1. Spirit Fanfics >
  2. O Gosto da Carne >
  3. Se gostou, tem que repetir e continuar

História O Gosto da Carne - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 2 - Se gostou, tem que repetir e continuar


Fanfic / Fanfiction O Gosto da Carne - Capítulo 2 - Se gostou, tem que repetir e continuar

Após perceber que estava atrasado para um campeonato gamer, de fato, ele salta da cama e se veste. Nem ao menos se despede de sua amiga. Ele sai do quarto  sem fazer barulho e volta para casa. Débora acorda e percebe que Luck não estava mais lá, o que a deixa chateada.

Luck é gamer e agora, não é mais virgem. Durante as partidas que jogava, ele dava sorrisos bestas e ninguém entendia nada.

Terminou todo o processo e se destacou bem. MVP do campeonato, com direito a comemoração  em um prédio alugado pela coordenadoria do game. Na festa, ele encontra uma menina com uma aparência chamativa. Encara de baixo para cima e deixa claro que havia gostado do que viu.

A menina percebe por quem estava sendo babada a noite quase toda.

- Oi!

- Opa! Fala tu! - Disse ele cheio da moral.

- Gostou do que viu? - Perguntou dando uma leve volta, querendo que ele visse o que interessava.

- Claro, né? Tá mec, tá mec...

Ele não sabia lidar muito com as mulheres. Achava que todas iriam entender as gírias dos jogos. Mas a moça não ligou.

Os dois subiram para o andar de cima e entraram numa dispensa... Eles não eram os únicos lá. Outro casal já estava sem roupa e já dava para escutar os "ploc, ploc" da cena.

- Opa! Foi... Foi mal aí, cara! Não quis atrapalhar!  - Diz completamente sem graça. 

- Oxeeee! Entra aí... Podemos compartilhar do momento juntos. Topa? Tá mec? - O cara fala com a mão no pau e com a outra na banda esquerda da bunda de sua mina.

- Eu adoraria! - Disse a mina que estava com Luck, tirando seu vestido vermelho.

Luck não estava pronto para uma suruba, mas queria experimentar novamente o ato do sexo. Fica sem blusa, tira sua calça e parte para cima da menina. 

Ela pula na cintura dele e começa a beijá-lo. Ele encosta ela na parede e vai tirando sua cueca aos poucos. O casal que já estava lá continua o ato e os gemidos da moça ao lado fazia Luck sentir um pouco de vergonha, mas não demonstrava... Sem ser cuzão de novo.

A mina passa uma de suas pernas da cintura de Luck para seu ombro e depois a outra. Luck só tem uma visão: a boceta rosada e nua daquela moça. Ele não sabia muito o que fazer, mas já tinha visto antes por outros meios.

Vai com sua língua até a entrada da vagina e quando coloca lá dentro sente vontade de vomitar (A menina estava limpa, mas ele não era acostumado e homem o suficiente para executar um oral nela ainda). Ele tira sua língua de dentro e começa a lamber o grelo dela... Ele achou sem querer. Não eralá essas coisas o que ele fazia com a língua até então, mas foi até que agradável para a moça. Mesmo ele estando com nojinho de chupar uma vagina, ele tinha o que muitos homens querem: ele era dotado.

Seu pênis estava muito duro. A mulher ao lado quis partilhar e se arrumou com seu cara e ficou sendo bombada igual um saco de pancada por trás e começou a chupar o pau de Luck. A mina já estava lá em cima um bom tempo até que ele a desce e ela fica de quatro para Luck.

A mina ao lado começa a beijar a moça que estava com Luck e o cara fala:

- Manda ver, garoto! Vai fundo aí. - Dá um tapa na bunda de sua mina e vai fodendo ela, encarando Luck.

Tudo aquilo ele via pelos vídeos pornô que assistia, mas gostou de vivenciar.

Cuspiu a cabeça da pica e colocou para dentro. A mina gemeu alto. Encostou a cabeça no chão, colocou as duas mãos na bunda e apertou as duas bandas, demonstrando prazer. Luck pega suas mãos, a deixa sem apoio no chão e vai dando cada pirocada naquela mina sem dó. Parecia que ele já fazia aquilo há algum tempo.

Luck quis mais... Puxou o cabelo dela, enrolou na mão esquerda e com a outra ia batendo de forma violenta na raba daquela loira. As duas mulheres se beijavam, eles mudavam de posição, trocavam de par. Foi uma suruba foda. Luck se saiu bem. Sua segunda experiência sexual e já estava calibrado (O que é raro). Quando acabou, eles se vestiram e ela passou seu número para Luck.

Foram duas semanas de sexo contínuo. 14 dias sem parar. Horas e horas de foda, com direito a mordidas, tapas, arranhões, gemidos, gozo forte, xingamentos, safadeza com brinquedos. Ele até batia seu pau na cara dela e ela botava a língua para fora e pedia brutalidade.

Um dia ele foi transar com uma mina do ramo de games e ela tinha um chicote. Um presentinho que havia ganhado de sua tia.

Ele não estava nem aí para nada. Nem perguntava o nome das minas que ele comia. Raramente ele falava o dele (Só com as que ele mandava ou recebia mensagens).

Estava indo para casa da mina do chicote e passou pela casa de sua amiga. Ela o viu e pediu para ele entrar. Ele disse que estava apressado, mas o que ela queria era ser fodida e castigada igual um animal. Quis uma rapidinha com ele e o moleque aceitou. 

Só abaixou as calças, deu dois tapas na bunda dela e meteu nela por 15 minutos sem parar encima da mesa de centro da sala de estar. Ele metia com força sem perder o ritmo e a velocidade por 40 segundos seguidos e parava com a intensidade. Xingava ela, batia forte na bunda dela e continuava: mais 40 segundos de bomba no rabo de sua amiga, que gemia igual uma cadela. Ele a colocou de perna aberta para ele e ficou batendo na boceta dela com a cabeça do pau... Molhada ela pedia para ele não ter pena dela.

Ele para e diz:

- Que pena, nega! Tenho que ir... - Disse com uma cara de sarcasmo. 

- Agora? Tá tão bom... Fica! - Tentou seduzir o rapaz, abrindo e fechando suas pernas, com sua vagina molhada. Ela passa os dedos dentro dela e chupa o molhado na frente dele.

Mas ele precisava ir. Podia terminar depois. 

Saiu da casa de sua amiga, que, por acaso, estava puta com ele. Chegou um pouco atrasado à casa da mina. Chamou, mas ninguém atendeu. Chamou de novo... Nada. Decidiu ligar, mas ninguém atendeu. Pensou que a moça tivesse saído de última hora, aliás,  ela era menor de idade e morava com os pais. - E sim, os pais dela não sabiam do presente que ela tinha recebido de sua tia.

Sem saber o que havia acontecido ele vai embora e topa com sua amiga de novo, mas dessa vez ela não estava no clima. Raro isso.

Conversaram um pouco sobre muita coisa. Riram, contaram suas experiências um para o outro. Tudo tranquilo. 

Luck tinha só mais 3 semanas de férias. Coisa boa ou coisa pouca.

Volta para casa e recebe uma mensagem da menina do chicote.

"Ei, eu precisei sair com meus pais! Desculpa, mas vc pode vir aqui amanhã, se quier. Vou estar sozinha!"

Luck confirma sua presença e foda-se tudo. Ele queria transar e somente. No outro dia, ele vai até a casa da mina e tudo ocorre bem até o momento em que Luck faz algo meio que constrangedor: errou o que não devia ter errado, sem lubrificação, sem avisar... Sem querer. 

Essa mina dá um grito,  pois nunca havia dado seu orifício anal. Ainda mais para um cara que tinha um pênis de 20 centímetros duro, com uma cabeça que parecia gente. 

Ela, sentindo a dor não tão prazerosa, se joga para frente e fica falando "Ai, ai, ai, ai... Doeu, filho da [email protected]!"

Luck fica sem jeito e só pede desculpa. Leva sua língua até as partes dela e dá-lhe-a um beijo grego. A mina muda sua expressão na hora. Nunca tinha recebido e gostou demais. Tanto que acaba cedendo a outra entrada. 

Luck mede a cabeça devagar,  espera ela se acostumar e vai metendo lentamente. Ouvia cada gemido excitante da menina e quando estava dentro dela por completo, tirou seu pau de dentro e deixou só a cabeça. Ela começou a rebolar na cabeça dele e com uma de suas mãos ela faz ele penetrar novamente, só que com mais vontade. Ele bomba aquela mina com gosto... Tirava de um e botava no outro. Tirava e botava. 

Ele até deu uma risada safada quando começou a ouvir o barulho da boceta dela "cuspindo ". Foi top aquele dia.

Ele estava quase para gozar quando a mina jorra um jato de gozo nas pernas dele na hora que ele metia em seu ânus. Ele sentiu, mas continuou, pois era normal aquilo. Segundos depois ele goza dentro dela... Deixa seu pau lá dentro por uns instantes até a pulsação passar.

Satisfeitos,  os dois se deitam e ficam vegetando um ao lado do outro.

- Você precisa ir! - Disse eufórica e cansada.

- Affs... Ok! Vou me vestir.

Luck se veste, volta para casa e fica pensando na vida. Nas férias. Nos campeonatos... Coisas aleatórias. 

Na outra semana foi de novo foder a mina do chicote, mas dessa vez ela quis usar seu amiguinho nas costas de Luck. Na hora do "papai e mamãe " ela soltava cada chicotada em suas costas que ele mordia os lábios e gemia. Nesse dia,  ela teve orgasmos múltiplos e ele foi até o 4°round. Depois de foder, de morder, de ser usado, de usar, depois que fez a mina dizer "Chega... Espera um pouco! Vai devagar. Está doendo", ele se sentiu o caranhão. O fodão e tals. Estava, definitivamente, viciado em sexo.

Que vício mais prazeroso, né? 


Notas Finais


Espero que tenham gostado. O terceiro e último capítulo sai em breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...