1. Spirit Fanfics >
  2. O guerreiro e o Herói >
  3. O herói e o guerreiro e a formatura

História O guerreiro e o Herói - Capítulo 29


Escrita por:


Capítulo 29 - O herói e o guerreiro e a formatura


A formatura chegou e o discurso de Momo emocionou os familiares presentes. Os jovens super-heróis estavam sentados em suas cadeiras no palco, enquanto cada um era chamado para receber o canudo do diploma. A banda da escola tocava uma música animada e todos batiam palmas quando alguém acenava animado com o canudo na mão.

Midoriya olhou na plateia, em busca de sua mãe. Inko estava na segunda fileira, com um lenço limpando as lágrimas. Ele sorriu na direção dela, feliz por tê-la presente. Outros rostos familiares compunham o público. Enquanto não era chamado, Izuku viu Katsuki sentado ao fundo da plateia, ao lado de seu pai. O coração dele saltou em batidas eufóricas, o sorriso foi inevitável, assim como a lembrança de que aquele era o último dia de Katsuki em seu mundo.

— Midoriya Izuku, codinome DEKU. — Anunciou Present Mic, com sua voz contagiante. Quem lhe entregou o canudo foi All Might, recebendo um abraço em seguida do seu super-herói favorito.

— Parabéns, jovem Midoriya, esse é o primeiro dia de uma longa jornada que se iniciou. Como se sente?

— Muito feliz. — Respondeu, sincero. Era verdade, ele estava feliz porque uma etapa de sua vida havia conseguido conquistar. O rapaz sem poderes e que achou nunca poder proteger as pessoas, agora se formava em uma das melhores escolas do país.

Izuku passou por muitas situações desde então, não era hora de desistir ou ficar triste. Ele possuía um futuro ao qual sonho desde pequeno. Era o momento para mostrar que All Might havia escolhido o sucesso certo, ele havia recebido a dádiva de carregar um poder incrível. E o mundo merecia alguém que fizesse jus aquele poder.

Assim que desceu do palco, juntou-se com os outros colegas e eles comemoraram jogando os chapéus para o alto, tirando várias fotografias em seguida. Sua mãe se aproximou, emocionada pela cerimônia. Ela o abraçou com força, dando parabéns e se desculpando por todas as vezes em que deixou de apoiar ele, pois seu coração tinha medo de perdê-lo.

— Você é a única coisa que me resta, filho. — Inko acariciou o rosto do filho, respirando fundo. — Eu prometo que serei uma mãe mais compreensiva, agora que é um super-herói formado, haverá muitos perigos para enfrentar. Só que eu sei que você é forte o bastante para lidar com qualquer vilão.

Aquilo era tudo o que Midoriya queria ouvir de sua mãe. A confiança dela na pessoa que ele se tornou o dava mais força.

***

A festa da formatura seria logo mais a noite. Midoriya teria que organizar sua mudança para a agência de Hawks. Como o apartamento de sua mãe ficava em outro distrito, ele precisaria de um tempo para se estabelecer e comprar um apartamento. Ainda era cedo, sequer possuía dinheiro para isso. Mas a agência possuía quartos grandes que davam para facilmente se tornar um estúdio para um rapaz solteiro.

Depois que embalou todos os seus objetos e fez as malas, ele olhou ao redor daquele quarto que foi seu por três anos.

— Deku-kun, o caminhão de mudanças logo vai chegar, já está tudo pronto? — Uraraka entrou no quarto, pedindo desculpas em seguida por tê-lo assustado.

— Já vou levar as caixas e as malas, está faltando apenas os pôsteres. — Deku mexeu nos cabelos e passou a mão no pescoço.

— Tudo bem, posso ajudar se quiser.

Eles tiraram com cuidado os pôsteres das paredes e enrolaram para guardar dentro do tubo telescópico, onde ficariam protegidos. Assim que terminou de colocar as caixas do lado de fora do prédio, Midoriya retornou para verificar se havia esquecido mais alguma coisa.

Ele pegou a mala de rodinhas e puxou, fechando a porta do quarto, encontrando-se com Bakugo no corredor.

— Kacchan, achei que você já havia se mudado. — Ele falou, parando ao lado do colega. Alguns haviam aproveitado para se mudarem logo no começo da semana, outros esperaram até aquele dia.

— Vim ajudar Kirishima. — Ele disse, mostrando a fita adesiva na sua mão. — O caminhão já chegou, mas ainda tem que arrumar umas coisas.

— Vou pedir para ele esperar. — Izuku disse, puxando a mala.

— Espera. — Bakugo virou-se e deu um longo suspiro. — Aquele cara vai embora hoje, não é?

— Ah! Katsuki? Sim, é hoje. — Midoriya ajeitou a alça da bolsa no ombro. Desde que Bakugo retornou, eles não tiveram uma conversa a sós sobre o que havia acontecido. Os sentimentos de Izuku não era um problema para ele resolver, mas estava claro o clima que ficava no ar quando os quatro estavam no mesmo ambiente.

— Qual é a desse cara?

— Como? — Izuku perguntou, sem entender.

— Você anda com ele por aí de mãos dadas e todo mundo fala que estão namorando. — Bakugo era um pouco enérgico em seu tom de voz, mas não incomodava Izuku.

Ele riu, o que deixou o loiro irritado.

— É, mais ou menos isso. — Respondeu, pensando no que dizer. — Sabe, eu gosto dele.

— Jura? — Bakugo revirou os olhos. — Você gosta dele porque ele é parecido comigo ou o que?

Izuku riu novamente.

— Kacchan, você está mesmo curioso sobre meus sentimentos? — Midoriya achou graça nas bochechas avermelhadas do amigo, que virou irritado.

— Não seja idiota, eu não to nem aí para o que você sente. — Bakugo gargalhou, mas aquela risada não impressionava mais Izuku. — Kirishima me disse uma coisa que me deixou incomodado.

— Ah! O que foi?

— Ele disse que você já gostava de mim antes desse cara aparecer.

Izuku sorriu, balançando a cabeça. Aquele sentimento parecia que havia sido há anos.

— Eu gostava sim. — Ele ergueu os olhos na direção de Bakugo, que estava surpreso com a revelação. — Quando estagiamos na agência do pai do Todoroki-kun, eu descobri que gostava de você mais do que como amigo.

— Que história é essa?

— Mas você e Kirishima estavam sempre juntos, eu pensei que não seria certo falar. Então acabei escondendo isso. Quando conheci o Katsuki, eu pensei que gostava dele porque ele tinha a sua aparência. Mas... — Izuku sorriu levemente, recordando-se da primeira vez que recebeu um beijo do guerreiro. — Eu o conheci melhor e vi que eram completamente diferentes, me apaixonei pela pessoa que ele é, não pela aparência.

— Que coisa complicada. — Bakugo moveu a cabeça.

— Eu também acho. — Midoriya ouviu a buzina do caminhão. — Precisamos nos apressar.

Ele disse, voltando a carregar a mala, enquanto Bakugo ia ajudar Kirishima.

Ao deixar o prédio, Midoriya sentia-se muito mais leve, aquela conversa foi como fechar um ciclo em sua vida. Agora, precisava fechar um novo ciclo, para iniciar sua nova fase.

O quarto na agência de Hawks era grade o suficiente para que Midoriya pudesse organizar todos os seus pertences. Ainda havia uma pequena cozinha, banheiro e uma varanda com uma cadeira.

— Com um bom projeto de design, você vai se sentir em casa. — Hawks comentou, apertando as mãos nos ombros de Midoirya. — Eu tô achando essa sua cara deprimente demais para quem acabou de ganhar um teto para viver de graça. — Ele disse, sorridente e sentou-se em cima da bancada que dividia o ambiente com a cozinha.

— Me desculpe, sério, eu estou muito feliz. — Izuku abriu as portas da varanda. — Não sei nem o que dizer, você vem me ajudado bastante e eu só tenho a agradecer as pessoas.

— Mas...

— O que?

— Sempre tem um “mas”, garoto, eu não sou assim tão mais velho que você para ter esquecido como é ter um coração. — Hawks pulou da bancada e caminhou até ele. — Talvez velhos como Endeavor não tenha mais um coração, mas eu ainda sei como é se sentir dividido.

— Você é muito bom em esconder esses sentimentos, não é?

— Com certeza, fui treinado desde a infância para não demonstrar fraqueza e emoções. Entretanto, isso não quer dizer que eu as eliminei do meu coração. — As asas de Hawks se abriram levemente quando a brisa entrou pela porta da varanda e as penas moveram-se um pouquinho.

— Você soube sobre o pai do Katsuki, não é? Os poderes instáveis dele.

— Sim, eu soube. Vocês provavelmente estavam pensando em manter um relacionamento a distância, não é? — Hawks cruzou os braços e sorriu.

— Não chegamos a planejar isso propriamente, mas eu não vou mentir que pensei sim.

— É claro que pensou, mas vocês não foram os únicos que pensaram em como ajudar Masaru a recuperar seus poderes.

— Não?

Hawks inclinou a cabeça.

— Garoto, ainda bem que você é bonito e forte, porque as vezes é muito ingênuo. — Hawks se virou e Izuku foi atrás dele, queria saber sobre o que o herói falava quanto ao poder de Masaru.

***

 A primeira coisa que Katsuki fez naquela manhã, foi vestir suas roupas novamente. A calça de algodão feita pela avó, as botas de couro, seus colares e a capa vermelha. Pegou a espada e a embainhou na cintura. Estava pronto para retornar para casa. Pelo menos era o que a razão lhe dizia.

Os alunos estavam de mudança e ele não queria ser um estorvo naquele momento, deixou-os entre amigos e ficou com o pai após a formatura. Pela noite, disseram que haveria uma festa, e em seguida ele iria embora com a ajuda do amplificador de poderes que a escola projetou para que seu pai pudesse criar um portal sem problemas.

O local da festa era um salão da escola, estava enfeitado e muitas luzes piscavam por todos os lados. Katsuki ainda não havia se acostumado com todo aquele colorido. Mais a frente, encontrou-se com alguns dos amigos que fez. Kaminari e Sero estavam conversando com Bakugo e Kirishima. Apesar do clima estranho que ele sempre sentia quando estava perto do rapaz loiro, não se incomodou em dividir alguns minutos com os amigos, falando sobre as coisas que mais gostou naquele mundo.

Sua atenção voltou-se para Deku, quando ele entrou no salão vestindo uma roupa bem diferente do que estava acostumado a ver. Parecia alguém importante da realeza. Eles se encontraram no meio do salão e então Deku estendeu a mão para ele, que aceitou, começando a dançar.

— Você fica muito bem com essa capa vermelha. — Deku o elogiou. — Não tenho do que reclamar, pelo menos não quando eu olho seu abdome. — Ele falou, próximo do ouvido de Katsuki.

— É muito quente de onde venho, lá não precisamos dessas formalidades.

— Você quer dizer roupas?

— Isso mesmo. — Katsuki o envolveu em seus braços, ignorando as pessoas ao redor. — Você é a pessoa mais bonita nesse lugar.

— Tem certeza? — Deku inclinou a cabeça e apoiou o queixo no ombro dele. — Já viu como as garotas estão bonitas?

— Sim, eu reparei, mas nenhuma delas é você. — Katsuki levou a mão ao rosto de Deku e alisou os lábios dele. — Queria te beijar.

— Você pode me beijar. — Deku disse, dando um leve beijo nos dedos dele.

Os lábios se encostaram com leveza e o beijo terminou quando as pessoas aplaudiram a banda que havia terminado de tocar a música.

A noite foi descontraída e Katsuki aproveitou ao lado de Deku. Eles se divertiram e dançaram, além de conversar com as pessoas. Eles estavam dividindo um copo de bebida com cor vibrante, quando Aizawa surgiu no salão.

Havia chegado a hora e Katsuki sentiu o coração apertar em seu peito. Ele virou-se e abraçou Deku com força, como se os seus braços pudessem consolar e aliviar a dor daquele sentimento. Katsuki voltou a beijá-lo, sentindo a maciez de seus lábios.

O sorriso dele era genuíno, de felicidade Katsuki tirou um dos colares do pescoço e entregou para Deku, que colocou no pescoço. Ele foi se afastando até soltar sua mão, virou-se e caminhou para fora do prédio.

Do lado de fora encontrou-se com Sero e Kaminari que pulou em cima dele dando alguns tapinhas em suas costas. Aos poucos ele foi se despedindo de cada um. No final, apertou a mão de Bakugo e ganhou abraço duplo de Mina e Kirishima.

Katsuki precisava deslocar o dragão para que ele passasse pelo portal. Seu pai veio acompanhado de Aizawa e outros professores. Quando o portal ficou grande o suficiente para passar o dragão, Katsuki teve a ajuda de Uraraka para que o bicho flutuasse acima de suas cabeças e fosse facilmente levado para o outro lado. Ela passou o portal apenas para tocar novamente no dragão e ele descer no chão desacordado. Katsuki agradeceu a ajuda dela. Uraraka deixou o portal, retornando para seu mundo.

Katsuki podia ver as pessoas do outro lado e aos poucos o portal foi se fechando, até que ele conseguiu ver por um breve momento o rosto de Deku ao longe pela última vez, sem dizer adeus.


Notas Finais


Ihh gente e agora?

Se cuidem, pfv


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...