1. Spirit Fanfics >
  2. O Encanto da Cerejeira >
  3. Capítulo 56 - SASUKE - Conflitos internos

História O Encanto da Cerejeira - Capítulo 60


Escrita por:


Capítulo 60 - Capítulo 56 - SASUKE - Conflitos internos


Há muita gente reunida nesse salão, amigos da família Uzumaki, amigos da família Hyuuga, de Hinata e, por fim, de Naruto, entre eles Itachi e Gaara. A bela rosada e a forma leve com a qual dança não passa despercebida a eles. Itachi teve sua resposta, Gaara entendeu que eles não têm futuro, mas mesmo assim o olhar deles sobre a rosada permanece.

Depois de algum tempo, quando ela se afasta das amigas para beber um pouco, Gaara se aproxima dela escondendo que ela ainda o interessa.

—        Você foi muito bem.

Ela se vira ao ouvir uma voz conhecida e ao ver um ruivo de olhos esverdeados abre um belo sorriso.

—        Oi. Obrigada, ensaiamos muito para sair perfeito.

—        Não se preocupe, não foi um tempo desperdiçado. - ela sorri agradecida pelo elogio.

—        Não nos falamos a algum tempo, - ela diz. - trabalhando muito?

Ela o dispensou, mas percebeu que o ruivo realmente parecia sincero quando disse que ainda podiam continuar como amigos, então isso é algo que ela pode perguntar.

—        Pode-se dizer que sim.

Ele responde afastando-a de seus pensamentos e Sakura ergue uma sobrancelha sem entender, ele percebe a confusão no rosto da rosada.

—        Não é bem um trabalho, uma velha conhecida apareceu e trouxe algumas memórias com ela.

Ela arregala os olhos um pouco, pois percebe o desconforto do ruivo e abre um sorriso singelo.

—        Uma conhecida apenas?

Ele foca seu olhar sobre o dela.

—        Ah, não, ela é a realmente apenas uma conhecida. - ele suspira - Pelo menos agora é.

Sakura entende que já aconteceu alguma coisa entre eles.

—        Ex-amor?

Ele se surpreende pela rápida associação dela por uma simples resposta.

—        Ex-noiva. - ele admite por fim surpreendendo-a.

—        E ainda gosta dela?

Ele se silencia desviando o olhar.

—        É complicado.

Ela suspira.

—        Acredite em mim, de complicações eu entendo.

Ele volta a focar nela e se lembra por que levou um pé na bunda. Apesar de não ser totalmente verdade o que acreditava na época, isso pode se encaixar agora.

—        Aquele cara?

Sakura se surpreende ao ouvi-lo e foca seu olhar no dele.

—        Ele não está dando valor?

—        Não posso dizer isso exatamente, - ela desabafa - não somos nada um do outro afinal.

—        Ele não tem ideia do que está perdendo.

Ela sorri agradecida.

 

A alguns metros dali, um moreno se surpreende com o que vê, Sasuke não havia notado que Sakura estava acompanhada até agora. Ela está rindo enquanto conversa com alguém que não agrada ao moreno, um ruivo que já deixou suas intenções claras, Sabaku no Gaara.

Sasuke não gosta da aproximação deles, e ainda menos da forma como Sakura parece familiarizada e contente ao seu lado. A poucos dias ela se confessou, se é que aquilo pode ser considerado uma confissão, mas eles decidiram permanecer da mesma forma, sendo assim as possibilidades estão abertas o que significa que não há muito o que possa fazer.

Ele poderia fazer algo se namorasse a rosada, como proibi-la de ter contato com o ruivo, por exemplo. Porém sabe que, mesmo namorando, conseguir proibir Sakura de alguma coisa seria um feito e tanto.

Sasuke continua observando-os. Ele não pôde deixar de notar que os presentes e as visitas pararam de acontecer e isso começou logo depois que eles ficaram pela primeira vez, o que indica que Sakura não quis continuar com Gaara.

Ela pode dizer que é uma mulher de transas de uma noite, mas essa atitude mostra apenas que ela não sabe ser dessa forma, não consegue ser de mais de um homem ao mesmo tempo. Isso o faz sorrir, satisfeito com a forma como a rosada age em situações assim, considerando que seu último relacionamento, se é que pode chamar assim, terminou exatamente porque a outra pessoa não sabia ser de um homem só. Afinal Izumi o havia enganado apenas para ficar com Itachi e isso é algo que Sasuke sabe que a rosada nunca faria.

Esse fato voltar a sua mente possibilitou um momento de alívio ao moreno, e por isso a proximidade do ruivo, apesar de irrita-lo, já não o deixa inseguro.

—        Você estava falando sério.

Ele foca na voz atrás de si e vê a mãe o olhar com carinho visível nas belas ônix enegrecidas.

—        Oi mãe.

—        Me desculpe por aquilo.

Ele não entende ao que ela se refere.

—        Do que está falando?

—        Da exposição Sasuke.

Ele ainda não entende sobre o que ela fala, mas leva seus olhos para o mesmo local ao qual sua mãe direciona o olhar e percebe ser o mesmo ao qual olhava a pouco. Mikoto solta um suspiro.

—        Não percebi que você estava apaixonado até quinta-feira e...

—        Espera o que?

Ele volta a observa-la visivelmente surpreso.

—        Pensou que esconderia de mim? - observando-o com um pouco mais de atenção ela entende a surpresa do filho. - Você não sabia.

—        Dona Mikoto, do que demônios você está falando?

—        Filho, - ela o observa atentamente - você está apaixonado pela Sakura.

—        Não, não estou.

Ainda que se sinta confuso em relação a rosada, ele sabe que isso não significa que está apaixonado.

—        Sim Sasuke, você está. Mas parece que ainda não se deu conta.

—        Isso é ridículo, não estou apaixonado pela Sakura.

—        Ótimo, então não se importa se ela ficar com aquele rapaz.

Ao ouvir as palavras da mãe, aquele momento de alívio é perdido, principalmente quando ele volta a olhar para a rosada e a vê rir de algo que Gaara fala. Isso o irrita, mas mais que isso, o assusta. O fato de que Sakura está perto do ruivo e contente na sua presença, faz o moreno pensar que talvez Sakura pense em voltar a ficar com ele mais uma vez e Sasuke não suporta essa ideia.

—        Você devia entender logo o que sente ou vai acabar perdendo, Sakura é muito bela e simpática para ficar solteira.

Ele observa a mãe.

—        Pensei que não fosse ajudar nenhum dos seus filhos.

—        Bom, eu inspirei uma confissão do meu primogênito, acho que posso dar uma ajudinha pro meu caçula.

Ele se surpreende.

—        Itachi se confessou?

—        Sim, mas parece que ela não o quer.

Sasuke não consegue explicar, mas sente uma alegria imensa com essa notícia. Mikoto se afasta um pouco mas fala com o filho antes de pegar distância.

—        Me agradeça depois.

Ele não entende ao que a mãe se refere, mas isso não demora muito, pois a matriarca Uchiha se aproxima de Sakura e não demora a afasta-la de Gaara.

Sasuke suspira, mas antes que se aproxime delas ouve o som do microfone substituir a música.

—        Peço a atenção de todos por gentileza. - Hinata segura o microfone e todos focam o olhar sobre ela. - Esse é o momento mais esperado por muitas mulheres e temido por alguns homens.

Há algumas risadas.

—        É por isso que quero muita atenção agora, isso porque esse é um buquê especial, ele foi escolhido por uma pessoa muito importante para mim e como podem ver é simplesmente lindo.

Ela sorri e mostra o buquê mantendo o olhar sobre a pessoa em questão, sendo essa sua irmã mais nova, Hanabi.

—        Por esse motivo, peço que ela se aproxime para me ajudar a joga-lo.

Hanabi se surpreende com o pedido estranho, mas se aproxima da irmã.

A caçula para em frente a irmã e Hinata estende o buquê, mantendo as mãos de Hanabi unidas as dela mantendo o buquê entre as duas. O mestre de cerimônias agora segura o microfone já que suas mãos estão ocupadas.

—        Eu sei que, ao me ajudar a joga-lo você perde a chance de pegá-lo também, sinto muito.

—        Hina, o que está fazendo? - a mais nova sussurra - Isso não é o normal, é você que joga o buquê sua maluca.

A irmã de Hinata solta uma risada envergonhada.

—        Não há razão.

—        O que?

Hinata se afasta um pouco deixando o buquê nas mãos de Hanabi e observa a área atrás da irmã, fazendo-a se virar para ver o que há ali.

A surpresa a atinge, sua mão direita toca seus lábios e seus olhos marejam. Konohamaru está de joelhos a sua frente, ele tem um grande sorriso no rosto e uma pequena caixa de veludo vermelho em mãos.

O mestre de cerimônias aproxima o microfone dos lábios do rapaz.

—        Hana, desde o primeiro instante que a vi, sabia que era especial. Ainda não conhecia o quanto, mas não demorou para que soubesse que você é linda, tanto em beleza natural quanto no seu jeito de pensar, de agir, em toda a sua forma de ser. Você é a melhor coisa que já aconteceu na minha vida, amo cada detalhe seu e quero que esteja ao meu lado pelo resto dos meus dias. Hyuuga Hanabi quer se casar comigo?

Todos estão surpresos pelo pedido, ninguém esperava por isso, a Hyuuga ainda menos. É por isso que nesse momento não consegue falar nada, apenas observar o amor da sua vida de joelhos a sua frente pedindo a ela que passe o resto dos seus dias ao seu lado.

—        Hana esse é o momento em que você me dá sua resposta.

—        Sim. - ela deixa escapar em um sussurro, mas a voz que sai novamente é mais alta - Mil vezes sim.

Ele suspira aliviado e coloca a aliança de compromisso no anelar direito se erguendo em seguida e aproximando-se dela beijando-a.

As palmas são ouvidas e eles se afastam, Konohamaru limpa as lágrimas da noiva e sorri.

—        Obrigado por aceitar ser minha esposa.

Ela sorri em resposta.

—        Eu não conseguiria imaginar estar com qualquer outra pessoa.

Hinata se aproxima deles.

—        Gostou do buquê? - ela observa a irmã, ainda abraçada a Konohamaru.

—        Você me enganou, eu nunca imaginaria isso.

—        Também não conseguiria pensar em algo assim, seu noivo que teve toda a criatividade para sugerir isso.

—        Obrigado por me ajudar Hina.

—        Não foi nada.

Naruto enlaça a cintura da esposa e sorri para os recentes noivos.

—        Quão assustador foi?

—        Muito. - Konohamaru suspira e Hanabi o observa.

—        Duvidou que eu aceitaria?

—        Ah não, nunca. Amo você e sei que também me ama.

—        Então?

—        Você tem um pai e um irmão mais velho.

Hanabi ri e, parecendo ouvir um chamado, Hiashi se aproxima deles.

 

Sakura obseva tudo de longe, ela achou o pedido lindo, nunca imaginaria que algo assim aconteceria, até porque Hinata não mencionou nada. A única coisa na qual consegue pensar agora é em quanto os quatro que conversam entre si estão felizes, mesmo que o senhor Hyuuga tenha aparecido, provavelmente para esclarecer as coisas.

—        Surpreendente, não?

Sakura ainda está com o sorriso no rosto quando ouve a voz máscula de certo moreno. Ela se vira e o vê próximo.

—        Sim, - seu olhar volta para eles - eles parecem bem felizes, não é?

Ele para ao lado dela.

—        Sim, parecem.

O moreno foca o olhar sobre ela. Sua mãe a afastou de Gaara, mas ele demorou um pouco para se aproximar e falar com ela. Isso porque tirou algum tempo para pensar sobre como se sentia em relação a ela.

A única referência que tem sobre o amor é Izumi, que o desiludiu, talvez por isso não consiga olhar para ninguém dessa forma. Ele não sabe o que sente, como disse à Sakura antes, mas sabe que não é o que sentia por Izumi, então provavelmente não está apaixonado. Sua mãe deve estar enganada, apesar desse fato ser bem próximo do impossível, isso não é totalmente verdade, até mesmo Uchiha Mikoto pode errar às vezes.

Afastando o pensamento, ele sorri para ela.

—        Então, - ela o observa ao ouvi-lo - agora que o buquê já foi entregue, o que me diz de dar uma volta?

Ela desvia o olhar com um sorriso e morde o lábio em seguida.

—        Não sei, isso me parece um pouco perigoso.

—        Perigoso?

Ele demonstra confusão pelo termo escolhido.

—        É claro, ou acha que eu sairia com um homem que claramente quer se aproveitar de mim?

A rosada finge indignação e Sasuke ri das palavras dela.

—        Que tal um lugar público?

—        Como por exemplo?

—        Meu apartamento.

—        Onde isso é público?

—        Muitas pessoas moram naquele prédio sabia?

—        Não, isso não vale.

—        Então tenho um lugar melhor, prometo que não me aproveito de você.

Ele ergue a mão direita como se fizesse um juramento.

—        A não ser que você queira é claro.

Sakura revira os olhos.

—        Então topa?

—        Uhm, topo.

Ele abre um grande sorriso.

—        Então vamos.

Ambos começam a caminhar lado a lado se afastando do salão.

—        E onde é esse lugar?

—        Se contar perde a graça.

Ela cerra os olhos.

—        Isso é o que geralmente assassinos falam.

—        Se eu te matar como vou aproveitar dos seus dotes culinários?

—        Nossa como você é interesseiro.

Ele ri novamente.

—        Apenas sei apreciar coisas belas e gostosas.

Sakura entende o duplo sentido da palavra, principalmente ao notar o olhar do moreno sobre si.

—        Sim, já notei o quanto é faminto.

Ela sorri de volta e eles deixam o salão.

 

Naruto percebeu que os dois saíram juntos e por isso está com um grande sorriso no rosto. Hinata não está perto do loiro, ela fala com alguns convidados agora e ele a observa de longe. De repente ele vê Sai, que olha a sua volta parecendo estar a procura de alguém, mas logo o ignora. Quando Naruto volta sua atenção a sua bela esposa é afastado de sua contemplação ao ouvir a voz de Sai.

—        Ei Naruto.

O Uzumaki olha para ele dando atenção ao moreno.

—        Você viu o Uchiha por aqui?

—        O Teme? - Sai afirma em um aceno - Ele foi embora com a Sakura‑chan.

—        Tá brincando, ele vai ficar com ela?

—        Por que isso é tão surpreendente? Eles já estão ficando a um tempão.

—        Puta que pariu. - Sai diz de olhos arregalados - O filho da puta conseguiu dormir com ela.

—        Do que você está falando? - Naruto pergunta confuso.

—        Nada, nada. Vou falar com os outros.

Sai se afasta e Naruto ainda o observa confuso.

—        Por que essa surpresa toda? Será que é por que dissemos que a Sakura‑chan não perdoa tão fácil?

Ele dá de ombros e se aproxima de Hinata para contar a sua bela morena que seus padrinhos não se despedirão dos dois.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...