1. Spirit Fanfics >
  2. O Garoto da Vila >
  3. Ponto Fraco.

História O Garoto da Vila - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um capítulo pra vocês, boa leitura 😉❤️

Capítulo 7 - Ponto Fraco.


Fanfic / Fanfiction O Garoto da Vila - Capítulo 7 - Ponto Fraco.

Santiago

Acordei extremamente disposto naquela manhã, pela primeira vez em tempos eu me sentia mais vivo do que nunca. O lance com o hotel já nem me importava tanto pois, apesar de tudo o que aconteceu, as reservas continuaram aumentando a todo vapor. O que de fato estava me deixando ansioso era o jantar com o Berilo... o que aquele garoto havia feito comigo? Aquele sorriso lindo não saia da minha cabeça nem por um só segundo.

- Puts Santiago, tá parecendo um adolescente bobo - Falei para o meu próprio reflexo no espelho.

Após um banho relaxante, me arrumei com uma calça jeans, uma camiseta de botão e segui para a mesa do café onde todos já estavam presentes. Cumprimentei todos e então sentei.

- Santiago... pelo visto o que aconteceu noite passada não foi tão relevante para você... tá com uma cara ótima - Meu irmão proferiu.

- Bom dia pra você também Sandro. Bom, o que aconteceu ontem por sorte não abalou em nada a reputação do hotel. Afinal não houve roubo, isso ficou claro nas imagens da câmera de segurança que inclusive, eu irei mandar ainda hoje para mídia - Falei completamente empolgado.

- Fico feliz meu filho, você está me surpreendendo de forma positiva com toda essa dedicação com o hotel da família. Estou muito orgulhoso de você - Meu pai disse, e se meu dia já estava sendo bom... depois de ouvir aquilo ficou ainda melhor.

- É muito importante pra mim saber que o senhor se orgulha de mim meu pai... Muito em breve o hotel Castanhol será o melhor desse país!

Sandro 

Inventei uma desculpa qualquer e logo sai daquela mesa. Segui para o meu quarto, bati a porta e então arremessei contra a parede o primeiro objeto que encontrei pela frente... como o idiota do Santiago podia ter tanta sorte? Passei a andar em círculos pelo cômodo enquanto pensava em algo, eu precisava derrubar o meu irmão o quanto antes e tomar o controle do hotel para mim. De repente, a porta do quarto se abriu... era a Laís. 

- Meu amor, você tem que disfarçar pelo menos... por pouco o seu pai percebe que você estava espumando de ódio pelo roubo não ter dado em nada - Ela falou em tom de sussurro. 

- Não dá Laís, não dá! O Santiago não passa de um babaca que agora resolveu brincar de ser dono de hotel. Eu não acho justo que o meu pai tenha preferido aquele fresco a mim! Eu sempre estive do lado dele meu amor... enquanto o meu irmão só queria saber de curtição. 

- Eu sei, afinal a gente já tá junto a anos. Eu também não concordei com a decisão do seu pai mas... você tem que agir com mais naturalidade, não adianta querer bater de frente com o seu irmão. 

- Eu preciso ataca-lo no ponto fraco dele, fazer ele perder de uma vez por todas o entusiasmo por esse maldito hotel. 

- Bom, o seu irmão só mudou quando abandonou as bebidas e se afastou daqueles moleques inconsequentes. Talvez se ele voltasse a levar a vida de antes... 

- Bingo! É isso! Se o Santiago voltar a ser o mesmo de antes, rapidamente vai perder o interesse pelo hotel e... de quebra, ainda voltará a ser motivo de desgosto para o papai - Naquele momento, me aproximei da Laís e a puxei contra mim colando nossos corpos - Eu já te disse o quanto você fica sexy assim... me ajudando a passar por cima do idiota do meu irmão? 

- Hum... então prova, safado! - Laís disse provocante e eu sorri de forma maliciosa, logo, a beijei de maneira selvagem. 

Berilo 

Cheguei em casa praticamente correndo no início da noite. O Santiago havia ficado de me pegar as sete e eu não queria de forma alguma que ele me encontrasse completamente suado de um longo dia de trampo. Após sair do banho, vesti uma cueca e procurei no armário pela minha melhor roupa. Porém estava tudo completamente desgastada. Na verdade, eu nem se quer lembrava qual tinha sido a última vez que eu havia comprado uma roupa para mim. Resolvi vestir a mesma calça que eu já havia usado na inauguração do hotel e peguei uma blusa do Léo já que o mesmo tinha várias. 

- E aí Berilo... será que tá bom? - Falei, me admirando pelo espelho do quarto. 

O pior de tudo é que a Paula nem se quer estava em casa para me ajudar com aquilo. Já pronto, sentei no sofá e fiquei pensativo... por quê eu estava tão preocupado em estar bonito para aquele encontro sendo que, o próprio Santiago havia deixado claro que tudo seria apenas um jantar de amigos?... Não tive tempo de pensar mais em nada pois a buzina do carro logo começou a tocar, corri até o quarto, dei uma última checada no espelho e então fui de encontro ao Santiago. 

- Uau, qual o segredo para ficar assim tão gato? - Santiago proferiu ao descer do carro e me fitar dos pés a cabeça. 

- Puts cara, assim eu fico sem graça - Respondi meio envergonhado - Mas você também não fica pra trás não riquinho - Completei e nós rimos. 

- Eu trouxe uma coisa pra você - Ele disse me fitando de forma penetrante e logo tirou do carro um buquê de flores - Isso é meio que um pedido de desculpas, pelo lance de ontem e tals... você não se incomoda, não é? 

- Cla-claro que não Santiago, é só que... nunca me deram flores antes, eu tô até sem graça - Ele sorriu ao me ver envergonhado. 

- Então garoto da vila, vamos adiantar pois eu quero te levar em vários lugares essa noite... E também, tô morto de fome. 

- Opa, eu também tô com muita fome! - Respondi. Nos encaramos por mais alguns segundos e logo adentramos no carro. 

Sandro 

Naquela noite, resolvi marcar com o Leandro em um lugar diferente pois o Sensações só abria depois das nove e eu tinha uma certa urgência em vê-lo. Cheguei cerca de meia hora antes do previsto no restaurante, tomei um vinho e em alguns minutos o Léo apareceu. 

- Restaurante? Assim eu vou começar a achar que tu sente algo a mais por mim - Léo disse, sentando-se de frente para mim.

- Não pira, o nosso lance é puro prazer... Só cama! - Respondi. 

- Então qual o motivo desse nosso jantar? 

- Eu precisava muito falar contigo, e não dava pra esperar até o bordel abrir. A questão é, tá afim de abandonar a profissão de GP e ganhar muito mais dinheiro... comigo? 

- Opa, me explica isso direito - Como eu já esperava, o Leandro de cara demonstrou interesse. 

- Preciso que você seduza uma pessoa para mim, o meu irmão, pra ser mais exato. 

- Calma, quando você fala seduzir é tipo... dar em cima pra valer? 

- Sim cara, o meu irmão ultimamente está sendo uma pedra no meu caminho e que eu preciso eliminar! É simples, você seduz ele, leva ele de volta para o mal caminho e o hotel finalmente virá para as mãos certas... As minhas. 

- E como isso funcionaria Sandro, eu nem sequer conheço o seu irmão e vice versa. 

- Fácil, você irá ficar hospedado lá em casa por uns dias. Não será nenhuma missão impossível, você só irá por em prática tudo que tu fez comigo. Além do mas, o meu irmão é de fato gay e há algum tempo atrás só se dedicava as bebidas e a curtição com outros homens... vai ser moleza. E então, o que me diz? 

 

 

 

 

 


Notas Finais


E então, o que dizem?? Kkks
Espero que tenham gostado 😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...