1. Spirit Fanfics >
  2. O Garoto que Nasceu no Corpo Errado >
  3. Bônus: O Garoto que Aprendeu a se Defender Sozinho!

História O Garoto que Nasceu no Corpo Errado - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Não, isso não é um sonho e muito menos uma miragem. Eu finalmente resolvi, depois de muito tempo, postar um capítulo bônus. Eu estava relendo os comentários que vocês escreveram ao longo dos capítulos postados e pensei: "Por que não dar um presentinho pra esse povo lindo que amou por demais essa minha história?"
Espero que vocês gostem muito do capítulo bônus que eu fiz com bastante carinho <333

Capítulo 28 - Bônus: O Garoto que Aprendeu a se Defender Sozinho!


Fanfic / Fanfiction O Garoto que Nasceu no Corpo Errado - Capítulo 28 - Bônus: O Garoto que Aprendeu a se Defender Sozinho!

O garoto que aprendeu a se defender sozinho!

♂ ♂ ♂

— Já está tudo pronto? — Baekhyun olhou mais uma vez para o maior. — Não estão se esquecendo de nada?

— Não, amor. — Chanyeol riu, depositando um leve beijo na testa do loiro. — Mas, acho que as meninas precisam de ajuda com os vestidos.

— Deixa que eu cuido disso. — saíra da cozinha. — Não esqueça de pedir ao Iseul ajudar a levar as coisas para o carro! — gritou para o outro.

Adentrou um dos quartos, encontrando as gêmeas espalhando alguns vestidos na cama de ambas.

O quarto tinha duas paredes pintadas de lilás e as outras duas pintadas de rosa pastel; havia duas camas em cada lado do quarto, com uma escrivaninha de madeira branca com um abajur em cima ao lado das mesmas; um enorme gurda-roupas de madeira rosa claro ao lado das várias caixas onde continham os brinquedos das garotas. E em uma das paredes, uma estante cheia de livros infantis contendo histórias ou desenhos para colorir.

— Parece que alguém aqui não está conseguindo decidir o que vestir para ir ao piquenique no parque hoje. — riu com a confusão das duas filhas.

— Appa, eu já escolhi o vestido! — Sunyoung mostrou o vestido branco cheio de flores de várias cores que ia até os joelhos — Mas não sei que sapatilha vou usar! E nem que penteado fazer no meu cabelo!

— Bem, que tal você ir com as sapatilhas pretas com aqueles lacinhos brancos? — Baek sugeriu. — Aquelas que a vovó te deu. E, em relação o cabelo das duas, que tal uma trança ou maria-chiquinhas? Está muito calor para vocês ficarem com o cabelo solto.

— Appa, posso ir com meu vestido amarelo? — Sooyoung deu uma voltinha, mostrando seu vestido amarelo de mangas curtinhas. 

— Claro. — sorriu. — Quer ir com as novas sandálias que o titio te deu?

— Sim!

Baekhyun terminou de ajudar as duas se vestirem, logo prendendo os cabelos das duas em tranças.

— Vamos? — Iseul entrara no quarto das irmãs, vestindo uma bermuda jeans azul clara e uma camiseta azul xadrez cheia de botões.

— Vamos! — as irmãs saíram correndo do quarto.

— Vou pegar a guia da coleira do Kratos!

♂  ♂  ♂

Baekhyun estava sentado sobre a toalha quadriculada de cor vermelha, observando com um pequeno sorriso enfeitando os seus lábios seu marido brincando com seus filhos adotivos e o cachorro, correndo de um lado para o outro enquanto riam e se divertiam.

Baekhyun respirou fundo, erguendo um pouco a cabeça para receber de bom grado os raios de sol tocando a sua pele, queimando-a levemente. Em um momento, levou ambas as suas mãos para a barra da camiseta de cor cinza que estava usando, puxando-a para cima e exibindo seu tronco.

Tocou com a ponta dos dedos as cicatrizes quase invisíveis que ficava alguns centímetros abaixo de seus mamilos. Com o tempo, Byun Baekhyun passou a ver aquelas duas cicatrizes como lembranças boas, lembranças de suas batalhas e como fora forte, travando-as e saindo vitorioso; elas o lembravam que mesmo que não conseguisse enxergar na época, Baek era forte, muito forte e conseguia encarar qualquer coisa de frente.

Com o tempo, Baekhyun acabou aprendendo a se defender sozinho. As sessões com seu terapeuta o audavam bastante nessas questões. Antes, era Chanyeol que se colocava em sua frente e o protegia, o acolhendo como um bebê; agora, era Chanyeol que sentia-se sendo protegido pelo menor. E Byun Baekhyun protegia seu marido e filhos com unhas e dentes!

Jogou a camiseta ao seu lado, pegando os óculos de sol de Chanyeol e os colocando para proteger os olhos. E então estava comendo um dos sanduíches naturais de frango e olhando a sua família se divertindo, acabou ouvindo uma voz que, infelizmente, era muito conhecida por si.

— Que pouca vergonha...

Baek rolou os olhos por trás das lentes escuras. Era Park Jennie, a vizinha da casa ao lado que gostava de cuidar e fofocar da vida alheia. A velha era um verdadeiro pé no saco quando queria, implicando com os outros quando lhe dava vontade e sempre querendo se fazer de coitada e mostrar para Deus e o mundo que ela era a única certa dessa história.

Muitas e muitas vezes, desde que Baekhyun, Chanyeol e seus filhos acabaram se mudando para o lado da casa amarela, a Park vivia de olho neles para fofocar aos quatro ventos com as outras três mulheres fofoqueiras da vizinhança. No começo, Jennie achava que era apenas um casal de homossexuais que haviam adotado três crianças e ido morar na casa de cor branca ao lado da sua, mas quando ela descobriu que seu vizinho Byun também era trans, foi ai que a velha passou a falar mal de si pelos quatro ventos.

E a idosa de 86 anos não se importava nenhum pouco se você estava ouvindo ela falar mal de você...

Mas tudo bem, Baekhyun aprendeu a tacar o foda-se e ignorar todas as palavras negativas que eram dirigidas a si por qualquer pessoa. Apenas acabava perdendo a cabeça quando alguém resolvia dirigir aquelas palavras aos seus filhos, marido e até mesmo para o cachorro.

— Eles deveriam ter vergonha... — sra. Mila, uma das outras três fofoqueiras, comentou para a Park ao seu lado. — Como a mente dessas crianças devem estar? Tendo pais assim...

Foi ai que a coisa acabou ficando feia...

Baekhyun praticamente arrancou os óculos de seu rosto, direcionando sua carranca para as duas mulheres que estavam a poucos metros de distância de si. Sua vontade era de arrancar cada fio de cabelo branco da cabeça das duas mulheres, mas é claro que Chanyeol não acabaria deixando ele fazer aquilo de nenhum jeito. Afinal, já havia lidado com pessoas de mente fechada sem usar a os punhos e violência contra os idosos era crime...

Bufou, passando suas mãos no cabelo emaranhado e com alguns nós. Pensou em ignorar primeiro, como sempre fazia quando isso acontecia; contava até vinte, respirava fundo e fechava os olhos, tentando relaxar.

— O mundo está realmente perdido...

— Será que dá pra dar licença? — as palavras saltaram de sua boca mesmo antes de sua mente raciocinar.

Chanyeol, que estava brincando com as crianças e Kratos, jogando a bolinha para o cachorro pegar, ouviu a voz de seu amado e se desligou um pouco da brincadeira, levando seus olhos castanhos até onde Baekhyun estava. O grandalhão enrugou o nariz quando viu aquelas duas velhas fofoqueiras olhando para o seu garoto com uma cara de... Bom, era melhor não completar a frase, e Baek estava olhando para as duas mulheres com fogo nos olhos.

— O que disse?

— Acho que as duas senhoras estão perturbando a paz do parque e principalmente a minha. — disse. — O mundo está perdido, sim. Mas está perdido não porque existem comunidades LGBTQ+ nele, mas porque existem pessoas maldosas de mente fechada e preconceituosas como vocês duas! — empinou o nariz, mostrando que o olhar azedo que as duas velhas lhe lançavam não estavam o intimidando. — As senhoras são duas mal-amadas!

As idosas pareceram completamente ofendidas com as últimas palavras, fazendo uma tremenda careta de raiva se apossar de suas faces vermelhas. Ambas viraram a cara para o jovem, se levantando do banquinho de madeira branca onde estavam sentadas e saindo de perto dele com os narizes empinados.

Chanyeol segurou a vontade de rir, mas por pouco tempo. Quando Baekhyun virou seu rosto e seus olhos se encontraram com os dele, Park acabou desatando a rir, sentindo pequenas lágrimas surgirem no canto de seus olhos. Até mesmo as crianças, que não haviam visto nada e nem sabiam do porque do pai estar rindo tanto ao ponto de sentir dores na barriga, começaram a rir também, contagiadas pelo som da risada de Chanyeol.

E Baekhyun também riu. Riu porque estava feliz de ter conseguido se defender sozinho mais uma vez.


Notas Finais


Amo cada um de vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...