1. Spirit Fanfics >
  2. O futuro antecipado- Reddie >
  3. A verdade. Eddie.

História O futuro antecipado- Reddie - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Oiiii desculpa a demora gente!!
Espero que leiam o capitulo até ao fim! Beijos! CAPITULO INTENSO. Desculpa aí qualquer erro!

Capítulo 19 - A verdade. Eddie.


Fanfic / Fanfiction O futuro antecipado- Reddie - Capítulo 19 - A verdade. Eddie.

—Beverly...

—Bill chega de mentiras e jogos! Estou farta!! Se você tem alguma coisa para me dizer então diga agora! Eu sou quero ajudar! Vocês são meus amigos e eu sei que algo de errado está a acontecer! Você sabe que pode falar comigo...—Beverly aguardou uma resposta do rapaz mais alto mas ele não sabia o que dizer. Ele abria a boca para falar mas as palavras não saiam.

Beverly após uns momentos de espera revirou os olhos e virou as costas mas bill agarrou a no pulso e a virou. 

—Beverly espera...—Beverly olhou no fundo dos olhos do bill aguardando uma resposta.

 

—Beverly....serio..eu...eu quero contar para você mas se eu te contar tenho que contar a todos. 

—Então? Conte!—Beverly disse como se fosse óbvio. 

—Não é assim tão fácil. Vocês provavelmente não vão querer voltar a olhar para mim..e para o Ben.—O Ben e o Bill eram duas pessoas extremamente importantes para a Beverly. Ela já tinha namorado com o bill mas agora estava com o Ben.—e vou magoar especialmente o Richie e ele não merece nada disto. Nenhum de vocês merece! Eu simplesmente não quero que a nossa amizade acabe! E eu sei que vai acabar se eu vos contar.—de qualquer das formas ele de uma maneira ou outra teria de contar para eles. 

—Bill.—Beverly pegou a mão do bill.—eu nunca vou deixar de ser tua amiga. Nunca. Seja o que for que você tem para me dizer, eu posso ficar chateada, triste, ou ... sei la! Alguma coisa! Mas eu não vou deixar a nossa amizade se afundar! Você colocou as cartas em cima da mesa, agora jogue. Vai ter que contar bill. Eu não quero colocar pressão em cima de você mas eu sei que alguma coisa se passa! E você vai me contar.—Bill começou a pensar em diversas maneiras de como deveria contar. Ele respirou fundo e olhou nos olhos dela. 

—Beverly, eu não sei o que vai acontecer depois disto. Mas eu não te posso contar. O Ben também tem de estar aqui. O Ben e todos os outros losers! Eu não posso te contar assim simplesmente! Se você soubesse a gravidade da situação bev...isto não é um segredo comum ou algo sobre o pennywise ou...—bill respirou fundo—isto é muito grave Beverly. Muito grave mesmo.—os olhos dele já marejavam.

 

Depois disto, Beverly ficou chocada com medo do que bill lhes tinha para contar. Assentiu com a cabeça e compreendeu o lado do bill. 

—Posso ou menos saber do que é que o assunto se trata? 

—Eu...acho melhor não.—bill começou a andar pelos corredores da escola. 

—Porque? Você não precisa me contar o que está acontecendo agora mas pode pelo menos dizer sobre o que é? 

—...não...não não posso.—bill andava rapidamente e Beverly o seguia por trás. 

—Bill você está a ser injusto connosco. Porque o Ben sabe e nós não? Porquê ele?! 

—Beverly você não compreende!!—bill parou em frente da ruiva.—você não compreende nem nunca vai compreender! O Ben sabe porque o Ben descobriu acidentalmente!! 

—Como assim? Então esse assunto trata se de você...—Beverly olhou para o chão pensativa como se tivesse acabado de descobrir algo. 

—Não!! Não é sobre mim! Quer dizer...é e não é! Eu não te posso contar...vai ter que esperar até..

—Esperar? Quanto tempo mais eu tenho que esperar?! Já faz 1 mês que você está agindo dessa maneira! Quase 1 mês bill! Um mês desde que o Eddie....

—morreu?—bill questionou como se você óbvio. Beverly suspirou e lágrimas escorreram pela face.—não Beverly. Não. 

—não o que?—bev sussurrou.

—não! Só não! Ok? Eu não te posso contar, já. Pelo menos não agora. E espero bem que você compreenda.—o bill andou até ao banheiro deixando Beverly sozinha no corredor da escola chorando. 

Isso estava destruindo o grupo.

 Pelo menos era o que eles pensavam. Mas não. Os club dos otários é indestrutível eles sempre arranjam maneira de se entender. A amizade deles é mais forte do que nunca. 

 

Quando Bill chegou no banheiro e uma roda de pessoas estava na porta e Bill se sentiu confuso e curioso. 

Assim que entrou se deparou com Richie no chão tendo um ataque de pânico horrível. 

Stan estava agarrando nos seus braços e mike no seu tronco. Ben estava observando chocado. E um professor estava ligando para os pais de Richie. 

Richie estava tremendo exageradamente e revirando os olhos, respirando ofegante, chorando descontroladamente, podia até ser confundido como uma convulsão. Mas era um ataque de pânico, muito forte. Com tudo o que estava acontecendo na vida de Richie. Com a morte do melhor amigo que era a pessoa mais importante na vida dele. Ele simplesmente não conseguia viver sem ele. Não conseguia. Desde os 5 anos que têm estado juntos e desde os 13 que está apaixonado por ele. Não é fácil. Ainda por cima com o trauma do palhaço assassino que matou o amor da vida dele a sua frente. Os pais abusivos de richie, Henry Bowers o humilhando em frente a todos, a solidão que richie sentia, o estado de nervos, o stress, a escola, as pessoas, tudo. Ele não conseguia mais lidar com aquilo. Não tinha forças. Ele queria voltar atrás no tempo e reviver tudo de novo. E queria que esse infinito pesadelo acaba se. 

 

Bill ficou chocado com o que viu e preocupado obviamente. Nunca tinha visto Richie a ter um ataque daqueles. 

Depois disto a única coisa que ia na cabeça de bill era "eu tenho que lhes contar. Eu tenho que lhes contar" 

Já chega! Isto estava a ir longe demais! Ele tinha de contar. 

 

 

*            *            *            * 

 

 

—Richie? Richard?—maggie tozier chamava pelo filho calmamente que agora estava deitado na própria cama. Richie pestanejou lentamente.

—M-mãe? 

—richie...—a mãe acariciou os cabelos e Richie rapidamente se levantou confuso. 

—deite se Richard você precisa descansar. 

—Mãe o que aconteceu?

—Descansa.—maggie deitou o novamente na sua cama.—você teve um ataque de pânico. O médico disse para você ficar em casa a descansar.—Richie deitou a cabeça na almofada e suspirou, e olhou para a garrafa de álcool que maggie tinha na mão mas ela rapidamente escondeu debaixo da cama. 

A mãe dele o encarou por alguns segundos e reparou nas lágrimas que escorriam pela face de richie. 

—Richie...?—o rapaz se deitou de lado em conchinha olhando para a parede enquanto as lágrimas lhe caiam dos olhos. 

—a minha vida é uma merda!—Richie disse quase num sussurro com uma voz rouca. 

—não. Não diga isso Richie. 

—É!—Richie se sentiu direito na cama.—TUDO É UMA MERDA! Eu não aguento mais!! Eu me odeio!—Richie gritou.

—Porque você se odeia? Você é uma pessoa incrível richie não di...

—EU SOU GAY!!—gritou e chorou cada vez mais deixando a mãe de boca aberta com olhos marejados. Wentworth, o pai de Richie, permaneceu encostado na porta ainda com a bata de dentista, pois ele havia chegado do trabalho, já que dentista era a sua profissão. 

Richie o encarou nos seus olhos com medo. E o pai dele o olhou com uma cara de desgosto e nojo e saiu do quarto lentamente deixando um silêncio desconfortável. 

A mãe dele respirou fundo.

—richie... 

—deixa me!!!—richie afundou a cabeça na almofada e chorou. E a mãe dele se levantou e saiu do quarto. Deu uma última olhada no Richie e fechou a porta do quarto. 

Assim que ela saiu, Richie se levantou trémulo e pegou uma foto dos Losers e se deitou novamente na cama olhando para a fotografia. 

Eles eram as pessoas mais importantes da vida do Richie, mas sem o eddie tudo era diferente. 

 

*         *         * 

 

A noite já estava escura, e beverly encontrava se sentada nas escadas exteriores da sua casa a fumar um cigarro.

A única coisa que se podia ouvir, era o luar, o sopro de Beverly deixando o fumo sair pela boca, o leve vento de Derry e os grilos que cantavam. 

 

Bill guiava a sua bicicleta pelas ruas escuras e vazias de Derry, procurando o Eddie. Ele já estava a procura do garoto a horas e nada. Enquanto que Ben estava em casa lendo livros para decifrar o porquê de Eddie ter sobrevivido. 

Bill se assustou quando ouviu o barulho agudo do walkie talkie. 

—Bill você está aí? Acabei de descobrir!—bill ouvia a voz do Ben pelo walkie talkie enquanto que procurava eddie pelas ruas desertas.

—Você me assustou Ben! 

—Desculpa! Encontrou alguma coisa, alguma pista? O eddie? 

—Nada....e se ele sumiu de vez Ben? E agora? 

—Ele não sumiu!!! Vamos ser positivos! Eu já vou ter com você em poucos minutos. 

—Ou menos conte me o que você descobriu.

—Lembra se do eddie estar constantemente a dizer "eu não tenho medo de morrer"?—bill apenas respondia com "uhm"—e ele até fez aquela piada de "pennywise não me pode matar porque eu não tenho medo de morrer", é louco mas ele tinha toda a razão! Eu tive a ler alguns livros sobre o assunto e descobri que isso é possível então a "magia" de pennywise, apesar de não ser magia nenhuma, não resultou no eddie porque nós matamos o palhaço logo de seguida e o eddie ainda não estava morto. 

—Você é um génio! 

—Talvez...onde você está? 

—Estou perto da casa da Bev. Não vale a pena vir aqui Ben. Amanhã continuamos a procurar. Eu vou para casa agora.

—Ta..boa noite!—bill desligou o walkie talkie e avistou Beverly nas escadas. 

 

—Bev! 

—Bill o que você está fazendo aqui a essas horas da noite?—beverly perguntou descendo as escadas degrau a degrau. 

—hmm...passeando...—falou largando a bicicleta no chão. 

—serio? 

—hmmhmm...

—Não acredito em você mas pronto.—bill encolheu os ombros e se sentou num degrau, a ruiva sentou se ao lado dele.

—Então? Voce falou com o Stan e o Mike depois da escola?—Bill perguntou.

—não. Eles não me atenderam o telefone para saber como o Richie estava. Por causa do...sabe, o ataque de pânico. 

—Eu fui na casa deles mas os pais também não sabiam deles. Estranho.—O rapaz olhou para a ruiva nos olhos e de seguida para os seus lábios. E a ruiva o olhou nos olhos também. 

Bill tentou fechar o espaço entre eles mas a garota esquivou. 

—D-desculpa eu não queria..

—bill você sabe que eu estou com o Ben!—bill congelou. Ele se esqueceu completamente, o que o deixou um pouco triste. Ficaram uns minutos em silêncio mas beverly quebrou o silêncio. 

—Já me pode contar o que houve bill? Já esperei demais.—bill revirou os olhos e suspirou.

—beverly não! 

—porque não?! Porque você torna as coisas mais difíceis?!

—Porque...porra bev! 

—bill por favor! 

—eu preciso contar a todos os losers! Ao mesmo tempo! 

—Então conte! 

—Quantas vezes vou ter de dizer que não é fácil! 

—Tá! Já entendi! Afinal porque veio até aqui? 

—Porque...—beverly continuava aguardando uma resposta. 

—Beverly...—"ela merece saber ela merece saber já chega bill todos merecem saber já chega de mentiras já chega de esconder isso" 

—O quê bill??

—É sobre o Eddie.—Bill engoliu seco e olhou para baixo quase chorando. 

—O eddie? Mas...o que tem o eddie? 

—beverly...—bill pegou a mão da sua amiga e olhou no fundo dos olhos dela.—beverly...eu compreendo se você me odiar depois disto e eu não quero mesmo que a nossa amizade acabe. Eu gosto muito de você beverly e eu peço por favor para ser o mais compreensiva comigo. 

—você está me preocupando bill...

—beverly...-bev ouvia atentamente.—eu não sei como te dizer isto mas...

—diga só !!

—o eddie...o eddie...—bill começou a chorar.

—então bill?—beverly abraçou o rapaz.—bill se você quiser...

—não! Eu não posso esconder mais isto! Caguei pro Ben!—bill limpou as lágrimas se separando do abraço de beverly. 

—O eddie...está...—bill suspirou.—o eddie está vivo beverly.—bill começou a chorar e beverly fez uma expressão de cara estranha. 

—o....o que? 

—você me ouviu. O Eddie está vivo. 

—Não não está...—Beverly sentiu os seus olhos a marejar.

—Está!!!

—Não ele foi morto a nossa frente com...

—Beverly.—Bill olhou nos seus olhos. Não quero voltar a repetir. O Eddie....está vivo.—Beverly começou a chorar. 

—E-Eu...eu não acredito nisso. 

—Acha que eu estou mentindo?—disse bill limpando as lágrimas.

—Se ele está vivo onde ele está?! Eu quero vê-lo!—Beverly gritou chorando.—Como? Aonde? Como você sabe? Como...

—Beverly escuta! Eu sei que isso é difícil de ouvir! Deixa eu explicar para você!—Beverly chorava cada vez mais.—eu escondi o Eddie em minha casa com a ajuda do Ben. 

—Seu idiota!—Beverly empurrou o bill.—idiota você sabia e não disse nada! Porque você fez isso?! A quanto tempo você o esconde na sua casa? 

—Beverly! D-deixa eu te explicar o porquê! Se acalma! Um dia ou..dois dias depois da noite na Neibolt...Eu encontrei o Eddie na minha garagem. Ele estava em muito mau estado, eu só conseguia ver sangue por todo lado, ele estava pálido e com fraqueza, e assim que eu gritei o nome dele ele desmaiou e...—o garoto respirou fundo e massajou a própria testa—eu tentei ligar para vocês mas nenhum atendeu. Eu tentei,  então levei o para o meu quarto e quando ele acordou, ele conto me que se eu vos disse se alguma coisa o Henry vos mataria a todos. Eu tive de esconder ele na minha casa porque o henry andava atrás dele porque...não sei porque raio ele queria que o Eddie se suicida se! O Eddie quis proteger vocês, e ele próprio também, porque se ele vos conta se o henry ia acabar por saber e nos não sabemos o que ele era capaz. Ele próprio descobriu que o Eddie estava em minha casa e matou um pássaro a minha frente para provar que ele era capaz de matar seja quem for. Houve uma altura que o Eddie quis contar para vocês todos, mas eu não deixei, eu disse que era muito perigoso e arriscado. Mais tarde o Ben descobriu, antes do dia do funeral do Eddie—Beverly ouvia atentamente chocada.—nos inventamos um plano para o Henry achar que o eddie estava morto. E resultou. E essa noite o Richie foi a minha casa e o eddie se escondeu. E...no dia seguinte de manhã...o Eddie não estava mais em casa. Nós procuramos por todo o lado e não o encontramos.—bill começou a chorar.—desculpa! E eu agora estava procurando ele mas eu não encontro e a culpa é toda minha! Desculpa Beverly! Eu sei que devia ter vos contado e...—Bill foi interrompido com um grande abraço que beverly deu para ele. Ela o abraçou bem forte. 

 

—Bill...Eu quero que você saiba que a culpa não foi sua. Eu não posso imaginar o que vocês passaram! Mas agora não temos tempo. Vamos procurar o eddie.—beverly limpou as lágrimas se levantando. 

—Mas bev...

—Não! Nós perdemos o eddie uma vez e não podemos perde lo de novo! 

 

*  *  * 

 

Passaram horas e nada. Eram 3 da manhã e eles ainda estavam na rua. E não encontraram o Eddie.

—Eu vou ligar ao Ben.—bill pegou no walkie talkie e tentou apanhar sinal.

—Ele já deve estar dormindo. 

—Ben você está aí?—O Ben não respondia. 

—Esquece Bill. Vamos procurar na floresta. 

—Está escuro demais para procurar na floresta Bev. E eu já procurei na floresta e não o encontrei. 

—Vamos procurar de novo!—eles avançaram, passaram minutos que eles chamavam pelo Eddie. E nada. Até que eles ouviram qualquer coisa.

 

—Eddie?

—Voce ouviu qualquer coisa bev?—eles voltaram a ouvir o barulho. 

—Vem por aqui!—ela sussurrou 

—Voce está maluca?! E se não for o Eddie?—Sussurou de volta.

—Já derrotamos um palhaço assassino, tá com medo de que? 

—tem razão...—eles seguiram o barulho. Bill num abrir fechar de olhos olhou para lado e não viu a amiga. 

—Beverly? Beverly? Onde você está?—Bill viu uma sombra atrás de uma árvore.—beverly é você?—alguém o sufixou de costas e bill sentiu uma névoa preta em seus olhos e desmaiou. 

 

*  *  * 

—Eds....Eddie......hm...eddie...—Richie se contorcia não sua cama desesperadamente enquanto dormia. Mais um pesadelo com Eddie. Algo bateu na sua janela e ele rapidamente abriu os olhos acordando. 

Respirou fundo e tomou água que estava na mesinha ao lado da cama dele. “Deve ter sido impressão minha”—pensou Richie em relação ao barulho. 

 

Ele sentou se na sua mesa de estudo em frente a janela e respirou fundo.

“Talvez deva voltar para Londres.” Pensava Richard. Aquela cidade neste momento só lhe dava más memórias. E ele pretendia esquecer tudo isto é começar uma nova vida para o bem dele. A vida dele já não fazia sentido sem o Eddie. Ele só tinha 17 anos mas ele não aguentava mais.

Além disso, ele estragou a sua carreira de ator e comediante por causa de um palhaço que no final lhe tirou a coisa mais preciosa do mundo. O eddie. Porque ele nunca mais na vida ia voltar a ver o rapaz de shorts vermelhos a reclamar ou a tomar a sua medicação. Nunca mais ia puder irrita lo, beija lo, empurrar até ele cair da rede. Nunca mais. 

Ele ouviu o barulho de novo, e estranhou. Então decidiu abrir a janela e espreitar mas não viu nada nem ninguém. 

A luz da lua iluminava o seu rosto. 

Quando ele ia voltar para a cama algo atingiu a cabeça dele e ele apagou. 

 

 

*****************

Eddie

....

 

 

 

 

 

 

......

 

 

 

 

 

.......

 

 

 

 

Eddie

 

........

 

 

.........

Eddie

 

 

 

.......

 

 

 

Eddie?

 

*  *  * 

Lentamente abriu os olhos e se encontrou numa sala escura. Sentiu as mãos amarradas em uma cadeira e a sua respiração ficou ofegante. 

A sala estava silenciosa, ele não sabia onde estava. Até que ele começou a ouvir o choro de alguém. 

 

—SOCORRO! ALGUÉM?!

—Stan?—Richie perguntou reconhecendo a voz. 

—Richie?! Richie!

—Pessoal?—Ben falou com a voz trémula. 

—O que está acontecendo?—Bill perguntou. As vozes ecoavam no ar. E a sala estava completamente escura. 

—Eu quero sair daqui.—Beverly chorou. 

—Pessoal vamos manter a calma! Nós consegu...—algo interrompeu o mike, uma porta abrindo no lado esquerdo da sala. E uma lanterna apontou para as caras deles. 

 

—Vejo que todos vocês acordaram.—Henry riu. E olhou para a cara de Beverly

—Seu nojento.—Beverly cuspiu na cara dele. 

—Eu é que sou o nojento? Você é que me cuspiu para a cara. 

—o que você quer de nós porra?! Já não é suficiente o que você faz no dia a dia! Deixa nos sair seu cabrão com cornos!—gritou Richie. 

—Experimenta fazer isso quatro olhos! Experimenta!—Richie se contorceu na cadeira com as mãos atadas atrás das costas, e Henry sucou a cara dele, fazendo o sangrar. 

—Deixa o em paz!! Chega desta brincadeira Henry! O que você quer de nós?—mike perguntou.

—Todos vocês sabem...que o Bill.....sempre foi...hum...não sei, um grande amigo do Eddie não é mesmo?—Bill arregalou os olhos. “É ele que tem o Eddie” pensou bill.

—Cala a boca seu palhaço! Pára de falar do Eddie!!—Richie gritou. Todos os outros losers permaneciam assustados. 

—Henry por favor deixa nos sair daqui...—Stan murmurou. 

—Eu ainda não acabei de falar porra! OUVEM E CALAM!—Richie continuava a se contorcer tentando sair da cadeira e desatar as próprias mãos. 

—Bill...? Você...gostaria de contar para os seus supostos “melhores amigos” o que você andou a esconder durante esse tempo todo?—porra porra porra. Otário do Henry. 

—Cala..a merda..da boca. Você não sabe o que diz.—Bill falou com raiva. E os seus amigos o encaravam. 

—Bill...—Beverly olhou para ele assustado e Ben engoliu seco. 

—Você tem duas escolhas. Ou você conta...ou eu conto, todos os seus amigos sabem por mim, e eu te mato. 

—Porque você está fazendo isso?! Porque henry?!—Bill gritou.

—Bill o quero você está escondendo? Só diz log para nós sairmos dessa porra de lugar!—Richie gritou e continuava tentando sair da cadeira. 

—Você ouviu o quatro olhos não foi? Conta agora. 

—Não! 

—Henry para com isso!—Ben falou. 

—Conta porra!!!—Henry gritou.

—Richie...—Bill olhou para ele preocupado.

—Bill pelo amor de Deus, de que merda ele está falando?—Richie perguntou.—Eu só quero sair daqui!

 

O henry tirou uma arma do bolso, uma pistola. 

—Só volto a dizer uma vez.—henry apontou a arma na cabeça de bill.—eu vou contar até 3 até você contar. 

—Bill! Conta agora! Já chega!—Beverly gritou. 

—Porra henry! 

—Eu vou voltar a repetir mais uma vez!!—henry gritou.—CONTA O SEU SEGREDO CARALHO! 

—Porque é tão importante assim que eu conte!!!! Agora não porra! Eu vou contar mas agora não!!!!

—Do que ele está falando bill? Conta so!—Stan falou assustado.—Conta logo eu não quero que você morra! 

—Pessoal...eu compreendo se vocês nunca mais quiserem olhar para minha cara. Eu juro que eu tentei vos contar. Mas isso parece a coisa mais dificel do mundo. 

—Conta logo para com esses textos lamechas!—henry disse com raiva ainda apontando a arma na cabeça de bill. 

—Eu só não quero vos magoar pessoal! Vocês são as pessoas mais importantes da minha vida e...

—Bill...do que você está falando?—Richie perguntou mais uma vez.—Conta logo porra!!! Merda!! Eu já perdi uma pessoa não quero perder outra!!! Foda se!!—richie gritou e as lágrimas caiam lhe pelos olhos.—henry começou a rir maléficamente. 

—JÁ CHEGA!! PATRICK, JAKE! TRAGAM NO!—henry gritou cheia de raiva acumulada. 

—NÃO!!!! EU CONTO!!! PARA COM ISSO HENRY POR FAVOR!! 

—tarde demais...—Henry riu. 

Eles ouviram suspiros de choro e portas abrirem. Eles viram a sombra de patrick e jake agarrando em alguém que tentava fugir. Mas não dava para perceber quem era. Tava muito escuro. Henry pegou na lanterna. 

—O QUE VOCÊS NÃO SABEM...É QUE O BILL....TEM UM GRANDE GRANDE GRANDE SEGREDO QUE NINGUÉM SABE!—Henry pegou no Eddie que tinha fita adesiva na boca e as mãos atadas atrás das costas e uma fita preta tapando os seus olhos, bem apertada. que neste momento chorava e não sabia o que estava acontecendo. 

 

*.      *.     *.  

(Continua)


Notas Finais


O QUE VOCÊ ACHOU?!❤️
Comenta aí! É muito importante para mim os vossos comentários! E obrigada a todos que comentam! Beijosss Até ao próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...