1. Spirit Fanfics >
  2. O Guardião da Floresta >
  3. Tolkien

História O Guardião da Floresta - Capítulo 25


Escrita por:


Notas do Autor


Antes de mais nada, pra quem está lendo esse cap e já leu os outros, se quiser, dá uma olhadinha nos caps anteriores, eu fiz umas capinhas bem tops.

Para quem já está lendo desde antes e viu as capas, aproveitem esse belo cap.

Sem mais delongas, tenham uma ótima leitura. ^^

Desculpe a demora galerous

Capítulo 25 - Tolkien


Fanfic / Fanfiction O Guardião da Floresta - Capítulo 25 - Tolkien

Kyrian

 

- Vamos ter que nos dividir para procura-lo.- Falei enquanto saía de cima do Tyler.

 

- Quem vai com quem?- Syrius indagou.

 

- Eu vou com a Kyrian.- Tyler e Lin disseram ao mesmo tempo.- Não, eu vou, você não vai.- Eles não paravam e se encaravam com um ódio evidente.

 

- Chega, se vão ficar de palhaçada, eu vou com o Syrius. Vamos.- Segurei sua mão e comecei a puxa-lo junto comigo.

 

- Como é?- Tyler perguntou.

 

- É isso mesmo que você ouviu, você vai com a Lin e pronto.- O olhei mortalmente, fazendo o mesmo se calar.- Ótimo, vou indo.- Parti em direção à um caminho que estava cheio de mercadores, quando olhei para trás, eles foram com a cara emburrada para o outro caminho, onde tinham mais pessoas brigando? Achei melhor deixar pra lá.

 

Por fim, soltei a mão de Syrius e continuamos nosso trajeto tranquilamente.

 

- Eles dois parecem crianças.- Comecei a olhar em volta, verificando se o nosso alvo estava por perto.

 

- Se é por causa de você, acho justo eles agirem assim.- Syrius riu.

 

- Por que?- Eu o encarei.

 

- Você é especial pra gente, Kyrian, seu jeito de ser, a forma que você nos trata, nos faz sempre querer está com você.- Ele disse sorrindo.

 

- Eu não penso assim.- Sussurrei achando que ele não ouviria.

 

- Por que não?- Ele me encarou com seus olhos esverdeados. Esqueci que ele podia me ouvir.

 

- Ah.- Fiquei sem reação.- Antes eu era uma pessoa bem mais impulsiva e que apenas pensava em vingança, como podem querer ficar perto de alguém assim?- Permaneci olhando pra frente, distraída.

 

- Como você mesma disse, antes. Você não sente que mudou agora? Depois de tudo que possa ter acontecido?- Ele perguntou.

 

Será mesmo? Se bem que, parando para pensar, ele está certo, quando eu comecei a conhecer novas pessoas, eu esquecia do meu verdadeiro objetivo, é como se eu estivesse vivendo uma vida cheia de adrenalina e emoções.

 

- Tem razão.- Suspirei profundamente.- Devo concordar com você.- Olhei para ele e sorri.

 

- Que bom que pensa assim.- Ele também sorriu.

 

Quando estávamos andando ainda, alguém é jogado para fora de um bar e cai no chão, ficando todo sujo de lama. Era um homem ruivo, seus cabelos iam até o pescoço, era meio barbudo, e tinha olhos verdes. Ele parecia meio familiar para mim.

 

Syrius e eu paramos na hora e eu observei quem poderia ser essa pessoa. 

 

Foi quando eu me lembrei da folha de procurado que a Rainha me entregou, eu peguei na mesma hora, tentando associar.

 

E eu estava certa, era ele mesmo, Kith, o ladino mais famoso.

 

- Ei, você.- Fui andando em sua direção.

 

- Kyrian.- Syrius sussurrou. Eu apenas fiz um movimento com as mãos para ele permanecer quieto.

 

- O que quer?- O homem se levantava e começava a se limpar tranquilamente.

 

- Qual o seu nome?- Perguntei para ser logo breve com o mesmo.

 

- E isso te interessa?- Ele arqueou a sobrancelha.

 

- Sim, me interessa e muito.- Falei rispidamente.

 

- Azar é o seu, docinho.- Ele se virou para ir embora. Ele pensa que vou deixa-lo ir assim tão facilmente? Ele está muito enganado.

 

- Escuta aqui.- Segurei seu braço, impedindo o mesmo de ir.

 

Só que o que aconteceu aqui se tornou tudo bem mais estranho do que deveria. Um brilho começou a nos envolver, a partir do momento em que eu o toquei. E logo após isso, o brilhou ficou tão forte que fez uma pequena explosão, nos jogando no chão em lados opostos.

 

- Kyrian!- Syrius correu em minha direção e se agachou para me ajudar a levantar.- O que foi isso? Você está bem?

 

- Eu não faço ideia.- Eu falei já em pé, só que eu estava me sentindo tonta.- Minha mente está uma bagunça. 

 

- Uma bagunça? Como assim?

 

- Lembranças que eu nunca tive, assim como as suas, estão vindo mais fortes.- Pus a mão na cabeça porque ela começou a latejar fortemente.

 

Lembranças do meu tio com um garoto, esse garoto ruivo e eu bricando juntos por um momento. Por que isso de repente?

 

- Que merda.- Kith praguejou enquanto se levantava mais uma vez e se limpava. Quando ele olhou para mim, seus olhos foram se arregalando, enquanto eu não estava entendendo nada.

 

- Por que está me encarando assim?- Falei com os olhos semicerrados, por causa da dor.

 

- Eu apenas não consigo acreditar que finalmente estou te vendo depois de longos anos. Na verdade, desde a infância.- Kith disse se aproximando.

 

- Que papo é esse que você está falando?- Eu não conseguia entender nada.- Não chegue perto.- Ele me ignorou totalmente, pois continuava andando.

 

- Você não a ouviu?- Syrius disse enquanto me segurava ainda.

 

- Eu a ouvi sim, meu rapaz.- Ele olhou para o Syrius.- Só o que eu tenho a dizer, já que ela ainda não se lembrou pelo visto, a deixará bem perplexa.

 

- O que quer dizer? Diga logo de uma vez.- Falei entre dentes. Por que ele estaria no meu passado? Eu nem o conheço.

 

- Bom.- Ele começou.- Devo dizer que nós somos irmãos.- Ele somente falou isso.

 

- O que? Não pode ser possível, eu nem te conheço.- Falei em choque.

 

- Creio eu que possa ser.- Ele deu um sorriso ladino.- Então, irmã. Que tal batermos um papinho sobre isso?

 

~~•~~

 

Tyler

 

- Certo, por onde devemos começar a procurar?- Questionei olhando em volta.

 

- Invadimos as casas e procuramos. Também tem os bares, que muitos vão para lá.- Lin comentou.

 

- Espera, invadir casas? Não precisa disso.

 

- Tem ideia melhor?- Ela me olhou com ódio.

 

- Olhamos os bares como você disse, simples e prático.- Falei.

 

- O tigrinho é todo certinho pelo jeito, não é?- Ela debochou.

 

Nessa hora eu preferi ficar quieto, pois eu me lembrei do passado.

 

- O que houve?- Seu semblante passou para preocupada e curiosa.

 

- Uma amiga minha, no passado, vivia me chamando de tigrinho, na verdade ela berrava, e sempre ia para cima de mim, me abraçando. Faz tanto tempo, que nem parece.- Eu disse cabisbaixo.

 

- E porque vocês não se viram mais?- Ela perguntou.

 

- Porque eu decidi procurar a Kyrian, logo após de toda a desgraça que aconteceu. Devo dizer minha quase morte.- Eu ri.

 

- Como você pode rir falando de algo assim?- Ela me olhou confusa.

 

- Olha, Lin.- Eu parei de andar e ela fez o mesmo. Eu fiquei de frente para ela e a encarei.- Não sei se a Kyrian te contou tudo, então não sou eu quem devo dizer, mas ela sofreu muito no passado, e nem foi pelo caso dela ser uma híbrido, pois nem ela sabia. Então, apesar da Kyrian ter tentado me matar, apesar dela ter tentado ferir não só os meus amigos, como os dela, eu não posso simplesmente deixar meus sentimentos de tristeza e mágoa, piorarem dentro mim. Até porque nem foi culpa dela, de fato. E tanto que eu finalmente a encontrei, e tem sido a melhor coisa desde o 7 anos que se passaram.- Disse por fim.

 

- Caramba, não imaginava isso tudo.- Lin parecia perdida em pensamentos, mas tornou a falar: - Ela já me contou que passou por certas situações no passado, mas não tudo. Sinto que não a conheço o suficiente.

 

- Às vezes nem eu. Desde que ela morreu, ela acabou mudando.- Falei distraído.

 

- Como assim morreu?- Lin me encarou espantada.

 

- Ah.- Percebi o que eu tinha dito.- Ela foi morta e ressuscitada, então ela mudou muito drasticamente na hora, como se estivesse...

 

- ...enfeitiçada.- Ela completou. Eu franzi minhas sobrancelhas, não entendendo como ela sabia e ela notando isso, decidiu continuar.- Minhas habilidades podem enganar tanto os inimigos como criar ilusões para eles, como se eu estivesse os enfeitiçando, entende?

 

- Sim, eu entendo.- Disse por fim.- Bom, ainda vamos ter o momento sobre falar o passado com calma quando estivermos reunidos. Seria uma boa, não é?

 

- Confesso que eu ia gostar desse momento, conhecerei mais sobre ela...e você.- Ela me olhou e sorriu em linha rita.

 

- Digo o mesmo de você.- Sorri.

 

Continuamos o nosso trajeto, entrando em bares e verificando se havia um homem ruivo com olhos verdes aqui, se eu apenas soubesse seu cheiro, ia ser muito mais fácil. Quando saímos de mais um bar e permanecemos em um trajeto, alguns caras aparecem no cercando.

 

- Quem diabos são eles?- Perguntei. Lin e eu paramos na mesma hora.

 

- Se não é maldita da Lin, ainda tem a audácia de voltar para está cidade.- Um dos caras falou. Ele era forte, tinha cabelos albinos que iam até o ombro, um olho azul, porque o outro tinha uma forte cicatriz no mesmo, deixando branco. Suas feições eram bem sérias e ele era barbudo. Seus trajes eram bem pesados que consistia em um sobretudo, um lenço verde em no pescoço, uma blusa branca e calças cinzas, com as botas pretas.

 

- Ela acha que só porque fez aquilo no passado, continua se achando.- Um outro homem disse. Seus cabelos eram loiros e ele tinha olhos azuis, porém usava um tapa olho. Agora todos eles tem algum problema no olho? Não é possível. Ele usava uma armadura enferrujada e roupa de pele por cima. 

 

Eu conseguia ver o olhar de arrogância no mesmo instante. Já é evidente que não prestam.

 

E havia mais um deles, contudo ele estava mais quieto que os outros. Ele usava uma blusa preta, uma jaqueta de couro surrada, calça jeans e botas de cano médio. Tinha uma espada em suas costas, que estava embainhada.

 

Era só o que me faltava, pessoas para nos atrapalharem.

 

- Vocês querem sofrer mais um pouco? Aquele dia já não bastaram para vocês?- Lin riu de deboche. Depois ela me encarou e percebeu meu olhar de confusão.- Quando eu disse que enganava as pessoas, era sério. Esses caras aqui, eu conseguia saber quem eles mais amam ou odeiam, o que seja, e me materializo nessa pessoa, sendo a cópia perfeita.

 

- Então você usou isso contra eles?- Perguntei.

 

- Claro, eles só fazem merda, não vi outra razão de não fazer isso.- Ela cruzou os braços, sabendo que estava certa.

 

- Se você diz.- Falei.

 

- Não conversem como se não estivéssemos aqui, e Lin.- O loirinho apontou para ela.- Você se arrependerá de ter voltado.

 

- Isso é o que veremos, Lafhal.- Ela sorriu de uma forma sombria, me dando calafrios.

 

De repente, ela sumiu do meu lado, me fazendo questionar para aonde ela poderia está. Como ela pode ter sumido tão rápido? E então, ela aparece atrás desse tal Lafhal, e dá um chute bem forte, fazendo ele cair.

 

- Pense bem antes de falar qualquer besteira para mim, seu fedelho.- Ela colocou o pé dela na cabeça dele, quando ia fazer força, o garoto que tem a espada, fez um movimento para cima dela, fazendo com que ela se afastasse na mesma hora.

 

- Não pense em ficar nos subestimando assim, que é pior para você.- O cara mais velho entre eles, o albino, comentou.

 

- Lykos, meu querido. Não acha isso tudo totalmente desnecessário, você pode continuar vivendo sua vida e eu a minha, fim de papo.- Lin gesticulou.

 

- Não.- Ele disse rispidamente.- Eu quero minha vingança contra você e é o que eu terei.- Ele disse pegando seu machado que estava preso em sua cintura.

 

- Foi você quem pediu isso.- Ela deu de ombros. E uma luta intensa começaram entre os dois, dava para ver que o velhote era bom de luta. 

 

Lafhal querendo aproveitar esse momento de distração por parte dela, tentou correr em sua direção com uma espada que ele criou. Então ele é mago. 

 

Mais ele só vai feri-la se passar por mim. 

 

Eu corri junto com ele e segurei seu punho com bastante força, ficando de costas para a Lin.

 

- Valeu, tigrinho.- Ela agradece enquanto Lykos fazia força com o seu machado.- Já disse para você desistir, que saco.- Foi quando ela se transformou e virou uma mulher morena, com seus cabelos negros e pele morena, usando um vestido cinza, porém todo ensanguentado.

 

O que ela vai fazer?

 

- Não se distraia, "tigrinho". Estou na sua frente.- Lafhal continuava avançando, querendo acertar a espada em mim.

 

- Você não ouse me chamar assim.- Eu o encarei seriamente, apertando seu punho com mais força, ouvindo ele arquejar de dor. Após isso, eu o lancei longe, até o momento que ele bateu na parede de uma casa mais próxima.

 

Quando eu olhei para a Lin novamente, não conseguia reagir, ela parecia linda, mas ao mesmo tempo destruída. O vestido em frangalhos, a maquiagem borrada, mas ainda assim, estava bonita.

 

- Meu amor, por que continua fazendo isso? Pare com isso, não vê o sofrimento que está causando?- Ela falou para o homem albino.

 

A voz dela mudou também. Tudo nela mudou. Ela simplesmente era uma outra pessoa.

 

- Eu não queria fazer isso.- Lykos parou de atacar a Lin e se ajoelhou no chão, com a sua face derramando lágrimas sem parar.

 

O que está acontecendo aqui?

 

- Então por que você simplesmente não viva a sua vida? Se torna uma pessoa melhor?- Ela se ajoelhou e colocou suas mãos em seus ombros.

 

- Não adianta eu querer me tornar alguém melhor, depois de todas as besteiras que eu fiz no passado.- Ele colocou a mão no rosto molhado pelas lágrimas.

 

- Sempre haverá uma chance para tudo, pense nisso.- Ela pôs sua mão acima da dele, retirando do rosto, para logo em seguida limpar suas lágrimas.

 

- Está bem, minha amada. Me perdoe.

 

- Claro.- Ela sorriu.

 

Eu estava tão aturdido pelo que estava acontecendo bem na minha frente, que eu não notei aquele garoto que estava quieto o tempo todo, indo na direção dela. Quando eu tentei impedir, dessa vez tinha sido tarde demais.

 

Ele tinha fincado a espada nela, mas eu consegui ao menos não deixar enfia-la por completo. Ela cuspiu sangue e foi voltando para aparência anterior. Eu me transformei e ataquei o garoto, que tentava desviar, todavia, teve um breve momento que eu o arranhei fortemente no rosto, fazendo ele gemer de dor.

 

Eu vi Lykos voltando ao normal, mas se sentindo perdido. Voltei a forma normal, peguei a Lin no colo, que estava desmaiada e corri para longe daquele lugar.

 

- Merda.- Olhei para trás e não vi ninguém, quando olhei para frente, o garoto estava na nossa frente, pronto para nos machucar.

 

A diferença é que eu sou mais ágil que ele. 

 

Dei um salto incrível, conseguindo chegar no telhado e continuei a correr. Respirei fundo para sentir o cheiro de Kyrian, e depois de um tempo consegui sentir. Olhei para a Lin e ela não respirava tão bem quanto deveria.

 

- Aguenta, por favor.- Eu corria mais e mais. Até que eu avistei o Syrius, a Kyrian e um homem ruivo. 

 

Espera. Era o tal de Kith ali? Concentra, Tyler. Faça perguntas depois.

 

- Gente, me ajudem.- Eu gritei enquanto chegava.

 

- Tyler, o que houve? Meu deus, Lin.- Kyrian veio correndo em nossa direção desesperada.

 

- Consegue ajudar ela? Depois eu explico tudo. Também quero saber sobre ele.- Acenei na direção do ruivo que me encarava indiferente.

 

- Claro. Ponha ela no chão.- Foi o que eu fiz, a deitei levemente e só vi a Kyrian agindo, começando a cura-la, e pensar que ela tem tais habilidades, incrível.

 

- Syrius.

 

- Sim?

 

- Tem gente que estava nos seguindo, então precisarei de toda a sua ajuda. E você também ruivinho.

 

- Claro, claro. Tanto faz.

 

Eu conseguia sentir o cheiro deles, que não eram os melhores. Quando eu me virei, lá estavam eles, com as armas em suas mãos, prontos para nos atacar.

 

- Nós ainda não terminamos.- Lykos falou.

 

- Você se arrependerá de ter vindo aqui.- Falei fazendo minhas garras surgirem.

 

- Vamos descobrir se eu me arrependerei de fato.

 

- Tente a sorte então.

 

É agora ou nunca. Se não batermos de frente, teremos que sempre fugir. Como não temos escolha, que assim seja.

 

- Prepare-se para a sua derrota.- Sorri de forma perversa.

 

Que a batalha comece.

 

~~•~~

 

 

 


Notas Finais


É isso pessoal, já estou em breve fazendo o próximo cap, quero adiantar o máximo e não deixar vocês esperando tanto hehe.

Até a próxima gente
Kissus de Morango <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...