História O Filho da Minha Madrasta - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Capítulo 2- Aberração


Eu estava sentada no sofá.

Já fazia 2 dias que eu estava no meu pai.E eu estava, odiando!

Pego o controle da Tv com o intuito de assistir alguma série, quando sinto o controle sendo arrancado da minha mão.

-Ei! - Digo. Caio olha pra mim.

- O que é pirralha?

-Pirralha? - Pergunto, furiosa.

Tento arrancar o controle da sua mão.

-CAIO ME DEVOLVA! - Grito- EU VOU CONTAR PARA OLÍVIA! VOCÊ É MUITO CHATO!

Os 2 dias estavam sendo como se eu estivesse no inferno. Esse garoto está pegando no meu pé desde que eu cheguei aqui. E eu não aguento mais isso. Eu preciso dar o troco.

-Baixinha, eu sou o mais velho aqui, eu que mando em tudo, então vai se acostumando. - Diz ele abrindo aquele sorriso diabólico.

Nunca seríamos irmãos. Nunca.

-Você é inacreditável garoto.

Ele sorri e me empurra do sofá.

-AAAAAAAAAH - Grito de raiva e saiu correndo para o meu quarto. Me deito na cama e fecho os olhos.

- Zoe! - Grita Olívia, me chamando.

Me levanto da cama e vou até ela.

-Me chamou? - Pergunto.

- Não se esqueça que hoje você tem que ir em uma ótica. Sua mãe avisou que quando chegasse de viagem era pra qualquer dia desses marcar uma.

-Então a senhorita tem quatro olhos agora? - Pergunta a voz que eu reconhecia muito bem. Vou em direção ao Caio e começo a bater nele.

-Crianças! Parem já com isso.

Eu paro de bater no Caio.

- Caio para de ser infantil, você já tem 17 anos. - Diz a Olívia - Aliás, hoje eu tenho uma manicure marcada e também vou fazer o meu cabelo. Então significa que você, Caio, vai levar a Zoe na ótica e ponto final.

-Mas mãe...

Ela manda ele fechar a boca e logo pega a chave do carro.

Minutos depois:

Chegando a ótica ela diz "vocês voltaram a pé".

Que maravilha não é? Voltar a pé com o seu irmão postiço, pé no saco.

- Não acredito que vou ter que aguentar uma pirralha chata como você.

Reviro os olhos e entramos na ótica.

-Olá boa tarde o que desejam? - Pergunta a atendente.

- Uma stripper. Lógico que óculos né! - Diz Caio.

Eu abro a boca com a grande vergonha que passo, que garoto mau educado!

Eu piso em seu pé e dou um tapa em sua cabeça.

-Mil desculpas moça. Estou procurando óculos diferentes.

-Só precisamos saber o seu grau - Responde ela.

Depois de horas tentando escolher um óculos bom que ficasse bem em mim. Finalmente eu encontro um perfeito.

Eu abro um sorriso.

- Vai ser esse! - Digo.

Caio

- Ficou horrível- Ela ficou linda.

Zoe me encara.

-Ninguém pediu a sua opinião. - Disse ela.

-Mas eu quis dar! -Respondo.

Ela diz a moça que vai levar os óculos. E então vamos embora.

Andando em silêncio pela rua movimentada, escuto uma voz feminina.

-Aí meu Deus! Caio?

Olho para trás.

-Brenda? - Pergunto.

-Ai meu deus, quanto tempo! - Diz ela vindo me abraçar.

Brenda foi minha primeira namorada, quando eu tinha 15 anos. Depois ela se mudou pra outra cidade e a gente nunca mais teve contato um com o outro.

- O que você está fazendo aqui?- Pergunto sorridente.

- Eu vim trabalhar aqui, e estudar, por um certo tempo.

- Que incrível- Digo - Você está linda. - Ela realmente estava linda, aqueles cabelos longos e pretos realçavam os seus olhos escuros.

-Quer tomar um sorvete ? - Pergunta ela. - Tem uma sorveteria aqui do lado.

-Claro.

Olho para Zoe, ela estava de braço cruzados.

-Quem é essa? - Pergunta Brenda.

- Minha irmãnzinha- Puxo Zoe, bagunçando o seu cabelo- Né pirra?

Ela se solta de mim.

-NÃO FAZ MAIS ISSO! - Grita Zoe. Brenda me encara e ri, ela cumprimenta Zoe, e a pirralha retribui com uma revirada de olho.

A gente começa a caminha em direção a uma sorveteria. Eu e Brenda começamos a conversar sem parar, enquanto a nanica só estava de cara fechada. Descobri que Brenda iria estudar na mesma escola que eu. Eu estava muito contente.

- Então vai querer de que sabor Brenda? - Pergunto.

-Morango.

- E você Zoe? - Pergunto bufando.

- Chocolate com granulado. -Diz ela seca.

Pego sorvete pra nós três.

Zoe

Eles estavam horas conversando, esse era o meu quarto sorvete! Eu precisava colocar um fim nessa droga, me levanto com um sorvete na mão e finjo cair "sem querer" em cima de Caio, fazendo o sorvete melecar ele todo.

-Ops! - Digo rindo e colocando a mão na boca.

-Porra Zoe! - Ele se levanta gritando.

Brenda tenta ajudá-lo e eu dou as costas indo embora. Ele se vire.

Sinto uma mão puxando o meu braço.

-Já não falei que não era pra se afastar de mim cacete? Se acontecer alguma coisa, vai sobrar pra mim porra!

Empurro ele.

-Você é um idiota muito mal! Eu quero ir pra casa! Se quiser ficar com suas garotas chatas, tagarelando o dia inteiro, então fique!

Caio sai correndo entregando um papel pra Brenda e dizendo mais alguma coisa , e logo volta aonde eu estava.

-Vamos embora sua deliquentizinha. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...