História O garoto do 304 - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Do Kyung-soo (D.O), Kim Min-seok (Xiumin), Park Chan-yeol (Chanyeol)
Tags Chanmin, Olhos Coloridos, Sexta Feira
Visualizações 53
Palavras 541
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi oi!
Estou aparecendo do nada porque eu acho que não vou conseguir postar na sexta, então resolvi postar hoje.
Infelizmente, a ferramenta de programar capítulos só existe no Nyah kkk
Boa leitura!

Capítulo 16 - O colecionador


O gato era mais dócil que acreditara.

Sozinho, no apartamento, em mais um dia sem aula, Minseok tentou fazer amizade com o gato branco ladrão. O bichano apareceu na sua cozinha, depois que seus responsáveis haviam saído para o trabalho e o garoto, sem muitas opções de companhia, resolveu que podia ser uma boa ideia aquilo.

Preparou uma tigela de leite pro animal, o observou comer enquanto ele próprio tomava o café da manhã e depois, quieto, deixou que o animal o seguisse pela casa. Aquilo era divertido. Deixava Minseok menos solitário, afinal aquela era a primeira vez que tinha um animal de estimação, mesmo que Damasco não fosse exatamente seu.

Ele levou o gato para o seu quarto, deitou-se com ele na cama e sob seu olhar vigilante, mostrou ao bichano todas as suas coisas. Até mesmo lhe contou sobre o Senhor X e sua recente frustração com Park Chanyeol, o garoto do 301, que passara a evita-lo nos últimos dias. O gato pareceu escutar seus problemas, parecia compreender toda a confusão do garoto, mas assim como Minseok, não havia jeito de dar seus conselhos. Mas quando o animal, deitou-se sobre seu peito, depois de tanto que Minseok se esforçara em contar sua história, o garoto entendeu que aquele era o jeito do gato de conforta-lo.

Ficou muito tempo daquele jeito ainda, até que lembrou-se do acontecimento estranho de uns dias atrás. Aquele em que um estranho lhe abordou na rua e lhe deu um livro suspeito. Minseok afastou o bichano de si e procurou o livro na sua mochila. Ainda estava lá, guardado junto do outro que pegara na biblioteca.

O colecionador.

O título não lhe era família, mas achou bonita a borboleta azul estampada na capa. Abriu o livro, passou algumas folhas. Não era tão grosso. Quase 300 páginas, um tanto pequeno se comparado ao que trouxera da biblioteca, mas aquele não teria que devolver. Era seu, percebeu. Um presente? Ao que parecia, sim.

Mas quem era o homem?

Lançou um olhar para o gato, que o fitou de volta como se pudesse ler seu pensamento, mas antes que pudesse tentar qualquer coisa, percebeu que havia alguma coisa enfiada entre as páginas do livro. Minseok segurou o pequeno envelope azul, deixou o livro fechado sobre a cama e observou aquilo. Não tinha remetente, mas não precisava. Alguma coisa em si sabia muito bem de quem viera aquilo, então sorriu.

Era mesmo um presente.

Viera do seu amigo.

Então, aquele homem... sorriu mais um pouco. Jogou-se na cama, segurando a cartinha na altura do coração, suspirando como um garotinho apaixonado. Mas não estava. Só se sentia aliviado, terrivelmente importante. Um tanto envaidecido por aquele homem o ter abordado assim, depois de ter dito que eles não poderiam se encontrar enquanto não completasse 19 anos.

Fechou os olhos por um momento. Os abriu logo em seguida, resolveu abrir o envelope, conferir as palavras que recebera. Mas não havia muita coisa, no fim das contas. Não passava de um cartão postal. A paisagem de uma montanha coberta de neve se destacava ali e atrás, escrito na caligrafia demasiadamente familiar estava a coisa mais doce que Minseok já recebera em tanto tempo.

“Seus olhos são mais bonitos quando vistos de perto.”


Notas Finais


E aí, quem pegou a pista?
xoxo a até


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...