1. Spirit Fanfics >
  2. O estranho caso do bilionário apaixonado - Jikook >
  3. Pain

História O estranho caso do bilionário apaixonado - Jikook - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 2 - Pain


Fanfic / Fanfiction O estranho caso do bilionário apaixonado - Jikook - Capítulo 2 - Pain

Definitivamente Jungkook precisava de férias, sabe para cuidar de sua vida pessoal e quem sabe entrar em um relacionamento sério.

Ah mas o moreno se espantava toda vez que alguém íntimo de si dizia que um relacionamento lhe acalmaria os ânimos. Como? Se ele não tinha tempo nem para cuidar devidamente de si mesmo, como poderia carregar a responsabilidade de cuidar e zelar por alguém que não fosse ele?

O rapaz estava de cabelos em pé de tanto estresse acumulado dentro de si. Já não aguentava mais as chamadas para reuniões, entrega de relatórios e campanhas de marketing. Era tudo tão cansativo e tedioso.

Sua vida estava se tornando tão monótona e sem sentido que chegava a se perguntar se realmente tinha apenas vinte e um anos.

Tudo girava em torno da empresa. Absolutamente tudo.

- Por quê você não namora um pouco? - Yoongi perguntou, se jogando no sofá da sala de Jin. Jungkook estava sentado no banquinho giratório e recostado no balcão, enquanto Seokjin preparava um lanche para todos. - É sério, mas se não quiser namorar você pode pelo menos sair para alguma balada ou, sei lá cara se diverte.

- Para mim isso não é diversão - murmurou um tanto chateado.

- Te entendo plenamente - disse Alana enquanto descia as escadas de uma forma tediosa.

- Ah há, viu só? Pelo menos alguém concorda comigo - Jungkook se gabou. Bem ela era realmente parecida consigo nesse quesito - Diversão não é só balada e festas, tão pouco namoros.

- Ah qual é mana - levantou a cabeça para encarar a garota que se sentava a mesa na cozinha - Você completa dezessete anos daqui um mês, vai dizer que não vai querer ir á festinhas?

- Não - era nítido que Yoongi só queria provocar os irmãos mais novos, ele nem sabia se deixaria a mais nova ir a própria festa de formatura, quem dirá uma balada para maiores - Prefiro ler, ou me exercitar - continuou encarando o livro que andou carregando para todo lugar nos últimos dias - Mas namorar pode ser divertido.


Ah que aquilo foi a gota d'água. A menina nunca tinha visto os rostos dos irmãos tão vermelhos, Namjoon que ia se dirigindo para as escadas parou para ver o que estava acontecendo e até Hoseok que dormia calmamente sobre o tapete da sala, acordou assustado pelo berro que os três irmãos deram.


- O QUÊ?! - gritaram em uníssono

- Nunca que isso vai acontecer - ditou Yoongi de modo rigoroso fazendo a menina revirar os olhos - Você é só um bebê, e não deve ficar pensando nessa baixarias.

- Ah para Hyung - olhou para o irmão que tinha o rosto um tanto vermelho - Uma hora ou outra isso vai acontecer vocês querendo ou não.

- É mas não tem necessidade de ser agora - Jungkook tinha um bico um tanto emburrado nos lábios, fazendo Alana sorrir diante de tanto drama

- E quem disse que eu vou namorar agora? Vocês são muito dramáticos - revirou os olhos por talvez a décima vez só naquele dia - E Jin - chamou o irmão - Você está me assustando com tanto silêncio, aconteceu algo?

- Não é nada, não se preocupe - falou ainda meio cabisbaixo mas sorrindo em seguida 

- Vamos Alana - chamou Namjoon - Eu te levo para a escola hoje

- Vamos - pegou a mochila e o livro, segurando na mão de Namjoon e em seguida indo para a porta - Tchau gente.

- Tchau - gritou Yoongi, que quando viu a porta se fechar se virou rapidamente para Seokjin - E então? Vai contar qual é a treta da vez ou não?

- É mesmo - concordou o mais novo - Só não nos diga que é algo relacionado ao tratamento de Helena.

- Bem...

- Ah Jin, conta logo - Yoongi estava bastante aflito com todo aquele suspense

- É sobre aqueles jantares anuais que a familia do pai faz - abaixou a cabeça.

- Ah claro, como esquecer - Sorriu sem humor - Como esquecer o dia em que mais levamos chacotas e que mais somos desprezados.

Era nítido a mágoa que Yoongi carregava. Ele não conseguia esquecer das palavras de desprezo que lançaram contra ele e Jin quando se assumiram gays. Os olhares de desgosto que eram direcionados a si e ao irmão como se fossem as pessoas mais nojentas do mundo.

- Eu não quero ir - Jungkook se pronunciou. Ele sentia a dor pelos irmãos e não queria presenciar aquela cena novamente.

- Mas o principal motivos destas festinhas é você - deu dois tapinhas nas costas do irmão - Sabe que elas são feitas com o intuito de arranjar alguém para você.

- Então se eu arranjar alguém para mim essas festas estarão acabadas - sugeriu sorrindo de canto.

- Nem pense em fazer isso a força Jungkook - repreendeu Jin - Relacionamento não é brincadeira, portanto se for para arranjar alguém e machucar os sentimentos dessa pessoa depois - apontou o dedo no rosto do outro - É melhor continuar sozinho.


(...)


Jungkook suspirou pela vigésima vez enquanto o telefone tocava novamente sobre a mesa de seu escritório. Provavelmente sua secretária pedindo permissão para mudar alguma reunião ou até para sair mais cedo. Se bem que quanto ao quesituo  sair mais cedo, ela ia pessoalmente até sua sala, o deixando totalmente desconfortável com a aproximação que ela insistia em manter.

Digamos que o trabalho da mulher não tem sido muito bem eficiente nas últimas semanas, e isso era devido as saídas no meio do expediente, ou aos telefonemas pessoais que ela teimava em atender durante o trabalho, ficando totalmente alheia a tudo e a todos.

O moreno estava cansado e tudo o que queria era que surgisse algum motivo bom o suficiente para o fazer ir para casa mais cedo.

- Alô 

- Jungkook que bom que atendeu, preciso que me faça um favor.

- Jin? O que foi? Pode dizer

- Você pode ir buscar Alana no colégio? Está quase na hora do almoço e o restaurante está cheio e não tem como eu ir buscá-la agora.

- Claro, eu busco sim.

- Obrigado, tchau.

- Tchau.

 Naquele momento Jungkook se encontrava com um sorriso imenso no rosto. Eis aí o seu motivo para sair mais cedo do trabalho.

Tratou de pegar logo suas coisas. Guardando notebook, agenda e alguns documentos importantes em sua bolsa. Pegou seu celular conferindo as horas. Onze e quinze, daria tempo de buscar sua irmã e voltar a tempo para a empresa.

- Senhor?- Ah não, sua secretária tinha que aparecer justo agora? - Podemos conversar?

- Seja rápida - disse sem rodeios

- Posso sair mais cedo hoje? - fez uma cara que muitos julgariam ser fofa, mas para o moreno foi uma atitude um tanto ridícula - Por Favor chefinho - fez manha causando ânsia no outro.

- Não - disse sério, e iria sair dali se não fosse barrada pelo corpo magro da outra. - Com licença senhorita Kang.

- Eu gosto quando me chama pelo sobrenome

-É só por educação - a empurrou minimamente - agora tenho que ir, até mais tarde senhorita Kang.

Se despediu por respeito, mesmo que sua maior vontade no momento fosse manda a loira ir á merda.

Jungkook parou para pensar no quanto sua vida estava um caos no momento. Era tão difícil ter que administrar uma empresa tão grande quanto aquela mesmo que temporariamente já que quando o tratamento de Helena acabasse seu pai fosse tomar as rédeas da empresa novamente.

O caminho até o colégio foi repleto de suspiros e resmungos de sua parte. Ah estava se sentindo tão frustrado e cansado que sua maior vontade era ficar dentro de casa e não sair para nada.


Parou o carro em frente os portões da escola e viu ao longe Alana conversando com uma pessoa de aparência bastante familiar para si. Buzinou chamando a atenção da irmã que se despediu rapidamente.

- Está atrasado quarenta minutos - entrou no carro colocando a mochila no banco de trás, fechando a porta em seguida. - Está tudo bem? 

- Ah sim, me atrasei porque Jin me ligou um pouco tarde, aí eu acabei me enrolando - escutou a garota murmurar um "entendi", pegando o celular em seguida - Com quem você conversava? - o moreno odiava ficar curioso, portanto não hesitou em perguntar.

- Meu professor de artes, o Jimin - disse sem muito interesse

- Ah é que eu achei ele bastante familiar mas não me lembro de ser alguém próximo.

- Bom - pegou os fones na bolsa, se sentando corretamente depois e olhando para o irmão com um sorriso estranho - Isso quer dizer que - pigarreou - Você prestou bastante atenção no trapezista do circo naquela noite.

- Ah então é ele - Jungkook não sabia bem o porquê, mas um pequeno sorriso se formou no canto de seus lábios ao saber daquela informação, mas tratou logo de ficar sério para a irmã não perceber, o que foi inútil já que nada passava despercebido por ela. 


- Ah droga. - passou as mãos pelo rosto.

- O que foi Jungkook?

- Esqueci alguns documentos no escritório - virou uma rua - Vou voltar lá pra pegar eles aí nós vamos direto para o restaurante.

- Tudo bem. Pode ser o do Jin? - falou animada - Eu ainda não comi lá

- Tudo o que você quiser princesa.


(...)


Jungkook dirigia de forma calma, passando pelas lojas e comércios, já que a área não continham muitos prédios comerciais. O rapaz meditava sobre muitas coisas mas Alana o tirou de seus devaneios.

- Jimin Hyung mora aqui perto - contou olhando pela janela do carro, atenta a tudo.

- Como sabe? - era realmente curioso, já que a morena nem saiu de casa para visitas naquelas duas semanas que haviam passado.

- Ele me contou.

- Ele parece ser bem gentil não é? - puxou assunto, tentando passar a impressão de que só queria deixar o clima mais conbersativo, mas na verdade ele só queria falar sobre Jimin mesmo.

- sim - sorriu ainda encarando a janela - Ele me acalmou hoje - Jungkook olhou preocupado - Algumas meninas vieram me insultar pelo meu tom de pele ser diferente, bem mais escuro e eu comecei a ter aqueles espasmos sabe? Aqueles que eu tinha quando era criança.

Naquele momento o coração de Jungkook se apertou, tanto por saber que sua irmã mais nova estava sofrendo bullying e também porque os sintomas de autismo estavam voltando com mais força.

A irritabilidade, sensibilidade a sons muito altos, impulsividade, todos esses sintomas estavam voltando com mais frequência e até mesmo acompanhados de outros, como por exemplo a falta de contato visual.

- Eu acho bom você continuar tendo suas sessões com o psicólog- Alana? Está me ouvindo?

Naquela altura Jungkook já tinha parado o carro, a menina olhava para o outro lado da rua,e foi quando acompanhou o olhar dela que ele viu.

Um homem estava espancando um garoto. Aquele menino parecia familiar para si mas o que ele poderia fazer naquele momento? Chamar a polícia? Não eles demoraram demais. Então a única opção seria intervir. Abriu a porta do carro mas seu pulso foi segurado.

- É o Jimin Hyung - o mais alto arregalou os olhos se apressando.

- Merda.

Correu em direção ao beco viu dois homens e sentiu ânsia e raiva ao presenciar a cena de perto. O rapaz estava caído com o rosto coberto de sangue e aparentemente desmaiado. Enquanto um homem socava seu peitoral e estômago o outro apenas olhava como se não quisesse sujar suas mãos ou apenas queria apreciar a cena, e isso fez Jungkook se irar ainda mais.

- Ei - gritou fazendo os homens se assustarem - O que pensam que estão fazendo?

- O que VOCÊ pensa que está fazendo seu moleq- espera - deu dois passos em sua direção parando em sua frente - Eu conheço você. Ah claro, o tão famoso e rico Jeon Jungkook. O que faz aqui? Decidiu virar defensor dos fracos e oprimidos agora?

- Eu não vou ficar olhando você espancar esse garoto - rosnou irritado.

- Então é só não olhar.

- Deixe de brincadeiras, eu vou chamar a polícia - o homem se assustou minimamente. Havia sido mandado ali para fazer somente um serviço e ele não incluía ser preso

- Fique a vontade. Ele é todo seu.

Derrepente os homens apenas se olharam e andaram até a grade do beco, a pulando e  sumindo de vista, deixando somente Jungkook com o garoto desacordado. Mas quando o moreno se virou viu sua irmã ao lado do seu professor.

- Temos que levá-lo ao hospital - falou se abaixando ao lado do corpo do rapaz, que começou a tossir um pouco de sangue deixando Jungkook muito preocupado. E se ele estivesse tendo uma hemirragia interna? Não dava para saber ao certo já que não sabiam a quanto tempo ele ficou apanhando ou quantos socos no tórax e estômago tinham sido desferidos contra ele.

- Não é hemorragia interna - o moreno a olhou - Pelo menos não tão grande. O tórax dele ta inteiro provavelmente ele quebrou algumas costelas, portando o leve com cuidado.

(...)

Jimin havia dado entrada no hospital ao meio dia e por ser o melhor hospital da cidade, foram recebidos por médicos e enfermeiras que o levaram direto para a sala de raio x.

Já passavam se das três da tarde. Um médico foi até os irmãos para darem notícia sobre Jimin, qie depois de muitos sedativos havia apagado.

Como Alana havia previsto, o rapaz estava com duas costelas quebradas e uma pequena hemorragia perto da parede estomacal mas foi contida. Além de vários cortes no rosto e por todo o corpo.

- Graças a Deus - Yoongi correu na direção dos irmãos que aguardavam na recepção. - Vocês estão bem? O que aconteceu.

E assim se passaram longos minutos de ambos explicando o que tinha acontecido, deixando o mais velho deles completamente em choque. Jungkook já havia feito uma denúncia a polícia, estes inclusive já haviam lhes feito algumas perguntas.

- Então eu vou levar Alana para casa - pegou a garota no colo, já que esta estava dormindo em um sono profundo - Mande noticias, viremos aqui quando ele acordar tudo bem? - Jungkook apenas assentiu, se sentindo totalmente cansado.

(...)

Jeon havia sido transferido para o quarto em que Jimin estava. Jin tinha lhe levado algumas peças de roupas e o moreno já havia tomado até um bom banho e comido um sanduíche que as infermeiras levaram para si.

É, hospital de rico tinha seus benefícios já que até cama para o acompanhante tinha no quarto, que era por sinal enorme.


Jungkook estava sentado ao lado da cama de Jimin, acariciando seus cabelos e lhe admirando dormir serenamente. Mesmo com o rosto machucado, Jimin não deixava de ser bonito e isso assustava Jeon que aparentemente estava sentindo uma certa atração pelo rosado.

Sim. Desde que havia lhe visto no circo, ele tinha sentido alguma coisa dentro de si, uma coisa diferente, um calor diferente.

Jungkook nunca havia se questionado sobre sua sexualidade. Ele nunca havia sequer namorado ou tido um contato mais íntimo com alguém.

E foi tendo seus cabelos acariciados que o menor acordou. Ele ficou olhando cada detalhe do rosto do moreno, até que este percebeu seu despertar.

- Oi - continuou passando a mão grande pelos fios sedosos. Algo dizia que ele não deveria parar de dar carinho ao outro - Que bom que acordou.

- Onde eu estou? - perguntou assustado por finalmente se dar conta de que não conhecia aquele lugar e tão pouco o rapaz que se encontrava ao seu lado.

- Está no hospital - viu o outro arregalar os olhos - Você estava no beco e-

- Aqueles filhos da puta - começou a derramar lágrimas quentes, se recordando de tudo o que tinha acontecido. Jungkook continuou com o afago nem se importando pelo linguajar sujo do outro. - Como se não bastasse destruir a minha casa - soluçou - Ainda tinham que vir atrás de mim só porque eu não quis dar para aquele mágico de araque - derramou cada vez mais lágrimas - Porque comigo? - puxou seus próprios cabelos em frustração

Jungkook vendo o descontrole do outro, o sentou na cama e o abraçou como pode, nem se importando com a lágrimas quentes do outro que molhavam seu pescoço. Jimin também não recusou o abraço reconfortante do outro, mas estava fragilizado e se sentindo sujo, só não sabia o porquê 

- Eles tão tocaram em mim não é? - Jungkook entendeu a pergunta e o abraçou mais forte. Ele mesmo não se perdoaria se algum daqueles homens tivessem tocado no menor de forma suja - Por favor me diz que não.

- Ele não tocaram em você. Eu não deixaria e acabaria com cada um deles se isso tivesse acontecido.


E foi dentro daquele quarto ao som dos soluços do outro, que Jungkook sentiu que deveria protegê-lo de tudo que pudesse feri-lo de alguma forma.





Notas Finais


Volteii me desculpem a demora e perdoem qualquer erro. Não revisei a historia ainda mas logo logo farei isso.

Eu espero que tenham gostado do capítulo, ele foi bem triste mas os mistérios serão explicados em breve.

Tchauuu 🐼🐼🐼🐼🐼


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...