1. Spirit Fanfics >
  2. O fazendeiro - Gaasaku >
  3. Parte 3

História O fazendeiro - Gaasaku - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Parte 3


Depois de descarregarmos o carro e todas as malas estarem na varanda pude observar a casa como um todo melhor.


Ela é bem rústica com toda certeza, mas, com um leve toque moderno. Talvez tenha sido reformada recentemente.


Uma casa enorme que acho que pode ser considerada uma mansão.


Chuto que tem dois andares, vigas grossas de madeira - que eu tenho quase certeza que são mais largas que meu corpo - sustentam a casa, a parede de tijolos por fora me passa uma sensação muito agradável - sempre gostei não sei o motivo- e vidros que clareiam o interior estão espalhados por toda a casa.


Ninguém veio nos receber. Temari disse que o irmão não gosta de ter empregados. Ele mesmo cozinha e limpa a casa.


Todas as portas aqui estavam destrancadas, oque me fez ficar de queixo caído.


- Ei Tema. Tá tudo aberto. E se algum ladrão aparecer por aqui? - quando termino de falar, vejo a mesma expressão de uns dias atrás, a de quando estávamos no refeitório e eu perguntei se aqui tinha internet.


- Aí Sakura assim você me mata de rir. Nós estamos na roça sim. Mas nunca ouve ocorrência de furto na região. Além disso temos cachorros bem treinados pra isso. - 


Quando ela termina de falar eu logo olho ao redor para verificar se não tem nenhum dog que possa vim pra cima de mim.


- É esses cachorros por acaso assim. - me movo pra perto dela, qual é como se eu fosse me deixar virar brinquedinho de pitbbul ou qual seja o cachorro que tem por aqui . - Estão onde? -


- Não se preocupe, quando meu irmão chegar ele vai te levar aos cachorros para eles "conhecerem " você é pegar seu cheiro, para evitar que voce seja um lanchinho. - 


- Que bom, fico um pouquinho mais tranquila. - mentira tô tremendo que nem vara verde.


Ao entrarmos na casa por uma porta de correr feita de vidro. Damos de cara com uma sala enorme.


A parede e feitas de pedras e sem acabamento dando um toque rústico, além de uma janela de vidro com a vista para um morro ao fundo. A um sofá de costas as janelas feito com uma armação de ferro, outro de couro marrom ao lado de costas para um espelho que da mais profundidade para o ambiente em sua frente uma TV enorme, duas poltronas também de armação como o sofá. No meio da sala tem uma mesa de centro, feita com uma pedra de mármore e nela estão o controle e alguns livros.


- Vem, vou te levar até o quarto, depois eu te mostro o resto da casa. - ajeito a mochila nas costa e puxo a mala de rodinhas. 


Agora eis a questão irei subir uma escada um mala pesadíssima. Eu que lute.


Desço a alça da mala e pego pela fixa, quase cai mas disfarcei. O escada que não acaba mais. 


Quando chegamos finalmente ao final eu senti como se tivesse ocorrido uma maratona.


Sedentarismo que fala né mores.


As paredes do corredor são pintadas de branca e no final tem uma janela como a da sala. 


Temari segue até o fim do corredor e olhando a paisagem definitivamente de tirar o fôlego. 


E fácil para pessoas que moraram a vida inteira na cidade e nunca pisaram em terra de verdade se encantar com a vida no campo. 


Do outro lado da janela mais coqueiros adornam a borda da dívisa, entre oque imagino eu, dá início a plantação da família Subaku.


Consigo ver também a borda de uma piscina, com certeza deve ter uma área de churrasco.


- Bom esse é o seu quarto. Em frente ao de Gaara, e o meu é a porta ao lado. - ela aponta para a porta de madeira alguns metros atrás. - Eu tenho que terminar o trabalho para enviar o mais rápido possível, mas assim que eu acabar eu venho te levar para um tour. - ela nem me da chance de responder e entra no quarto só com sua mochila nas costas.


Seria muita falta de educação minha sair por aí na casa dos outros. Então pego minha mala e entro no quarto. 


Assim como o corredor o quarto é branco. Tem um armário embutido na parede, uma cama de casal, com lençóis brancos e uma mesinha de cabeceira onde está um abajur. 


Me jogo na cama e penso se vale a pena ir atrás de Temari pra pedir a senha do wi-fi. Mas ela provavelmente vai me mandar tomar no cú. 


Aí, aí como e difícil viver.


Agora que eu descobri que tem uma piscina aqui e hora de montar meu cronograma.


Dormir, acordar, comer, pegar um bronze, dar em cima da delícia ruiva e dormir de novo.


Acho que vou dar início aos trabalhos. Tiro meu sutiã, sem tirar a blusa, porque a gente trabalha assim. Jogo ele em qualquer lugar e abraço o travesseiro.


.

.

.


Sabe o momento em que voce está quase dormindo, preste a entrar em um mundo calmo e tranquilo. E de repente um ser enviado pelo tio Lu te acorda, foi isso que aconteceu agora.


- Sakura. Acorda seu chiclete mastigado. - Temari me balança freneticamente. Eu ainda sinto a babá escorrendo da minha boca. Me sento na cama e bocejo.


- Oque foi criatura? - nem me deixa dormir em paz me deixa. 


- O meu pen-drive. - levanto minha sobrancelha mandando um olhar do tipo " E oque eu tenho haver com isso" - E lá onde está o meu trabalho, e eu tenho que enviar hoje. 


- Porque você não salvou o trabalho no note? - todo cuidado é pouco quando passamos noite e dia fazendo trabalho pra faculdade.


- Porque o meu notebook para as vezes do nada. - Ela enrola uma mecha do cabelo entre os dedos. - Preciso comprar um novo. - A tica aqui e você linda não eu, com certeza tem dinheiro pra me comprar.


- Manda o Shikamaru te mandar. - me jogo na cama de novo.


- Ele não tá em casa, eu vou ter que voltar e enviar meu trabalho de lá, mas eu volto ainda hoje. - ela só joga a bomba e sai do quarto.


Meu cérebro para.


Eu vou ficar aqui.


Sozinha.


- Pera. - jogo minhas pernas para fora da cama e saio do quarto correndo atrás dela. Só vejo sua cabeça saindo pela porta de entrada - E eu como e que fico? - estanco na porta. Nem fudendo que eu vou passar, vai que soltaram os cachorros.


- Bom meu irmão está na plantação resolvendo uns problemas, ele volta mais tarde, você vai ficar bem. - ela liga o carro e simplesmente vai embora.


Okay. Eu estou literalmente sozinha em uma casa enorme é desconhecida. Acho que é hora de fazer um lanchinho.

.

.

.


Depois de dar um leve bisbilhotada na casa. Descobri um escritório executivo, com uma mesa enorme, que se eu tiver sorte ainda estarei sentada em cima. E uma mesa com Whisky que eu bebi um pouquinho.


Uma cozinha enorme e uma despensa ainda maior. Após um breve lanche que consistiu em um suco e bolachas com geleia, que foi o que eu encontrei e mais tenho que causar boas impressões, deixa pra eles conhecerem o lado curiosa depois.


Lavei tudo que sujei e continuei meu tour. Achei uma adega chiquissima e com vinhos mais caros que meus poucos bens materiais.


Uma área de serviço com máquinas e secadoras e tanques. Não ousei sair lá fora. Por motivos de medo.


Também havia um quarto no andar debaixo, bem parecido com o meu. Deve ser o de hóspedes, então por que razão eu estou lá em cima? 


Depois disso parti para para o andar superior, havia três quartos no lado que eu estava. Um era o de Temari e o meu. Não tive vontade de entrar no quarto de dela por medo do que poderia encontrar lá. A outra porta estava trancada.


Do outro lado duas portas uma era de Gaara e outra estava com a chave na porta. Bom a curiosidade matou o gato no caso a gata. Entrei mesmo, o quarto tinha o mesmo estilo que o meu mas com fotos e objetos pessoais, as cortinas estavam fechadas. 


Eu não me senti bem. Parecia que tinha uma áurea negativa então só fechei tudo como tinha achado e fui para meu quarto.


Agora deitada na caminha que me foi cedida. De banho tomado e cabelo lavado. 

Cheirosa e plena.


Coloquei até uma camisola para me sentir mais relaxada o possível.


Uma graça eu posso dizer. De seda verde claro, não é decotada mas a sua borda tem renda da mesma cor do tecido. Assim como a barra. Ela gruda em meu corpo quando eu me movo o marcando, particularmente acho sexy pra caralho.


O céu no campo e realmente maravilhoso, tenho vontade de me deitar na grama e observar por horas a fio as estrelas. 


Quando eu era mais nova eu ia visitar meus avós no sítio. Eu gostava de colocar uma manta no meio da grama e me deitar sobre ela é ficar olhando as estrelas. Acreditava que as estrelas formavam um mapa que nos levariam ao amor da minha vida.


Ao meu príncipe.


Mas a gente cresce, e descobre,que não quer um príncipe, e sim, um cara que te foda com força.


E a vida, não temos muito o que fazer.


Depois, que se descobre, a mágica que seus dedinhos podem fazer nada mais te segura.


Viajei legal agora. Deve ser a fome, espero que o fazendeiro gostoso tenha voltado. Não quero sair mexendo na coisas dos outros sem autorização.


Olho para os dois lados antes de sair do quarto, um pouco idiota, já que um lado não tem nada. 


O caminho está livre, cruzes me sinto em um filme de ação.


Bom eu quero ver a delícia ruiva ao vivo e em cores. Se e que me entendem.


E parece que meu desejo foi atendido.


Sentado no sofá de couro está ele. O motivo dos meu delírios. A cabeça jogada no encosto do sofá, um dos braços jogado sobre a almofada enquanto o outro segura um copo com Whisky. As pernas aberta e cobertas por um jeans surrado -Devo acrescentar que esse cara sabe como encher uma calça- faz par com uma camisa xadrez vermelha com os primeiros botões abertos, que me da a visão de um pouco de pele, e eu já tô como, quase soltando fogos.


Bom ele não vai me notar aqui já que está de olhos fechados. Então eu vou dar o ar da minha graça para o Sr Sabaku. Nossa até arrepiei com esse senhor. Ainda estou aos pés da escada quando me pronuncio.


-Err... Olá? - olá quem fala olá? Bom pelo visto eu. 


A criatura levanta a cabeça, e me encara com tanta intensidade que tenho que me controlar para não pular nele. Mas, agora eu me pergunto, se ele está me encarando porque gostou ou não faz ideia de quem eu sou. Espero que seja a primeira opção.


Leva o copo aos lábios e sorve o resto do líquido. 


- Oi, você é a Sakura? - sua voz rouca me paralisa, minha voz nem sai, então aceno com a cabeça. 


Ele levanta aquele corpo gostoso, e assim, de perto, eu não consigo acreditar que ele é real. Ele para na minha frente, ele é alto, não chego a alcançar seu pescoço. Ele segura minha mão e leva até os lábios e deposita um beijo suave sobre a palma.


- Sou Gaara, e é uma honra recebe-la em minha casa. - me encara intensamente e a primeira vez em que vejo a cor de seus olhos.


Verdes-jade.


Que me encaram com tanta intensidade, que sinto minhas bochechas arderem.


- Que isso, quem se sente honrada em me hospedar aqui sou eu. - já que ele está aqui e se mostra receptivo aqui porque não arriscar, espero que tenha percebido a minha segunda intenção na frase.


E eu sei que ele entendeu. O sorrisinho sacana que ele me dá e o suficiente.


- Sinto muito por não estar aqui para não recepciona-lá quando chegou. Tive problemas no negócio. 


- Imprevsitos acontecem. Oque importa é que está aqui agora,não? - decido me jogar com tudo, o máximo que pode acontecer é ele me rejeitar. 


- Bom para recompensar que tal me acompanhar em um jantar? - o jantar podia ser eu, sem problemas algum.


- Será um prazer, Gaara. - pronuncio seu nome devagar e observo suas pupilas dilatarem.


- Só me espere tomar um banho, para podermos comer. 


- Claro. 


Ele me da um sorriso antes de subir as escadas. Dou uma boa verifica em sua traseira redonda. Fico como uma boba até ele sumir. 


Ainda perturbada pela interação que tive com o crush percebo que podia ter perguntado a senha do wi-fi. 


Bom ele não deve ter entrando no banheiro tão rápido assim. Minhas pernas já se movem, antes que eu posso notar estou em frente à porta de seu quarto que está entreaberta.


Empurro a porta e ouço o chuveiro, bom ele é rápido. A porta do banheiro está aberta e fumaça sai de lá. Quão errado seria que dar uma olhadinha? 


E novamente a emoção fala mais alto que a razão. Entro no quarto e vou até a porta de onde sai fumaça e cheiro de sabonete. 


Gaara está de costas para a porta, com a cabeça em baixo da água, lavando os cabelos. Água escorre pelas costas musculosas até a bunda redonda e segue seu caminho. A visão da perdição se as costas são assim quero nem imaginar a frente. Me sinto umidade, aperto as coxas em busca de alívio, visto que não uso calcinha, sinto a umidade se espalhar por mim. 


Quando Gaara enxágua os resto de xampu do cabelo eu volto a realidade. Saio do quarto e desço as escadas rapidamente. O que ele iria pensar, que sou um mániaca sexual com certeza. 


Me sento no sofá e cruzo as pernas ignorando minha excitação e tentando apagar as cenas quentes da minha mente.





Notas Finais


E aí, voltei.
Bom primeiramente a parte 4 está sendo escrita, mas não concluída, então a finalização vai demorar um pouco.
Mudei a forma de edição do texto, me falem de qual jeito vocês gostam mais.
Me desculpem qualquer erro ortográfico, não sou nenhuma pessoa graduada e tals, nem terminei o Ensino médio ainda kkkkk. Última parte com a visão da Sakura. Resolvi a última com a visão do Gaara.
Comentem e favoritem ♥️♥️♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...