1. Spirit Fanfics >
  2. O estranho bonito (Yoonseok) >
  3. Salve-nos (Parte 2)

História O estranho bonito (Yoonseok) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Sope nation, vcs ainda estão vivas?

Capítulo 9 - Salve-nos (Parte 2)


Yoongi estava de pé, com os braços cruzados sobre o peito largo, encostado em seu carro, no estacionamento dos funcionários, no prédio da sede da SMPA esperando pacientemente o jovem detetive aparecer.

Dez minutos se passam...vinte...depois trinta minutos. Ele ligou para o telefone celular do Jeon, a primeira e a segunda tentativa foram desperdiçadas quando o mais novo não atendeu.

— Eu vou esmagar o rosto desse bastardo com tanta força se ele não atender essa ligação novamente. — Yoongi cantarolou baixinho enquanto esperava a linha se conectar.

No segundo toque, ele atendeu.

— Merda Jungkook! Estou esperando há meia hora. Onde diabos você estava? — ele quase gritou no telefone.

— Err...hyung...hum...eu estou quase aí, apenas espere um minuto. — JK disse e imediatamente encerrou a ligação. Ele sabia que o outro homem estava bravo. Era muito raro chamar o Min de 'Hyung' em ocasiões normais.

Yoongi deslizou o celular de volta no bolso de sua calça jeans. Seu rosto se transformou em uma careta enquanto esperava pelo Jeon, impaciente. Exatamente dez minutos após a ligação, pode ver quando o carro dele  entrou no estacionamento. Seu olhar seguiu o carro esportivo até estacionar  ao seu lado.

Jungkook saiu do carro com um óculos de sol Ray-Ban no rosto. Ele sorriu culpado para Yoongi, que estava olhando-o ferozmente; parecia um feixe de laser queimando um buraco em rosto e provocando arrepios em sua espinha.

— Sinto muito hyung. — Jungkook murmurou forçando o olhar a encontrá-lo enquanto engolia nervosamente, o pomo de adão balançando e seu rosto ficando mais pálido que um cadáver.

— Só não faça novamente. Vem, vamos logo. — Yoongi murmurou irritado enquanto lhe lançava um olhar mortal, e Jungkook assentiu obediente. Mas quando o mais velho virou-se para a porta de vidro do escritório, ele secretamente sorriu da situação.

Muitos oficiais os cumprimentaram com rostos curiosos, afinal, eles ainda estavam de folga. É claro que as pessoas achariam estranho que chegassem ao escritório de repente.

O elevador os levou para o 15° andar,  onde estava localizado o Departamento de Sistema de Dados, onde todas as informações sobre os criminosos, do menor ao maior escalão, ficavam mantidos em segurança no sistema. Jungkook já havia contatado seu amigo que trabalhava naquele departamento e ele estava disposto a ajudá-los a encontrar as informações sobre Bang Yongguk.

Os dois caminharam firmemente até chegarem a sala no final do andar. O Jeon bateu levemente e uma voz suave os recebeu. A porta se abriu e revelou um belo oficial de uniforme sentado.

— Hey Minnie, você está tão...sexy hoje. — Jungkook sorriu maliciosamente enquanto olhava o homem mais velho a sua frente que corou timidamente.

Minseok tirou os óculos de grau do rosto e o pendurou na gola da camisa.

— Obrigado, Kook. Você está muito bonito também. — o Kim sibilou baixinho. Ambos estavam se olhando intensamente como gatos no cio.

Yoongi balançou levemente a cabeça enquanto observava a cena e limpou a garganta.

— Com licença, mas temos algo mais importante para fazer agora. — ele olhou de um lado para o outro com as mãos na cintura e a sobrancelha levantada.

— Errr... sim. Desculpe, por favor, sentem-se, detetives. — Minseok gaguejou e rapidamente puxou uma pilha de documentos de seu gabinete.

Os dois sentaram-se confortavelmente no sofá à frente da mesa do Kim.

Minseok os passou os documentos e começou a falar, agora num tom mais sério.

— Esses documentos contêm todas as informações que temos sobre Bang Yongguk. Ele é o único herdeiro da famosa KNK Industries Holdings. Seu pai, Bang Dongwok, foi um dos poderosos CEO da Coréia e morreu há 4 anos em um acidente de carro fatal junto com sua esposa. Mas o acidente de carro foi considerado suspeito porque encontraram um leve rastro de gasolina no banco de trás. Parecia que o carro foi incendiado antes de cair no barranco. Suspeitam que foi o filho do casal que contratou alguém para matá-los mas, o caso permanece sem solução até hoje, uma vez que não encontraram provas que acusassem o Yongguk.

Yoongi e Jungkook folhearam os documentos enquanto ouviam Minseok com interesse.

— Merda! Ele é filho do famoso Bang Dongwook! —  Jungkook murmurou chocado. — Todo mundo sabe que seu pai era cruel e que teve uma poderosa influência na política.

—  Sim ele é. Mas também suspeitamos que Yongguk esteja altamente envolvido em tráfico de drogas, atividades ilegais de jogo e quadrilha criminosa. Alguns meses atrás, recebemos alguns relatos de pessoas alegando que ele também se envolveu em prostituição forçada ao sequestrar vítimas jovens e bonitas nas ruas. Mas, novamente, não temos provas para legalizar as reivindicações ou suspeitas. Presumimos que ele tenha seus homens para fazer todo o trabalho sujo. E é por isso que não conseguimos conectá-lo em nenhum dos casos criminais. Ele limpou todos os seus traços perfeitamente. A menos que alguém tenha coragem de investigar mais profundamente sobre ele, talvez encontremos fortes evidências que poderiamos usar para lutar contra ele e colocá-lo atrás das grades. — Minseok explicou.

Yoongi, que estava sentado em silêncio durante toda a conversa, sentiu-se tão zangado e amargo. Seus olhos brilharam em determinação e ressentimento em relação ao homem, sabendo que esse mesmo estuprara Hoseok e o tornara seu  escravo à força. Ele apertou as mãos em punhos para conter sua raiva crescente.

Jungkook olhou ocasionalmente para seu parceiro e soube que ele estava lutando contra sua raiva.

—  Por que de repente vocês se interessaram por Bang Yongguk? Estão planejando investigar ele?  —  Minseok perguntou de repente. Curioso demais com o que estavam fazendo.

—  Err... mais ou menos. Acho que temos que ir agora, obrigado por sua ajuda Minnie, nós realmente apreciamos. E, por favor, não conte a ninguém sobre isso. — Jungkook rapidamente falou e se levantou, a situação começando a ficar desconfortável; Yoongi não tinha falado mais uma só palavra.

—  Tudo bem, se você me tratar de me convidar para um jantar o mais breve possível. —  Minseok se levantou também e sorriu sedutoramente para o Jeon.

Jungkook engoliu em seco nervosamente e assentiu com um sorriso forçado para o Kim. Antes de partirem, Yoongi curvou-se levemente para comprimentar o homem com um audível "Obrigado".

A caminhada até o estacionamento foi silenciosa e Jungkook se sentiu deveras desconfortável.

— Yoongi, você está bem? — ele perguntou preocupado enquanto seu olhar seguia o hyung, que estava abrindo a porta de seu carro.

O Min jogou os documentos no banco do passageiro e se virou para Jungkook.

— Jungkook, eu quero investigar esse caso secretamente e preciso que você esteja comigo. —  ele disse com determinação. Seu olhar era forte e resoluto.

— Woahh, você pirou hyung! Este homem é um criminoso fodido. Podemos nos ferar se formos apenas nos dois. Precisamos de pelo menos toda uma equipe para derrubar esse homem. — o Jeon discordou.

Yoongi suspirou profundamente e passou a mão pelos cabelos, nervoso.

—  Estou pedindo que você me ajude Jeon Jungkook. Eu prometi a Hoseok que iria prender esse homem e enviá-lo para a cadeia. Ele foi abusado, estuprado e forçado a se tornar um brinquedo sexual. Não apenas ele mas havia muitas meninas e meninos na mesma situação. Você não viu o quão machucado ele estava quando eu o encontrei naquela noite. PORRA! Eu o amo tanto .. — Yoongi gritou em frustração, ganhando um pouco de atenção das pessoas que estavam passando.

Jungkook ficou tão chocado com sua declaração. Ele nunca tinha visto o Min tão determinado assim antes. "Eu acho que Hoseok realmente derreteu esse coração de pedra hein", pensou e sorriu brevemente.

— Ok, ok, eu vou ajudá-lo. Então, o que devemos fazer agora? — Jungkook se rendeu. Yoongi sempre o ajudara quando estava com problemas e pensou que talvez fosse a hora de devolver o favor.

Yoongi parou abruptamente quando ouviu as palavras de Jungkook. Ele estava andando de um lado para o outro, pensando no que fazer, se o Jeon não o ajudasse. Ele envolveu o homem mais novo em um abraço de urso e murmurou "obrigado" repetidamente.

— Vamos para minha casa. Podemos perguntar mais a Hoseok sobre o Bang. E aí você pode conhecê-lo também. —  Yoongi sorriu e rapidamente se sentou no banco do motorista. Deixando o pobre garoto que arfava como um peixe fora d'água.

Yoongi mal podia esperar para chegar em casa depois de quase 4 horas fora. Ele acelerou seu carro, sendo seguido de perto pelo Jeon, no carro de trás.

[...]

Na mansão de Yongguk

Hoseok estava chorando muito, mas seu soluço era abafado pela mão grande do Bang em sua boca. Ele estava cansado demais de lutar e se contorcer. Yongguk era muito forte.

— Por favor...deixe-me ir...por favor... — ele implorou novamente, por inúmeras vezes.

—  Nada disso meu bem. —  Yongguk sussurrou em seu ouvido esquerdo e lambeu seu lóbulo. — Eu vou te foder tanto sua putinha...

Hoseok suprimiu seu gemido de dor quando o homem morde e chupou seu pescoço, que já estava marcado por hematomas e chupões. Ele o virou bruscamente e colou suas testa, a respiração quente dele atingido diretamente seu rosto.

— Me diga Hoseok....porque me deixou? —  Yongguk segurou seu rosto e alisou suas bochechas com os polegares. —  Ele é melhor do que eu, hum? O pau dele é maior do que o meu? Diga-me pequeno.

Hoseok fungou, assutado. Ele balançou a cabeça levemente em negação, com medo de que o mais velho surtasse novamente e o batesse.

Mas não foi o suficiente para Yongguk que precionou o rosto bonito em suas mãos mais forte.

—  ME DIGA PORRA!!! ME DIGA AGORA HOSEOK!

Hoseok chorou mais forte vendo o descontrole do Bang; seu rosto começando a se avermelhar pelo aperto brusco dele.

Ficando impaciente com a situação, Yongguk começou a beijar forçadamente o menor, enquanto passada a mão por todo o seu corpo esbelto.

— Eu vou te mostrar que eu sou muito melhor que aquele merdinha Hoseok. —  ele murmurou severamente. — Vou fazer você se arrepender de ter me deixado meu bem...

Yongguk riu como se tivesse perdido totalmente a sanidade...e não duvidava que tivesse mesmo.

—  NÃO! POR FAVOR, POR FAVOR YONGGUK! —  Hoseok gritou enquanto tentava inutilmente tirar o corpo do homem de cima de si.  Ele fechou os olhos quando Yongguk o agarrou forte e aproximou-se mais, não querendo ver a face de quem mais odiava. Mas foi quando ouviu o farfalhar de roupas sendo tiradas que reuniu as últimas forças que tinha para o empurrar mais forte, conseguindo derruba-lo pro lado. Ele não perdeu tempo e correu para a porta, mas estava trancada.

Yongguk não demorou a pegá-lo novamente, a raiva flamejando em seus olhos. Ele o deu um soco tão forte no rosto que seu corpo não aguentou mais.

Ao ver o que tinha feito, o Bang rapidamente pegou o corpo menor do chão e o levou até o sofá de seu escritório. O sangue escorria de seu nariz e uma contusão escura começava a se formar em sua bochecha direita.

Yongguk pegou um Hoseok desmaiado em seus braços e o levou até seu quarto, pedindo a uma das empregadas que cuidasse de seus machucados.

Ele retorno a seu escritório, abrindo outra garrafa de whisky, engolindo até um quarto da garrafa. Inesperadamente, uma única lágrima caiu em sua bochecha, mas ele rapidamente a limpou. Não importava o que tivesse que fazer... Hoseok seria dele. Só dele.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...