História O Garoto do Morro - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias João Guilherme Ávila, Larissa Manoela, MC Biel, Thomaz Costa
Personagens João Guilherme Ávila, Thomaz Costa
Visualizações 72
Palavras 2.009
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi genteeeee. A minha mais nova fanfic aqui desse Spirit, espero que gostem.

Capítulo 1 - Capítulo 1 - A chegada


Fanfic / Fanfiction O Garoto do Morro - Capítulo 1 - Capítulo 1 - A chegada

Visão de João Guilherme

Aqui estou eu, voltando da Grécia, e confesso, foi uma das melhores viagens que fiz em minha vida. Eu e meu irmão, Gabriel, estávamos sentados na primeira classe de um voo internacional, juntos aos nossos pais, Naira e Leonardo. Eu estava conversando com um amigo meu, que havia viajado para Roma nas nossas férias de verão. Ele contou que foi incrível, e como ele estava todo empolgado falando sobre a viagem, acredito que possa ter sido tão boa quanto a minha viagem. 

Bom, não me apresentei. Sou João Guilherme Ávila, e nesse novo ano, completarei 17 anos, o que me desanima um pouco, visto que a adolescência é a melhor fase de nossas vidas. Enfim, após longas doze horas de voo, chegamos ao Brasil, e ao sair do avião, fomos direto pegar nossas malas nas esteiras. Infelizmente, minha aulas voltarão depois de amanhã, já que, hoje é um sábado. Após pegar nossas malas, meu pai pediu que nosso motorista viesse nos buscar no aeroporto, e como é uma hora da manhã, ele chegou em um tempo de 40 minutos, já que ele veio de São Paulo e estamos em Guarulhos.

 

 

Quando chegamos em casa, eu fui correndo para o meu quarto, carregando uma mala pesadíssima comigo, que tinha tudo que eu levei para a Grécia. Eu moro em um Duplex, ou seja, um apartamento que possui dois andares, mas, para minha sorte, meu quarto fica no primeiro andar, então eu só tive que arrastar ela para o meu quarto. Como eu tinha dormido as 12 horas no avião, eu estava sem um pingo de sono, então fiquei vendo as fotos dos meus amigos que estavam chegando de viagem. 

Visão de Thomaz Costa

Finalmente cheguei em casa. Essas férias foi um tanto quanto produtiva, pois eu ajudei meu pai a construir alguns barracos no morro, e então, eu adquiri músculos, e sinceramente, eu estou meio que forte, o que é bom, pois de acordo com estudos, fazer exercícios que utilizam os músculos motivam o cérebro a pensar com mais agilidade. Quando cheguei em casa, minha mãe já tinha chegado em casa, e como de costume, ela estava exausta, e também, estava dormindo no sofá. Quando cheguei, apenas dei um beijo em sua testa e fui para o banheiro tomar banho. 

Quando cheguei no banheiro, percebi que eu estava com muito tesão acumulado, e eu estava duro feito pedra. Então eu me sentei em frente ao vaso, e sem querer me gabar, depois que eu fiz 17 anos meu pau se tornou bem maior do que o ano passado, vendo pelo olho, ele deve ter quase 19 cm's. Após abrir uma página pornô no Google, eu peguei o lubrificante que eu tinha comprado com o pouco dinheiro que me sobrava, e passei por toda a extensão de meu pênis, que logo ficou brilhoso. Então, comecei com movimentos leves, fazendo movimentos de vai e vem enquanto eu via uma mulher loira se masturbando também. Imaginei como se eu estivesse em frente a ela, e meus movimentos começaram a se tornar mais velozes com o tempo, e em questão de 6 minutos, eu gozei 3 jatos fartos de porra. E finalmente, eu estava aliviado. 

Após tomar um banho, eu fui para cozinha comer, e acordei minha mãe para colocá-la na cama, e depois de fazer isso, fui fazer algo para eu comer, que no final, acabou saindo um pão com margarina e suco de maracujá. Eu estou empolgado com o que me espera na nova escola, a Avenues, pois desde pequeno eu tenho o sonho de estudar em uma escola particular, e devido ao meu esforço nesses últimos anos, consegui uma bolsa cem porcento integral. Espero que tudo ocorra bem. 

Depois de ter terminado de comer, eu fui deitar para dormir, estava cansado, e amanhã eu vou ter que acordar cedo para voltar ao trabalho. 

Dois dias depois...

Chegou o grande dia! Hoje é o meu primeiro dia de aula em uma das escolas mais caras de São Paulo, e eu estou mais que pronto para ser um dos melhores alunos que essa escola já viu! Com todo meu trabalho nessas férias, eu consegui comprar um tênis novo, não muito caro, mas é bonito, e também, uma mochila nova, já que a minha antiga estava meio velha. Depois de tomar meu café da manhã, eu fui até o ponto de ônibus mais perto de minha casa, e peguei um que passasse próximo ao colégio...

Visão de João Guilherme

Acordei seis horas, já que eu moro perto da escola, e vou de carro também. Após me arrumar, com um tênis da Adidas, a farda Azul escuro da escola, uma calça jeans branca, e uma mochila da Louis Vuitton, nova linha, eu fui até a cozinha para tomar café, e todos já estavam lá. 

-Bom dia, maninho. -Biel falou, já arrumado para ir pra escola, e ele está no último ano, antes que perguntem. E como de costume, ele estava exalando cheiro de perfume. 

-Bom dia, mano. -Respondi empolgado, dando um toca aqui com ele. -Eu vou comer pouco, estou sem muita fome, na verdade. 

Depois de tomar café, eu passei perfume, escovei meus cabelos, escovei os dentes, e então, saí de casa com o motorista ao meu lado para me levar à escola. Como eu tinha pedido ao meu pai, de aniversário de 17 anos eu pedi uma BMW de presente, e como sempre, ele me deu o que eu queria, e eu não vejo a hora de ver a cara do pessoal quando me verem de carro novo. Quando chegamos na garagem, o motorista foi logo entrando no carro, e eu percebi que ele era um motorista novo, o que me incomodou. 

-Hum hum. -Fiz com a garganta, e ele me olhou de dentro do carro. Então eu olhei para a porta do carro e para ele em seguida, e acho que ele entendeu o recado, pois ele saiu do carro, e veio até a porta, e abriu-a para mim. -Obrigado. -Falei, insatisfeito. 

Ele ligou o carro, e lentamente saiu da garagem do condomínio, mas o resto do caminho ele foi em uma velocidade normal. Quando cheguei na escola, como esperei, chamei atenção de algumas pessoas da escola, afinal, é um carro chamativo. Quando eu saí do carro, meu amigo Luigi veio falar comigo. 

-Olha ele, de carro novo. -Falou, apertando minha mão e dando-me um abraço em seguida.  

-Eae, Luigi. Tenho a impressão que esse ano vai ser melhor que o ano passado. -Comentei, andando com ele para entrar no colégio, e nesse tempo, peguei o meu crachá para passar pela catraca. 

-Deve ser porque esse vai ser nosso último ano, não é? -Falou, dando uma risada de canto. -Mas então, aproveitou as férias? -Perguntou, tentando puxar assunto. 

-E como. Fui para a Grécia, e mano, que lugar lindo. O mar é outra coisa. -Falei, enquanto ele mexia no celular. -E você, viajou pra algum lugar ou ficou por aqui mesmo? 

-Eu fui para minha casa na França, como de costume. Já tá ficando chato, pois é sempre a mesma coisa. 

Visão de Thomaz Costa

Depois de descer do ônibus, eu fui andando até a escola, que era bem perto do ponto em que eu desci. Pude observar que muitos alunos chegaram de carro, até mesmo alguns que eu nunca vi. Eu vou ter um desses, ou não me chamo Thomaz Costa. Quando entrei na escola, observei que eu chamei atenção de algumas garotas, o que me deu um pouco de vergonha, já que eu não me dou muito bem com garotas, sou tímido demais para tomar uma atitude. Fui até o meu armário, e os livros de aulas que eu não teria hoje, guardei-os nele. Quando eu fechei o armário, uma garota que estava atrás dele estava parada, me esperando. 

-Oi. -Falei assustado, já que eu tomei um susto. 

-Oi. -Ela falou, simpaticamente. A garota tinha olhos castanhos claros, seu cabelo era um grande black com uma fita o prendendo, sua boca era muito rosa, e ela não usava batom. Sinceramente, ela é linda -Me chamo Michele e eu ficarei responsável por te mostrar a nossa querida escola. -Continuou, empolgada. -Vamos, por aqui. -Pegou em minha mão e foi me guiando pela escola. 

 

 

Depois de conhecermos a escola, ela começou a conversar comigo. 

-E então, vai se inscrever para o time de futsal da escola? -Perguntou, curiosa. 

-Sim, vou sim. Se tem uma coisa que eu mando bem é de futebol. -Falei, e ela riu. 

-Bom, está aqui meu número -pegou meu celular e digitou seu número- qualquer dúvida sobre a escola, pode me chamar. E para outras coisas também. 

Ao se distanciar de mim, o sinal bateu, sinalizando a primeira aula. Eu fui andando para a sala, já que eu sabia onde eu vou estudar pelo resto do ano. Quando entrei na sala, dei de cara com um garoto, que era maior que eu, seus cabelos eram castanhos claros, e ele aparentemente malha, por causa de seu peito estufado e seus braços pouco definidos. 

-Desculpe. -Ele falou, me olhando nos olhos. -É aluno novo, certo? -Perguntou, franzindo a testa como se estivesse procurando em sua memória quem sou eu. 

-Sim... sou aluno novo. -Respondi, tranquilamente, quando o professor pediu licença para entrar na sala. Eu fui até um painel, onde havia um mapa de sala com o nome de todos os alunos. Eu sentei na cadeira em que estava indicando no painel. 

 

Quando deu o intervalo, eu ia andando, mas um garoto me parou, junto de mais dois moleques. 

-Olha o garoto novo aí. -Disse, rindo de alguma coisa que eu estava tentando descobrir o que era. -Soube que você vem de Ipiranga. Se sumir alguma coisa minha, pode ter certeza que vai pegar mal pro seu lado. -Me ameaçou, e os outros dois que estavam ao seu lado riram forçadamente. 

-Escuta aqui, mauricinho. Primeiro, não preciso de nada que você tem, até porque, o que é seu deve ser tão inútil quanto você. -Falei, indo lentamente em sua direção. -E outra, é melhor me deixar em paz, a não ser que queira ter problemas com os moleque do morro, tá ligado? -Usei as gírias de um dos meus amigos da comunidade, mas eu não falo assim, e também, não sei aonde eu estava com a cabeça em ir pra cima dele, eu mal sei lutar! Pelo menos, meu blefe funcionou, já que ele e seus amigos saíram da sala de cara feia. 

-Gostei da atitude. -Uma garota que tinha umas mechas rochas em seu cabelo falou, saindo do canto direito da sala. Ela era um pouco magra e alta. -Prazer, me chamo Fernanda, mas meus colegas me chamam de Conccon, ou puta também. -Disse, como se fosse algo normal. -Você é um dos poucos que teve coragem de enfrentar esse trio de patetas. -Rio ao dizer, e eu também ri. 

-Prazer. Sou Thomaz. -Apertei sua mão, dando risada. -Você sempre faz isso, digo, ficar no canto da sala observando a reação dos novatos? -Perguntei, ela se escorou na mesa e apoiou seus braços em sua volta. 

-Sim, sempre faço isso. Mas não é por nada, e sim, porque não gosto de fazer amizade com alguém que come reggae de mauricinho. Deve ser por isso que tenho poucos amigos. -Eu ri, e ela também. 

-Eu vou na Biblioteca alugar um livro de Química, quer ir comigo? -Perguntei, e Fernanda concordou com a cabeça e se juntou a mim.  

Fomos conversando sobre coisas que costumamos fazer, nossos gostos musicais, nossos hobbies, e percebi que eu e ela temos muito em comum. Quando entrei na biblioteca, o garoto de antes estava sentado numa roda de amigos, todos riam sobre alguma coisa que viram no celular. Eu fui até o balcão alugar o livro, quando o garoto me chamou. 

-Aqui, caiu do seu bolso mais cedo, mas eu não consegui te devolver. -Disse, me entregando meu crachá. 

-Obrigado... você aí. -Agradeci, sem saber o nome dele. 

-João, João Guilherme. -Falou seu nome, que eu achei bonito. 

-Sou Thomaz Costa.


Notas Finais


É isso gente. Espero que gostem. bEIJUS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...