História O Fraccion Da Terceira ESPADA - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bleach
Tags Bleach
Visualizações 35
Palavras 2.758
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 14 - O Clã Shihoin


Fanfic / Fanfiction O Fraccion Da Terceira ESPADA - Capítulo 14 - O Clã Shihoin

Soul Society Esquadrão Doze

 

Já se fazia uma semana do ocorrido no esconderijo dos hollows, não vi Byakuya desde então por culpa da quantidade gigantesca de trabalho que foi jogada nas minhas costas. Eu estava sozinho na sala central terminando um update em um novo software que Hiyori estava criando para as maquinas centrais da divisão doze, segundo ela assim seriamos capazes de rastrear as tais abduções assim que fossem feitas. Aizen não precisava saber que eu estava trabalhando nisso, mas a ausência de ordens dele começou a me preocupar. 

De repente Kisuke entrou na sala com cara de cansado. Ele soltou um longo suspiro e praticamente se jogou na única poltrona do lugar , me virei para ele assim que a ultima barra de carregamento foi concluída.

- Está tudo bem capitão? - perguntei como quem não quer nada.

Ele me encarou e percebi que ele tinha marcas de olheiras como se não dormisse a bastante tempo, assim como eu ele também estava sobrecarregado com trabalho.

- Estou acabado - disse ele sorrindo - parece que temos mais um assunto para lidar aqui no esquadrão doze, mas não se preocupe, vou pedir para que Maiyuri cuide disso

- Posso fazer algo para ajudar? - perguntei

- Só relaxe - disse ele.

Percebi que talvez ele não quisesse compartilhar comigo que teria que matar hollows para cumprir sua nova missão, eu até poderia dizer a ele que não dava a mínima para hollows que não eram sencientes, mas realmente não queria entrar nesse assunto agora. 

- Quando terminar isso vá para casa, você precisa descansar - disse ele - ainda não está totalmente recuperado.

- Você também não me parece nada bem capitão - comentei após algum tempo para reunir coragem - gostaria de algo para beber ou qualquer coisa?

- Já disse - disse Kisuke - quero que descanse, temo que futuramente terei uma missão para você.

- Sim senhor - falei sem mais questiona-lo - pode dizer a Hiyori que todos os computadores foram atualizados para a nova versão.

- Bom trabalho - disse ele

Fiz uma curvatura e saí da sala, passei pela saída da divisão e caminhei pelos corredores do sereitei sem saber o que eu iria fazer agora, quando escutei uma voz conhecida.

- Odelschwanck-kun? - ao me virar de costas vi Milia. Ela estava um pouco mais alta, mas ainda era menor do que eu. Em seu shihakushou havia um cachecol azul e em sua cintura uma zampakutou com o cabo rosa e o guarda mão redondo

- Dorieru-san - falei ao reconhece-la - faz um tempo que não te vejo.

- Pois é - disse ela sorrindo, estive bem ocupada recentemente com a divisão treze. Sou eu que organizo as posições dos nossos soldados no mundo dos vivos agora.

- Uau, você se tornou alguém bem importante - falei e ela corou

- Ah... bem... sabe como é eu...

- Ei Milia! - ouvi uma voz infantil chama-la e ela ficou com os nervos a flor da pele do mesmo jeito que Byakuya quando ouvia a voz da capitã Yoruichi

Um garoto correu até nos, ele tinha o cabelo preto e espetado e estava usando as roupas de aprendiz da academia shinigami.

- Kaien! O que diabos você está fazendo aqui?! - perguntou Milia - Matando aula de novo, como quer se formar na academia desse jeito seu moleque?!

- Ah?! - disse Kaien - Mas eu já fui para a aula ontem, eles ensinam a mesma coisa todos os dias, já estou mais do que pronto pro shihakushou.

Dei de ombros.

- Confiança é um bom começo para um shinigami - falei e Kaien olhou para mim com um sorriso no rosto

- Não é? - disse ele feliz - Quem é você? O namorado de Milia?

Eu estava prestes a perguntar o que era namorado, mas ao ver Milia ficar cada vez mais vermelha percebei que deveria ser algo obvio e que se eu perguntasse com certeza pareceria suspeito, então deixei Milia responder.

- N-não - gaguejou ela - Odelschwanck-kun é um amigo da época da academia shinigami e...

- Odelschwanck... - Kaien repetiu bem lentamente e seus olhos começaram a brilhar muito - Ei Kuukaku, vem aqui! - chamou ele e uma garota um pouco menor do que ele e com o olhar tímido surgiu de trás da uma das esquinas de corredores, assim que ela apareceu ele voltou a olhar para mim - Você é o Nor Tu Odelschwanck?

- Você me conhece? - perguntei um pouco confuso.

- É! É você mesmo! - disse ele parecendo cada vez mais admirado - Todo mundo na academia shinigami conhece você! Você conseguiu derrotar um hollow que escondia totalmente sua reiatso e a sentir mesmo que dois capitães não conseguissem!

- Isso é tão incrível assim? - perguntei sem entender por que ele me olhava daquele jeito, provavelmente tinham inventado um aumentativo muito grande para essa historia na academia shinigami - era só um hollow que escondia seu poder.

- Sim é! - disse a garota se empolgando também - Como você fez? Ensina pra gente!

- Bom, o primeiro passo é ir a todas as aulas da academia shinigami - disse percebendo pelo olhar de Milia que deveria tentar passar uma mensagem - mesmo que já tenha visto o que está sendo ensinado quanto mais vezes você pratica a mesma coisa melhor você se torna em faze-la.

- Então eu estou indo! - disse Kaien puxando a menina consigo e eles desapareceram no fim do corredor.

- Uau! Você tem mesmo jeito com crianças - disse ela - devia se tornar professor.

- Eu tive bons professores. - murmurei.

- Meu irmão ia gostar de ouvir isso - disse ela - então o que você...

Quando ela se aproximou um pouco mais de mim pareceu finalmente notar, meu corpo estava cheio de cortes e ferimentos e como eu não trocava os curativos há quase quatro horas os que eu estava usando estavam sujos com meu sangue.

- Você está ferido! - disse ela em um movimento que me lembrou o modo de agir de Neliel - O que houve? Você está bem? - ela colocou a mão no meu rosto onde tinha um corte, mas eu mau me movi, Pelo menos a mão dela era leve e não me fez sentir dor. Eu estava estranhando esse contato todo que ela estava fazendo.

- Não foi nada, tive que averiguar o hollow que eu matei e ele tinha amigos que quiseram vingança, Byakuya, Soi Fon e eu conseguimos derrota-los no fim.

- Bom saber que você e o Kuchiki-san continuaram amigos depois de sair da academia - disse ela mudando habilmente de assunto.

"Eu espero que sim - pensei".

- Sim, cumprimos uma missão juntos. - falei imaginando o que estava passando pela cabeça de Byakuya sobre mim naquele momento.

- Bom, lembre-se de se cuidar - disse ela finalmente tirando a mão do meu ferimento no rosto - eu preciso ir, venha me ver de novo para conversar.

E sem esperar eu responder ela saiu correndo me deixando confuso.

 

No dia seguinte eu acordei com alguém batendo na porta da minha nova casa, ao abrir me surpreendi. Era a capitã Yoruichi, ela estava um pouco melhor do que da ultima vez que eu a vi.

- Olá Nor - disse ela sorrindo - fiquei sabendo que conversou com o Byakuya-bou, ele está melhor?

- Sim capitã - disse a ela - acredito que seja doloroso perder alguém tão próximo quanto um pai. 

- Sim, de fato. Agora ele tem que se aproximar  dos amigos e dos parentes restantes. Espero que continue sendo um bom amigo - disse ela, mas me mantive quieto dessa vez, eu não tinha o direito de falar nada nem sobre a morte de Sojun e nem sobre ser um amigo mentiroso - Bom, eu falei com o Kisuke e vim te pegar emprestado para uma missão.

- Se eu for o mais adequado para a missão - comentei - só me dê um segundo para me preparar.

- Não precisa ser tão formal - disse ela - Posso entrar?

- Ah, claro - falei e ela entrou logo depois de mim - passei pela mesinha na sala de estar e peguei Neko em seu suporte, já a colocando na minha cintura.

- Uma casa legal - disse ela dando uma olhada ao redor - o que achou dela?

- Capitão Kisuke me pediu para me mudar para um local próximo da divisão - comentei - essa era a menor casa disponível, como eu não queria ter muito trabalho para limpar escolhi essa mesmo. Podemos ir.

- Certo - disse ela saindo e eu a segui.

- De que tipo de missão se trata capitã? - perguntei

- Estamos indo para a sede do meu clã - disse ela e eu me surpreendi, apesar de já ter sido ensinado pelos Kuchikis a como me portar nas casas nobres eu não me sentia confortável para entrar na sede dos Shihouin - parece que tem alguma coisa nos sondando e eu ficaria muito agradecida se você pudesse dar uma olhada com sua "sorte de principiante" - ela disse "sorte de principiante" como eu tinha dito a eles da ultima vez.

- Claro... - disse somente.

A viagem até o clã dos Shihouin durou pelo menos umas duas horas de caminhada. Yoruichi parecia estranhamente de bom humor quando chegamos, o local todo parecia um grande dojo de treinamento onde grandes grupos de treinamento se reuniam. Na frente do grupo havia um único mestre que demonstrava os movimentos que deveriam ser imitados e no meio de um dos grupos eu a encontrei.

- Ah, sim - disse Yoruichi seguindo meus olhos com os seus - você chamou Soi Fon para ir naquela busca até os hollows da caverna não é? Se tornaram amigos?

- Não desprezaria a companhia dela em uma missão - respondi - acho que é alguém de confiança. Não estaria vivo se não fosse por ela.

Yoruichi soltou um longo suspiro.

- Aí aí aí - disse ela - até a forma de falar de vocês dois é parecida. Por que não marcam o casamento logo?

- O que é casamento? - perguntei inocentemente

- O que? - ela disse entre risadas - como assim, você sabe... beijos, fazer amor, filhos...

- Ah... - falei ainda confuso, mas resolvi tentar evitar o assunto - claro... ah...

- Yoruichi-sama - disse um homem se aproximando e fazendo uma reverencia - sua presença é requisitada pelos anciões nesse momento.

Ela mordeu a unha com raiva.

- Bem agora? - perguntou ela um pouco irritada - me perdoe Nor, massa você pode esperar aqui um pouco?

- Claro capitã - respondi

- Não toque em nada - ela deu um sorrisinho - e nem em ninguém.

E então ela se foi para dentro da maior casa naquela área. Me sentei em um pequena escada de madeira e juntei minhas mãos, iniciando um método de meditação que Starrk me ensinou, se passaram duas horas até alguém se aproximar e me cutucar. Abri meus olhos lentamente.

- Soi Fon-san? - falei 

Ela se sentou ao meu lado, mas a uma certa distancia.

- Você se recuperou de seus ferimentos? - perguntou ela

- Eu estou bem - respondi - mas um pouco confuso por você ter me ajudado.

- Estou confiando em você - disse ela - mas se fizer eu me arrepender você está morto, lembre-se disso.

- Não vou te decepcionar - falei - eu tenho muito apreço por essa vida aqui. Sabe o que está acontecendo para me chamarem?

- Há algo rondando o clã nos últimos dois dias, não sei dizer se é um hollow por que não sentimos reiatso, mas... não parecia um hollow quando eu vi, eu podia jurar que era uma forma humanoide como aquela coisa que você impediu de me matar.

"Um arrancar... mas eu não fui informado de nada relacionado a atacar as casas nobres...Aizen poderia..."

- Soi Fon! - chamou um homem alto e moreno - se tem tempo para perder com seu namorado por que não vem aqui se mostrar uma manobra de shunpo com uma perna só!

Ela se levantou nervosa, mas ela não ousou reclamar com um Shihouin. Mais uma vez eu não entendi do que se tratava isso. Acho que essa palavra "namorado" é algum tipo de xingamento e um bem terrível para as garotas odiarem tanto.

- Me perdoe Youren-sama - disse ela - não pretendia me distrair, queria apenas relatórios da ultima missão.

- Não perguntei nada Shaolin, eu não quero saber de desculpas, apenas faça o que eu mandei - percebi que ela ficou muito irritada de ser chamada daquele jeito, mas ela estava engolindo seu orgulho de um jeito que eu não pensei que ela conseguiria.

- Sim senhor... - disse ela ficando em um pé só, mas quando ela foi usar um shunpo ele lhe passou uma rasteira e ela caiu de cara no chão.

- Ei Youren - disse um outro Shihouin que estava ali enquanto Soi Fon se levantava lentamente - não acha que está pegando pesado demais com a pirralha?

- Está com dó de uma pulga? - perguntou Youren agarrando o shihakushou dela percebi que ele pretendia soca-la com a outra mão

Em uma fração de segundo percebi que Soi Fon podia se defender se ela quisesse, mas ela não se mexeu. Me enchi de raiva, aquele cara era o Yami dos shinigamis e de vermes como aquele eu não tinha pena. Usei meu sonido mais rápido e apareci na frente dele em um milésimo de segundo. Yoruichi disse para não tocar em ninguém, mas desde que eu não usasse minhas mãos ou meus pés acho que não tinha problema nenhum.

Youren se surpreendeu muito quando eu surgi ali e seu soco acertou meu rosto com muita força espalhando meu sangue pelo lado direito do meu rosto e no susto ele derrubou Soi Fon. Virei meu rosto lentamente em direção a ele.

- Você tem uma mão bem forte Shihouin-sama - falei ainda sem mexer meus braços - o que acha de um combate amigável com uma pulga desconhecida?

O campo de treinamento parecia em choque com o acontecido, até mesmo os outros Shihouins pararam seus treinamentos para ver o desenrolar da coisa.

- Youren! - a voz furiosa de Yoruichi cortou o silencio como uma bankai destrói um castelo de cartas - Como você ousa encostar em um convidado meu, ainda por cima um convidado que já está ferido!

Youren ficou pálido o que era irônico para alguém moreno como ele.

- Y-Yoruichi-sama eu...

- Vocês - Yoruichi apontou para dois guardas aleatórios - condicionamento para ele agora!

- Não! - disse Youren, mas os dois homens foram rápidos e o imobilizaram antes que pudesse agir.

E depois ela olhou para mim com uma cara muito irritada.

- E você, venha comigo agora. Tenho trabalho para você - disse ela surgindo do meu lado e começando a me empurrar para longe da cena que eu tinha feito. Pouco a pouco os outros voltaram ao seu treinamento diário.

Passamos por Soi Fon sem nem olhar para ela para não compromete-la.

Yoruichi continuou me empurrando até chegarmos a uma floresta, quando pensei que ela ia começar a me explicar os detalhes da missão ela começou a rir e depois pegou um lenço do haori para limpar meu rosto.

- Você não tem jeito - disse ela - foi demais, quando eu disse que não podia  tocar em ninguém não quis dizer que não podia bloquear um soco na sua cara.

- Você estava vendo... - falei lentamente assimilando aquelas palavras

- Não me olhe assim - disse ela na defensiva - eu ia interferir, mas você chegou antes de mim... - ao perceber o que disse começou a rir de novo - acho que eu nunca disse isso a ninguém.

"Essa é shunshin Yoruichi? - pensei quase não conseguindo acreditar".

- Não acho que eu tive muita escolha, de onde eu venho isso acontecia com muita frequência eu não podia mais ver isso na minha frente - fiz uma reverencia - me perdoe por desrespeitar seu clã capitã.

Ela colocou um braço atrás do meu pescoço e me fez seguir ao seu lado.

- Certo, se for pra humilhar o merdinha do Youren eu apoio e muito - disse ela - Beleza, temos um inimigo misterioso para caçar Nor.


Notas Finais


shunshin - deusa do relâmpago


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...