História O Eterno Amanhã - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Com Amor, Simon
Tags Love Simon
Visualizações 3
Palavras 1.702
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Me perdoe por qualquer erro.
Para que não fique perdido ao decorrer do capítulo:

Freshman - Primeiro ano do ensino médio
Sophomore - Segundo ano do ensino médio
Junior - Terceiro ano do ensino médio
Sênior - Quarto ano do ensino médio
QB - Quarter Back

Capítulo 1 - Patrick Smith


É tudo tão lindo...  por um momento estou deitado em uma espécie de jardim rodeado por begônias, o ar é tão... não sei ao certo dizer e é de dia, mas a luz do sol parece mais clara do que normalmente e menos quente, e por aquele misero instante eu me sinto livre... até que eu abro os olhos e me encontro em um cubículo que eu chamo de quarto em baixo de uma escada em uma cidade qualquer no fim de Minnesota.

~Celular apitando~
- Charlie, desliga essa porcaria!! Pra que despertador se o menino sempre acorda atrasado?!

Essa é a minha guardiã legal, Jean, porque como mãe sempre foi péssima. Ainda ouço alguns ruídos de conversas na sala, de onde Jean estava gritando, sem responder eu desligo o despertador e me arrumo vendo que eu realmente estou atrasado, para o meu grande dia.

- Chamada de última hora, é agora ou nunca pelos atrasados de plantão!

-Hey!! – Falo chegando ao palco do teatro de Baxter, onde eu vou fazer uma audição de dança.

- Eu sou o Charlie.. humm... eu danço dança de rua já tem três anos... – Eles me encaram e então eu começo minha apresentação que é uma dança break com uma mistura de freestyle e como era minha primeira audição eu estava um pouco nervoso e erro na finalização da dança, mas eu tento não ficar mais nervoso e olho para a banca a avaliadora, que eram dois.

- Ok... se houver uma próxima vez, não se atrase! – Fala uma dos avaliadores

- Claro, claro – Falo ainda ofegante e dou uma risada de nervoso no final e saio do palco, já fora do teatro, em direção ao ponto de ônibus, meu celular toca e eu atendo.

- E aí? – Fala Celine, minha melhor amiga, na verdade irmã de outra mãe

- E aí o que?

- O Patrick!! Tá lentinho hoje né?!

- Ah! Claro, o Patrick... – Chego no ponto de ônibus e me sento pra poder conversar com ela.

--- Uma semana atrás nos corredores do colégio Foster---

- Oi, eu queria saber se ainda da pra eu me inscrever para as audições... – Falo segurando o celular encostado no ombro e apertando com a orelha e fechando o meu armário ao mesmo tempo.

- Dá sim, qual seu nome? – Fala uma moça do outro lado da linha

- Charlie...

- Sobrenome?

- Shamway, Charlie Shamway

- Ok, a audição será às 8:00 no sábado, não se... –

- Te achei! – tomo um susto ao ouvir a voz de Celine e paro de prestar atenção no telefone.

- Tá, ok!! – Falo com a moça no telefone e pego o celular e desligo com um clique e guardo o mesmo, voltando minha atenção pra Celine.

- Tava falando com quem? – Pergunta Celine me olhando e fazendo uma mania que eu odeio que é ficar enrolando a ponta do cabelo com os dedos.

- Ninguém! – Falo tirando a mão dela do cabelo e ela mal presta atenção em mim por um motivo obvio: Patrick Smith.

- Aí meu Deus, ele ta vinda na nossa direção?! – Fala ela desviando o olhar que até segundos antes estava totalmente em Patrick. E sim, ele estava vindo em nossa direção.

- Charlie, isso? – fala ele apontando pra mim e esperando minha aprovação sobre ter acertado meu nome

- E Celine – Falo apontando para a Celine ao meu lado, que só conseguiu acenar e dizer um oi tímido para o mesmo, ele da uma risada meio sem graça e continua.

- Indo ao ponto, você é o melhor da turma de Inglês avançado do Sr. William, e eu queria saber se pode me dar umas aulas particulares.

- Foi mal, não vai dar! – Falo sem nenhum animo

- Eu pago! – Ele fala sem hesito. E eu to precisando de um trampo, então que sou eu pra recusar?!

- Ok, vejamos, hoje é segunda... eu só vou estar livre na sexta – Falo mesmo sem nada pra fazer a semana toda.

- OK, sexta na minha casa, eu te mando a localização! – Ele fala e por fim sai

- Aí meu Deus, o que acabou de acontecer? – Fala a Celine toda animada e o sinal para o ultimo horário toca.

- A gente se fala depois pode ser? Eu tenho aula de Frances e a Sra. Adams me odeia. – Falo pegando minhas apostilas de Francês e andando em direção a minha sala.

- Ei, pera aí. – Fala ela me seguindo pelos corredores - Um sênior acabou de pedir ajuda pra um sophomore, em que tipo de realidade alternativa é essa em que acordamos hoje?!

- Amiga! – Falo parando e me virando para ela – Até quando vai ficar vangloriando os populares?! Qual é, eles são só um bando de babaca que só porque jogam futebol acham que estão acima dos outros, o que com certeza não estão, pela quantidade de jogadores, você acha mesmo que as faculdades saem dando bolsas pra todos os atletas?! Se liga! – Volto a andar e ela para de me seguir e vai em outra direção.

--- Sexta feira, duas horas antes de ir pra casa do Patrick ---

Chego em casa todo molhado por causa da chuva, Jean estava com o mesmo cara de uma semana atrás, quase um recorde, eles mal me notam eu não falo nada e vou para o banheiro me trocar, em frente a pia tiro o celular do bolso, que por um milagre ainda funciona, e vejo as horas e me lembro que tenho que ir a casa de Patrick.

--

Chego na casa de Patrick com vários livros em mão, e agora estava chuviscando, não o suficiente pra se encharcar.  A casa de Patrick era incrível e muito grande, quando se tem dinheiro pra ter uma casa assim as pessoas geralmente optam por sair de Baxter, mas ele é uma exceção aparente mente.

Ding-dong. Após tocar a campainha não demora muito pra ele abrir a porta e com um sorriso estampado no rosto.

- Hey – Falo meio sem graça

- Hey, pode entrar

- Claro... – Falo entrando e por dentro era mais impressionante ainda, era uma casa clean com tons marrons e com vários detalhes...

- Sua casa é incrível... – Falo olhando ao redor – Então, onde é que a gente pode começar?

- Pode ser na biblioteca... – ele fala e começa andar até a biblioteca, que era uma lugar bem aconchegante e com vários livros que eu daria minha alma pra ter.

- Isso é o box da trilogia de Senhor dos Anéis? – Falo impressionado

- Você gosta?

- Não, só é um dos meus filmes favoritos de todos os tempos. – Falo desviando o olhar dos livros e me virando pra ele. – E você

- Um pouquinho... – Nos encaramos por um tempo e logo eu coloco os livros na mesa, acabando com o clima que essa conversa ficou.

Já havia se passado 30 minutos que eu cheguei e 20 que nós estamos estudando e o Patrick é meio viajado, sempre se perdendo em problemas simples.

- Ta prestando atenção? – Chamo a atenção do mesmo que parece estar em dois lugares ao mesmo tempo.

- “Tudo o que temos de decidir é o que fazer com o tempo que nos é dado.” – Ele fala saindo da espécie de transi que estava a alguns segundo atrás. E eu fico impressionado, pois ele acabou de citar O Senhor dos Anéis.

- Quer dizer que você é um QB, sênior e que na calada da noite maratona O Senhor Dos Anéis!? – Falo com um tom de ironia – Parece que eu tava errado, você não é tão mal assim...

- O que ta dizendo?

- Nada, é só que eu pensei que fosse um desses atletas metidos.

- Eu pareço um atleta metido?

- Tipo... o tempo todo – rio com tom de ironia – Menos quando você chegou, sabe, antes de começar a andar com os cool’s

- Se não me achou chato quando me conheceu, por que não falou comigo?

- Eu falei! ... No segundo tempo, aula de geometria, você entrou na sala errada e a gente conversou a aula inteira...

- Charlie...

- Tá tudo bem! – falo o interrompendo – Existem mais coisas importantes do que um freshman, certo?! E você é sênior agora, tá a um passo de se tornar um universitário.

- Tem razão, eu fui um babaca no 3° ano... – Damos uma risada fraca e ficamos nos encarando - Ta com fome?

- Pra falar a verdade, sim.

A biblioteca era no segundo andar, então a gente desceu a escada e foi para a área externa onde tinha uma cozinha incrível e uma piscina que parecia ser maior que a minha casa, de verdade.

- Que bonitinho – Falo pegando uma foto que parece ser do Patrick criança, com as suas mães. – Esse é você?!

- É... – ele fala pegando a foto da minha mão e a colocando de volta em seu devido lugar – Minha mãe ama essa foto, então é melhor não tocar.

- Onde estão elas? – Falo encostando os cotovelos no balcão, enquanto Patrick prepara um suco, que parece ser de maracujá.

- Não quero falar sobre isso... – Fala enquanto mexe o suco

- Minha amiga, Celine, ia adorar essa casa... – Falo olhando ao redor, e achando a oportunidade perfeita pra falar de Celine.

- Quem não ia?! – Ele fala me entregando o suco e vai pegar alguma coisa na geladeira.

- Nossa, ta incrível – Falo ao dar um gole no suco

- Suco de saquinho, uma das minhas especialidades – Ele ri e vem até mim com um pedaço de bolo de chocolate e com uma colher, eu pego um pedaço do bolo e como.

- Como descrever uma coisa mais que incrível? – O bolo tava realmente incrível

- É só te descrever – Ele fala com um sorriso no rosto e limpando o canto da minha boca, que aparentemente estava com resto de bolo.

- A minha amiga Celine adora bolo de chocolate – Falo dando um passo pra traz, me distanciando do mesmo, ele me encara eu dou uma lambida no dedo que estava com chocolate e dou uma risada leve, ele se aproxima de mim, e se aproxima dos meus lábios e eu fico ali paralisado.


Notas Finais


**
Freshman - Primeiro ano do ensino médio
Sophomore - Segundo ano do ensino médio
Junior - Terceiro ano do ensino médio
Sênior - Quarto ano do ensino médio
QB - Quarter Back


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...