História O espartano e a anteniense. - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Visualizações 53
Palavras 1.557
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Obrigada pelos quase 25 favoritos, espero que gostem do capítulo.
Uma boa leitura.

Capítulo 10 - A preocupação de Noorooo


Enquanto os dois demônios estavam indo para o submundo, contar as novidades para o deus da morte,Hades , finalmente a noite estava chegando para o mundo dos mortais, sendo que a deusa Artémis erguia a lua com maestria de sempre, enquanto o seu irmão gêmeo , Apolo, descia o sol para descansar .

 

 

{ …. }

 

 

~ Quebra de tempo - No mundo dos mortais - Na Grécia Antiga - No vilarejo em Atenas, Grécia.

 

 

 

Marinette estava caminhando sozinha pelas ruas de seu vilarejo, levantando uma grande cesta de pães , para um cliente de última hora da padaria dos seus pais, se misturando-se a multidão que estava terminando o seu dia , durante a sua caminhada , a azulada olhava para os lados com atenção, para saber se não tinha nenhum bandido por perto, para que ele não roube nada da entrega do cliente do seu pai.

 

 

Caminhando sozinha entre as pessoas , a azulada continuava com a sua vigia silenciosa , mas ela teve o caminho interrompido ao endereço do cliente do seu pai , por uma criança faminta , que lançou um olhar de fome para azulada que olhou com pena da criança.

 

 

{ … }

 

 

Criança : __ A senhorita tem algo para que eu coma , faz um bom tempo , desde da última refeição ! - disse para a azulada , estendendo a mão para pedir por comida, olhando faminto para a azulada.

 

 

Marinette : __ Você não deveria estar nas ruas a uma hora destas, cadê os seus pais ? - disse a jovem para a criança , olhando com pena para ela estendendo a mão para pedir por comida, querendo saber sobre os pais da criança.

 

 

 

Criança : __ Os meus pais morreram um bom tempo , então, eu fiquei sozinha ! - disse a criança para a jovem, mantendo a sua mão estendida para pedir por comida , olhando com fome para a azulada.

 

 

Marinette : __ Mas você não tem um outro parente que cuide de você, tipo a sua tia , seu tio, seu avô ? - disse a azulada para a criança , querendo saber se a criança tinha algum parente vivo para cuidar dela.

 

 

 

Criança : __ Eu tenho uma tia , que é a minha irmã da minha mãe, mas ela me maltrata muito , porque eu trabalho o bastante para trazer dinheiro para casa , então, ela me castiga por até uma semana sem comer ! - respondeu a criança para a jovem, contando sobre os mal tratos que sofria com a sua tia , mantendo a sua mão para pedir por comida.

 

 

Marinette : __ Aonde este mundo vai parar, mas como eu vejo que está mesmo com fome , eu vou dar um dos meus pães para você, depois vai procurar alguém que o ajude com a sua tia ! - disse a azulada para a criança, pegando um dos pães da entrega, pedindo para que a criança busque por ajuda.

 

 

Criança : __ Obrigada, senhorita, que os deuses olhem por você ! - disse ela em agradecimento a azulada , vendo ela entregando o pão para comer , sorrindo alegremente para ela.

 

 

Marinette : __ Prontinho,minha querida , agora, vá buscar por ajuda ! - disse a azulada ao entregar o pão , pedindo mais uma vez para que a criança busque por ajuda.

 

 

Criança : __ Eu vou fazer isso, muito obrigada ! - disse ela feliz com o pão dado pela azulada em mãos , agradecendo pela ajuda dela , começando a ir embora de perto da azulada.

 

 

Marinette : __ Ah, minha nossa , bem, eu acho que vou ter que falar para o cliente descontar algumas moedas do pão que eu entreguei , mas não faz mal , eu compenso o meu pai depois ! - disse a azulada ao ver a partida da criança , pércebendo que ia ter que dar desconto sobre a entrega, percebendo que aquilo não importava, voltando a seguir o seu caminho.

 

 

[ … ]

 

 

Depois que ajudou a criança não ter fome , a azulada continuou com o seu caminho em direção ao endereço do cliente do seu pai, logo após um certo tempo , a azulada começou a anotar que estava sendo seguida de perto por alguém desconhecido , então, a jovem retirou um bastão curto de madeira dentro da sua cesta, começando a se preparar para a aprozimação do desconhecido que a seguia .

 

 

Ao sentir que estava se aproximando , a azulada deu uma cassetada na cabeça do desconhecido, olhando sério para ele , depois que deu o golpe.

 

 

{ … }

 

 

Marinette : __ Nem pense se aproximar muito perto de mim, seu abusado, ou vai tomar mais disto ! - disse a azulada para o desconhecido, olhando feio para ele , ameaçando em dar mais surra nele.

 

 

Nathaneel : __ Ai, que dor , Marinette,pode você fez isso comigo, pensei que fossemos amigos , ai … ! - disse um ruivo musculoso para a azulada, massageando o local do golpe que a azulada tinha acertado nele , gemendo de dor.

 

 

Marinette : __ Me desculpe , Nathannel, não fiz por querer , eu achei que fosse um abusador , querendo levar algo de mim ! - disse a azulada reconhecendo o amigo, sentindo- se culpada por ter dado o golpe nele, aguardando o bastão de volta na cesta.

 

 

Nathaneel : __ … , Tudo bem, até que não doeu muito mesmo , eu tenho uma cabeça dura mesmo , obrigada por comprovar isso ! - disse o ruivo para a amiga, massageando o local que a amiga tinha o atingido com o bastão de defesa, ficando feliz que a amiga comprovou que ele era mesmo uma cabeça dura.

 

 

Marinette : __ Me desculpe mesmo, mas o que veio fazer aqui ? - disse a azulada para o amigo, olhando preocupada para ele.

 

 

Nathaneel : __ Bem, é que eu te vi por ai nas ruas sozinha, sabia que é extremamente perigoso em ficar andando sozinha , a essa hora da noite ? - disse o ruivo para a amiga , parando de massagear o local da pancada da amiga , olhando calmo para ela.

 

 

Marinette : __ É que o meu pai não teve tempo para fazer essa entrega, então, ele me pediu para que eu faça para ele, também eu dei um dos pães do cliente para uma criança faminta ! - respondendo ao amigo , contando tudo o que tinha acontecido,olhando ansiosa para ele.

 

 

Nathaneel : __ É um ato realmente muito nobre de sua parte, mas deveria ter cuidado da próxima vez, é pode ter algum ladrão por ai, que usa uma criança para roubar em seu lugar , por sorte , era apenas uma criança ! - elogiando a gentileza da amiga com a criança , dando um conselho para ela , olhando sincero.

 

 

Marinette : __ Obrigada mesmo, Nathaneel , então, eu vou indo , eu tenho uma entrega para fazer ! - agradecendo o conselho do amigo , começando a se despedir dele , começando a voltar para o seu caminho.

 

 

Nathaneel : __ Não vou deixar que vá sozinha, Marinette, me deixe acompanhar você até o endereço do cliente do seu pai , também eu vou te acompanhar até em casa ! - disse o ruivo em um tom sério , pedindo para que a azulada aceite a sua oferta, olhando fixamente para ela.

 

 

Marinette : __ Bem, tudo bem, então , então me siga ! - disse a azulada aceitando o pedido do amigo,vendo que ia mesmo precisar de companhia , pedindo para o amigo a siga.

 

 

Nathaneel : __ Com certeza , vamos indo ! - disse o ruivo feliz com a aceitação da amiga, começando a acompanhar ela até o endereço da entrega dela.

 

 

( … )

 

 

Enquanto os dois amigos estavam indo para o endereço do cliente de última hora da padaria dos pais da azulada .

 

 

( …. )

 

 

~ Quebra de tempo - Na Grécia Antiga ,Esparta - Na mansão dos Noir.

 

 

Depois que se despediu de sua mãe , Chat estava seguindo o assistente do seu pai ,Norooo , até o escritório dele, quando viu um desconhecido que atraiu a sua atenção, fazendo com que ele pare no meio do caminho.

 

 

( … )

 

 

Norooo : __ Senhor Noir Júnior, temos que ir ao escritório do seu pai , por que parou no meio do caminho ? - disse ao anotar que o filho do chefe tinha parado no meio do caminho, virando-se para apressar o gato , tremendo por seu castigo.

 

 

Chat : __ Me desculpe, Noroo, é que algo atraiu a minha atenção , pode esperar por mim, por algum tempo, depois eu acerto as contas com o meu pai ?! - disse o gato para o assistente , pedindo para que o homem o aguarde , pretendendo acertar as contas com o pai dele

 

 

Norooo : __ Eu espero que seja breve, é que o seu pai... ! - aceitando o pedido do gato, olhando ansioso para ele, sendo interrompido pelo gato.

 

 

Chat : __ Eu estou ciente que o meu pai detesta esperar por um longo tempo , Noroo ! - disse o gato completando a frase do assistente do seu pai, olhando calmamente para ele.

 


Notas Finais


me desculpe por algum erro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...