1. Spirit Fanfics >
  2. O Filho Do Pastor (Taekook- Vkook - kookv) >
  3. Algumas horas.

História O Filho Do Pastor (Taekook- Vkook - kookv) - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 27 - Algumas horas.


Fanfic / Fanfiction O Filho Do Pastor (Taekook- Vkook - kookv) - Capítulo 27 - Algumas horas.

Depois que deixei a casa de Taehyung na madrugada de ontem, pude ver pela janela seu marido sair furioso de casa e arrancar com o carro em alta velocidade.

Mesmo conhecendo pouco de Hoseok, para estar furioso daquele jeito, devia ter descoberto o que houve.

E pelo que conhecia de Taehyung, não conseguia mentir por muito tempo.

Estava com tanta raiva da minha própria vida, que fingia estar dormindo por horas, até que Lisa saísse da cama e descesse.

Um filho.

Eu tinha sim o desejo de ser pai, mas não desse jeito. Não com Lisa. Ainda mais quando pensei que tudo entre eu e Taehyung, finalmente iria dar certo.

Parecia realmente uma maldição.

Mas não dava para simplesmente eu me conformar com isso e assistir o homem que eu amo, construir sua vida com outro cara, em uma casa ao lado.

Eu o amo tanto, que seria capaz de dar a minha vida por ele sem nem mesmo pestanejar. Isso estava me doendo, e eu não fazia ideia de como reparar.

Nem ao menos tinha como reparar.

É um filho! Uma criança! Uma vida que Lalisa estava trazendo dentro de si. Estava casado e não conseguia amar a minha esposa. Isso é uma tortura, e não desejo para ninguém.

Sei que Taehyung me ama e que ele vive o mesmo dilema com Hoseok, apesar de eles sempre parecerem o casal perfeito.

Eu era o cara perfeito para Taehyung! Era para ser nós dois e que o meu filho, fosse nosso! Era pra ser nós dois! 

– Taehyung deve estar arrasado. – suspirei e sentei na cama.

Esfreguei o rosto e olhei pela janela, para a casa dele, na esperança de vê-lo ou poder ver que ao menos estava tudo bem.

Todavia, o que pude ver foi Taehyung beijando Hoseok calmamente enquanto ele o envolvia nos braços.

Meus olhos só podiam estar me enganando.

O vi sorrir minimamente e Hoseok deixar um beijo em seu pescoço. Taehyung fechou os seus olhos e ele logo desceu suas mãos pelas suas costas.

Isso estava fazendo o sangue em minhas veias queimar.

Hoseok desabotoou a blusa branca que ele usava e fechei os olhos, demoradamente, me odiando por ainda estar ali, mas parecia ser masoquista e não fiz nada de útil.

Quando dei-me conta, pude ver Taehyung com as pernas nuas em volta da cintura de Hoseok, e ele o levar para dentro, onde – felizmente – eu não podia ver.

– MALDIÇÃO! – gritei irritado.

– Jungkook? O que houve? – ouvi a voz de Lisa e bufei.

– Nada. Não é nada, Lalisa. –disse mais baixo e ela me encarou confusa.

– Pode comprar melancia para mim?

– Melancia?

– Sim! Eu estou com um desejo de comer melancia, com pasta de amendoim.– ela disse lambendo os lábios e fiz uma careta sentindo nojo só de imaginar.

– Mas você nem fez três meses ainda, tem certeza que não é psicológico?

– Anda logo, biscoitinho! – ela disse manhosa e suspirei.

Assenti e levantei procurando uma camisa e indo ao banheiro, para lavar o rosto antes de pegar o carro e comprar a bendita melancia.


[>>>]

Passei todo o culto da noite olhando para Taehyung, que estava nos bancos à direita, três bancos a frente do que eu estava, mas ele nem mesmo me notou.

Estava muito emocionado e chorava muito com a palavra que o pastor nós ministrava, que – perdoe-me Deus. – nem mesmo sei em que parte da Bíblia estava.

– Pode, por favor, prestar atenção no culto? Está inquieto demais, bolacha! – Lalisa disse pegando minha mão e suspirei.

Era cada apelido.

– Você passa todo o culto olhando para as suas unhas, o que quer falar de mim? – disse um pouco filme demais, mas logo respirei fundo, procurando me acalmar. – Desculpe, não queria soar grosseiro.

– Tudo bem, Kookiezinho. – ela disse sorrindo.

Assim que o culto terminou, acompanhei com o olhar Taehyung se dirigir até a parte de trás da igreja, para ir ao bebedouro e pedi licença à Lisa, dizendo que voltava rápido enquanto ela conversava com algumas irmãs.

Caminhei em passos apressados, esbarrando no ombro de alguns irmãos no caminho, mas só estava preocupado em falar logo com Taehyung e saber o que faríamos.

Assim que o avistei de costas bebendo água, um pouco escondido e lentamente não contive um pequeno sorriso.

Dirigi-me até lá e toquei seu braço, mas assim que me viu recolheu seu braço e me olhou um tanto quanto assustado.

– Taehyung, eu...

–  Fica longe de mim, Jungkook. – ele me cortou firme e ia sair, mas segurei sua mão.

Tal qual ele novamente recolheu rápido e firme, olhando para os lados incomodado com o meu toque.

– Nós precisamos conversar, eu não quero que a gente...

Fui interrompido com um soco tão forte que caí no chão, sentindo meu rosto doer de tanto que chegava a formigar.

Ao olhar para quem fez aquele estrago, vi que era Hoseok. Foi aí que tive a confirmação de que ele sabia de tudo.

– Fica longe do meu marido. – ele disse irritado enquanto Taehyung segurava seu braço pedindo desesperado para irem embora.

Alguns irmãos já olhavam tudo apavorados e levantei com dificuldade, me sentindo um pouco tonto pela intensidade do soco.

– Eu só estava conversando com Taehyung, Hoseok. – tentei me defender, mas ele soltou-se dele e atingiu outro soco na minha cara.

Ele estava muito furioso e notei isso quando o mesmo começou a acertar mais socos. Então fui obrigado a revidar, até que aquilo se tornou uma demonstração gratuita de luta livre.

– Param! Parem agora! – o pastor gritou firme, mas nenhum de nós cessou a sequência de socos.

Sentia que estava perdendo a força aos poucos e então senti Hoseok me acertar mais vezes e mais forte, fazendo minha visão se tornar mais turva. 

– Jung Hoseok, pare imediatamente! – o pastor disse firme como uma rocha, e só então ele parou.

Hoseok estava vermelho e notei que os meus socos só lhe causaram um corte no lábio, um olho roxo e um pouco de sangue no nariz.

Minha cara devia estar acabada pelo desespero no choro de Taehyung, e o olhar de aterrorizado dos irmãos em volta.

NUNCA MAIS CHEGUE PERTO DO MEU HOMEM, SEU MALDITO! ESTÁ ME OUVINDO? NUNCA MAIS! – Hoseok gritou e a única coisa que consegui fazer, foi olhar nos olhos de Taehyung e sorri amargo.

– Como posso ficar longe daquilo que me traz à vida? – disse sentindo-me um pouco tonto e cuspi sangue. Hoseok ia me bater novamente, mas Taehyung o segurou forte.

– Vamos embora! Agora! – Tae disse frio, apesar de estar chorando, e Hoseok assentiu, me olhando com ódio.

E então Taehyung foi embora, entre lágrimas com o seu maldito marido, dando-me ainda mais certeza de que o nosso amor, não foi feito para acontecer. 

Éramos destinados a ficar longe e não tinha como lutar com isso. Já havia gastado todas as minhas forças e tudo foi em vão, já que não o pude ter em meus braços por mais de algumas horas no carro.



Notas Finais


Vshi, agora que esses dois não ficam juntos mesmo, vai dá uma conferida se a fanfic eh taekook mesmo, vai que eh vhope kkkkkkkkkkkkk brincadeira!!!

Pois bem Taekook, eu quero ver vocês dois mostrarem e colorem a prova se o amor que sentem um pelo outro é verdadeiro e sólido! Não decepcionem!

Jungkook levando umas porrada do hobi... Me dizem aí, não tão acostumadas né? Jk sempre eh o dono do mundo nas outras fic's kkkkkkkk vamos fugir do clichê, ou pelo menos tentar, aliás, estão achando a fanfic óbvia demais ou tá achando intrigante? Me digam suas teorias! Mudaram ou permanecem?

Pelo visto Jungkook desistiu de lutar, serasi eh a aceitação que eles não foram destinados? Só no próximo cap, que está muito intenso tbm, na minha opinião

Booom me perdoem todos os erros, depois corrijo, agora vou mimi pq amanhã tenho aula cedinho, eh mole? Não kkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...