1. Spirit Fanfics >
  2. O Fofo e o Pervertido - Taekook-Vkook >
  3. As coisas estavam ficando estranhas na vida dos gêmeos.

História O Fofo e o Pervertido - Taekook-Vkook - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Perdão, eu não estava conseguindo manter contato com a autora, mas agora estou voltando a atualizar as fic's.

Espero que entendam, obrigado.

Lembrando que agora os capítulos não serão mais narrados pelos personagens.

Capítulo 14 - As coisas estavam ficando estranhas na vida dos gêmeos.


Semanas se passaram...


As coisas estavam começando a ficar estranhas na vida dos gêmeos Jeon's e Kim's, alguns se separando e se afastando...

Taehyung e Myung, os dois estavam bem chateados, os dois não tinham mais tanto contato com seus irmãos. V-hyung estava andando com muitos garotos malandrinhas, que só aprontam e levam o loiro junto na bagunça. No começo, foi estranho para ele se encaixar no meio deles, teve que fazer muitas coisas e ficar bem grudado com os mesmos para conseguir se sentir bem, participando daquelas confusões.

Taehyung e Jungkook haviam conversado, Jungkook acabou não aguentando e contou para o ruivo que aquele dia não era ele que havia aparecido, e sim, o seu irmão gêmeo. E pediu que o ruivo não contasse para ninguém, o pequeno fofoqueiro prometeu não contar nada e ele estava cumprindo com a sua palavra. Porém, não adiantou, V-hyung já tinha certeza que era Myung lhe abraçando aquele dia. E não se sentiu bem com isso, soube que Jungkook havia contado para Taehyung e ficou furioso, queria que Jungkook tivesse contado à si e não contado ao "mimado fofoqueiro do seu irmão".

É, agora V-hyung passou a tratar mal o seu irmão mais novo, na frente das pessoas ele até fingia cuidar e se importar com o mais novo, mas quando os dois estavam sozinhos... O loiro fazia questão de desprezar ele, fazia questão de mostrar o quanto ele era irritante e passou a julgar os seus gostos femininos.

— Taehyung! Tira essa saia agora! Você não é uma garota, isso te faz ficar ridículo! — gritava com o ruivo, vendo lágrimas surgirem em seus olhos.

— Masi, hyung... Taetae ama saias e vuxê sempi dizia que eu ficava fo–

— Isso era antes, quando eu era um idiota igual a você! Mas agora, eu estou amadurecendo e percebendo o quanto você atrapalha a minha vida! — essas palavras frias queimavam o peito de Taehyung. Ele não conseguia entender o que ele tinha feito de errado, por que seu hyung mudou tanto em apenas duas semanas?

Talvez fora a amizade tóxica com aqueles garotos mais velhos da escola, talvez fora por querer superar um amor sofrido, talvez quisesse se vingar de alguém... Taetae não fazia mais ideia do que se passava na cabeça de seu irmão, só sabia que aquele não era o seu irmão de sempre. V-hyung jamais machucaria alguém, principalmente se fosse seu maninho querido.

Taehyung passava noites chorando, não sabia o que fazer, apenas queria o seu irmão de volta. E sofria calado, ele era ameaçado pelo próprio irmão e ainda tinha que aguentar o loiro dando encima do seu coelhinho.

Jungkook estava meio afastado de Taehyung, talvez o loiro tenha inventado mentiras para afastá-los e talvez tenha dado certo. Mas não durou por muito tempo, Jungkook logo percebeu o erro que estava cometendo e voltou a se grudar com o seu pequeno Taetae. Mesmo ainda sentindo algo despertado pelo loiro traiçoeiro.


Anos se passaram...


Myung visitava Jungkook em todos os aniversários, Jungkook sempre pedia para a mãe deixá-lo receber o irmão em casa, pelo menos nos seus aniversários. E ela acabava deixando, mesmo contra a sua vontade.

Jungkook sempre conversava com Myung sobre as coisas que estavam mudando, principalmente sobre o loiro estar se destruindo. V-hyung a cada ano que passava ficava mais estranho e diferente, aos doze anos já estava beijando vários garotos da escola, sem se importar com mais nada. E sabe-se lá o que mais esse maluco devia ter feito, pois em público, eram apenas amassos e beijos... Mas, e quando ele estava às sós com um garoto? Kook não sabia, e não queria pensar naquela coisa. Tinha certeza que o loiro não seria capaz de fazer aquilo. Ou seria?

Mas, não era só o loiro que estava estranho, Myung estava começando a ficar distante e sem esperanças para mais nada. Ele estava se tornando uma pessoa sombria, falava coisas negativas o tempo todo e muita das vezes gritava com o irmão por bobeira.

— Cala a boca, porra! — gritou com o Jungkook, hoje estavam completando treze anos, mas Myung não estava dando a mínima.

— Myung! O que está acontecendo com você, mano?! Você não era assim! — disse alto, assustado com a fúria que via nos olhos do outro.

— Para de falar da porra daquele garoto! Que se foda esse V-hyung, eu não ligo mais pra ele!

— Como assim?? Você sempre dizia que iria arrumar um jeito de se encontrar com ele, por que do nada está odiando ele? — perguntou, confuso. Por que do nada, todas as pessoas a sua volta estavam se tornando pessoas tão confusas?

— Você por acaso viu a praga que ele se tornou? Ele tá pouco se fodendo pra mim, e eu quero mais é que ele se foda nessa vida!

Jungkook colocou a mão na testa, não sabia mais o que fazer. Tentava ajudar de todas as formas, mas não aguentava mais aquele loiro danado atrás de si e seu irmão revoltado virando um completo idiota. Ainda bem que Taehyung era o único normal dali.

Ah, seu Taetae... A pessoa mais preciosa que tinha, seu bebê que graças à Jungkook, ainda era bem inocente e meio bobinho. Ele estava fazendo de tudo para proteger a inocência do seu pequeno daquele loiro pervertido, querendo dizer coisas ruins para traumatiza-lo.

Mas Jungkook também tinha que se controlar, estar entrando na puberdade faz o mesmo despertar certos desejos por Taehyung, e isso não é nada bom. Bom, claro que as vezes por impulso acabava pressionando o ruivo em uma parede, deixando os seus lábios bem avermelhados.

Sim, eles se beijavam.

Deram seu primeiro selinho quando Tae estava completando oito anos, demorou para eles se entenderem e aceitarem que aquele sentimento forte era mais que amizade. Mas não estavam em um relacionamento, apenas se beijavam e cuidavam um do outro como um casal. A relação não dava muito certo, pois V-hyung sempre arrumava um jeito de interferir e prejudicar o irmão. V-hyung mesmo pegando outros garotos, ainda queria ter uma chance com Jungkook, já havia conseguido roubar alguns beijos do mesmo, mas o de cabelos negros não deixava passarem disso.

Isso irritava Taehyung, era a única coisa que podia tirar aquela coisa fofa do sério. Tae era sempre quieto na dele, mas quando o seu irmão passava dos limites... Taehyung se tornava uma fera. É, pode ser difícil de acreditar, mas é verdade. Muitas marcas temporárias nos braços e no rosto do loiro provavam isso.

Jungkook também fica irritado, odeia ver o loiro despertando o lado alterado do  seu ruivo. Taehyung não sabe se segurar quando já está fervendo de raiva, mas consegue ser acalmado rápidinho pelo seu coelho e logo volta a ser um gatinho manhoso. Sim, ele era bem manhoso e isso dificultava as coisas.


E lá estava Jungkook, sentado junto com seus amigos Baekhyun e Chanyeol. Os dois já estavam namorando à dois anos e estavam muito felizes, Jungkook também ficava feliz por eles, as vezes até sentia um pouco de inveja, gostaria de ter essa relação com Taehyung. Mas não tinha certeza disso, V-hyung sempre lhe causava dúvidas torturantes. Maldito loiro pervertido.

Kook ainda tinha esperança que um dia V-hyung voltaria a ser aquela criança adorável e divertida. Mas V deixava bem claro que jamais iria voltar a ser aquela criança "trouxa e boba". Agora só gostava de perturbar quem estava quieto e flertar com qualquer garoto que passasse em sua frente. E principalmente, mexer com a cabeça de Jungkook.

Como agora...


— Kookiee! — ao escutar aquela voz, Jungkook revirou os olhos, querendo se fundir com a mesa da cantina. — Como vai o seu dia, Kookie-ah? — sentou em sua frente, inclinando o corpo na mesa e sorrindo de um jeito simpático. 

Mas Jungkook sabia mais do que ninguém, a enorme porcentagem de falsidade que havia naquele sorriso.

— Bem péssimo, o dia todo foi só um tédio total — hum, não devia ter dito isso. Agora o loiro viu uma ótima oportunidade de provocar.

— Ah, é? Bem péssimo? Hum... — deu a volta na mesa, chegando bem perto dele.

— V-hyung, o que você tá fazendo? — perguntou, acabando por deixar o loiro sentar em seu colo.

— Eu? Nada, só estou querendo... — se aproximou de sua boca. — tirar o seu tédio — sorriu, e antes que pudesse juntar os seus lábios com os dele, foi empurrado pelo mesmo.

— Sai, eu já te disse que não quero esse tipo de ousadia pra cima de mim. Eu não gosto de você, preciso dizer mais quantas vezes, caramba?! — disse alterado. V-hyung deu um sorrisinho de lado.

— Ah, gosta sim. Eu sei que gosta, pode negar o quanto quiser, Kookie-ah. Qualquer dia desses, você vai ceder aos meus encantos — sussurrou, passando um dedo embaixo do seu queixo e saiu dali rindo. Argh, esse garoto consegue tirar qualquer um do sério.

— Calma, Jungkook. Respira, um dia isso tudo vai acabar. Ele vai cair na real, ele vai acabar quebrando a cara e perceber a merda que está fazendo — murmurou para si mesmo.

Coitado, mal sabia ele, que as coisas só iriam piorar mais e mais dali pra frente. V-hyung com doze anos é só uma colherzinha de problemas. Daqui mais quatro anos o seu mundo iria virar de ponta cabeça, coisas boas e coisas horríveis estavam prestes a acontecer ao decorrer desses anos.

Ele aguentou firme enquanto pôde, mas agora não tinha mais o apoio da mãe e muito menos do irmão. Myung? Bom, sabe-se lá onde esse moleque se meteu.


Quatro torturantes anos depois...


Tudo estava diferente, o maldito loiro pervertido havia conseguido ultrapassar a palavra pervertido. Agora nem existia outra palavra que pudesse encaixar com o seu perfil, pois ele se tornou o garoto mais filho da puta que já conheceu.

— Nossa, Kookie-ah. Você ficou assim só de sentir a minha bunda roçando no seu pau, sem querer? — sorriu, cínico.

Um grande filho da puta.

Se não gostasse tanto dele, já teria jogado o mesmo do outro lado do muro. Mas nem precisava se preocupar com isso, Taehyung já fazia isso por si próprio, tratando de botar aquele loiro safado para correr.

Mas não era tão fácil como roubar o doce de uma criança, V-hyung não se deixa ser controlado por ninguém, se for preciso, arruma a maior briga com o seu irmão e não há quem os separe depois, nem mesmo Jungkook conseguia segurar um dos dois. Corria o risco de ser morto no meio também, com gêmeos furiosos não se brinca. Ainda mais quando esses gêmeos são os gêmeos Kim's.

— Eu vou te matar, vagabunda! — Taehyung gritou de longe, era tanta ousadia da parte de V, que o ruivo nem precisava de um binóculo para ver aquela sem vergonhisse acontecendo bem ali.

— Ah, não. Tô fudido por sua culpa, V-hyung! — Jungkook reclamou, irritado.

Mas ele não precisava ficar irritado e muito menos preocupado, pois Taehyung era muito compreensivo e sabia que o seu coelho não fazia aquilo porque queria, o ruivo tem noção do tipo de irmão que ele tem. Com um irmão assanhado desses, ele já até sabe que sempre vai encontrar o loiro arrastando seus enormes pares de chifres pra lá e pra cá atrás de garotos. Principalmente, atrás de Jungkook, mas Taehyung sempre estaria lá para dar na cara daquela puta sem vergonha.

E V-hyung sempre estaria lá, tentando levar Jungkook para a sua casa. Mais especificamente, em sua deliciosa cama. 

Esperaria a sua omma não estar em casa para por seu plano em prática, sua sorte era que Taehyung já não era mais um problema em seu lar, pois o mesmo havia ido morar com Jungkook, deixando o loiro morando apenas com sua mãe.

Noona havia viajado por conta do trabalho, não voltaria a morar com um dos gêmeos por um bom tempo. E seu appa ainda se encontrava desaparecido, V-hyung já não acreditava mais que o mais velho iria voltar. Optava por pensar que ele já estava morto e enterrado, descansando em paz. Mas estava sempre dando muito apoio e consolo para a sua mama, que chorava todas as noites por conta da polícia nunca ter encontrado um sequer sinal de vida de seu amado marido.

No fundo, o loiro ainda queria ter o seu appa de volta. Queria poder lhe contar sobre a sua vida de agora, o que será que ele pensaria de si? Já escondia essa vida de sua mama, será que teria coragem para contar para o mais velho?

Bom, não tinha como saber, teria que esperá-lo voltar para as suas vidas. Talvez tudo teria sido diferente se tivesse crescido com o mais velho ao seu lado. Talvez não precisaria ter entrado no mundo da prostituição.

Sim, V-hyung era um prostituto, e um dos mais procurados. 

Foi esse rumo que sua vida tomou, mas talvez a reaparição de alguém inesperado o fizesse abandonar esse lixo de vida. Talvez um certo cara de cabelos negros e de pele pálida, que havia se tornado um drogado e um completo bêbado viciado.

Ah, sim. Esses dois haviam seguido caminhos diferentes, mas caminhos escuros onde não há mais salvação. Ah, não ser, pelo reencontro deles. Mas, qual dos dois iria arriscar se encontrarem de novo? Nenhum jamais iria dar o braço a torcer.

É mais provável que acabam se esbarrando por um acaso. 


Notas Finais


Tentarei manter a atualização uma vez por semana, assim não fica muito complicado para mim.

Obrigado por lerem. Até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...