, - Kiba diz - ganhei esses ingressos e falei com o Sasuke então vamos assistir o jogo.

Naruto foca em Suigetsu ao seu lado.

—        O que está fazendo aqui? Esse nem é seu time.

—        Kiri não está jogando, mas nem por isso vou perder um jogo de futebol.

Uma vendedora aparece e os rapazes compram cervejas pouco antes do jogo começar.

 

As horas que se seguiram foram extremamente agradáveis, com as coisas do casamento, aulas de dança e trabalho exigente, o Uzumaki fica feliz em se distrair um pouco.

Quando o jogo finalmente termina, com muito suor e gritos tendo o time da casa, ao qual eles torcem, como vencedor eles os rapazes saem do estádio seguindo para o estacionamento.

—        Foi por pouco hein?

Suigetsu tira sarro da quase derrota do time deles, afinal foi o gol de pênalti que deu animo novamente ao time, fazendo-o virar o placar.

—        Foi tudo milimetricamente planejado. - Naruto diz convencido.

—        Claro.

O azulado revira os olhos.

—        Que tal irmos pro bar? - Sasuke sugere.

—        Está bem sociável hoje hein.

—        Não enche Dobe.

—        É uma chatice, mas tenho compromisso. - Shikamaru é o primeiro a se manifestar.

—        Idem. - Sai fala.

—        Também não posso. - Shino diz.

—        É sábado a noite, - Kiba diz - não vou passar com uns marmanjos.

—        Como se você conseguisse passar o sábado com alguma mulher. - Sai o alfineta.

—        Muito mais que você eu garanto.

—        E você Suigetsu? - Naruto pergunta.

—        Vou pra casa, estou exausto.

—        Puta merda, parece uma velha falando. - Sasuke comenta.

—        Vai encher a mãe vai. Tchau pra vocês.

O azulado se afasta dos amigos seguindo para o próprio carro.

—        Também vou indo. - Shino diz.

—        Até seus merdas. - Kiba ergue a mão ao se afastar.

—        Tchau.

—        Até.

Sai e Shikamaru também se afastam e Naruto olha para Sasuke.

—        Eu vou tomar umas com você.

—        Não diga como se eu estivesse precisando de consolo.

—        Você quer companhia ou não?

—        Tá, tá, vamos.

—        Às vezes seu tratamento me magoa.

Eles seguem para o carro.

—        Vai se fuder Dobe, nem minha mãe reclama desse jeito.

Naruto ri e eles entram no carro seguindo para o bar do Zetsu.

 

—        Então, - Naruto o observa - o que te fez ficar sociável assim?

Com o canto dos olhos Sasuke olha para o loiro.

—        Por que acha que alguma coisa me fez ficar assim?

—        Alguma coisa? Do que você está falando?

—        Acabou de perguntar o que me fez ficar assim.

Sasuke revira os olhos.

—        Tá bom, desculpe vou reformular minha pergunta.

—        Palavras difíceis, tem certeza que sabe seu significado?

O moreno sorri e Naruto se irrita.

—        Como estava dizendo, vou fazer a pergunta de um jeito diferente.

O Uzumaki diz deixando claro que sabe o significado da palavra e isso faz Sasuke rir.

—        Vá em frente.

Sasuke ergue seu copo em direção ao loiro enquanto sorri.

—        Quem te fez mudar tanto?

O sorriso dele se desfaz e dessa vez é Naruto quem sorri.

—        Não seja ridículo, eu sempre fui sociável.

—        Ah claro, e eu odeio lamen.

Sasuke revira os olhos uma vez mais.

—        Não é de agora, estou te vendo com um humor melhor, quem é?

—        Não sei do que está falando.

Ele desvia o olhar e vira a dose de uma vez, ainda que o dia de hoje não tenha sido planejado em função da rosada, ela foi a primeira a invadir sua mente quando Naruto fez a pergunta. Sasuke notou que mudou um pouco depois que voltou a Konoha e isso não se deve apenas a Sakura, ainda assim ela alcança seus pensamentos.

—        Eu tenho minhas suspeitas, - Naruto diz com uma risada - mas não tenho como ter certeza.

—        Meu trabalho me mudou.

O loiro o observa.

—        Aquelas pessoas são diferentes de todas com quem já trabalhei.

—        É de se esperar, ninguém lá te vê como o filho do chefe e por isso te tratam como igual.

Ele dá de ombros e Sasuke o observa.

—        Sim, talvez.

—        E pelo visto isso fez bem pra você.

—        Sim, podemos dizer isso.

Eles ficam em silêncio por algum tempo focando na bebida de seus copos.

—        Sasuke, - o moreno olhar para ele - se tivesse que escolher agora entre ficar em Konoha ou voltar para Nova York, o que escolheria?

Sasuke volta a focar no copo que se encontra vazio no momento.

—        Não sei, - ele admite - mas acho que eu gostaria de ficar.

Naruto volta a sorrir e empurra Sasuke um pouco com o peso do braço.

—        E a Sakura-chan tem alguma coisa a ver com isso?

Sasuke o observa surpreso por ter ouvido o nome dela, até então acreditava que Naruto fosse burro e que sua suspeita não passasse de idiotice.

—        Hehehe, - ele diz esfregando o nariz satisfeito consigo mesmo - então eu estava certo.

—        Não diga besteiras, Sakura não tem nada a ver com isso.

O celular de Sasuke toca e ao ler a mensagem recebida ele demonstra surpresa, Naruto percebe isso.

—        O que foi?

O moreno hesita, não sabe se deve dizer ou não.

—        Vamos Teme, o que foi?

—        Sakura me chamou para sair.

O olhar malicioso do loiro fica evidente.

—        Mmm, e depois diz que não tem nada entre vocês.

—        Não sou só eu idiota.

Sasuke diz irritado.

—        A Hinata também vai, ela disse pra te levar junto.

—        Estranho, a Hina não disse nada.

—        Tem certeza?

Naruto desbloqueia a tela do celular e nota que tem algumas mensagens de Hinata, ele havia deixado no silencioso durante o jogo e não se lembrou de tirar.

*Naruto, as meninas querem se reunir com o pessoal, você quer vir? Traga o Sasuke com você.*

*Se não quiser vir tudo bem, eu vou estar com as meninas hoje, não me espere. Te amo.*

Naruto rapidamente responde a noiva.

*Desculpe Hina, eu não tinha visto, estava em um jogo e deixei no silencioso. Mas eu e o Teme estamos indo.*

Não há uma resposta, a mensagem sequer alcança o destinatário.

Deve estar desligado, ele pensa.

—        É, - o loiro diz - ela mandou mensagem falando sobre isso. Vamos?

—        Não, - Sasuke o observa - tenho trabalho para fazer.

—        E depois fala do Suigetsu. Vamos, não seja chato Teme, seu trabalho não vai sair correndo.

Sasuke suspira.

—        Além disso, - o sorriso malicioso de Naruto volta - talvez tenha muito o que fazer essa noite.

—        Cala boca Dobe.

Sasuke paga as bebidas e se afasta demonstrando irritação, Naruto o segue rindo e os dois caminham em direção ao estacionamento.

Sasuke liga o carro e deixa o bar. Assim que pegam a avenida o celular do moreno toca e como está conectado ao carro a chamada acontece no viva voz.

—        Alô.

*Ei Sasuke, preciso que você dê uma passada aqui em casa.*

Ambos reconhecem a voz de Suigetsu.

—        Pra que?

*O chefe de obras está vindo pra cá, parece que houve um desmoronamento perto do rio Naka.*

—        O que?

Naruto se lembra que Sasuke está responsável por um projeto perto do antigo rio onde suas famílias se encontravam para fazer piqueniques.

*Não sei bem como as coisas estão, mas ele precisa falar com um dos responsáveis e pela minha casa ser mais perto da dele, ele vem pra cá.*

—        Você só pode estar brincando comigo, - o moreno suspira - estou a caminho.

Sasuke desliga e solta mais um suspiro.

—        Acho que realmente tinha que trabalhar hoje.

—        Eu não esperava por isso, vai nos atrasar dias, talvez até semanas.

Naruto entende, não é fácil coordenar um projeto, ainda mais quando alguns fatores naturais estão envolvidos. A natureza sempre é imprevisível.

—        Pode me deixar em casa, eu vou sozinho.

—        Não, o desvio é muito grande, vamos pra casa do Suigetsu, lá você chama um taxi.

—        Tá, pode ser. Vou pedir o endereço pra Hina.

Naruto digita sua mensagem a Hinata pedindo pelo endereço e eles seguem para a casa do azulado em silêncio. O lugar não demora a aparecer.

Sasuke para em frente a casa e eles descem seguindo para a porta de entrada, mas aparentemente está vazio.

—        Como ele manda você vir e não está em casa? - Naruto questiona.

—        Vou ligar para ele.

Sasuke se afasta um pouco e Naruto tenta ver se a casa está vazia mesmo, mas ao girar a maçaneta vê que a porta está aberta.

—        Ei Teme, - ele grita para Sasuke - está aberto.

Naruto abre a porta e se surpreende com o que vê.

—        SURPRESA!!!

Vários gritos são dados e os olhos azuis estão arregalados pela surpresa. Sasuke se apoia nos ombros do loiro com um grande sorriso no rosto.

—        O que é isso?

—        Sua despedida de solteiro.

—        HORA DA FESTA!!!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...