1. Spirit Fanfics >
  2. O filho do pastor - Vkook Taekook >
  3. Desejando o abraço

História O filho do pastor - Vkook Taekook - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Desejando o abraço


Pensei um pouco e resolvi pegar o caderno para poder copiar. Eu sabia que mentir e copiar era errado, mas sabe-se lá oque meu pai faria comigo caso descobrisse isso

-Se precisar de ajuda para entender, pode falar para mim, princesa

-É constrangedor quando me chama de princesa

-Mas você é a minha princesa - Riu

-Aigoo, mas eu sou um garoto!

-Isso não importa, continua sendo minha princesa

-Para quantas garotas já disse isso?!

-Nenhuma

-E para garotos?

-Nenhum

-Qual a sua sexualidade?

-Sou gay

-Você é um garoto maravilhoso e todas as meninas querem, é óbvio que você disse isso com algumas delas

-Eu só falo este tipo de coisa com alguém que eu queira namorar - Sorriu

-E para quem já disse isso?

-Contando com você… Um apenas

-Isso é uma declaração?

-Entenda como quiser

-Você quer namorar comigo?

-Claro que aceito, princesa

-Que?! Isso não foi um pedido! Foi uma pergunta! - Novamente me encontrava envergonhado - Eu não entendi oque você quis dizer, aquilo significa que você gostaria de me ter como seu namorado?

-Sim, foi isso que eu disse

-E-Eu já te falei que…

-Eu sei - Me cortou - Você é "hétero"

-Não senti muita firmeza nesse "Hétero"

-Eu também não. Viu? Nem você acredita que é hétero - Riu

-Eu quis dizer que não senti firmeza com a sua forma de dizer a palavra "hétero"

-Ok princesa, vai copiar logo este dever

-Está tentando mandar em mim? - Ri

-Consegui?

-Não

-Droga

Ri ainda mais e comecei a copiar

Quando terminei, Jungkook ainda estava sentado ao meu lado me olhando

-O que foi agora?

-Você fica extremamente lindo corado

-Mas eu não estou corado! - Falei sentindo meu rosto esquentar

-Agora está - Riu - Viu os meus poderes?

-Jungkook, você já beijou?

-Claro que já, transei também

-Ok, eu não precisava saber da segunda coisa

-Você é virgem?

-Óbvio

-Está esperando o casamento? - Riu

-Sim - O olhei - Do que está rindo?! Isso não é engraçado!

-Achei fofo

E novamente minhas bochechas esquentando

-Acho que irei sempre te fazer ficar envergonhado, você fica tão fofo!

-Você é cruel

-Eu sei

-Jungkook, você pode me passar o seu número?

-Por que?

-Porque voltamos a ser amigos, não?

-É… estamos nesta fase de "criação de intimidade"

-Isso existe?

-Sim, no nosso mundo

-O que disse?

-Não se lembra? Quando éramos crianças nós criamos o nosso próprio mundo. O nome era Taekook e só nós dois fazíamos parte dele - Falou isso segurando a minha mão - Você pode ter esquecido, mas eu nunca esqueci. Ainda não desisti de nós termos o nosso mundo pra valer

-Eu lembro disso, mas… éramos crianças retardadas e catarrentas - puxei minha mão de volta e ele dava crise de risos com oque eu havia dito - O que foi?

-Achei engraçada a forma que você nos descreveu e também achei fofo você com vergonha de eu ter pego em sua mão

-Isto é intimidade demais!

-Naquela época você me dava selinhos, Tae

-COMO EU TE ODEIO, JUNGKOOK! - Gritei cobrindo meu rosto de pura vergonha e rindo de mim mesmo - Éramos crianças inocentes!

-Mas já nos gostávamos

-Eu não sei disso não

-Tae, agora é sério - virou meu rosto para o encarar e estávamos a poucos centímetros de distância

Meu coração novamente disparou

-O que aconteceu com aquele amor que tínhamos um pelo outro?

-Jungkook, éramos crianças e … nos amávamos como dois melhores amigos

-O que você sente por mim?

-E-Eu não sei

-Você gosta de mim?

-Claro, você é meu amigo

-Você sabe do que estou falando

-J-Jungkook, nos reencontramos ontem e… eu só sei que voltamos a ser amigos e… voltamos a ter uma certa intimidade muito rápido

-Se você sente seu coração disparar por mim e não me tira da sua cabeça, você realmente gosta de mim

-… - Eu não tinha oque responder. Só novamente torcer para que Jungkook estivesse errado ou brincando

Jin, Jimin e Hoseok entraram na mesma hora. Agradeci mentalmente por eles me tirarem daquela enorme tensão, mas também me arrependi por terem me visto com o rosto bem próximo do de Jungkook

-Tae? - Jimin disse surpreso, mas com um sorriso malicioso

-Desde quando estão juntos? - Hoseok perguntou

-Não estamos juntos - Falei

-Minha princesa, eu vou ir até meus amigos Ok? - Disse isso e me deu um beijo na bochecha se levantando em seguida

-Não me chame de princesa!

Ele apenas Riu e saiu da sala me deixando sozinho com meus amigos

-O que foi isso?! Princesa?! Beijinho na bochecha?! Desde quando estão se pegando?!

-Desde nunca! Nós dois nunca nos pegamos! E eu já disse que não gosto de homens - pensei um pouco - Só voltamos a ter uma certa intimidade com muito pouco tempo, Hoseok

-Dizem que quando você reencontra um melhor amigo que é amor da sua vida, vocês criam intimidade mais rápido por simplesmente serem almas gêmeas

-Você acredita em tudo, Jimin

-Eu acredito que tenha algo entre vocês - Riu - E se ele quiser te beijar?

-Eu não quero pensar nessa possibilidade. Somos amigos, eu sou hétero e não gostaria de perder o meu bv por agora

-Eu sinto que se ele te beijasse, você aceitaria

Tive um sentimento ainda mais estranho quando ele disse isso. Ao imaginar a cena eu fiquei ansioso, mas não era ansiedade de medo, era ansiedade de querer que aquilo acontecesse. Com certeza eu estava confundindo os meus sentimentos, eu não poderia estar realmente gostando do Jeon

-Como é gostar de alguém?

-O que?!

-Nada, eu não disse nada

[…]

Sentei no refeitório juntamente de meus amigos e me assustei quando vi Jungkook se sentar ao meu lado

-Olá princesa

-Oi Jungkook, e pare de me chamar de princesa

-Vai fazer algo depois da aula?

-Vou ir direto para a minha casa

-Consegue dizer ao seu pai que vai em uma biblioteca?

-Depende, por que a pergunta?

-Eu iria te pagar comida daqui da escola, mas são tão horríveis que tive outra idéia - Meus amigos e eu prestávamos atenção em cada palavra - Levarei você para comermos em um restaurante aqui perto, mas para isso teria que mentir para seu pai dizendo que vai até uma biblioteca estudar um pouco

-Ok, eu vou tentar. Não te garanto nada

-Quero garantia, princesa

-Eu já disse que vou tentar

-Por favorzinho

-Tá bom, irei perguntar se posso

-Ok

Mandei uma mensagem ao meu pai perguntando se eu poderia ir para a biblioteca estudar um pouco depois da aula e ele deixou

-Eu vou, Kookie - O olhei - Ele deixou

-Ok princesa, quando a aula terminar nós iremos juntos para o restaurante

-Você é rico?

-Não - Riu

-De onde tira seus dinheiros? Do tráfico?

-Que tráfico?

-Ué, eu não sei, foi uma pergunta

-Ganho pensão de meu pai

-Ah sim

-Já percebeu que sempre sou eu quem marco os encontros?

-Que encontros?

-Todas as nossas saídas eu passei a considerar como um encontro, princesa

-Qual a sua fixação em me chamar de princesa? Eu sou um homem

-Já disse, você é a minha princesa e ponto final

-Eu simplesmente desisto - Ele riu e se aproximou ainda mais de mim

-Sinto que sou uma bela de uma vela - Hoseok comentou isso rindo

-Não tem nada demais rolando aqui, ele apenas é maluco - Falei

-Admita que está rolando um clima entre nós dois, Tae

-Isso seria mentir

-Ele não está mentindo - Jin falou - Realmente dá pra sentir um forte clima entre vocês

-Somos amigos, não tem nada demais entre nós dois

-Ainda não - Sorriu e olhou para meus amigos - Vocês sabem como conquistar o Tae?

-Não é que você está interessado mesmo? - Jimin riu - O Tae nunca nos disse nada sobre isso, mas acho que ele goste mais de romantismo

-Realmente gosto de romantismo, mas não vindo de garotos

-É oque veremos, princesa - Falou isso apertando minha bochecha e saiu de lá indo para perto de Yoongi

[…]

Era horário da saída e eu guardava meus cadernos em minha mochila enquanto cantarolava uma música aleatória

-Olá princesa, vamos?

-Jungkook? Pensei que já tivesse ido

-Sem você?

-É que eu… pensei que tivesse esquecido - O olhei meio chateado

-Calma bebê, eu não esqueceria você - Me abraçou e eu retribui - Você realmente é um ser muito indefeso

-Isso foi insulto? - O olhei ainda no abraço

-Não, eu acho isso muito fofo - Me olhou de volta

Levei um susto com um aluno passando correndo no corredor e soltei Jungkook o empurrando levemente. Novamente envergonhado e com o coração acelerado

-Vamos, nós temos que ir - Falei

-Ok

Saímos da escola em silêncio e eu refletia sobre meus sentimentos. Nunca senti tudo isso por nenhuma outra pessoa que não seja o Jungkook. É algo bem estranho para mim, mas agora estava me perguntando se aqueles sentimentos eram sinais de paixão. Eu torcia mentalmente para que não fosse

Chegamos no tal restaurante e nos sentamos juntos em uma mesa. Fiquei encarando o mesmo enquanto ele lia o cardápio completamente concentrado. Desci meu olhar para seus lábios

-O que irá comer, princesa?

-… - Continuava olhando para os lábios de Jungkook pensando em quantas garotas tiveram a sorte de beijá-lo

-Princesa? Está me ouvindo? Por que está olhando minha boca? Quer beijar ela?

-Quero

-Está falando sério?!

-Digo… estava pensando nessa possibilidade se eu fosse uma garota

-Princesa, relaxa - Segurou a minha mão e olhou em meus olhos - Se quiser um beijo meu, é só miar para mim

-Por que "miar"?

-Não sei, foi algo que passou na minha cabeça e resolvi falar. Dá para perceber que quando eu escuto a voz na minha consciência, não é algo muito normal

-Sim

Soltou minha mão e voltou a pegar o cardápio

-Então, o que vai querer?

-Eu não sei

-Escolha oque quiser aqui - Me entregou o cardápio

Depois de termos feito o pedido, ficamos nos encarando em silêncio

-Gosta de teatros ainda? - Perguntei curioso

-Ainda se lembra disso?

-Mas é claro

-Eu gosto sim, por que a pergunta?

-Fiquei curioso - O olhei - Gostaria de ir até a minha igreja para me ver atuando?

-Como assim?

-É que no sábado teremos um evento onde eu irei atuar

-Desculpa, mas acho que não vou poder ir

-Mas por que?

-Porque seu pai não vai gostar de me ver lá, e segundo que eu sou tão pecador que irei queimar vivo só de pisar na igreja - Riu

Me senti um pouco frustrado por isso, pensei que ele aceitaria

-Que pena

-Ei princesa, não fique triste

Sorri forçado tentando disfarçar, mas a tristeza ainda era óbvia

-Quando sair daqui irá para o orfanato trabalhar, né?

-Sim, hoje é terça feira

-Tae, o que faria se eu te beijasse?

O olhei surpreso e sem saber oque dizer

-Eu… acho que… ficaria confuso, afinal, eu sou hétero

-O que faria se descobrisse que gosta de mim?

-… Arrumaria alguma forma de tirar este sentimento

-Então não aceitaria que fosse gay?

-Pare de me fazer esse tipo de pergunta!

-Posso te dizer o que deve fazer quando descobrir sua verdadeira sexualidade?

-Pode

-Apenas aceite. Mentir para alguém é ruim, mas mentir para si próprio é sufocante

-… Ok… Obrigado pelo conselho

Nossas comidas haviam chegado

[…]

Na porta do restaurante nós dois estávamos nos olhando, mas eu sentia que não queria sair de perto dele

-Princesa, vá direto para o orfanato e não fale com estranhos!

-Está me chamando de criança?

-Não, só estou protegendo você

-Ok então, tchau - Falei

-Tchau, princesa

Viramos de costas um para o outro, mas senti alguém segurando meu braço e era ele

-Princesa, eu vou tentar ver você na igreja

-Está falando sério?!

-Sim

O abracei fortemente e o mesmo estranhou mas apenas riu retribuindo o abraço

[…]

20:15:

Cheguei em casa depois de mais um trabalho cansativo com aquelas crianças, tomei um banho e fui direto para meu quarto. Minha mãe estava terminando de fazer o jantar e eu resolvi estudar um pouco pela internet em meu computador de estudos

Comecei a ter algumas dúvidas com relação aos meus sentimentos novamente e decidi abrir uma outra aba anônima para pesquisar sobre isso. Digitei "Como saber se estou gostando de alguém"

Lendo todas aquelas coisas, percebi que meus sentimentos estavam sendo exatamente oque dizia. Eu possivelmente estava apaixonado. Ok, posso estar confundindo tudo afinal, algumas coisas que eram ditas nos sites, eu não sentia. Coisas como ciúmes, desejar o abraço dele e vontade extrema de beijá-lo

Pesquisei um vídeo sobre 'beijo gay' por pura curiosidade e acabei me sentindo ansioso com aquilo. Comecei a imaginar Jungkook e eu no lugar do casal

Ouvi a porta ser aberta e era minha mãe, por alguma circunstância bizarra meu mouse havia parado de funcionar. O vídeo continuava rolando e minha mãe olhou para a tela, me desesperei e simplesmente puxei o fio da tomada

Tentei recuperar minha respiração pelo susto e minha mãe me encarava em silêncio. Eu espero que ela não tenha visto nada

-Sim, omma?

-O jantar está pronto - Disse isso e se retirou de meu quarto com uma expressão chocada. Acho que ela pode ter visto sim

Saí de meu quarto, desci para a cozinha vendo meu pai pegando comida para si e minha mãe sentada na mesa. Esperei meu pai terminar e me servi também. Estávamos todos comendo em silêncio, oque fez com que meu pai lançasse olhares desconfiados para minha mãe e eu

-Por que estão tão calados?

-Por nada - Falei desesperado

-… Como foi a aula hoje, Tae? - Minha mãe me perguntou

-Foi ótima

-Ah sim - E voltamos ao silêncio constrangedor

[…]

Apaguei a luz de meu quarto e deitei na cama com meu ursinho de pelúcia. Meus pensamentos foram para Jungkook e quando percebi, estava abraçando o ursinho com força desejando que fosse Jungkook. Porém, somente depois de alguns minutos que notei algo: Eu estava desejando o abraço de Jungkook 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...