1. Spirit Fanfics >
  2. O Garoto 4D (Kim TaeHyung - BTS) >
  3. Não tenha pressa, mas não perca tempo.

História O Garoto 4D (Kim TaeHyung - BTS) - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


pois éeeeeeeeeeee olha quem está atualizando OG4D XD e no dia certo ainda viu ksksksksk

bem não vou enrolar muito, só leiam u.u

Capítulo 11 - Não tenha pressa, mas não perca tempo.


Fanfic / Fanfiction O Garoto 4D (Kim TaeHyung - BTS) - Capítulo 11 - Não tenha pressa, mas não perca tempo.

"Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.

A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nós queremos.
Só nós somos sempre
Iguais a nós-próprios.

Suave é viver só.
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente.
Deixa a dor nas aras
Como ex-voto aos deuses.

Fernando Pessoa."

 

 

Os dias se passam como vento, nem dá para vermos ele passar de tão rápido, mesmo que alguns dias possam demorar a acabar, parece que outros passam rápido de propósito, eu não sei descrever se gostei ou não dessa passagem de tempo, ou desse tempo de reflexão, afinal, eu quem pedi esse tempo para TaeHyung, então porque eu estou sentindo tanta vontade de correr até ele e abraçá-lo? Droga, eu sou mesmo uma idiota, pedi um tempo para pensar e estou assim, necessitada de sua presença, de seu abraço, de seu beijo, ah como sinto falta de seu beijo, e da sensação que senti quando ele me disse que está sentindo coisas para mim, deveria ser o melhor dia da minha vida, não? Minha leucemia foi curada e de quebra, descobri que o garoto a qual eu sou perdidamente apaixonada, está sentindo coisas por mim... porém... Estou muito indecisa, a maneira que ele disse, não sei se TaeHyung poderia retribuir todo o sentimento que sinto por ele, fico feliz que ao menos ele retribui, mas tenho medo de não ir pra frente e acabarmos sofrendo, eu sofri com esse amor, possa ter sido minha maior ruína, mas ao mesmo tempo foi a melhor sensação que já senti na vida, foi como uma benção, me apaixonar desse jeito... foi inesquecível.

A excitação que eu sinto é enorme, como eu queria vê-lo, apenas queria-o aqui comigo, me abraçando, fazendo cafuné em meus cabelos, cuidando de mim, como será que ele está agora? Será que pensa em mim? Será que ele quer me ver? Será que ele também não está aguentando mais esse tempo que eu pedi? Ah, a quem eu quero enganar afinal? TaeHyung possa apenas estar começando a gostar de mim, não pode estar apaixonado ao ponto de sentir o que eu estou sentindo, eu não sei e não quero parecer convencida falando que ele possa me amar, mas amar é uma palavra muito forte e muito mal interpretada, você diz um "eu te amo" e isso pode mudar totalmente a sua vida.A paixão e o amor são coisas diferentes, talvez você gostar de alguém é uma coisa, talvez amar alguém seja outra, vejo muito isso por aí.

 

 

— E então, ainda se segurando? — Eunbi toma um gole de seu chá, que acabou de ser feito, mas claro, esperamos esfriar um pouco.

— Me segurando? — Arqueei a sobrancelha direita, confusa.

— Você sabe do que eu estou falando querida. — Eunbi solta uma risadinha. — Você e TaeHyung, estão a quase um mês sem se falar. — Suspirei.

— Eu quem pedi esse tempo Eunbi... mas eu realmente não sei como encarar ele, e nem o que falar. O que eu diria? Afinal... o que ele realmente sente por mim?... — Eunbi deixou sua xícara de chá em cima do suporte, e pegou em minhas mãos.

— Querida, você só vai retirar suas dúvidas quando realmente conversar com ele, não tenha medo, apenas relaxe e deixe o assunto fluir, vocês precisam se resolver, são jovens, aproveitem isso, um tempo pra pensar foi bom, mas tudo em excesso faz mal. — Eunbi tinha razão, eu ainda estava enrolando por um medo bobo, tinha medo do que Kim poderia me dizer após eu der esse tempo para nós refletirmos. — E outra, mesmo que ele possa, o que eu acho improvável, não retribuir seus sentimentos, ele sente um carinho especial por você, afinal você é determinada, você mostra para ele quem ele realmente é,  que ele não tem nada de errado, e que somos todos iguais.

— Eu sou uma boba mesmo por ter medo do que ele pode me dizer Eunbi, sabe, pensar em ser rejeitada de novo, me dá um aperto no peito horrível, foi uma sensação horrível. — Suspirei. — Mas eu preciso mesmo retirar essas dúvidas, não vou esperar, amanhã eu falarei com ele, tenho faculdade daqui a pouco. — Eunbi dá um sorriso calmo.

— Isso mesmo minha querida, depois me conta como foi, como eu disse, ele gosta de você _____, não vai te decepcionar. — Assenti, nós duas nos levantamos, e levei a bandeja com o chá e o bule até a cozinha. — Bem não vou mais te prender, melhor se arrumar para ir para a faculdade, está animada com a volta?

— Na verdade estou, posso não ter amigos por lá, mas fico feliz em voltar a estudar normalmente, sem ter medo de ter crises e de perder o ano. — Era verdade, eu sentia certa falta da faculdade por mais absurdo que possa soar, já que não são muitos que gostam de estudar. Fiquei esse mês todo apenas me cuidando para não haver riscos, e agora que o doutor Shin me liberou totalmente, voltarei a ter minha vida normal.

— Aproveite bem, querida, bem eu vou indo, qualquer coisa me ligue, estou sempre à disposição. — Eunbi me deu um abraço de leve, acompanhei-a até a saída e ela foi embora com seu carro.

Dei uma ajeitada na cozinha, lavando a louça para não ter que fazer isso mais tarde, olhei as horas, ainda tinha duas horas para me arrumar, por sorte, fiquei tanto tempo em casa que tive tempo o suficiente para poder estar em dia, graças a meu professor que se dispôs a me passar tu do o que perdi nesses últimos meses. Termino de lavar a louça e então ouço alguém bater na porta, quem será agora? Será que Eunbi esqueceu algo? Corri e abri a porta, vendo Jackson ali, abri um sorriso de orelha a orelha, fazia alguns dias que eu não o via, fiquei feliz que a sua declaração e sentimentos não tenham afetado na nossa amizade, ele continuou me visitando e me alegrando como sempre.

— Jackson! Quando tempo, entre. — Dei espaço para ele entrar, e assim fez, retirando seu casaco e sentando-se em meu sofá, ele já era praticamente da casa. — A que devo a sua visita?

— Não posso simplesmente estar visitando uma amiga querida? — Revirei os olhos rindo, sentei-me ao seu lado. — Eu na verdade, vim te falar algo importante. — Ficou sério de repente.

— Aconteceu algo sério? — Pela sua expressão alguma coisa havia acontecido, Jackson pode ser um brincalhão, mas quando está sério é porque algo aconteceu.

— Não se preocupe, eu estou bem. — Riu de leve. — Bem... eu não sei muito bem como falar isso... — Novamente riu, dessa vez o acompanhei. — Bom, eu não te contei antes, mas eu estava pensando em, quem sabe, viajar para a China de novo.

— Viajar para a China? — Franzi o cenho, confusa.

— Sim, viajar para estudar lá. — Então a ficha caiu, Jackson quis dizer que vai voltar para a China para estudar, então isso quer dizer que... — Eu vou ficar morando lá por um tempo...

— Mas... porque não me contou antes? E porque decidiu fazer isso?

— Bom meus avós moram lá, e sinceramente eu prefiro morar com eles do que com meus pais, e eu já tinha feito uma prova a muito tempo para tentar estudar lá, antes mesmo de conhecer você, e o resultado saiu agora, eu já queria largar a faculdade aqui a algum tempo, mas precisava fazer algo da vida, então... — Ele deu uma pausa. — É, acho que você entendeu...

— Você vai embora. — Dei um riso sem humor. — Você soube que ia embora há muito tempo?

— Mais ou menos uma semana, eu estava arrumando minhas coisas, eu sei que eu deveria ter lhe contado antes, mas você estava se recuperando, e com muitas coisas na cabeça, fora que estava botando os estudos em dia, não queria lhe alarmar mais ainda.

— Eu entendo. — Sorri de canto. — Q-Quando vai embora?

— Talvez depois de amanhã, meus pais não aceitaram tão bem assim o fato de que vou voltar pra China, afinal vou deixá-los pra trás, travar essa faculdade, e ainda sair do meu emprego.

— Deve ser difícil suportar tudo isso sozinho, tem algo que eu posso fazer pra te ajudar? — Ele negou sorrindo.

— Só queria poder passar um tempo contigo antes de, bem, ir embora por um tempo, afinal vamos ficar um tempinho sem se ver, mas eu posso quem sabe, se você implorar para eu voltar, vir para cá nas férias. — Revirei os olhos e ele gargalha.

— Vou pensar no seu caso. — Ele bateu seu punho no meu. — Amanhã eu vou tentar conversar com o TaeHyung, depois disso podemos sair um pouco, que tal? — Jackson sorriu.

— Ótimo, agora vou te deixar em paz, precisa ir pra faculdade. — Ele sabia que eu precisava ir, pois ele também tinha faculdade nesse horário, mas não sei se ele ainda irá. — Eu até te diria como TaeHyung está, mas parei de ir à faculdade a algum tempo já, não vejo ele tem muito tempo. — Tentei não parecer tristonha.

— Não tem problema, te vejo amanhã. — Me abraçou de leve, se despediu e foi embora.

Suspirei triste, parece que mudanças estão acontecendo por todo lugar, Jackson vai embora, estou curada de minha leucemia, e TaeHyung... bom, ainda é um assunto inacabado, que preciso resolver logo.

Tratei de me arrumar para ir a faculdade, não poderia me atrasar na minha volta, as noites na primavera estavam frias, tratei de por um casaco por cima de minha blusa de mangas curtas, penteei meus cabelos amarrando-os em um rabo de cavalo alto, peguei minha mochila, tranquei minha casa, e parti até a faculdade, eu poderia pegar um ônibus, mas gosto de ver a cidade a noite, então sempre vou caminhando, e apenas pego ônibus quando estou atrasada.

Quando cheguei à faculdade, algumas pessoas me notaram, talvez porque eu tenha sumido de repente? Não imaginei que fossem notar isso, mas dei de ombros e caminhei até a minha sala, sorte que o professor ainda não chegara, sentei em um lugar qualquer e meu professor chegou, como o habitual, eu sentia um pouco de nostalgia, fazia um tempo que eu não estudava afinal.

— Boa noite turma. — Todos responderam ao cumprimento do professor. — Antes da aula se iniciar, quero avisar que, hoje a nossa colega _____ voltou para a escola, já curada de sua leucemia. — Me espantei um pouco com o anúncio repentino, e alguns alunos até me olharam sorrindo, como se estivessem felizes por mim.

Depois disso a aula fluiu normalmente, agradeci ao professor por ele guardar tudo o que perdi e me passar tudo corretamente, eu estava em dia com a matéria, e não precisaria de nada diferente do habitual nas provas. Quando a aula acabou, arrumei meus materiais, e uma garota e um garoto que eu não conhecia de nome, mas sabia que eram da minha turma, se aproximaram de mim.

— Oi _____, como vai? Deve ter sido um choque tudo o que houve ultimamente contigo não é? — A garota disse, parecia histérica, o garoto ao seu lado a repreendeu. — Ei! Eu disse algo errado? — Perguntou na defensiva e o menino revirou os olhos.

— Sinto muito por isso _____, ás vezes ela não sabe o que fala, te ofendeu? — Neguei. — Oh que bom, bem você não nos conhece, eu sou Yuta e essa é minha irmã Yura, prazer. — Nos curvamos.

— Prazer. — Sorri gentil, ainda sem entender muito o porquê de, tão de repente, eles terem vindo falar comigo.

— Bem vamos direto ao ponto. — Yuta foi interrompido por sua irmã.

— Alguns colegas vão sair para beber, vamos ao caraoquê  para nos divertirmos um pouco, junto com outra turma de outra faculdade, pensamos em te convidar para se entrosar mais conosco! — Ela parecia ser bem animada.

— Bom... você aceita? — Eles sorriam esperançosos.

Estava tarde, nunca saí com minha turma, isso foi repentino, mas acho que posso não ter outra oportunidade igual, afinal, eu precisava mudar o meu jeito de ser, precisava fazer novos amigos, precisava me socializar mais, nada me impedia, porque não arriscar um pouco?

— Tudo bem. — Eles comemoraram, como se aquilo realmente os tivesse animado. — Bem, qual é o endereço e o horário?

— Esse aqui. — Yuta escreveu em um pequeno papel e me entregou, o horário era o suficiente para eu me arrumar. — Esperaremos por você ansiosamente _____. — O garoto sorriu corado, e a irmã o olhou malicioso.

— Está tão óbvio... — Ela foi cortada por seu irmão que a levou pelo braço para fora da sala. — Ei eu tenho razão!!! — Não evitei rir com os irmãos que até então não conhecia muito bem.

Hm, caraoquê? Pode me fazer bem até.

 

 

Já arrumada com uma roupa simples, não era nada formal, afinal era um encontro entre colegas de faculdade, então apenas coloquei outra calça jeans, dessa vez clara, e uma blusa preta, sem esquecer um casaco que ia até minhas canelas, estava meio frio então tratei de colocar assim que saí de casa, peguei um táxi para ir até lá mais rápido, ainda bem que não era longe, apenas cheguei alguns minutos atrasada devido ao pouco trânsito que se formou de repente. Assim que adentrei no local, meus colegas me cumprimentaram animado.

— Está bem _____? — Perguntou o colega que eu sabia o nome, era Hyun.

— Bem melhor, obrigado por me convidarem. — Não era todos os meus colegas que estavam ali, era um número de dez a quinze alunos.

— Espere só que vai chegar alguns alunos de outra faculdade, e eles são lindos de morrer! — Yura sussurrou ao meu lado, me fazendo rir de seu jeito. — Olha, eles chegaram! — Apontou para a porta, que abrira revelando mais dez pessoas desconhecidas para mim.

Todos se cumprimentaram como se todos se conhecessem, mas eu não conhecia ninguém, apenas beberiquei um suco que estava na mesa — que foi um pedido deles — até que senti uma presença ao meu lado, olhei de relance e arregalei os olhos, vendo quem estava ali.

— TaeHyung?!! — Eu disse um pouco alto, atraindo a atenção de alguns colegas.

— _____... — Ele murmura, se a luz não estivesse baixa, eu diria que ele estava corado pela sua feição constrangida, acho que nem ele imaginava que eu também estaria aqui, e muito menos eu imaginava que ele poderia estar aqui.


Notas Finais


eeeita, e agora, esses dois precisam conversar viu u.u

buaaaaaaaa faltam 4 caps pra acabar :(


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...