História O Garoto Da Cafeteria - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Romance
Visualizações 35
Palavras 1.862
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Eu realmente não sei se isso vai ficar bom...Se ficar uma bosta peço perdão...
Um beijinho na bochecha
Boa leitura

Capítulo 1 - Era pra ser só um café...


                                                         . Noah .

Noah...Noah...NOAH!!!

Levanto a cabeça com rapidez, assim que ouço gritarem o meu nome ao pé do meu ouvido.

Noah: Meu Deus!!! O que aconteceu?- Ouço risadas e logo o sinal tocar, e vejo a porta sendo aberta e os alunos saíram da sala. Uma mão encosta no meu ombro então viro o rosto para trás e vejo a Caroline e o Daichi, com as bochechas vermelhas, as lagrimas escorrendo sobre os rostos, os sorrisos de orelha a orelha e suas gargalhadas altíssimas.- Qual é a graça?

Daichi: Você!- Voltar a rir.

Vejo a Caroline se aproximar um pouco mais, tentando se acalmar.

Caroline: Desculpa- Seca o rosto com as costas da mão.- Mas gritar foi o único jeito de te acordar.

Deito a testa na carteira e fecho os olhos, mas logo sinto puxarem meus cabelos e eu levanto minha cabeça por um grito de dor.

Noah: AAAAHH!!! Pode soltar o meu cabelo por favor?- Balanço a cabeça.

Caroline: Hora de acordar senhor dorminhoco.- Sinto ela soltar o meu cabelo.- Você dormiu a aula inteira, e o ultimo sinal já bateu, pegue o seu material. -Vejo ela e o Daichi saírem da sala com as suas mochilas.

Bocejo, passo as mãos no rosto e com os dedos esfrego-os olhos e dou um suspiro pesado.

Eu não tinha dormido bem na noite anterior, resolvi arrumar o meu quarto que estava com livros e roupas espalhados pelo chão, eu sou bagunceiro, mas aquilo estava passando dos limites.

Me levanto da cadeira, pego minhas canetas, marca texto, lápis e borracha e coloco dentro do estojo, pego os livros e o caderno, junto com o estojo, e guardo tudo dentro da mochila. Só estava eu na sala, as janelas abertas, o vento entrando, e a luz do Sol batendo nas minhas costas e eu morrendo de sono,  inferno nunca esteve tão quieto. Me ajeito, coloco o meu braço dentro de uma das alças da mochila, e saio da sala.

O corredor está cheio de papel de balas, chicletes e, algumas folhas arrancadas do caderno amassadas e pisoteadas no chão, é incrível ver a ''educação'' dos estudantes desta escola.Se não fosse pelo o bom ensino de estudo que tem aqui, eu não entraria nessa escola...Não só pelos os lixos no chão, mas pelas pessoas daqui também, são muito fofoqueiras e desrespeitosas, só salvo a Caroline, Daichi e o Darlan, mas... Darlan anda faltando muito, está estranho, quando vem para escola, ele está sempre quieto, no canto, com olheiras, parece que não dorme bem, e pálido também.  Nós tentamos puxar assunto com ele, mas ele não responde direito, estamos preocupados com ele.

Ando pelo o corredor e vejo algumas pessoas da limpeza varrendo o corredor, atravesso a porta, e desço as escadas, vendo Daichi e Caroline conversando.

Noah: Cheguei!!!- Falo animado, ficando atrás, entre os dois, passo o meu braço esquerdo no ombro do Daichi e o braço direito no ombro da Caroline.

Caroline: Até que fim!!

Daichi: Pensei que estava dormindo, quase fui lá atrás de tu!- Começamos a andar.

Noah: Não era pra eu ter dormido...Mas eu estava muito cansado, não dormi muito ontem.

Daichi: Ficou pensando na Ashley né? Seu safado!!- Risadas.

Caroline: Ashley?

Noah: É uma menina do (2º) segundo ano da turma A.

Daichi: Ela me pediu o número do Noah, então eu dei o número.

Noah: Ela me chamou no whats, e desde aquele dia não parou de mandar mensagens, ela falava coisas muito pervertidas, até chegar um dia que, eu abri o meu celular e estava cheio de nudes dela. Eu bloqueei ela depois daquilo, eu tinha deixado bem claro desde o inicio que eu não tinha nenhum interesse nela, e pedi para que ela parasse com as mensagens pervertidas, mas...Depois daquelas fotos, resolvi colocar um ponto final. Não mostrei as fotos para ninguém, e não ignorava ela quando a mesma vinha até mim, mas depois de tudo, e quando eu a rejeitei de novo, ela começou a falar para algumas pessoas que eu era um boiola, um viado e coisas do tipo.

Caroline: Nossa que garota louca...E depois? Você não se incomodou sobre ela ter falado essas coisas sobre você?

Noah: Não, pra ser sincero não me importo.

                                                                 ( Mais tarde no mesmo dia __ 16:48 )

                                                        . Noah .

                        Eu estava super cansado, depois de ter ido pra casa junto com a Caroline e o Daichi, me arrumei e fui para o meu treino de vôlei, e fiquei lá mais de 4 horas treinando sem parar...E agora só quero tomar um banho, me vestir, sair daqui e ir pra casa. 

Eu entro no banheiro dos garotos, e todos do meu time estava lá dentro, sem camisa mostrando seus abdomes, todos eles são mais altos do que eu, e por isso ganhei o apelido de ''tampinha'', não me irrita eles me chamarem assim, eu sinceramente não me importo.

No meu time, estão os:

Thomas: o mais sério do time e capitão, ninguém joga melhor que ele, ele tem 1.82, cabelos pretos e olhos azuis

Sander: Ele é considerado o segundo melhor do time, pois salva o jogo com uma certa facilidade e é ótimo no bloqueio, ele tem 1.79, cabelos castanhos e olhos castanhos claros.

Guilherme: Além de ser muito bom, gosta de nos motivar, e quando estamos dentro do vestuário ele sempre fica comentando sobre os seus relacionamentos que não dão certo, fazendo o time rir, tem 1.80 cabelos pretos e olhos verdes, e meio moreno.

Arthur: É o mais palhaço do grupo, e se esforça bastante, sempre esta fazendo piadas e caretas, mas quando vamos jogar , ele muda de um jeito e leva o jogo muito a sério, tem 1,79 loiro dos olhos pretos. 

Kauã: Ele é meio estressado, mas ele não é um cara chato ou bruto, ele se cobra bastante, por isso sua raiva consigo mesmo de vez em quando, tem 1.81 cabelos pretos e olhos verdes. 

                                            ________________________________________________

Entrei no vestuário depois do meu banho, e o Arthur falou comigo chamando a atenção dos outros. Arthur: Eai tampinha?- Ele fala com aquele sorriso dele de palhaço.

Noah: Eai Arthur...Jogou bem hoje.- Disse enquanto pegava minha roupa dentro do armário, eu só estava com a toalha enrolada na minha cintura, e alguns dos garotos estavam só de cueca ou do mesmo estado que eu. Não vou mentir...Isso me incomoda um pouco, vê eles nesse estado...

Arthur: E você também tampinha, parabéns.- Ele passa por trás de mim e dá um tapinha nas minhas costas.

Guilherme: Tampinha, eu e os meninos vamos em uma festa, topa ir com nós?

Noah: Foi gente, eu passo.- Me viro de costas pra eles, e coloco a cueca sem tirar a toalha da cintura.

Sander: De novo? Quando é que você vai sair com nós?

Noah: Desculpa pessoal, mas eu não tenho paciência pra essas coisas...- Tiro a toalha da cintura, coloco a calça e a camisa.- E também preciso estudar assim que eu chegar em casa, maldita prova de física...

Guilherme: Aaahhh vamos tampinha, lá vai ter um montão de garotas lá, você precisa pegar alguém.

Sander: Eu até entendo ele não querer ir, você pega todo mundo da festa, galinha!- Guilherme joga a cueca suja dele na cara do Sander. 

Sander: CARALHO!!!-Antes deles saírem no soco o Thomas chega, e eles fingem que nada aconteceu.

Noah: Bom rapazes...-Coloco tudo dentro da mochila.- Eu to indo. Falou!!!- Comprimento todos eles e vou embora. 

                                            _________________________________________________                                                                                              Desci do ônibus e começo a andar pelas calçadas, cheio de pessoas ao meu redor, cidade grande é sempre assim, muitos carros, buzinas, falatório, pessoas esbarrando em você, e se não tomar cuidado, você acaba sendo furtado.

Noah: Bem que poderia acontecer alguma coisa para que as pessoas não ficassem esbarrando em mim a todo minuto...-Sussurro para mim mesmo...E depois de alguns segundos, começam trovoadas, e as pessoas abrem seus guarda chuvas, e vão sumindo pouco a pouco, as gotas de chuva caí sobre mim.- Ok...É só uma chuvinha.- Uns minutos caminhando e a chuva piora, como eu estava sem guarda chuva, eu olho ao meu redor e vejo uma cafeteria aberta.- Melhor entrar e esperar lá dentro.

Entro, e tem poucos clientes aqui dentro, uns sentados do lado da janela, outros mais no meio da cafeteria, então resolvo me sentar em um dos bancos enfrente a bancada. 

???: O que deseja senhor?

Noah: Bem...- ''Eu não vim comprar nada, só fugir da chuva mesmo'' Seria constrangedor falar isso.- E-eu...

???: Quer ajuda no seu pedido? Uma recomendação?

Noah: Pra ser sincero...Pode me trazer uma bebida quente? Qualquer uma...Eu só preciso me aquecer, depois do banho de chuva que eu tomei agora a pouco.

???: Claro senhor.

Ele se vira e começa a preparar a bebida. Eu estava cansado, com os cabelos molhados e a roupa também, olho no meu relógio de pulso e já era quase 6 da noite...Como não tinha nada pra fazer, fiquei olhando os funcionários preparando os pedidos, e na minha frente estava o homem que me atendeu, ele era alto, parece ter o mesmo tamanho do Guilherme, olhos azuis quase cinza, e cabelo preto, parecia ser bem sedoso e hidratado. 

Eu estava praticamente secando o atendente com o olhar, até que o meu celular vibra, pego ele e vejo uma mensagem do meu pai...

(Mensagens)

Pai: Fiquei sabendo que não aceitou aquela proposta que eu tinha te oferecido.

Noah: Desculpe...Mas não é o que eu quero...

Pai: Me poupe das suas desculpas. Você sabe como foi difícil entrar em contanto com o diretor daquele curso? Me fez perder tempo atoa.

Noah: Eu avisei ao senhor que não queria aquele curso, mas o senhor não me deu ouvidos...

Pai: Quer saber? Esqueça, não conte comigo pra nada. Você só faz eu perder o meu tempo, você sinceramente só me dá problemas.

( Mensagens off)

Ele sai do whats, enquanto os meus olhos ficam lacrimejados...Ouvir do seu próprio pai que você só dá problemas, doi... Doi muito. 

Fico de cabeça baixa depois do ocorrido, até que vejo um copo de café ser colocado na bancada em minha frente, e logo levanto a cabeça.

???: Aqui está senhor.- Ele me olha nos meus olhos.

Noah: Err...Quanto deu?

???: 3,50.

Abro minha carteira e pego uma nota de 5.

Noah: Obrigado.- Entrego a nota.- Pode ficar com o troco.- Pego a bebida e saio o mais rápido possível. 

A chuva já estava diminuído, e eu fui tomando a bebida durante o caminho. Permiti- me soltar algumas lágrimas, enquanto sentia a bebida descer pela garganta. Quando acabou, vou até a lixeira pra jogar o copo, mas... Vi que tinha algo escrito, e resolvo ler.

You're Beautiful.

Noah: Ele que escreveu isso?...-Sussurro, enquanto as lembranças de mais cedo vem em minha cabeça, de eu secando ele com o olhar, sobre ele olhar no fundo dos meus olhos. Depois de ler aquilo, resolvo não jogar o copo fora e o levo junto comigo pra casa.

 

 


Notas Finais


Acaboooouuuu, espero que gostem do ep, e me fale sobre oq n gostaram, ok? Beijinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...