História O Guardião - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Alex, Escarlate, Flash, Guardião, Henry, James, John, Justiceiro, Kid, Lana, Lex, Luke, Luthor, Multiverso, Olsen, Pensador, Power, Razer, Reverso, Supergirl, Superman, Terra, Velocista, Voe, Zoom
Visualizações 2
Palavras 1.050
Terminada Não
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Essa história vai marcar uma nova etapa para o universo dos Power Razers, eu remodelei a história por completo para deixa-lá mais emocionante, espero que Realmente gostem das Mudanças.

Capítulo 1 - O que são "Pais"?


Meu Nome é John Voe, e eu sou aquele que chamam de O Guardião, neste momento eu estou prestes á ter uma batalha contra o meu Maior Inimigo, e eu vejo como se fosse minha última luta, como se eu fosse acabar por alí, me deixei ser obcecado pelo instinto de vingança, e agora? o que eu faço. Eu decidi deixar minha história de vida neste caderno, para que todos saibam quem eu realmente era, não apenas um Justiceiro, mas uma pessoa com sentimentos, uma pessoa destruída, uma pessoa em que a tristeza reina, uma pessoa indefesa. Antes de eu me tornar O Guardião, eu passei por coisas difíceis, coisas que nem todo Ser Humano conhece.
Quando eu era uma criança, e meus pais ainda estavam vivos, eu era a pessoa mais feliz do mundo, meus pais me davam tanto carinho que eu não conseguia retribuir direito, eu tinha tantos brinquedos, tantas coisas, tanto entretenimento, mas meus pais não tinham tanto dinheiro, mas mesmo assim eles me davam tudo o que podiam, e até mais. Em um dia, nós tinhamos acabado de sair do cinema, tinhamos visto um Filme de ação muito legal, estava tudo normal no caminho, porém poucos passos antes de chegar em casa, fomos rendidos por bandidos, que só queriam o dinheiro. Meus pais deram o dinheiro sem demora, porém era pouco, e eles acabaram matando meus pais por coisas idiotas, foi um trauma que não consegui esquecer. Eu não tinha mais família, eu não tinha tios, avôs, meus familiares não me queriam, então meu destino apartir daquele dia seguiu para um orfanato, aonde lá, me batiam, me xingavam, não me respeitavam, mas a única pessoa que me ajudava era uma das Tias do orfanato, Sara ela se chamava, aquele sorriso resplandecente, que deixava meu coração alegre, aquele sentimento de ajuda que ela passava para mim, eu realmente gostava dela.

Mas isso não durou muito tempo, ela saiu do orfanato 2 meses depois que eu entrei, ela era a única pessoa que cuidava de mim, agora, naquele momento eu estava sozinho. Passaram-se 3 anos, com brigas, machucados, eu era chamado de Saco de Pancadas, pois todos vinham bater em mim, pois eu era muito fraco. Ninguém me adotava, pois me achavam muito mimado e indefeso para criar, eu era muito rejeitado por todas as pessoas, mas, um belo dia, a Sara, a Ex-Tia do Orfanato me adotou, eu fiquei super feliz, ela também ficou Milionária pelo tempo que passou, e agora ela podia me dar uma vida digna de uma criança, e eu saltitava de alegria. Na casa aonde agora nós iríamos morar, era um paraíso, Videogames de Qualidade, Brinquedos ótimos, eu estava muito alegre, também tinha um Mordomo que dava qualquer coisa que eu pedisse.
Depois disso, eu tinha tudo do bom e do melhor, já não era mais triste, não lembrava da morte dos meus pais, agora eu só vivia, e isso não me impedia de viver mais ainda. Eu estudava em uma das melhores escolas da Região, eu era muito inteligente, que ninguém acreditava nisso, só a Sara. A Sara foi a pessoa que me reviveu, literalmente, eu nunca gostaria de perdê-la. Tempos depois ela se apaixonou e trouxe um cara para viver com ela, eles se casaram e até me deram um irmão, mesmo eu não gostando dele tive que cuidar daquele idiota, agora a minha vida não era tão boa quanto antes, mas pelo menos eu estava com a Sara, e isso me deixava alegre.

Catástrofes, se tornou algo frequente na minha vida, pois o mesmo cenário, as mesmas coisas e os mesmos sentimentos voltaram. Saída de um Cinema, conversa até em casa sobre o Filme de Ação, passos perto da Casa, e logo chegou bandidos para roubar os pertences, porém eu pensei, eles queriam dinheiro, e nós tinhamos muito, ou seja que eles não matariam meus pais novamente, mas eu pensei errado, e a Sara, foi embora, os Bandidos apenas deixaram eu e o Idiota do meu irmão vivo... Agora só restava eu ir para um orfanato novamente.
Mas, eu não queria voltar para aquele lugar, mesmo sem meus pais, eu poderia me cuidar sozinho, porém isso foi inútil, pois me colocaram devolta para aquele inferno. Eu deveria cuidar do meu irmão, mas ele era pequeno demais, e ficava em um setor diferente do meu, mas ao menos ficava seguro. Eu não aguentava mais aquilo, me batiam mais do que antes, faziam coisas comigo que eu não desejaria para mais ninguém, foi aí que eu pensei: Meu irmão estava seguro, e ele ficaria por alí por pouco tempo, pois como ele era pequeno ainda, seria facilmente adotado, já eu não, eu decidi fugir do Orfanato.

Não darei detalhes do ocorrido, pois nem eu mesmo me lembro ou me orgulho disso, mas eu me salvei de tudo, mas eu já estava cansado de perder tudo o que eu amo, eu não queria mais aquilo. Eu fui á procura do Mordomo que cuidava de mim, pedi ajuda a ele, generoso ele era e quis me ajudar. Por exatamente 3 anos, eu me isolei do mundo, de tudo, para nunca mais lembrar do que aconteceu no passado, mas ainda eu estava com sede de vingança, queria matar os assassinos dos meus pais a qualquer custo. Nesse tempo que me isolei, eu fui incentivado á treinar todo o tipo de Artes Marciais com o Mordomo, para que eu pudesse me defender de tudo, ele me ensinou a manusear armas, espadas, facas, para que eu me tornasse um Assassino, porém, bem no fundo do meu coração, eu não queria isso.
Quando voltei para o Mundo, não sabia o que fazer, tudo era diferente, as pessoas eram diferente, Eu era diferente. Sem esperar eu já entrei para a Polícia, a fim de encontrar quem matou meus pais, fiquei exatamente 8 anos procurando, investigando, espionando, tudo o que fosse relacionado aos assassinatos dos meus pais, e finalmente, eu consegui encontrar, eu sabia quem era a pessoa que matou meus pais, porém o estranho era que, a mesma pessoa matou meus pais duas vezes, ou seja, o assassinato não foi nenhuma má sorte, e nem coincidência, alguém estava por trás disso, alguém não queria meus pais no caminho, mas a pergunta de um milhão de doláres era, POR QUE?


Notas Finais


Porque a mesma pessoa matou os pais de John Voe, quem está por trás disso, e Por que matou os pais dele, veja tudo isso e mais no Próximo Capítulo de O Guardião


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...