1. Spirit Fanfics >
  2. O espaço entre nós >
  3. 003. sobre waffles e fases

História O espaço entre nós - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


boa leitura e até as notas finais <3

Capítulo 4 - 003. sobre waffles e fases


Chaves

Jeongguk

Ri ao abrir a porta, meu melhor amigo estava com as mãos meio cheias de fast-food e algumas bebidas, acho que ele viu essa conversa como algo bem maior do que ela realmente era; se ele estava esperando uma confissão apaixonada ou uma rachadura emocional irreparável, ao menos a bebida serviria para curar a decepção dele. 

— Pelo amor de todos os deuses, Gi, ainda bem que quem coloca expectativas na minha vida é você e não eu. — Bebi um pouco, ainda rindo depois de ouvir suas convicções. Ele realmente achava que um dos dois estava apaixonado um pelo outro. 

— Por qual outro motivo um estranho te procuraria pra te dar o número dele e ficar apreensivo sobre o retorno? — Ele citou como se fosse óbvio, e eu afastei a única garrafa de bebida que tinha, decidido a parar mesmo que só tivesse tomado menos que quatro dedos de álcool. 

— Ele não me procurou, sabe disso. E podemos parar de falar sobre relacionamento, eu só queria te dizer que ele foi legal pelas mensagens… e propôs a gente se encontrar de novo algum dia. — Eu disse, um pouco feliz, ignorando a movimentação de seus ombros, indicando que ele queria falar novamente. O silenciei com um olhar. 

Ele realmente não falou mais sobre possibilidades e o assunto sobre Taehyung foi um tópico esquecido da nossa conversa. Yoongi me contou um pouco sobre os últimos trabalhos e eu notei seu cuidado em não mencionar as cartas, o que me deixou com uma sensação boa de agradecimento. Eu não queria mesmo falar sobre isso agora. 

Quando ele começou a falar sobre Hoseok, eu senti vontade de sorrir da mesma forma que ele fazia pra mim minutos atrás, sugestivo. Preferi me conter, tentar tirar uma confirmação de Yoongi no momento ocasionaria um impacto sentimental mundial.

Bandit veio até nós, miando e se esfregando contra o rosto de Yoongi, que sorriu e parou nossa conversa para dar atenção ao gatinho. Isso me deu um tempo para pensar e considerar tudo, em muitos sentidos, me sentia feliz. Quase como se tivesse acabado de pintar mil telas. Tudo parecia… bom. Eu tinha uma vida agitada agora, o que tirava minha atenção da carta. Eu tinha Bandit, que se encarregava de me fornecer carinho e muita proteção. Eu tinha Yoongi, meu melhor amigo, para tudo. Eu tinha Hoseok para ser a melhor companhia possível. Eu tinha tudo. 

X.

Eu havia combinado de sair com Taehyung uma semana depois da nossa segunda troca de mensagens. Ele foi meio inflexível sobre esse encontro, o que mais me deixou curioso do que nervoso, o que foi bom, eu estaria com as cartas em menos de um mês e ter outras coisas na cabeça era quase uma morfina. Mesmo com os cursos, eu ainda me sentia totalmente pressionado. Nem a falta de tempo me desligava daquilo. 

Hoje, de qualquer forma, eu estava preocupado em parecer o mais confortável possível. O clima estava quase suportável e alguns raios solares rebeldes faziam questão de ultrapassar a barreira criada pelas nuvens, o que era agradável. Mesmo assim, arrumei o cachecol em volta de meu pescoço novamente, ajeitando o casaco comprido para me livrar do vento gelado.

— Jeongguk? — Eu arrumei minha postura ao ouvir sua voz, virando meu rosto para o lado e um pouco para cima. — Assustei você? — Ele perguntou, se sentando na cadeira vazia e disponível ao meu lado. Achei melhor assim do que se ele estivesse de frente para mim, mesmo que assim fosse quase… íntimo. 

— Não, só estava distraído ao ponto de nem ter notado sua chegada, desculpa. — Sorri, olhando melhor para seu rosto até conter meu sorriso um pouco mais. Taehyung tinha sardas. Espalhadas pelo rosto inteiro, eu me senti um tolo por não notar antes. Não eram tão fortes, quase como um segundo tom de pele, mais concentradas em seu nariz e bochechas. 

Ele pareceu notar meu olhar, eu acho, se sim, deve ter ficado preocupado com meu constrangimento. Eu mesmo me encarreguei disso, desviando o olhar, não queria incomodar olhando. Vai que ele acha que estou criticando sendo que é totalmente o contrário? Resolvi não comentar nada. 

Antes de falar qualquer coisa comigo, Taehyung chamou um dos garçons, acho que ele notou que eu não tinha nada na mesa já que decidi esperá-lo. 

— Jeongguk? O que vai querer? — Ele perguntou, acho que pela sua primeira chamada, ele deveria ter tentado conversar antes, mas eu não ouvi. 

— Um waffle recheado, morango e amoras, sorvete de creme e um café gelado. Com leite. — Pedi, era o que eu pedia quando queria uma sobremesa quase completa. Taehyung pediu o mesmo, trocando somente seu recheio. 

O garçom saiu após nossos agradecimentos, e Taehyung se virou para mim como se esperasse alguma coisa. Ok, acho que ele provavelmente espera uma conversa. 

— Eu ainda estou meio atordoado com o nosso encontro, sabe? Digo, não esse, o da galeria. — Comecei, para minha surpresa, e estava feliz de não precisar mentir sobre nada para criar uma atmosfera agradável. 

— Parando pra pensar, não é tão impossível. Uma galeria sobre arte com um espaço destinada a astronomia… quais as chances? — Ele sorriu novamente e eu me senti na obrigação de acompanhá-lo. 

— Claro. — Eu só fui capaz de responder isso, olhando um pouco para outra direção na tentativa de me lembrar que estava tudo bem. Sem motivos para estar desconfortável.

— Por que não me conta mais sobre você? — Ele pediu e eu o olhei novamente, rindo um pouco, o que pareceu pegá-lo um pouco de surpresa, mas não mencionou nada.

— E o que você já sabe sobre mim? — Eu perguntei, um pouco sério, mas ele só me olhou, como sempre fazia, e pareceu pensar um pouco. 

— Sei seu nome, sei sua idade, do gatinho chamado Bandit que adora atrapalhar suas mensagens, sei do seu melhor amigo, sei que você demora para me responder por sempre estar pintando alguma coisa. É isso o que eu sei. — Suas respostas  me fizeram sorrir, na verdade, eu quis gargalhar, mas me contive.

— Bom, eu ainda sou estudante, digo, eu faço cursos de desenho ao longo da semana. Eu estou esperando minhas cartas para a faculdade. Eu… acho que você sabe tudo. — Ele assentiu, ciente de que não era tudo, mas tudo o que ele poderia saber por enquanto.

— Você sabe meu nome. Eu tenho vinte anos, desde os quatro decidi que queria ser astronauta e meus pais investiram em programas de educação especializados. Com 19 terminei tudo, fiz vinte recentemente e também estou esperando uma carta.

Esse último tópico me deixou surpresa, e também feliz, ser astronauta não deve ser a melhor das missões, deveria demorar no mínimo, uns seis a sete anos. Eu esperava que ele pudesse conseguir logo. 

— Deve ser difícil, mas você deve ser um gênio por conta disso. — Eu estava mesmo surpreso…. se preparando desde os quatro anos? Acho que isso diz muito sobre o quão determinado ele é. 

— Gênio é uma palavra muito forte. — Ele respondeu, pelo tom, não era modéstia ou meios de aumentar o próprio ego, Taehyung não se considerava mesmo um. 

Eu assenti, sorrindo e me sentindo muito mais relaxado sobre minha própria carta, acho que todos nós esperamos aprovação em todos os aspectos da nossa vida, e parece difícil seguir em frente em meio aos nossos fracassos, mas quem disse que eles não podem existir e que não podemos aprender com eles? A frustração te mata, mas acho que permanecer imóvel diante portas fechadas não é o caminho. Taehyung me ensinou isso sem perceber, porque pensei o que ele faria se não conseguisse. 

— Não te assusta… digo, se não der certo, isso não te assusta? — Eu perguntei. Nosso garçom voltou e colocou tudo em cima da mesa e depois se afastou, até que Taehyung decidiu retomar sua fala.

— Você fala sobre virar astronauta? Vai demorar. Eu preciso de muitas horas de voo, de muito conhecimento, talvez eu nunca consiga, mas entrar na faculdade chega perto da tentativa de conseguir ser feliz. Profissionalmente falando. 

Eu quebrei um pedaço do waffle com as mãos e o seu como colher para o sorvete. Depois desta conversa com Taehyung, um doce caía mesmo bem. 

Isso me fez pensar um pouco também. Eu adoraria entrar na faculdade de belas artes, mas a faculdade era o meu sonho? Era o real motivo do meu esforço? Ou eu ainda tinha outras possibilidades? Eu ainda tinha minha chance de felicidade mesmo com uma carta me dizendo não? Eu não sabia dizer. 

— Eu sou muito cabeça dura, Taehyung, eu treino desenho desde muito novo, e nunca desisti. Você quer isso desde os quatro, deve ter começado tão cedo quanto eu. Eu não duvido que você consiga o que quer. 

Ele sorriu, quase satisfeito. Não quis perguntar o porquê dessa expressão, mas sorri de volta, feliz com a nossa conversa mesmo que ela fosse formal demais. Não me incomodei, acho que nossas personalidades permitem certa adaptação a qualquer coisa.

— Então, quais são os contras de ser um artista? — Ele me perguntou, tomando do café e suspirando. Eu finalmente me senti livre para relaxar, então me ajeitei na cadeira, soltando um pouco minhas mãos, eu sempre as mantinha perto do corpo ou na comida quando estava nervoso. 

— Fora as grandes tendências suicidas, alcoólicas e de você ser um fumante incurável? — Era uma piada muito ruim, mas era assim que éramos conhecidos, quase sempre. — Acho que fora os vícios, estamos propenso a viver meio sozinhos. Quando você faz arte, você questiona, quando você questiona, acaba descobrindo coisas, essas coisas quase sempre são sobre o mundo. Se o mundo não te alimenta com criatividade o suficiente para tornar tudo belo, aquilo provavelmente te mata. Humanos são bons em destruir o que os mantém vivos. 

— E os matemáticos que são chamados de gênio. — Taehyung respondeu de um tempo em silêncio após ouvir minha resposta. Tive que sorrir. Acho que farei isso com frequência perto dele.

— E os de um astronauta? — Perguntei. Tanto ele, quanto eu, sabíamos que não éramos o que sonhávamos em ser. Mas era bom conversar assim, sem as interrupções de fases e fases até estarmos onde queríamos.

— Eu acho que a solidão. — Eu não entendi bem, então o olhei em uma expressão óbvia de interrogação. — Gastamos tempo demais estudando, aprendendo. Relacionamentos exigem tanto tempo quanto isso, então… é.

— Você pareceu ter tempo de conquistar minha amizade. — Eu resolvi brincar, mas isso me deixou envergonhado. Decidi descontar isso em um silêncio prolongado, dando atenção ao que havia pedido.

— Sou bom em não deixar uma constante na minha vida não interferir na outra. E ainda não sou astronauta. — Ele disse como se fosse óbvio, e eu assenti, feliz por ele ainda não ser. 

X.

— Não precisava, de verdade. — Eu sorri agradecido, saindo do carro de Taehyung com um certo desconforto me rondando. Ele olhou o apartamento em que eu morava. Um em uma área residencial sem muita extravagâncias, presente dos meus pais. 

— Precisava sim. Fiz questão. — Ele disse e eu assenti, vendo ele sair do carro também e me acompanhar até a porta. 

— Você quer entrar? — Foi um questão de educação e assenti quando ele negou, esperando que eu entrasse. — Ok, então até mais. — Respondi, digitando a senha no padrão digital sem me importar. Taehyung não era um perigo, e duvido que ele se preocuparia em gravar a senha da minha casa.

— Tchau, Ggukie. — Ele se afastou, dando uma breve corrida até seu carro. Entrei de uma vez, sorrindo pelo apelido que ele me deu, não era incomum, mas era bom ouvir qualquer indício de aproximação. Eu não era o melhor nisso, então estava contando com ele para isso dar certo. 

Bandit me recebeu como sempre, se esfregando contra minhas pernas e miando por carinho. Ou por comida. Decidi fazer os dois, começando pela sessão de carinhos que meu gatinho sempre amava. Ele se aconchegou em meus braços, parecendo mais afim de dormir do que de comer no momento. Supus que ele fez isso durante todo o dia em que fiquei fora. 

Kim Taehyung

20:00: Obrigada pelo dia

Foi incrível

20:01: Boa noite, Ggukie


Notas Finais


os dois últimos capítulos (esse e o anterior) podem parecer meio parados, mas são essenciais para desenvolvimento e eu não quero apressar nada. de qualquer forma, eu espero que vocês estejam gostando. me deixem saber comentando, é importante e me deixa mais tranquila sobre continuar <3 se cuidem. lavem bem as mãos, o celular de vocês, bebam bastante água e cuidem da alimentação de vocês. até a próx <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...