História O Feudo - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Aiacos de Garuda, Albafica de Peixes, Aldebaran de Touro, Asmita de Virgem, Aspros de Gêmeos, Atena (Sasha), Defteros de Gêmeos, Dégel de Aquário, Dohko de Libra, El Cid de Capricórnio, Hades, Kardia de Escorpião, Manigold de Câncer, Minos de Grifon, Pandora, Personagens Originais, Radamanthys de Wyvern, Regulus de Leão, Sage de Câncer, Shion de Áries, Sísifos de Sagitário
Tags Drama, Exército, Feudalismo, Realeza, Reino, Romance
Visualizações 44
Palavras 663
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorou, mas chegou!
Eu sei, ando uma negação quanto à postagem destes capítulos. E, para ajudar, esse é curto. Mil desculpas.
Mas, bem, está aí.

Boa leitura!

Capítulo 5 - Parte V


Fanfic / Fanfiction O Feudo - Capítulo 5 - Parte V

V

 

Albafica POV's

Podia sentir a dor das feridas em meus pés cessar com o contato com a água fresca do rio do bosque. Estava prestes a cometer um grande pecado, segundo a Igreja: tomar banho. Em poucos segundos, senti a necessidade de ter todo o meu corpo envolto pela água.

Vagarosamente, retirei meu sobretudo, minha camisa, meu cinto, minhas calças e minhas roupas debaixo, ficando completamente nu. Dei 10 largas passadas para trás e corri em direção ao rio, saltando no mesmo e mergulhando.

Assim que mergulhei, senti a água envolver meu corpo. Meus pés, minhas pernas, meu membro, abdômen, tórax, braços, mãos, pescoço, queixo, lábios, nariz, maçãs do rosto e meu longo cabelo. Prendi minha respiração, abrindo lentamente meus olhos e observando tudo o que estava submerso pela doce água. Senti meus músculos relaxarem, aliviarem-se da tensão e de toda a pressão que sofria todos os dias.

Logo pus meus pés no chão, ficando de pé e ficando ereto lentamente, ficando com tudo o que há acima da metade das coxas exposto. Observei as árvores, os pássaros, uma jovem, rosa... Ao notar que havia uma jovem ali, voltei imediatamente meu olhar para ela, que estava nua, com seus olhos azuis-claro arregalados e suas bochechas coradas.

No mesmo instante que a vi, lembrei-me que estava nu e rapidamente cobri minhas vergonhas, sentindo minhas bochechas corarem. Eu, então comecei a prestar atenção no corpo da moça. Ela era baixa, magra, tinha uma pele morena clara, seios medianos e quadris não muito largos. Seus seios eram ligeiramente recobertos por seus cabelos castanhos.

-- Senhor, por favor, perdoe-me... Eu juro, não sabia que havia alguém aqui!

-- Não, não, não! Não se desculpe! A culpa é minha!- rebati. Logo, dissemos em uníssono:

-- Eu não deveria estar aqui!- coramos mais ainda e nos entre-olhamos.

-- Q-quem... Quem é o senhor?- indagou a jovem, gaguejando.

-- Sou Albafica Pauw, General das Cinco Tropas. E a senhorita?

-- Sou Agathia Paules... Só uma camponesa.- respondeu, entrando na água e submergindo seu corpo até seus ombros.

-- Senhorita Paules? Então foi você quem entregou aquele ramalhete de Rosas Alba para mim?

-- Sim, o senhor Constantinides disse que tu aprecia-as e pediu-me que eu as colocasse na porta de tua casa...

-- Mesmo? Puxa, é muito saber disso. Eu adoro rosas, é bom saber que uma menina tão doce planta rosas tão belas.- sorri, admirando o meigo jeito de Agathia que apenas sorriu. Logo ajoelhei-me na água e comecei a conversar com ela, desvendando cada vez mais seu inocente coração.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Kardia POV's

As músicas do salão eram contagiantes. O vinho era maravilhoso, fazia-me querer mais e mais dele.

Entre algumas pessoas que dançavam, uma bela mulher de quadris largos e seios fartos chamava-me a atenção. Seu rebolado sensual combinava bem com seu vestido vermelho e seus salto azuis escuro como seus cabelos. Ergui-me e caminhei até ela:

-- Bela noite, não é mesmo?

-- Sim. O senhor deve ser Sir. Eliopoulos, estou certa?

-- Certíssima, madame. E qual seria o teu nome, senhorita?

-- Chame-me de Calvera, Sir. Eliopoulos.

-- Chame-me de Kardia, por favor.

-- Como queiras.

-- Encantado, Calvera.- segurei a mão da mulher e beijei-a, inalando seu perfume doce,, com um peculiar cheiro de maçãs. Ela sorriu.

-- Bem, o que fazes aqui, Kardia?

-- Estou apenas desfrutando um pouco de minha vida. Um pouco de bebida e música não faz mal a ninguém depois de uma missão.

-- Oh, estavas em missão, então? Percebi sua ausência no feudo.

-- Mesmo? Pensei que ninguém jamais notaria minha ausência.

-- Só podes estar brincando comigo! As mulheres do feudo adoram ver-te passar a cavalo.- na verdade, eu já sabia disso, mas eu queria ouvir isso. Ouvir isso pela voz de uma mulher é excitante.

Logo a senhorita Calvera serviu-me mais uma taça de vinho tinto e alguns doces. Ela sentou-se ao meu lado e começamos a beber, comer e conversar.

Eu precisava daquela mulher!!!

 

CONTINUA


Notas Finais


Bom, está aí. Espero que tenham gostado, e não precisam dizer que está curto porque eu sei que está.
Deixe seu comentário com sua opinião! ^^

Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...