História O Garoto de Branco - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Fanfic De Sexo, Gay, Gay +18, O Garoto De Branco, Passivo, Putaria, Putaria Gay, Sadomasoquismo, Sexo, Sexo Gay, Suruba Gay, TRANSA, Transa Gay
Visualizações 154
Palavras 1.108
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Relate qualquer erro, feito com um pouqinho de pressa haha

Capítulo 9 - Remember


Pela janela aberta adentravam os primeiros raios de sol e eu tatei a cama vazia, notando enfim que Gabe não estava ali, achei suspeito ele ter acordado cedo, não me lembro de outra data em que ele tenha feito isso sem ser obrigado. Me levantei e vesti uma roupa qualquer, bem casual, estava escovando os dentes, ainda sonolento e não vi nenhum sinal de Gabe pelo quarto, lavei o rosto e fui até a janela, onde fiquei admirando o resto do nascer do sol por alguns minutinhos até que Léo, que eu não via há uma ou duas semanas surgiu na minha frente, do lado de fora do quarto, é claro.

- Oi, Adam! - Ele estava muito sorridente, seu cabelo afro estava um pouquinho maior, seus ombros continuavam largos e suas feições fortes ficavam ainda mais em relance quando ele estava na frente do nascer do sol.

- Oi, Léo! - Sorri para ele também.

Ele tirou as mãos de trás do corpo e nela havia uma flor pequeninha e amarela que ele me entregou. Eu sorri e agredeci.

- Eu queria te fazer um convite... - ele estava bem envergonhado, aparentemente, mas logo continuou dizendo: - Vai ter um jogo amanhã, queria que tu fosse me ver.

- Eu vou, claro. - respondi de imediato.

Ele segurou minha nuca e me puxou pra baixo até ficar na sua altura e me deu um beijo com calma, colocando a lingua bem fundo na minha boca, nos beijamos até o fôlego acabar, então ele ficou me olhando e disse:

- Olha o que que tu fez, Adam.

Ele puxou a bermuda e a cueca pra frente, deixando me ver o que havia dentro dela, seu pau grande, totalmente duro. Eu fiquei admirando, quando derepente, a porta do quarto abriu e eu me virei, era Gabe. Meu coração acelerou, ele viu a florzinha na minha mão e andou até a mesinha de centro, onde pegou seu celular e saiu do quarto sem falar uma palavra comigo, sem sorrir nem nada. Fiquei chateado com aquilo, mas agora que ele viu, não adiantava nada eu mandar Léo embora.

- Adam, acho que agora você tem que me ajudar, já que deixou ele assim.

Eu pulei a janela e andei com Léo até seu quarto, era pertinho. Ele pegou nos meus cabelos e me fez ficar de joelhos assim que entramos no quarto. Ele tirou toda a roupa de vez. Comecei a massagear suas bolas de forma vagaroza enquanto deixava a cabeça da rola dele na minha boca. Era enorme e eu brincava com a língua ao redor dela, Léo me deu um tapa no rosto e depois segurou-me pelo maxilar e cuspiu na minha cara, soltando em seguida e permitindo que eu voltasse a mamar, enfiava sua rola na boca até a metade, por causa do tamanho e fazia movimentos rápidos ao mamar. Ele segurou meus cabelos e puxou com força pra fora do seu pau e começou a bater no meu rosto com a sua rola sem piedade alguma, logo colocou a rola nos meus lábios e eu abri a boca devagarinho, ele socou o pau todo de uma vez lá dentro, soltei uma lágrima, mas aguentei seu pau todinho sendo socado na minha boca, acabei babando seu pau todinho enquanto ele socava e quando comecei a me egasgar, ele tirou.

- Japinha guloso.

Sorrio para ele e tiro minha camisa ao ver ele se masturbar, imediatamente pus a língua pra fora e esperei alguns segundos até receber o primeiro jato de porra bem forte no meu rosto, cobrindo quase completamente de porra, no segundo jato daquela porra bem quentinha, o líquido escorreu pelo meu corpo e lambusou minha barriga, depois ele passou o pau no meu rosto todo melado e enfiou na minha boca, eu engoli aquela porra e ele ficou passando o dedo em meu rosto e levando a porra até minha boquinha.

- Vamos pra cama, Adam.

Eu me levantei e fui até a cama dele, ele me pôs de costas e tirou minha bermuda e cueca, alisou minha bunda e deu um tapa forte, o qual resultou em um gemido meu, depois foi na outra nadega e ele continuou a me bater na bunda e na coxa, deixando vermelha e marcada. Ele me virou de barriga pra cima e se pôs no meio das minhas pernas, me abraçou e tocou nossos corpos, minha barriga melada de porra melou a dele também, ele encaixou o pau no meu cuzinho e enquanto ia metendo mais e mais fundo o seu pau grande no meu cu, ele me beijou com vontade e depois desceu pelo meu pescoço e mordeu minha orelha quando sua rola estava toda dentro do meu cu, então ele começou a fazer vai e vem, colocando o seu pau bem fundo e começando a socar mais e mais forte à cada segundo, sem piedade de mim, mordeu meu lábio enquanto eu gemia e meteu seu pau bem fundo, gemendo junto comigo.

Olhei para ele e para todo o seu corpo e o suor escorria pelo seu corpo, sua barriga era definida e estava coberta por suor de tanto que ele metia em mim, com muita velocidade, me fazendo gritar e gemer no seu pau, sem conseguir me conter, ele segurou meus braços na cama enquanto metia fundo, sem ter pena, eu sentia seu pau inteiro lá dentro, com meu cuzinho o apertando e ele deixando-o cada vez mais arrombado. Eu estava adorando apesar de toda a dor. Eu arranhei sua barriga e depois as costas e ele não parava de socar a rola no meu cu, fazendo-me gemer sem parar. Puxou meus cabelos e fez eu olhar para trás enquanto ele beijava meu pescoço freneticamente e mordia também.

Ele me virou de costas e eu fiquei deitado com a bunda bem empinada pra ele, ne deu mais dois ou três tapas fortes e brincou com dois dedos no meu cu arrombado enquanto se masturbava e logo encaixou o pau de novo no meu cu, enfiando sem dó, tudo de uma vez lá dentro, segurou meus braços atrás das minhas costas dessa vez e continuou a meter com vontade como antes, fazendo seu pau entrar o mais fundo possível e eu gemia alto, sem aguentar. Ele soltou meus braços e pôs as mãos nos meus ombros, pra pegar impulso e meter mais rápido e forte ainda, fazendo ouvir-se o barulho dos nossos corpos se chocando. Ele deu uma última metida e senti sua porra quentinha lá dentro do meu cu, ele deitou o corpo em cima do meu com o pau fincado no meu cu, a porra ainda lá dentro, ele beijou meu ombro e subiu pelo pescoço enquanto eu recuperava meu fôlego.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...