1. Spirit Fanfics >
  2. O Encanto da Cerejeira >
  3. Epílogo - SASUKE

História O Encanto da Cerejeira - Capítulo 65


Escrita por:


Capítulo 65 - Epílogo - SASUKE


Fanfic / Fanfiction O Encanto da Cerejeira - Capítulo 65 - Epílogo - SASUKE

Treze anos depois

—        Sarada, está na hora da escola.

—        Já estou indo.

Sakura termina de fritar mais uma fatia de bacon e a coloca no prato. Ela logo ouve o barulho da pequena correndo e roubando um pedaço da carne com a mochila nas costas.

—        Por que você vive atrasada?

—        Não sei. Tchau mãe, te amo.

—        Eu também te amo.

A menina corre para a porta.

—        Dê um beijo no Boruto por mim.

—        Mamãe!

Sakura ri.

—        Não gosto dessa ideia.

Sakura se vira e vê um belo moreno de olhos negros fixos sobre ela, ele é o homem mais lindo ao qual ela já conheceu e sua cara fechada nesse momento faz o sorriso dela se intensificar.

—        Vamos Sasuke, não seja um pai ciumento.

—        Sempre serei ciumento.

Ele se aproxima e a abraça pelas costas acariciando a grande barriga que carrega mais um Uchiha.

—        Tomara que venha um menino, assim não terei que me preocupar.

—        Não, vai ser outra menina.

—        Não faz diferença, vou amar independente do que vier. Nada além de vocês importa.

Ela sorri ao se lembrar de ter ouvido algo parecido anos atrás e toca a mão do moreno.

—        Sim, tem razão.

 

Há treze anos

Sakura anda de um lado para o outro angustiada, o papel que leu a fez perder o chão. Como pôde ser tão estúpida a ponto de não se lembrar de tomar a pílula? Claro que ela estava muito abalada no dia seguinte, mas ainda assim deveria ter lembrado.

O toque da campainha a faz parar de andar e engolindo em seco, segue para a porta abrindo-a fazendo um belo moreno surgir a sua frente com um lindo sorriso no rosto, mas o sorriso se desfaz ao ver a expressão da rosada.

—        O que aconteceu?

—        Entra.

Sakura se afasta e segue para a sala de estar, mas não se senta. Ela remexe as mãos angustiada e o moreno, que fechou a porta ao passar, nota isso.

—        Sakura?

—        Você devia sentar.

Sasuke para de se aproximar e sente uma angústia no peito. Afinal, até entrar nessa casa pensou que tudo estava bem com ela, mas não é o que parece. Sakura parece prestes a dizer algo que não quer, mas que precisa e o moreno teme pela notícia.

—        É sério Sasuke, você devia sentar.

Hesitante ele se senta no braço do sofá e a observa remexer as mãos sem olha-lo nos olhos por mais de dois segundos.

—        Nós estamos juntos a três meses, nos conhecemos a um pouco mais que isso e nosso relacionamento sempre foi um cabo de guerra onde esperávamos para ver qual lado arrebentava primeiro.

Sasuke a observa atento a cada palavra e seu coração dispara aflito, sua garganta está seca e seu corpo paralisado.

—        Desde que nos vimos pela primeira vez, a única coisa que fazíamos direito era brigar, mas com o passar das semanas fomos nos acostumando um ao outro e meio que nos tornamos amigos. Não, não é essa a palavra, não éramos próximos desse jeito, tínhamos algo mais carnal. Quando me pediu em namoro eu fiquei muito feliz, mas então teve aquilo da aposta e nos separamos por vários dias.

Cada palavra que ela diz se aproxima do momento que ele tanto teme. Sasuke quer interrompe-la, dizer o quanto a ama e quer continuar com ela, mas ele travou e não consegue dizer nada.

—        Estou dizendo que, a nossa relação nunca foi saudável e assim que ouvir o que tenho para dizer... - ela hesita, mas decide falar de uma vez - Eu estou grávida.

Ela finalmente olha para ele e vê os olhos do moreno se arregalarem. É impossível não notar o quão surpreso Sasuke está, e ela não pode culpa-lo, afinal foi um erro dela, porque ela não se lembrou da maldita pílula.

Apesar de como as circunstâncias a levaram a esse momento, ela não tem dúvidas quanto a criança, ainda que tenha que cria-la sozinha não vai abortar. Não, esse pequeno ser é seu e ninguém vai convencê-la a se desfazer dele.

—        Grávida?

Ela o ouve em um tom um pouco mais alto que um sussurro.

—        Você está grávida?

—        Foi um erro meu. - ela desvia o olhar novamente - Depois que soube sobre a aposta estava tão abalada que me esqueci de tomar a pílula.

—        Sakura, você está grávida.

Ela foca no moreno.

—        Sim Sasuke, eu já disse e você já repetiu. Já é um fato agora não adianta se questionar e mesmo que não o queira...

O moreno se ergue e a abraça interrompendo-a.

—        Sua idiota, é claro que eu quero.

—        O que?

Ela se afasta e ergue o rosto para olhar para ele.

—        Você me deu um susto e tanto.

—        Do que está falando?

—        Pensei que estava terminando comigo.

Ela se surpreende.

—        O que?

—        Não pode me culpar, as palavras que usou não ajudaram nada.

Ao fazer uma revisada rápida do que disse ela percebe que ele está certo.

—        Então, - ela ergue o olhar para o moreno ainda em duvida - você quer o bebê?

—        Por que está tão surpresa?

—        Não sei, quer dizer, estamos juntos a apenas três meses e às vezes isso não é algo pelo qual se espera nem com um ano de casamento, quem dirá com três meses de namoro.

—        Eu tive muito tempo para aproveitar a vida, essa é a primeira vez que sinto isso, não acho que precise esperar mais. Já passei por uma amostra de como é perder alguém que amo e não quero passar por isso mais uma vez.

Ele toca a barriga de Sakura.

—        Agora vocês são tudo o que importa.

Um grande sorriso se forma no rosto da rosada e ela toca a barriga também. O desespero foi a toa, ela sempre confiou no que sentia por ele, mas em um momento de fraqueza duvidou dos sentimentos dele, mas ela jura para si mesma que isso não vai se repetir.

Ela toca o rosto do moreno com a mão livre e ele a observa com um sorriso bobo no rosto.

—        Eu te amo. - ela sussurra.

—        Eu também te amo, amo vocês dois.

 

Atualmente

Sakura nunca pensou que alguém poderia mudar sua vida de cabeça para baixo e fazê-la sentir algo imenso e lindo em tão pouco tempo, mas ele o fez. Ela teve algumas dúvidas de que eles conseguiriam ao longo do tempo que se passou. Houveram brigas, discussões, houveram lágrimas de ambos os lados, mas eles sempre conseguiram se resolver.

 

Nove anos atrás

—        Não quero que se envolva nisso.

—        Não quer que eu me envolva? - Sakura pergunta indignada com o que ouve. - Tem noção do que está me pedindo?

—        É claro que tenho, não quero que trabalhe com ele.

—        E por que acha que pode mandar em mim?

—        Bom, estamos juntos a quatro anos acho que isso é alguma coisa.

—        Estarmos juntos não te dá o direito de se achar meu dono.

—        Não há motivo para que seja você que participa desse projeto, dê ele a Suigetsu.

—        Não posso fazer isso, ele me pediu.

—        Recusa. - ele diz com a voz já alterada - Não precisa aceitar.

—        Somos amigos Sasuke, - ela grita - ele pediu um favor a uma amiga como queria que eu respondesse?

—        Com um não bem audível.

—        Como pode ser tão intolerante?

—        Eu sou intolerante? É ele quem não tira os olhos de você e por me incomodar com isso eu sou tachado como intolerante?

—        Eu não acredito no que estou ouvindo, - Sakura sente as lágrimas embaçarem sua visão - seu ciúmes está te cegando.

—        Não finja que nunca reparou que ele ainda gosta de você.

—        Ele gostar de mim ou não não importa, isso é um trabalho. Ou por acaso você não confia em mim?

—        Não é só um trabalho se ele insiste em investir em você. Você diz que ele é apenas seu amigo, mas ele não parece ver assim.

—        Isso não responde a minha pergunta Sasuke, você não confia em mim?

—        Sei o quanto homens podem ser insistentes.

—        Entendo.

Ela seca as lágrimas que brotam, é inútil tentar conversar com ele, afinal deixou claro que não confia nela. Perceber isso a faz se afastar do moreno que percebe ter falado demais.

—        Sakura…

A rosada o ignora e segue para o quarto de Sarada vendo a pequena chorar assim que entra no cômodo. Ela logo se aproxima da filha com lágrimas nos olhos e se deita na cama com ela, abraçando-a com todas as suas forças.

—        Desculpa termos te acordado meu amor. - sua voz sai embargada por causa das lágrimas.

Sarada balança a cabeça negativamente. Depois de algum tempo ela se afasta um pouco e ergue a pequena mão para secar as lágrimas da mãe que abre um sorriso fraco ao sentir seu toque.

—        Você e o papai estavam brigando por minha causa?

—        O que? É claro que não. Você nunca será motivo para eu e o papai brigarmos.

—        Então é o tio Sasori?

Sakura se surpreende com a rapidez de raciocínio da pequena.

—        Não se preocupe, - Sakura toca o rosto da filha - a mamãe e o papai apenas se exaltaram um pouco, está tudo bem.

A rosada sorri para ela reforçando a afirmação. Mais tranquila, a pequena se aconchega no peito da mãe e logo pega no sono. Sakura se recorda das palavras de Sasuke e as lágrimas voltam, mas ela as seca ao ver a porta ser aberta.

O moreno se aproxima e se senta na beira da cama.

—        Me desculpe. - ela não responde - Aquele cara me tira do sério eu…

—        Essa não é a questão. - o murmúrio dela o faz suspirar.

—        Sim, tem razão.

Sasuke toca a mão da rosada e logo a segura.

—        Eu confio em você Sakura, mas eu tenho medo.

Suas orbes negras que tanto a encantam se voltam para ela.

—        A única vez que me apaixonei eu fui traído de uma forma que sequer pensava ser possível. Izumi traiu minha confiança de uma maneira miserável.

Sakura afasta a mão da dele e se senta.

Não há razão para menciona-la.

—        Não me compare a ela.

Ele abre um pequeno sorriso e se aproxima um pouco da rosada focando seu olhar nela.

—        Viu, você também sente ciúmes dela e não nos falamos a anos.

—        Não é a mesma coisa.

—        Por quê?

—        Ela é uma vadia que ainda tem sentimentos por você.

—        Você não confia em mim?

Ela se silencia.

—        Mesmo que eu não a veja a anos você ainda odeia que eu sequer cite o nome dela.

—        Não gosto do nome dela com a sua voz.

O sorriso dele aumenta, ele acha linda essa feição enciumada, a qual a rosada leva nesse instante.

—        Então imagine como é pra mim. Tenho certeza que ele ainda gosta de você e não tenta nem esconder isso, como posso imaginá-lo perto de você sabendo que procura qualquer oportunidade pra te conquistar?

—        Poderia confiar em mim, passei anos ao lado dele e não foi ele quem escolhi para estar comigo, por que isso mudaria agora?

Ele suspira e segura suas mãos.

—        Tem razão, você sempre tem razão, mas por favor, entenda meu lado.

Sakura suspira.

—        Eu posso dividir o projeto, ainda vou participar dele, mas posso deixar nas mãos do engenheiro.

Sasuke se aproxima dela e toca suas testas observando-a.

—        Eu sei que não consegue fazer isso. Me lembro perfeitamente de quando trabalhamos juntos.

—        Não é meu feitio realmente, mas posso abrir uma exceção.

Ele sorri.

—        Obrigado por tentar.

Ela toca o rosto dele sentindo-o mais calmo e deposita um beijo nos lábios do moreno. Sasuke se afasta e, apoiando o joelho no colchão, a pega no colo.

O gesto a surpreende, principalmente pelo vento que a atinge ao ser tirada da cama com rapidez.

—        Vamos para o nosso quarto, o que quero fazer com você não pode ser visto pela Sarada.

Ela sorri para ele, mas o sorriso logo se perde e ela o observa seriamente.

—        Não duvide mais de mim.

—        Eu prometo, mas apenas se me prometer me dizer se qualquer idiota passar do ponto com você.

—        Prometo, - ela enlaça os dedos nos fios do moreno - se algum engraçadinho se aproximar de mim eu ligo pro meu cavaleiro de armadura reluzente.

—        Estarei sempre lá pra te defender.

Ele se aproxima e deposita um beijo nela, mas Sakura o afasta um pouco e o observa com seriedade.

—        Tem mais uma coisa.

—        O que? - ele pergunta curioso.

—        Não volte a mencionar o nome dela de novo.

Ele ri entendendo que Sakura se refere a Izumi.

—        Pode deixar, o único nome que preciso é o seu.

 

Agora

Sasuke ainda morre de ciúmes de Sasori, mesmo sem nenhum motivo. O ruivo tentou se desculpar com ela pouco tempo depois de ter se reconciliado com Sasuke, mas não pareceu nada contente ao saber que eles estavam namorando, ainda menos ao descobrir que Sarada nasceria.

A notícia da gravidez no entanto, desagradou apenas a ele, já que as matriarcas Haruno e Uchiha enlouqueceram de felicidade e, para a alegria de Sakura, Itachi também.

O moreno não investiu mais na rosada como prometeu a Sasuke, mas depois de tudo o que aconteceu eles se tornaram bons amigos. A amizade com Deidara também foi restaurada, depois de alguns pedidos de desculpas, afinal, de todos eles seu melhor amigo era a última pessoa que deveria ter participado da aposta.

Gaara deixou Konoha, Temari disse que ele foi para Suna em uma das subsidiárias do escritório de advocacia. Ela também ouviu da loira que ele tem um filho agora e isso a deixou extremamente feliz.

Por falar em filhos, muitos vieram para acompanhar Sarada, entre eles Boruto e Himawari, filhos de Naruto e Hinata, Keiko e Ryuu, filhos de Tenten e Neji, Inojin, o filho de Ino e Sai e Shikadai, filho de Shikamaru e Temari. E agora, um mais novo membro Uchiha. Sakura está ansiosa para saber o sexo do bebê e vai descobrir hoje que é o primeiro exame ultrassonográfico.

—        Você está linda.

Ela sorri. Ainda que a gravidez a tenha deixado com as emoções um pouco abaladas, em nenhum momento sua alto-estima diminui, Sasuke se encarrega disso.

—        Vamos tomar café, temos que estar no consultório em meia hora.

—        Não é só o café da manhã que eu quero comer.

Sakura ri e se afasta dele empurrando-o em direção a mesa.

—        Sem distrações senhor Uchiha.

—        Hai, hai senhora Uchiha.

Ela ri mais uma vez e volta para a copa para servir o café da manhã.

Sakura ama ouvi-lo chamá-la de senhora Uchiha, eles decidiram se casar assim que Sarada completou quatro anos. Ainda que se amassem de corpo e alma, os primeiros anos não foram os mais fáceis, muito pelo contrário eles tiveram que lidar com muita coisa. Entretanto, pouco depois do quarto aniversário de Sarada, no dia do aniversário de Sakura ele a pediu em casamento tornando-a uma mulher mais feliz do que ela sequer poderia imaginar.

 

Eles seguem caminho até o consultório médico onde o exame será realizado e Sasuke parece mais nervoso do que de costume. Ela consegue perceber isso porque o moreno está suando e olha para o relógio de cinco em cinco segundos.

Sakura ri e enlaça os dedos nos do marido fazendo-o olhar para ela.

—        Minha nossa Sasuke, está parecendo pai de primeira viagem.

—        Do que você está falando? Eu estou bem.

Ela ri novamente.

—        É, estou vendo.

—        Uchiha Sakura.

Ela se levanta sendo acompanhada pelo moreno e eles se aproximam do médico que sorri para ela.

—        Me sigam por favor.

Eles seguem o médico e entram na sala.

—        Sente-se, por favor.

Sakura o faz sentando-se na maca e recostando sob os travesseiros.

—        É seu primeiro filho?

—        Não, - ela diz sorridente - mas já faz algum tempo que engravidei.

—        Certo, não há nenhum segredo na verdade, apenas que o gel é um pouco gelado. - ele sorri - Poderia abaixar um pouco a saia?

—        Claro.

Ele prepara a máquina e Sakura abaixa a saia até o colo. Sasuke não gosta de deixar toda essa pele exposta, mas não pode reclamar, isso é necessário afinal. Esse foi um dos motivos pelo qual esse exame tinha que ser em um horário bom para os dois. Ele até preferia que fosse uma mulher, mas Sakura é teimosa demais e disse que não fazia diferença.

—        Vamos lá.

O moreno foca na mão do ultrassonografista para ter certeza de que ele não tentará se aproveitar da situação. O homem coloca o transdutor na pele da rosada, depois de ter colocado o gel e ela sente um arrepio pelo choque térmico.

Um som alto faz os olhos do moreno se afastarem da mão do homem e focarem-se na tela. Sakura também foca no monitor.

—        Isso é normal? Parece que o coração dele está acelerado.

—        Sim, parece. Os fetos tem uma frequência cardíaca maior que a nossa, mas, aquém a isso, esse fato é extremamente comum em casos desse tipo.

Tanto Sakura quanto Sasuke focam nele.

—        Desse tipo? - o moreno pergunta preocupado.

—        Parabéns, vocês terão gêmeos.

Os olhos de ambos se arregalam surpresos. Sakura notou que sua barriga parecia maior do que na gravidez de Sarada, mas apenas pensou que o bebê estava maior, não que havia dois.

—        Teremos gêmeos?

Os olhos esverdeados já começam a lacrimejar.

—        Sim. E ao que posso ver, o que não é muito fácil normalmente, terão um menino e uma menina.

Sasuke se aproxima da rosada e enlaça suas mãos com um sorriso.

—        Sarada vai amar essa notícia. - ela diz com a voz embargada.

—        Sim, ela com certeza vai.

 

Depois de deixar o consultório, eles seguem para seus respectivos trabalhos. Sasuke ainda não gosta da ideia de Sakura trabalhar estando grávida, ainda mais agora que descobriu que serão gêmeos. Mas ela insiste que ainda está cedo para pedir licença, afinal consegue trabalhar muito bem mesmo em seu estado.

Ao fim do dia, Sasuke segue para a obra a qual Sakura está trabalhando atualmente e não demora a vê-la. A rosada entra no carro e o cumprimenta com um longo beijo.

—        Eu nunca vou me cansar disso.

Ela ri e eles seguem para casa.

O caminho é relativamente curto e não demora para que já estejam dentro da garagem.

—        Estranho estar tudo apagado, - ele diz - é cedo para Sarada estar dormindo.

—        Ah, esqueci de avisar. - Sakura desce do carro - Sarada vai dormir na casa da Chocho hoje.

O moreno se aproxima da esposa com um grande sorriso no rosto.

—        Está me dizendo que temos a casa só pra nós.

Ela sorri travessa.

—        Exatamente.

Sasuke a observa e a surpreende ao pegá-la no colo. Ele a leva para o quarto e ao colocá-la na cama, ainda com o sorriso nos lábios, acaricia sua barriga.

—        E eu achando que você não podia me fazer mais feliz do que eu já sou.

Ela sorri em resposta.

—        Agora teremos um menino que você não terá que se preocupar.

—        Mas também vai vir uma menina, mais uma para proteger desses urubus.

A rosada ri do marido, ele ama essa risada.

—        Já sinto pena dela.

As orbes negras focam no rosto delicado e o moreno o toca com a ponta dos dedos. Sakura sente os arrepios ao simples toque, seu corpo está todo sensível por causa da gravidez, o que intensifica todas as sensações. Principalmente quando o êxtase é alcançado, o único porém é que ela não o sente dentro de si. Por causa dos bebês eles não transam como de costume a algum tempo, mas nem por isso o desejo sexual foi diminuindo, muito pelo contrário, ele aumenta a cada dia que passa, exatamente como acontece nos últimos anos. E mesmo que ele não possa penetra-la como deseja, há outras formas de dar prazer um ao outro, eles descobriram isso e não gostam de desperdiçar conhecimento.

A mão delicada toca o rosto de Sasuke que admira a mulher de sua vida.

Eu amo essa mulher.

—        Obrigado Sakura. Obrigado por estar na minha vida, por me dar nossos filhos, por me amar incondicionalmente. Obrigado por ser a mulher da minha vida.

Sakura sorri e lágrimas escorrem por sua pele clara. Ela odeia se sentir fragilizada assim, mas não consegue evitar.

—        Obrigada por não ter desistido do meu perdão.

Ele sorri ao ouvi-la.

—        Nunca vou desistir de você. Mesmo que eu seja estúpido e idiota, que não segure inúmeros elevadores, - ela ri. - nunca vou desistir de você.

—        Você comete muitos erros para um engenheiro formado senhor Uchiha. Começando pelo elevador, mas não posso reclamar totalmente dele, afinal foi o que nos trouxe aqui.

—        Aquele elevador foi o meu primeiro erro, - ele admite - mas sei que acabaríamos encontrando um motivo para discutir.

—        Sim, está certo.

—        Estou sempre certo.

—        Não, não, isso sou eu.

—        Tenho que discordar.

—        É claro que tem.

—        Posso provar que estou sempre certo.

Ela ergue uma sobrancelha curiosa.

—        Pode? E como vai fazer isso?

—        Mostrando como é louca por mim. - ele sorri - Vou te fazer implorar.

Ela ri e se senta no colo dele enroscando seus dedos nos fios negros.

—        Você nunca aprende. Não cansa de perder?

Ele toca o rosto dela ainda com o sorriso.

—        Você é meu prêmio de qualquer jeito, não vou me cansar nunca.

Ao dizer isso os lábios do moreno alcançam os dela. Com toques, beijos e carícias, eles sentem prazer um com o outro e em êxtase se deliciam com o sabor e o calor que seus corpos proporcionam. Não há dúvidas de que a melhor coisa para Sasuke e Sakura, foi um moreno com pressa, não segurar o elevador.

 

Fim


Notas Finais


Oi, eu sou a Liah, vamos conversar?
Olá pessoas, esse foi o fim, espero que tenham gostado e agradeço a todos os que acompanharam até aqui. Foi uma longa jornada da nossa rosada, mas ela finalmente encontrou o amor. Espero que tenham gostado dessa maneira, que eu ainda não vi usarem aqui nas fics, tomara que não tenha ficado muito confuso e que tenham conseguido acompanhar a historia com o rapaz que escolheram. Só lembrando que essa é a única fanfic que será nesse estilo, se houverem próximas fanfics elas serão focadas em um único casal.
Por que eu fiz isso?
Bom, essa história estava determinada desde o instante que comecei, era pra ser SasuSaku até o fim, mas aí um certo personagem me encantou e eu decidi que talvez desse certo se fosse como os otome games. Para ser sincera, não tenho ideia se vocês gostaram, talvez tenha sido apenas uma maluquice minha que não agradou a alguns, ou talvez todos tenham gostado e fico feliz se for assim.
Ao longo da história, torci para um único casal, mas aí o Sasuke se tornou um fofo, também teve o Sasori com aquele ciúmes doentio, mas que apenas queria proteger o amor que sentia pela rosada, ainda teve o Lee, que mesmo que não tenha tido uma história eu cogitei escrevê-la porque eu amei aquele encontro deles e a forma como ele se porta com ela. Resumindo, meu shipp principal se manteve o mesmo, mas houve algumas turbulências no caminho.

Mas enfim, qual história vocês escolheram? Por favor falem comigo, estou curiosa. 🤭 Amei escrever essa fic, até a próxima. ❤️
Tchau pessoas...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...