História Por trás do "felizes para sempre" - Capítulo 12


Escrita por:

Visualizações 27
Palavras 1.853
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


oi gente
Espero que gostem

Capítulo 12 - Pessoas falsas contam mentiras


Amye POV's

  Depois de algum tempo ali com os meus amigos, saí e fui direto para a casa de Dong, chegando lá avisto meu namorado sentado no sofá assistindo Tevê. Ao me ver, o mesmo vem correndo Até mim.

— O que aconteceu com você? – o garoto pergunta pondo a mão em meu ombro

— Dong, eu tava lá! – falo com dificuldades

— Lá aonde? – ele diz preocupado

— Eu fumei e bebi!! – falo e dong se assusta

— aonde, com quem? – Ele pergunta me levando até o quarto

— Eu vou tomar banho, depois eu te falo! – Digo e Dong assente saindo do quarto

Vou até o banheiro e começo a tirar minha roupa, começando pela calça e depois a cueca. Tiro meu moletom e vejo que a camisa que usava estava molhada na região de meus mamilos; tiro a mesma e me assusto com o que vejo.

— DONG!! VEM CÁ! – grito do banheiro e não demorou muito para o garoto aparecer na porta assustado

— Dong ta saindo um negócio do meu mamilo, eu to com medo! – falo e levanto minha camisa

— Posso? – ele pergunta chegando perto e eu assinto: Dong chega perto de meus mamilos e chupa os dois logo depois voltando a me olhar

— É leite! – ele fala e eu me assusto

— Dong eu to com medo! – falo e Dong me abraça

— Vai ficar tudo bem – ele diz

Depois disso peço para ele sair do banheiro e vou tomar meu banho escutando a música “kill kill” Da lana del Rey; coloquei a mesma no meu celular e fui mostra meu banho, lavando meu corpo e cabelos, e não parando de pensar em qual garoto devo ficar. Dong é uma boa pessoa, me ajuda quando estou mal, me faz sentir especial quando não estou bem, me faz sentir-se único, me consola. Eu o amo. Agora Carlos: não tenho muito que dizer dele, sempre o conheci como o fodão da escola, que todas as meninas desejam e todos os meninos querem ser igual. Não confio muito nele, realmente achei muito estranho ele ter se “declarado” daquele jeito pra mim, ele é um suspeito. Depois de terminar meu banho, grito o nome de Dong pois tinha esquecido minha toalha.

— Oh beleza! – Dong fala entrando no banheiro

— Você quer?! – pergunto levantando os braços

Dong não fez muito, apenas jogou a toalha na pia, sorriu e começou a tirar sua roupa, revelando aquele lindo corpo.

“Kiss me in the d.a.r.k. dark tonight

D.a.r.k. do it my way”

Agora estava tocando “Lolita” também de Lana e esse foi o refrão, quando Dong me empurrou na parede e começou a me beijar, ligo o chuveiro novamente e em um movimento rápido, dong me pega no colo e foi para de baixo da água que caia, me molhando novamente e primeiramente molhando o garoto. Me beijava com toda sua vontade e prazer, aproveitava o máximo de meu corpo ali em sua frente, passando a mão pelo mesmo e apertando minha bunda.

— Me chupa! – ele fala durante o beijo, me soltando de seu colo

Separo o beijo e me ajoelho em sua frente, tendo visão de seu grande membro ereto; enfio o mesmo inteiro na minha boca, passando por enfiar seu pênis até minha garganta e voltar a ponta. Chupava e mordia com vontade, arrancando vários gemidos do garoto, o mesmo segura meu cabelo e dita os movimentos, fazendo eu me engasgar no começo; depois de alguns minutos ali brincando com o pau do menino, ele goza em minha boca. Apenas engoli tudo e voltei para cima, beijando seus lábios.

— Que gostinho bom na sua boca! – Dong exclama e eu sorrio

— É o seu gosto- digo

Terminamos de tomar o banho e nos trocamos, eu coloquei uma camisa dele e uma cueca, já ele somente uma Cueca e preferiu dormir sem camisa; nos deitamos e dormimos.

Acordei no outro dia com dong mexendo em mim, abri os olhos e vi aqueles seus olhinhos apertadinhos me olhando; roubei um selinho do garoto e me levantei. Fui para o banheiro e lavei o rosto e escovei os dentes com o dedo porque eu não tinha escova naquela casa.

Desci até a cozinha onde estava um Dong fazendo café, me sento na cadeira e fico em silêncio, até dong se pronunciar.

— Amye você usa drogas? – ele pergunta e no mesmo momento eu travei

— E-eu... E-eu já fumei.... S-sim... – falo gaguejando e Dong me olha com uma cara de tipo “isso não me convence”

— Vou parar de mentir pra você, eu fumo maconha! – falo e Dong se assusta — Vai terminar comigo por causa disso?

— Não, esta tudo bem... Mas você não é viciado né? – ele pergunta e eu reviro os olhos

— Não né! – falo dando um pequeno peteleco em sua testa

— Eu não tenho roupa, como vou pra escola? Aquela eu já usei umas três ou quatro vezes! – falo tomando café

— Você pode pegar uma roupa minha – ele diz

— Não sei se cabe... – falo

— Eu não sou tão alto, vai servir sim – Dong diz em resposta

— Vamos ver! – ele diz e me leva até seu quarto

— Tire a roupa! – Ele fala e eu solto um sorrisinho malicioso

Começo a tirar a camisa enquanto dong se sentava na cama, quando terminei de tirar a primeira peça, fui até seu colo e comecei a rebolar.

— Você é um baby mal sabia? – Dong fala agarrando minha bunda

— Então me puna daddy – falo e dong puxa meu cabelo, me beijando em seguida

— Voltou muito tarde ontem, merece uma punição! – Dong diz e põe seu dedo entre meus dentes e tira com rapidez e força

— Me bata, daddy – digo e dong me joga de quatro no chão

Começou tirando minha cueca e pondo dentro de mim, seus dois dedos maiores, fazendo movimentos de tesoura com eles; Quando comecei os gemidos, uma de suas mãos foram de acerto com minha bunda, o que deixaria marcado.

— Nada de gemidos sua puta! – ele fala puxando meu cabelo

— Sua putinha! – Digo e o garoto tira seus dedos de mim

— Minha putinha aguenta isso? – ele tira de debaixo da cama uma caixa com muitos brinquedos sexuais, o garoto pega dali um vibrador; liga o mesmo e enfia no meu ânus com força

— Isso doí papi! – gemi e ele me deu um tapa em minha nádega

— Calado... E eu gostei desse “papi”! – ele diz e começa a movimentar o vibrador dentro de mim

Me virou de barriga pra cima, tirou o vibrador de meu interior e meteu seu membro sem proteção em minha bunda. Não demorou muito para começar a enfiar e tirar seu pau em mim, me fazendo soltar muitos gemidos, os mesmos eram respondidos com tapas na coxa ou apertos na cintura.

— Por que você é tão gostoso? – Dong fala enquanto estocava em meu interior

— O Papi gosta? - digo pondo um de meus dedos na minha boca, fazendo um olhar inocente

— O Papi adora fazer isso com você! – ele chega mais perto de mim e sussurra

Continuou estocando em meu interior, até tirar seu membro do mesmo e se masturbar na minha frente, gozando em minha barriga; mas espirrando um pouco em meu rosto.

— Ei! – Digo e ele sorri

— Desculpa! – ele fala e ri

Limpei meu rosto e troquei de roupa, acabei ficando com uma jeans preta dele e uma camisa com estampa de hora de aventura (princesa caroço) O tênis eu coloquei o meu mesmo, e saímos de casa, até a casa de Erika.

— Já te falei que você fica um gostoso nessa calça? - Dong fala no caminho

— Umas cinco vezes – falo e rimos

— Só queria ressaltar! – ele diz e paramos na casa de Erika, sem aviso ele começa a me beijar. É claro que cedi mas não demorou nem dois minutos e Erika já aparece gritando na porta

— PORRA CARALHO MEU OTP!! – ela grita e tira uma foto nossa

— Mais uma? – pergunto

— Preciso colecionar... Lembra da festa da Priscila? Então, eu tirei muitas fotos de vocês dois se beijando, principalmente na hora que o Dong pegou na sua bundinha gostosa! – Erika fala e nós dois coramos de vergonha

— Ta bom Erika, vamos pra escola - Falei e ela saí de casa

— Então, vocês já transaram? - Erika pergunta animada

— Quer saber foda-se... Já transamos sim, e hoje antes de ir pra escola também – falo

— MEU DEUS!!!!! É grade, doeu? Por isso você está mancando desse jeito... Aposto que é enorme, coube em você... Você já me disse que é bem apertado, entrou certinho? - Erika fala e eu fico envergonhado e corado

— Eu nunca disse que era apertado... – falei envergonhado

— Já sim, lembra da mensagem que você me mandou, você disse assim “Erika eu quase não consegui por o dildo, meu cu é muito apertado “- Erika fala e eu coro mais ainda

— PARA ERIKA!! – digo e Dong ri

— Respondendo as suas primeiras perguntas, sim é bem grande sim... O cuzinho do amye é bem apertado sim, mas deu certo! – Dong fala e eu fico mais envergonhado

— SABIA!! AMYE DOEU? – A garota do meu lado grita atraindo muitos olhares

— PARA!! E sim doeu pra caralho – falei

Chegamos na escola e fomos para a nossa sala por estarmos atrasados e esperamos a professora que não demorou muito a chegar. A aula se passou lenta, e a cada minuto que dali saía eu sentia um pressentimento ruim chegando, um peso em minhas costas e essas coisas.

A aula acabou e eu fui o primeiro a sair, fui direto ao banheiro e lavei meu rosto, até que sinto uma pancada na minha cabeça muito forte e sou prensado na parede por Carlos.

— Você acha mesmo que eu gostava de você? – Carlos fala enfiando a mão em minha calça

— P-para Carlos.... – Gaguejei quando ele apertou meu membro

— Seu filho da puta de merda! – O garoto fala alto e da um soco no meu rosto antes de me jogar no chão e chutar minha barriga

— Eu te ¡O-D-E-I-O! – ele fala pausadamente e me da um tapa

O garoto saí do banheiro e vejo Dong aparecer na porta e tomar um susto me vendo daquela forma: estirado no chão, e com muitos machucados no corpo.

— QUEM FEZ ISSO?!! – meu namorado vem até mim e me ajuda a levantar

— Foi o.... Foi... Aquele lá.... O c-carlos.... – falei e tampei minha boca em seguida

— ¿Mas porque ele fez isso? – Dong pergunta e começa limpar meu machucado na cabeça

— Ai!! Isso doí! – reclamo de dor com o garoto passando água no mesmo local

— Lembra ontem? Então, ele tinha me beijado e falado que me amava e tals, aí hoje ele fez isso! – digo e Dong se assusta

— Você quer ir embora? – O garoto pergunta e eu assinto

— Então vamos! – Ele fala e pega na minha mão, abri um sorriso e saímos do banheiro



Notas Finais


💓💓❤🐋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...