1. Spirit Fanfics >
  2. O fogo e a destruição. >
  3. A realidade.

História O fogo e a destruição. - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Hoje o capítulo é um pouco curto,OK?

Capítulo 20 - A realidade.


Fanfic / Fanfiction O fogo e a destruição. - Capítulo 20 - A realidade.

- Noah- narração ~


O sol se fazia presente sobre nossas cabeças. O chão da calçada em frente da minha casa era branco,fazendo a luz solar se refletir em meu rosto. Finn colocava as malas no carro e eu o observava sentado no pé da pequena escada,que dava na calçada.

Durou umas semanas para que minha tia encontrasse uma casa,com a ajuda da minha mãe. As duas se encontravam na cozinha. Finn terminou de ajeitar as malas dentro do carro e veio na minha direção. 

- E essa cara?-  perguntou- me.

Finn era o tipo de adolescente descolado e não se importava com o que as pessoas diziam. Eu tentava pensar que poderia vê-lo sempre que quisesse,mas a realidade é que nunca seria a mesma coisa. Gostei do tempo que ele ficou aqui em casa,nos divertimos muito nesse período, se é que você me entende.

- Que cara?- Fiz-me de desentendido.

- Você não me engana,Noah. - Sentou-se ao meu lado.

- Não tenho nada a dizer.- falei.

- Sua cara já diz tudo. Eu também vou sentir a sua falta. Olhei em seus olhos.

- Eu sei.- falei virando os olhos para baixo.

Acho que o meu maior defeito é a facilidade de me apegar as pessoas. Mesmo sendo meu primo,Finn sabia e sentia o mesmo que eu. 

Suas mãos tocaram meu ombro direito. Olhei para ele tentando me segurar para não morder aqueles lábios carnudos. 

- Você não presta,Noah.- disse com um sorriso meigo no rosto.

- Por quê?- arrisquei perguntar.

Ele simplesmente desceu os olhos para sua própria calça. Entendi o recado. Pena que nossas mães estavam por perto,que pena mesmo.

Seu sorriso meigo tornou-se malicioso,acompanhado de um olhar safado e uma mordida no lábio inferior. Retribui o sorriso,do mesmo jeito e pela sua expressão, percebi que ele gostou.

- Não tivemos a chance de conversar sobre certas coisas,Noah. - falou com seriedade,franzindo as sobrancelhas devido a luz forte do sol.

- Quais coisas?- parei de sorrir e perguntei.

Ele olhou envolta para ver se tinha alguém. A coisa devia ser séria mesmo. Finn sempre foi do tipo que sabe guardar segredos. Eu podia falar qualquer coisa,e ele ficava calado ,me escutando. Só abria a boca quando eu terminava o assunto ou pedia sua opinião.

- Não pode ser aqui. Vamos lá pra cima.- puxou-me pelo pulso.

Suas mãos eram maiores que as minhas,e mesmo com o porte físico magro,tinha muita força. Esse era um dos motivos que me atraiam nele,além do rosto perfeito,que me fazia perder a linha de raciocínio.

Soltou minha mão e segurou pelo braço, empurrando-me para o quarto. Eu não reclamei. Aquilo era....excitante. Gostava das vezes em que Finn me jogava na cama e tirava a camisa. Tanto ele quanto eu curtiamos transar com intensidade. Esse tipo de lembrança causava suspiros e arrepios em todo o meu corpo,seguido do intenso calor da euforia em meu peito.

- Pode falar.- iniciei .

Finn olhou para o chão, como se buscasse coragem para falar.

- No tempo em que fiquei aqui,eu pude perceber que você.....não parecia contente. Seu olhar expressava tristeza,mesmo que estivesse rindo. 

- Não. Eu gostei de ter você aqui comigo.  Meu primo,meu amigo e meu amante. - tentei provocá-lo,mas não consegui.

- É serio,Noah. Você sente falta de algo....de alguém.

- Não. Eu tenho as pessoas que eu amo perto de mim.- falei.

Finn me olhou como se soubesse que eu mentia. Nem eu sabia disso.

- Você está lutando contra o que você sente. Não consegue perceber ? Você está estranho desde que nós nos vimos e ficou ainda pior quando vimos aquelas gravações nas câmeras de segurança do shopping. 

- Aonde quer chegar?- sorri.

- Você sabe. Para de mentir pra si mesmo. Você finge que tá tudo bem,mas eu sei que não é verdade.- parou em minha frente com cara de decepção.

- Isso não é verdade. Eu não preciso fingir quem eu sou ou deixo de ser. Você não sabe de nada.- falei. Senti o clima ficar tenso. 

Nunca briguei com Finn antes,e não queria isso.

- Fala qual é o problema,Noah. Eu posso te ajudar. De quem você sente falta? Fala,eu vou entender.- implorou,juntando as mãos e se curvando para frente. 

Realmente eu não sabia do que ele estava falando. 

- O que você quer saber? Não tenho nada a confessar.- disse.

Finn trancou a porta do quarto,e depois se voltou para mim. Eu estava gostando daquilo.

- Tem sim.- ele falou e quando eu pensei em ir beija-lo...- Me fala sobre aquele mutante.- com essas palavras,ele me tirou todas as expectativas de uns minutos de sexo.

- Bom....ele era o meu amigo. Só isso.- expliquei.

- Não, não era. - era difícil mentir para ele.

Repirei fundo e me sentei na cama,ao passo que Finn se encostou na parede ao lado da porta. Fez um sinal com a cabeça para que eu falasse.

- O Logan veio do Brasil com a mãe. 

- Aham.- pediu que eu continuasse.

- Ele namorava a Lindsay. No baile de boas vindas,ela bebeu além da conta. Eu os observei o baile todo.- fiz uma pequena pausa.- Bêbada, ela se atirou no James,um valentão lá da escola. Lindsay se beijaram de propósito na frente do Logan. Depois disse várias coisas ruins para ele. Não pude ouvir o que dizia,mas pela cara dele....deu a entender que coisa boa não era.

- Wow! Isso não foi legal da parte dela.-continua. 

- Eu sei. Continuando....a mãe dele foi convidar a minha para um jantar na casa dela. Ela me perguntou como tinha sido o baile e como o Logan se comportou,daí eu acabei falando tudo para ela. Tudo sobre o que a Lindsay fez.

- E....- exigiu.

- Não sei o que houve com ele. Nunca tínhamos conversado antes daquele jantar. A mãe dele me deixou subir para o quarto dele,para conhecê-lo. Quando abri a porta,ele estava só de toalha e pra piorar,a toalha caiu.- foi estranho relembrar aquela situação constrangedora.

- E...era grande?- perguntou sem jeito.

- Sim. Tipo,um pouco maior que o seu. E olha que ele e eu temos a mesma idade.- comecei a me empolgar.

- Continua!- Finn pareceu não gostar de saber que seu pau era menor que o do Logan.

- Ele me xingou e eu saí do quarto. No dia seguinte,eu fiquei na porta de casa. Acho que estava esperando por ele,não me lembro direito.

- O que aconteceu depois?- perguntou.

- Logan saiu da casa dele batendo a porta com toda a força. Tinha um hematoma no lado direito do seu rosto,devia ser um tapa ou coisa assim.  Ele veio até mim como se quisesse me matar. Confesso que fiquei com muito medo. Ele me segurou pela gola da camisa e me jogou no chão,imobilizando as minhas mãos. A minha certeza era de que ele ia acabar comigo,mas algo mudou em seu olhar. Se levantou e fomos para a escola,

-Isso não explica as gravações do shopping. Continua.

- A primeira vez que eu vi usar os poderes foi quando James se gabou por ter pegado a Lindsay. Logan não se segurou e jogou todos ao redor para trás. Sem tocar. Ele pediu para James parar e como não ele não quis parar,tudo isso aconteceu. Algumas pessoas se machucaram. James foi parar do outro lado do refeitório. Naquele mesmo instante Logan saiu às pressas do refeitório e eu o segui. Mesmo sabendo que não devia,comecei a fazer perguntas para ele,em resultado ,os armários sacudiram.....

- E as outras vezes?- Finn me interrompeu.

- Uma vez eu o levei para conhecer a minha casa na árvore. Nós dormimos. Eu acordei primeiro e cometi o erro de tocar em seu.....pênis. Antes de tirar a mão,Logan acordou,mas não me machucou. Ele desceu e voltou para casa. No caminho,eu chamei,falei,tentei me explicar,mas sabendo que ele queria ficar só. Logan me avisou para parar de falar,eu não dei ouvidos e ele me segurou,me erguendo no ar.

- Impressionante.- Opinou.

- Pois é. Ele me machucou muito. Tive que ir pro hospital. No dia seguinte ele me machucou de novo na casa dele,quando nossas mães e eu o ofendemos.

Finn acentiu com a cabeça. Sua boca estava aberta. 

- Isso é muito estranho.- indagou.

- O quê?- perguntei,

- Ele sempre pediu para não encherem o saco,mas como ninguém o ouvia,um desastre sempre acontecia por causa dos poderes. Continua.

- Comecei a vê-lo como um inimigo. Eu queria me vingar por ter me machucado. A Lindsay e eu fingimos um namoro falso como vingança. No shopping,eu o provoquei e aconteceu aquilo que vimos nas gravações. 

- Você... você usou a namorada dele? Deve ser por isso que você ficou triste durante esses dias.

- Por quê?- perguntei.

Ele se sentou ao meu lado na cama.

- Você não se sente culpado por ter feito isso?

Fiquei sem palavras. Nunca tinha parado para pensar nisso. Finn de alguma forma abriu meus olhos.

- Eu...eu....bom...eu....

- Isso foi maldade da sua parte,Noah. Você não é assim. Tem notícias dele?

- Ele desapareceu depois de lutar com a polícia.- respondi e Finn respirou fundo.

- Você arruinou a vida dele. Se sente culpado mas nem percebe.- Parecia agora decepcionado,

- Não arruinei a vida de ninguém. Ele mereceu.- falei secamente.

- E quem é você pra decidir o que ele merece o não?- destrancou e abriu a porta. Antes de sair,olhou para mim.- Agiu errado,Noah. Isso não se faz. Eu não vou te julgar,mas a verdade é que o único vilão foi você. Imagina como ele se sentiu quando viu você com essa Lindsay, a ex namorada. Provavelmente ele se sentia mal depois com ela depois do baile e ainda por cima,teve que ver você traí-lo como ela fez. Você tá errado. 

- Se não vai ficar do meu lado,então fica longe de mim.- falei sem pensar.

Finn saiu e fechou a porta atrás de si,me deixando só com meus pensamentos e minhas culpas.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...