História O gato e o golfinho - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Chrollo Lucilfer, Kurapika, Leorio Paradinight
Tags Chrollo, Kurapika, Kurokura, Leopika, Leório
Visualizações 37
Palavras 1.683
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção Adolescente, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oin pessoinhas! Espero que se divirtam lendo esse capitulo.
Leitores: Vc ficou fora por meses e depois volta como se nada tivesse acontecido?
Autora: Sim, boa leitura.

Capítulo 7 - Coração


Fanfic / Fanfiction O gato e o golfinho - Capítulo 7 - Coração

Lindo! Esse era o único adjetivo que viera na cabeça de Kurapika ao olhar o cristal na mão de Lucifer. O coração tinha o mesmo formato do coração humano, e as veias que circundavam o mesmo eram transparentes e possuíam um liquido roxo dentro delas. 

Kurapika estende sua mão para tocar o órgão.

-Não! –Lucifer o reprende.

-Por quê?

-Porque eu não te dei permissão de alcança meu coração.

As palavras de Kuroro meio que feriram Kurapika, apesar de que, o moreno não falou em tom hostil.

-Te insultei?

-Não.

Kuroro rir. –Falando desse jeito pode parecer um insulto, mas, a verdade é essa. Apenas aquele que tem a permissão do Sisimunt pode tocar em seu coração. Isso porque, essa é a fonte de todos os nossos poderes e o jeito mais fácil de nos matar. 

Kurapika entorta a cabeça para o lado.

-Quando um Sisimunt toca o coração de outro sem a permissão ele é imediatamente nocauteado pelo escudo de força que tem ao redor. Agora, se um humano tocar sem autorização... Ele morre.

O loiro encolhe sua mão. –Eu saquei, seu coração é perigoso, mas, o que isso tem haver com o fato de você não poder manter uma relação com um humano?

-Eu posso manter uma relação com humano, porém, é extremante perigoso para mim.

-Por quê?

-Porque se eu me apaixonar por ser humano e quiser manter uma relação com ele... Terei que entregar meu coração.

Kurapika não consegue esconder os olhos de surpresa. –Isso é loucura!

-Não entregar de verdade, mas o humano terá acesso ao meu coração sempre que quiser. É o preço que tenho que pagar por me apaixonar. Sisimunt não são seres tão emotivos quanto os humanos, porém, não somos incessíveis. Tratamos as emoções como algo que ajuda a fortalecer nossos poderes. Um Sisimunt que se apaixona por um humano e faz a cerimonia de entrega do coração fica muito mais forte, entretanto, fica muito mais vulnerável. Se um humano não estiver apaixonado pelo Sisimunt, ou perder esse sentimento ao longo do tempo, ele pode matar o Sisimunt facilmente, pois, o sentimento acaba, mas a permissão de tocar não. Isso acaba nos transformando em escravos, obedecendo de cabeça baixa as ordens mais cruéis possíveis.

-Isso é horrível.

-De fato. E já aconteceu isso. Muito dos lideres e ditadores que já existiram tinham Sisimunt de escravos. Claro que com o tempo ficamos mais cuidadosos, desconfiados, só que sempre tem aqueles que acabam cedendo.

-Hisoka é um deles.

A imagem do ruivo vem à cabeça de Lucifer.

-Sim.

-Só não entendi o porquê de abdicar seu coração?

-Ótima pergunta. Não sei. Se fosse pra chutar eu diria por que tudo tem um preço, e nesse caso o preço é nossa fonte de poder e vida. Que se for pensar bem é um preço justo, a gente ganha mais poder, entretanto, fica mais vulnerável.

-Mas porque vocês tem que fazer contrato com humanos? Qual o papel dos sentimentos nisso? Se vocês já se ferraram tanto com a gente porque simplesmente não desistem de tudo e larga os humanos na própria sorte? –Kurapika pergunta de forma tão rápida que teve problemas para recuperar o ar no fim da fala

Lucifer rir com a cena. –Humanos são interessantes.

-Como?

-Essa mania de questionar seu lugar no universo, sempre se perguntar o porquê das coisas. Nos Sisimunts não somos assim. Nascemos para realizar os desejos de outros seres, nosso mundo e vida gira em torno dos desejos, e quanto mais forte o sentimento por trás do desejo maior são nossos ganhos. Por isso viajamos por dimensões procurando vidas que possuem a capacidade de terem desejos. E nesse quesito vocês são praticamente imbatíveis.

Lucifer eleva seu rosto e um sorriso forma em seus lábios. –Vocês eram extremamente simplórios e frágeis comparados as terríveis bestas que dividiam o espaço com vocês no primórdio da humanidade. Os Sisimunt acompanham a criação da Terra desde quando ela era apenas uma massa de terra incandescente. Tentamos manter contados com todos os animais que por aqui se criava para fazer contratos com eles, só que eles não tinham o necessário para isso, ate que vieram os humanos e bum! Uma fala para se comunicar melhor, uma mente mais criativa, mãos e pernas mais hábeis para dominar ferramentas, tudo isso foi desejos dos humanos primitivos que nos concedemos, e a melhor parte e que anexado a isso, vinha uma enorme carga de sentimentos, bons ou ruins, isso não era importante, o que realmente importava era intensidade. Os Sisimunt que participaram desses fenômenos são considerados ate hoje os mais fortes da historia.

Agora, respondendo sua pergunta. Não abandonamos os humanos, pois vocês são uma fonte preciosa de desejos e sentimentos, é melhor para nos mudarmos nossos hábitos e criar regras para ficarmos mais seguros do que simplesmente abandona-los.

Kurapika abaixa a cabeça.

-Acredita agora que eu não gosto do Leorio? Ele é legal, mas não vale a minha vida.

-Acredito. Mas ainda tem algo que eu não entendo.

-O que?

-Disse que o seu povo acompanham a criação da Terra desde a época em que ela não passava de uma massa incandescente.

-Sim

-Mas vocês falaram que são naturalmente animais. Como era a aparência de vocês na época que não tinha animais na Terra?

-De um animal, porém, não um animal da sua dimensão.

-Então qual sua verdadeira forma?

-Não é relevante.

-Mas...

-Você pergunta demais, humano.

Kurapika se encolhe em seu canto.

XXX

VOTE KURAPIKA PARA PRESIDENTE DO CONSELHO

O loiro sorri ao colocar o cartaz no quadro de avisos.

-Agora sua candidatura é oficial, parabéns, Kura. –Killua da um leve tapinha nas costas do amigo.

-Você vai ganhar com certeza! –Fala Gon

-Espera ai pessoal, não vamos nos apressar só me lancei na candidatura, o resultado só sai depois do festival de esportes. A proposito, vocês vão participar de algo?

-Queremos entrar nas disputas de futebol.

-Bacana.

-E você?

-Não sou bom em esportes.

-Era do time de natação da sua antiga escola

-Mas eu não era grande coisa.

Killua sorrir. –Sim, você não era grande coisa.

-Enfim, vou usar esse tempo pra melhorar ainda mais minha campanha, fazer mais panfletos, treinar para o debate.

-Você não precisa fazer isso, já tem uma estratégia eleitoral bem forte. –Gon aponta para a janela de onde poderia ver um grupo de meninas ao redor de Lucifer.

-Ele pode conseguir muitos votos para você. Faz dele o seu vice

-Eu não poderia.

-Por quê?

-Eu já tenho um vice. E Lúcifer não vai ficar muito tempo aqui. –Pensou Kurapika

-Licença. –Uma mão indo em direção ao quadro de aviso silencia a conversa dos amigos.

VOTE HISOKA PARA PRESIDENTE DO CONSELHO

-Machi!

-Olá, Kurapika, e olá meninos.

-Então é serio? Hisoka vai mesmo se candidatar.

-Sim.

-Ele esta no terceiro ano, vai sair do colégio ano que vem, para que se candidatar?

-Ser presidente conta muito no currículo para universidade... Mas, principalmente, por que esse é o desejo dele. E eu faço de tudo para realiza-lo.  –A rosada abre um sorriso intimidador. –Estou indo.

Kurapika fica atrás da moça vendo seus cabelos balançar.

Hisoka é um Sisimunt que entregou seu coração á Machi. Ele é muito mais poderoso que Lúcifer, porém, eu irei vencê-lo assim mesmo. Pode vim, Hisoka.

XXX

Kuroro o professor está te chamando.

-Parece que eu terei que me retirar meninas.

-Serio? Fica mais um pouco com a gente. –O grupinho de sete meninas implora.

-Sorry, mas meu professor vai comer meu coro se eu fizer isso.

-E você Leorio? –Pergunta as meninas

-Não, valeu, eu vou para o mesmo lado dele. –Vamos.

-Vamos.

Os rapazes esperam um pouco para começarem a falar.

-Elas podem ser bem insistente.

-Verdade, eu estava quase morrendo sufocado. Não estou tão acostumado com isso.

-Uma pessoa tão bonita quanto você não esta acostumado a receber elogios? Conta outra.

Lucifer olha pra Leorio que percebe rapidamente o clima estranho.

-Assim, sem viadagem. Foi só um elogio. –O de óculos tenta se recompor.

-Não precisa se explicar. –Ele realmente gosta de mim? Não teve ser só tesão.

-Você vai se escrever em alguma coisa? –Pergunta Leorio

-Como é?

-Para o festival de esporte da escola. É só um evento comum entre os alunos da escola, mas se você sair bem você tem mais chance de entrar em algum clube, já que você é novato e tal. E ainda pode participar do evento entre escolas que ocorre no verão.

-Então é só um evento para entrosar os alunos novos?

-Basicamente. Eu estou na equipe de natação e vou me escrever.

-Então eu irei também, sou novo aqui ainda não conheço ninguém, mas eu ate que nado bem.

-Leorio abre um sorriso de felicidade.

-Se eu for bem posso me juntar ao clube de natação?

-Mas é claro! Na verdade se você quiser algumas aulas particulares...

Isso é perigoso. Se eu ficar muito perto dele ele pode entender as minhas intenções erroneamente, porém, se eu ficar amigo dele poderei saber de mais detalhes de seu relacionamento, achar um ponto franco e arruinar o namoro para que ele fique junto de Kurapika... Arruinar um namoro só porque seu contratante quer? Senti falta desse lado egoísta das missões de Sisimunt, pode vim Leluch, não perderei pra Sisimunt nenhum.

Lucifer sorrir internamente. –Eu quero sim

XXX

Kurapika estava sentando na bancada da cozinha olhando a tela de seu celular.

Temos negócios para fazer na cidade onde você mora.

Iremos te visitar em breve.

Papai e mamãe

-Meus pais vêm me visitar!

XXX

Lucifer estava remexendo as coisas de Kurapika. Ele sabia que não devia, mas esse era um hábito muito feio que ele não conseguia deixar para trás.

-Vamos ver o que ele mais tem aqui. Oh! Outro álbum de fotografia. Será que tem mais fotos vergonhosas? Não, Lucifer, o Kurapika não gosta disso.

Lucifer atira o álbum no chão.

-Oh! O álbum caiu da minha mão sem querer, vou pegar.

O moreno, pega o álbum alegremente e aproveita para olhar as fotos, só que na primeira pagina havia uma inscrição que lhe chamou atenção.

- O golfinho dourado?

 


Notas Finais


Parece que o golfinho do titulo finalmente vai aparecer.
EHHHHHHH!
Se bem que ta na cara o que o golfinho é, mas dane-se vamos se fingir de desentendido.
Atá a próxima, espero que dessa vez seja antes do fim do ano, mas se não for, feliz ano novo antecipadamente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...