1. Spirit Fanfics >
  2. O Fantasma da Noite >
  3. Confusão

História O Fantasma da Noite - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei
Sem muita enrolação, vamos lá

Capítulo 4 - Confusão


Fanfic / Fanfiction O Fantasma da Noite - Capítulo 4 - Confusão

Erik

Respiro fundo e digo para mim mesmo que não seria nada de mais, aquela menina parecia estar muito assustada e sozinha, não haveria problema cantar para ela

Sento ao lado de sua cama, ela me olhava fixamente, o que fez minha expressão de “malvado” derreter-se em um sorriso inocente. Logo começo a cantar

Nightime sharpens, heightens each sensation

Darkness stirs and wakes imagination

Silently the senses abandon their defenses

Slowly, gently, night unfurls its splendour

Grasp it, sense it, tremulous and tender

Turn your face away

From the garish light of day

Turn your thoughts away from cold

Unfeeling light

And listen to the music of the night”

Aquilo era tudo que eu havia escrito até então, era uma musica que estava compondo à bastante tempo, tendo a lua como minha maior inspiração, porém tive a sensação de que aquela musica poderia ter sido escrita para ela, pois no segundo verso Christine estava totalmente relaxada, não havia mais nenhum pingo de tristeza em seu rosto, havia até um pequeno sorriso em sua expressão adormecida

Me levantei para ir embora, mas não pude evitar observá-la por mais um tempo, seu rosto era o mais próximo da perfeição que já havia visto, afastando toda e qualquer raiva que pudesse ter sentido anteriormente, definitivamente não conseguiria machucá-la nem se ela abrisse o bico, queria saber sua história, seus medos, seus gostos, queria passar horas conversando com ela, e protegê-la de todo e qualquer mal que pudesse machucá-la

Logo balancei minha cabeça, como se lembrasse que estava há algum tempo parado em pé olhando para ela, senti uma mistura de fraqueza e felicidade, poderíamos ser amigos? Fazia tanto tempo q não tinha amigos, todos apenas sentiam medo de mim

De qualquer forma, finalmente saí, recolhi minhas coisas do terraço e continuei minha composição do subterrâneo mesmo, embora tivesse passado todos os minutos restantes daquela noite pensando nela

CHRISTINE

Acordei no dia seguinte me sentindo um pouco melhor, ainda estava extremamente triste, mas tinha lembranças boas de uma voz angelical cantando para mim antes de dormir, teria eu feito... um amigo?

Será que não havia sido nada além de um sonho? Talvez eu apenas estivesse tão solitária que sonhei com um homem mascarado e bonito cantando maravilhosamente bem para mim

Me levanto e vejo, na cabeceira, um papel de sanduíche, o que me lembra que provavelmente não comera nada desde o incêndio, apesar de não sentir muita fome, saio diretamente para a cozinha, onde preparo um macarrão com os poucos ingredientes que haviam ali, precisaria de dinheiro, se não não haveria comida para mim, não tinha mais meus pais para resolver tudo, teria que me virar

Assim que acabo de comer, vou em direção ao palco, onde, pela hora, a aula de ballet da Madame Giry deveria estar começando

-Christine, como está se sentindo? - disse Meg, correndo até mim e me abraçando

-Meg! -retribuo o abraço, estava muito feliz em vê-la - estou bem melhor, mas ainda um pouco triste

-Não consigo nem imaginar a dor que está sentindo nesse momento, mas quero que saiba que eu estou aqui, ok? Pode contar comigo, sempre

Naquele momento, Madame Giry chega perto de nós, junto com as outras bailarinas

-Christine, dormiu bem essa noite? 

-Sim, muito obrigada, mais uma vez, pela acomodação

-Vai juntar-se a nós na aula hoje?

-sinto muito, Madame, mas não tenho como pagar pelas aulas, mas gostaria de assistir, se permitir

-Não fale bobagens, Christine, é uma cortesia minha

-Muito obrigada, Madame Giry, juro que a pagarei quando tiver dinheiro. Falando nisso, acho que preciso de um emprego

-Talvez Firmin tenha alguma vaga disponível aqui na Ópera, deveria vê-lo depois

-não tenho nem como agradecer - digo, andando em direção ao palco para o início da aula

Confesso que foi bem difícil concentrar-me nos passos, estava errando quase tudo, mas Madame Giry certamente entendia minha situação, pois não me repreendeu nenhuma vez

No final da aula, Meg veio até mim

-Quer desabafar?

-Acho que não tenho muito o que dizer, ainda não digeri tudo que ocorreu

-Mas pelo menos conseguiu dormir bem?

-sabe Meg, tenho a sensação de que não estava sozinha essa noite

-Como assim?

-lembro-me muito pouco do que ocorreu, mas tenho quase certeza que uma voz angelical cantou para que eu dormisse, talvez fosse o anjo da música que meu pai tanto falava

-Tem certeza que apenas cantaram para você?

-Como assim, Meg?

-Conhece os boatos do Fantasma da Ópera

-Não, Meg, cruzes, o Fantasma não existe, deve ter sido apenas um sonho. Talvez a saudade do meu pai tenha feito minha mente viajar ontem

-De qualquer forma, tome cuidado, por favor

-Pode deixar, Meg

Madame Giry segura a mão de Meg enquanto guia as outras bailarinas para fora da Ópera

-tem o que comer hoje, Christine? - perguntou Madame Giry

-tenho sim, não se preocupe Madame, mais uma vez muito obrigado

-Se cuida, hein

Começo a me sentir triste novamente quando vejo Meg e sua mãe saindo do palco, significa que provavelmente sozinha de novo, e que não teria o que comer, só não queria abusar da boa vontade de Madame Giry ao dizer para não se preocupar. No mesmo momento, caminho em direção ao escritório de Firmin com a esperança de conseguir um emprego

-Com licença, senhor Firmin

-Entre - disse uma voz rouca

-Gostaria de saber se tem alguma vaga disponível

-A temporada ainda não começou, então por enquanto não, os atores e sopranos só chegarão daqui a três dias para os ensaios de Fausto

-Entendo - digo, sem esconder minha tristeza, caminhando em direção a porta

-Espere, talvez haja uma vaga sim

Meus olhos chegam a brilhar ao ouvir isso

-Precisamos de alguém para limpar os camarins, que precisam estar impecáveis quando a temporada começar

-Posso fazer isso, senhor

-Ótimo, então comece amanhã, quero os camarins brilhando até os atores chegarem, principalmente o camarim de Carlotta, que faz questão de tudo estar impecável para ela

-Muito obrigada, senhor - digo mais uma vez, enquanto saio de sua sala, até que a parte do emprego não foi tão difícil de ser resolvida. Porém, assim que saio de sua sala, lembro que não haveria nada para jantar

Reviro a cozinha em busca de algum alimento, e por sorte encontro um pacote de biscoitos num armário afastado. Não eram muito nutritivos, mas teriam de servir, como metade, deixando o restante para o almoço de amanhã, e subo até o meu quarto com a esperança de encontrar aquele homem misterioso novamente

Será que não havia passado de um sonho? De qualquer forma, inconscientemente caminho até aquele mesmo vitral onde acho que o avistei no dia anterior



Notas Finais


Desculpe, mas vou ter que parar por aqui
Lembrei que estou de quarentena, e não de férias, e com isso, tenho alguns exercícios de escola para enviar
Obrigado por lerem até aqui
Espero que estejam gostando
Dependendo do horário que termine esses exercícios, talvez poste o próximo capítulo ainda hoje
De qualquer forma, prometo que não vou demorar muito para lançar o próximo
Vlw flw
Tmj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...