História O fruto de um erro ou obra de um destino? namjin - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Rosé
Visualizações 16
Palavras 2.020
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


e hoje kkkkkkkkkk

Capítulo 5 - Capitulo 4


----------Na volta pra casa naquele mesmo dia ----------

 

P.O.V. JIN

Sento no ônibus sozinho e observo o uma moça com um bebe chorando em seu colo, o bebe era realmente lindo, uma linda menina, ate chorando ela era fofa, passo a mão em minha barriga e penso como será que essa criança iria parecer será que ela seria tão linda? A quem será que ela puxaria? Será que assim como o pai teria um lindo sorriso com covinhas? Ou assim como seu omma teria belos olhos grandes e se acharia a ultima bolacha do pacote? Sorrio dos meus pensamentos, péssima hora porque minha família tinha que vir na frente? Eles não poderiam me esperar pra voltarmos juntos?

 

----------QUEBRA DE TEMPO----------

 

Chego em casa e não encontro ninguém, qual é eles acabam de descobrir que o bebe da casa foi  engravidado artificialmente e nem pra passar por esse aperto comigo? Eu nem sei o que deveria fazer se deveria ter a criança se deveria abortar se deveria ter, mas entregar pra adoção, o que devo fazer deus me de uma luz qualquer coisa, de preferência jay parck só de cueca me dizendo o que deveria fazer, ok parei com esses pensamentos, ainda são 3 da tarde, o que deveria fazer? Ninguém toma uma boa decisão de barriga vazia, vou ate a cozinha e procuro o que tem pra comer, encontro uma panela de canjica e outra de caldo verde, ambas ainda quentinha, eu amo minha família, encho dois pratos um com canjica e outro com o caldo verde vou pra frente da TV e ligo em qualquer coisa, mais um dorama dessa vez e um com o qual parece estar prevendo meu futuro, conta a mesma historia que a minha mas a deles e mais brega, acabo de comer e vou para o meu quarto.

 

----------NAQUELA NOITE ----------

 

-filho podemos conversar?- meu omma entra com uma expressão seria.

-omma, eu agora não ok? Eu não to afim, eu ainda estou na escola esqueceu? Amanha eu tenho um teste importante eu só quero me concentrar- digo sendo um pouco grosso, mas eu queria que ele entendesse eu não estava num bom momento eu só queria esquecer nem que fosse por algumas horas o que vem acontecendo recentemente.

-olha filho eu sei como se sente, ok? Quando eu tinha sua idade também passei por isso lembra?- ele disse olhando em meus olhos como se quisesse transmitir tranquilidade e dizer que tudo vai dar certo.

- não omma, você foi irresponsável, você engravidou por ser irresponsável, e hoje eu nem tenho um pai, eu fiz tudo certo a minha vida toda, eu evitei todos os caras que deram em cima de mim tirava as melhores notas me esforçava ao Maximo ate mesmo me obriguei a evitar sexo e homens para... - sou interrompido antes de dar continuidade à frase.

-para não acabar igual ao seu velho e adorável omma?- ele da um sorriso triste, e se senta ao meu lado na cama.

- eu te disse que não queria conversar- falo meio magoado.

-eu e sua vó conversamos, não precisa ter o filho, aqui- ele me entrega um potinho redondo e pequeno com remédios- mas, seria bom se você tivesse a criança, sabe faria essa família ainda mais feliz- ele fala da um sorriso de lado e vai em direção à porta.

- eu teria nascido? Vice já tem o tae ele foi o primeiro, não havia necessidade de ter dois, se a vovó não tivesse dito para você me ter e vir morar com ela, que ela te ajudaria, você teria... Você teria me dado à luz?- falo com receio da resposta, o vejo parar na frente da porta e olhar pra traz.

-eu fico feliz de ter tido você, se quer saber hoje em dia eu não me imagino sem você, boa noite filho, bons estudos- ele fala fechando a porta logo em seguida.

-ele nem mesmo me respondeu, senhor Kim park jimin você e um mini demoniozinho em forma de humano- falo para mim mesmo ainda pensando nas palavras dele, será que devo ter a criança será que não? Aaaaaaaaaah a vida e tão injusta, droga, foca seokjin, por agora vamos estudar para a prova, você pode pensar nisso depois, não passou sem meia hora depois disso e minha avo entra no quarto.

-posso entrar?- olho pra ela e aceno com a cabeça, ela vê o medicamento em cima da estante e o pega – ao que parece seu omma já esteve aqui – faço que sim com a cabeça sem retirar os olhos do livro – já pensou no que ira fazer?-.

-mas que merda porque todos estão me pressionando? Eu ainda não sei o que fazer se devo ou não ter o filho- olho pra ela já revoltado com isso.

-sabe, eu gostaria que você tivesse, vou te contar uma historia, quando descobrimos que jimin estava grávido pela segunda vez eu propus que ele abortasse- olho pra ela com um olha de magoa – sabe, ela já tinha o taehyung que já era uma carga pra ele, mas ele se negou  a fazer isso, e hoje eu dou graças a deus, porque você junto com ele são os maiores motivos da minha felicidade, e agora, esse pode ser um dos maiores motivos da sua, você deveria pensar nisso – ela fala e sai do quarto me deixando mais pensativo do que antes, boto as mãos na cabeça e bagunço meu cabelo em sinal de rendição, acho que não poderei deixar isso de lado por hoje, e melhor eu ir dormir e pensar melhor sobre isso amanha.

 

----------na manha seguinte----------

 

Me levanto com o barulho do despertador, vou ao banheiro, escovo os dentes, arrumo o cabelo e me visto para ir a escola, mas antes de descer as escadas recebo uma chamada de um numero desconhecido.

 

LIGAÇAO ON.

 

-Alo?

-Alo? Jin? Sou eu namjoon o cara do hospital, e, bom pai do seu filho.

-aaar sim, eu, eu me lembro de você senhor namjoon.

-Por favor, só namjoon esta bom, você me chamando de senhor me faz parecer mais velho do que eu realmente sou.

- certo senhor... Quer dizer namjoon.

-bom eu queria conversar com você, será que poderia ceder seu tempo esta tarde para poder nos encontrar?

-booom, eu, eu acho que não tem nenhum problema desde que não demore muito.

-ok, pode deixar a que horas você sai da escola?

- bom, hoje eu saio às 3 horas.

-perfeito, me mande o endereço eu passo La pra te buscar. Ate mais tenho que ir.

 

LIGAÇAO OFF.

 

Mas que? Ele nem esperou eu falar alguma coisa, e já vai desligando, mas que merda, espera... Quando ele arranjou meu numero? Bom, não importa escutar a voz dele logo pela manha e sem duvidas uma das melhores coisas esse tom de voz maravilhoso, tão firme e tão sexy, me faz arder em chamas por dentro, aaaaah Kim seokjin você esta se transformando em um pervertido.

 

----------QUEBRA DE TEMPO----------

 

Estava saindo da sala com jisoo quando a vejo ficar vermelha, olho na mesma direção que ela e vejo que ela estava olhando um cara extremamente lindo.

-estou vendo viu pilantra esta me traindo na cara dura- olho pra ela com cara de choro.

-o que? Eu? Traindo você? Só se for com o dedo- ela fala colocando o dedo na minha cara.

-acha que não percebi você olhando pro gato moreno no fim do corredor?- ela abre a boca pra falar, mas a interrompo – não adianta eu já notei isso e não e de hoje já faz uma semana sempre que você olha pra esse cara você trava e fica vermelha, deveria ir logo falar com ele, quer que eu vá? Você sabe que eu vou- ela me puxa.

-não ouse fazer isso jin, você me fará passar vergonha igual todas às vezes- ela me olha com cara de brava.

-eu? Fiz você passar vergonha? Quando? Tu não tem vergonha na cara de espalhar essas mentiras sobre minha maravilhosa pessoa?- faço cara de indignado.

-sim, você, quer por ordem alfabética, numérica, ou por ordem de data? – ela fala já fechando a cara.

-ordem de data fala ai pode começar – faço à egípcia porque não sou obrigado.

-no dia em que nos conhecemos me fez perseguir um cara pelo shopping inteiro para pegar o numero dele, sendo que eu só disse que tinha achado Ele bonitinho- ela bota as, mas na cintura e bate o pe.

- quale isso nem pode ser considerado um mico – digo com cara de afrontoso, porque adoro meter a do loko.

- eu lembro que no nosso segundo role você começou a subir a escada que desce apenas porque acho ter visto um cara parecido com jay park- ela fala debochada.

-quale querida e jay park ate parece que você não faria o mesmo se visse um cara parecido com o jeon jeongguk – olho pra ela e ela cora.

-meu amor e jeon jeongguk, se aquele cara quiser ele pode me comer, te comer e comer quem ele quiser você já viu o quão sexy ele e?- faço cara de nojo.

-ele tem idade para ser nosso pai, você sabe NE?- digo e ela da de ombros, vamos em direção à saída e eu vejo aquele ser, o único que e capaz de fazer minhas entranhas revirarem sempre que o vejo.

-olha só quem ta aqui o deus grego, vulgo pai do teu filho- jisso me olha irônica, sim ela já sabe de tudo, afinal ela e minha melhor amiga, nos despedimos e eu vou em direção ao mister fodão.

- ola namjoon – sorrio e estico a mão para cumprimentá-lo e ele faz o mesmo.

-sobe ai, vou te levar pra um café que esta inaugurando hoje, aposto que você ira gostar- ele fala sorrindo e abrindo a porta do carro para que eu pudesse entrar e assim que eu o faço ele da à volta e entra, ele passa o sinto de segurança ao redor do meu corpo, e logo faz o mesmo em si, enfim da à partida no carro ele começa a puxar assunto, conversamos sobre coisas banais como que tipo de comida e musica gostamos, mas não demorou muito para chegarmos La, o café era realmente lindo as mesas eram redondas e de vidro, o balcão exibia bolos um mais lindo que o outro o cheiro era maravilhoso, entramos, ele pediu um lugar perto da janela, a vista era tão linda, nada fora do comum, mas eu realmente adoro sentar na janela de uma cafeteria e observar as pessoas passando.

-me desculpa não perguntar onde você queria sentar, mas e eu realmente adoro sentar na janela de uma cafeteria e observar as pessoas passando, não sei explicar da uma sensação tão boa, e como se você parasse para analisar o quão bem ou mau sua vida esta indo- ele fala olhando para fora, e tudo que consigo pensar e “eu adoraria que você fosse solteiro”, um garçom chega e nos entrega dois cardápios, os doces e bebidas pareciam um mais gostoso eu o outro, havia uma bebida de unicórnio que acompanhava ate mesmo algodão doce fiquei com água na boca após ver isso, e um bolo chamado red velvet, ele parecia tão apetitoso.

-eu vou querer um café puro e um bolo red velvet, e para ele, um Milk shake de unicórnio e um red velvet também – olho pra ele e me pergunto se ele e capaz de ler mentes, ele olha em meus olhos e sinto me ficar levemente corado – me desculpe nem perguntei se você queria mesmo essas coisas eu apenas fui pedindo, e que, você parece combinar com essas coisas não sei explicar – ele fica meio sem graça.

-você pode ler mentes? – ele me olha e da risada, eu sorrio pra ele – então, er... Namjoon ao que devo a honra de estar aqui hoje?- ele ri.

-bom na verdade eu queria conversar com você, eu sei que o assunto definitivamente pode te incomodar, mas, e importante- ele agora tem uma expreção extremamente seria em seu rosto – e sobre a criança, por favor, tenha a criança.


Notas Finais


o capitulo de hoje ficou grande
desculpem os erros
e ai sera que o jin ira aceitar ter o nene?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...