História O herdeiro digno - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Elfos, Magia, Terra Media
Visualizações 3
Palavras 1.071
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Essa fic veio de uma noite em que eu e uma amiga criavamos personagens de rpg de mesa e eu gostei tanto que decidi postar.
Espero qje gostem assim como eu.
Bjokas, Livoca.

Capítulo 1 - Prólogo - a morte de um Império


  Em uma floresta ao sul das terras de Valvetynya vivia um grande Império chamado Ilyrana comandado por um respeitado elfo chamado Qildor, ele era um rei gentil e justo o que agradava muitos súditos que viviam naquele reino de paz. Mas, infelizmente, o tempo alcança a todos e o charme de Qildor não o salvaria da morte, em um ultimo desejo antes de partir o grande rei separou o reino em três para que seus filhos Myrthal, Meriel e Mothyr tivesse o direito de governar com ele um dia o teve.

Claro que a decisão não agradou todos, afinal Myrthal, o mais velho, era ganancioso e queria todo o Império para si, mas seus irmãos não se importavam com o tamanho do reino e sim o bem estar do seu povo. Myrthal alegou odiá-los e jurou nunca aliar-se a nenhum deles e faria seu próprio Império. Meriel e Mothyr eram bons irmãos um com o outro então foi inevitável uma aliança entre os dois já que se amavam como uma família deveria. E assim surgiu os três reinos de Ilyrana: Kaylessa, Lorentza e Inorya.

Os três reis viveram prósperos e constituíram suas famílias, Myrthal teve apenas uma esposa deixando uma descendente ao trono: Ilirya, já o rei Meriel se apaixonou por uma simples camponesa, mas por não ter sangue real ela não poderia se casar com ele, em troca de um casamento arranjado transformou a linda camponesa em sua concubina, assim teve dois filhos: Beryel, filho legítimo e Gaelitel, o filho bastardo porém muito amado pelo rei. Já Mothyr apenas casou-se já que era jovem de mais para ser pai. Mas a estória que quero contar a vocês é sobre um pequeno elfo que sofreu muito por um pequeno ato de egoísmo, traição e rancor.

Gaelitel era um jovem isolado, desde sua infância até a adolescência mas não podia evitar afinal era um bastardo em um reino monarca, tinha de aguentar por sua mãe e seu pai, ser filho do rei tinha seus altos e baixos, assim como ser filho de uma concubina. Apesar de sofrer preconceitos e maus tratos – principalmente pela rainha – ele era isento de qualquer atividade real o que lhe dava liberdade para ser o que quiser, assim cresceu livre e sem medo de enfrentar perigos. Apesar de ser um tanto quieto e retraído Gaelitel tinha um senso de humor ácido e era um tanto rude mesmo sem querer, mas tinha seu charme herdado pelo pai que facilitava sua comunicação com os demais.

Era o mais bonito dos herdeiros, seus cabelos eram curtos e negros, tão escuros quanto o céu noturno, algo que ganhou da mãe, já seus olhos eram azuis como cristais estelares, brilhante como o de seu pai. O príncipe era bonito não havia como negar, pena que não ganhava o que merecia, o amor de sua mãe era o que mantinha seu coração bom e puro impedindo-o de ser tomado pelo ódio e rancor e seu pai media esforços para que seu filho também recebesse o seu, mesmo estando sozinho se sentia amado.

Infelizmente, a rainha de Lorentza – esposa de Meriel – tinha inveja e ciúmes do amor que nunca seria dela já que pertencia a mãe de Gaelitel, então tomada pela maldade a rainha encomendou a morte da concubina tornando o mundo jovem príncipe ainda mais cinza. Sem a mãe, por ser bastardo, foi atirado para fora do castelo com um sorriso satisfeito de Beryel, seu meio-irmão, e fadado a vergonha e chacota.

Contudo Meriel não deixaria seu amado filho a sarjeta, amava-o em demasiado assim como amava a mãe, então em uma chance de manter o filho por perto e salva-lo da desgraça comandou ao Conselho real que o colocassem no exército e ao dezoito anos começou seu duro treinamento para se tornar soldado da família Real. Claro que Beryel ficou insatisfeito com isso afinal nunca gostou do irmão e achava injusto o pai amar um ilegítimo ao invés de alguém como ele, que seria o próximo rei de Lorentza.

Cego pelos ciúmes e raiva de Gaelitel, decide buscar em livros antigos o poder de se vingar do irmão, então durante anos buscou em pergaminhos e livros antigos algo que pudesse ajuda-lo a se livrar do bastardo de uma vez por todas enquanto Gaelitel lutava para alcançar o mais alto posto do exército Real. No a aniversário de 23 anos de Gaelitel, Beryel encontrou um pergaminho na torre proibida do castelo, a torre leste, e sabendo que mexia com magia negra tomou cuidado para não ser enganado por entidades malignas.

Todos sabemos que de nada adiantou, Beryel não possuía poder o suficiente para mexer com magia negra sem que isso afetasse sua mente e coração, então, Ragdarus, um forte demônio aprisionado foi liberto e em gratidão deu um desejo a Beryel, que cego pela estupidez aceitou sendo enganado e possuído pela alma malévola. Seu desejo era ter o reino para si e que isso fosse sobre a morte de Gaelitel. Então Ragdarus, agora liberto começou a espalhar o caos sobre o Reino de Lorentza.

O ardiloso demônio esperou que o rei e Gaelitel estivessem em um mesmo cômodo e então juntou-se aos dois e usando sua energia demoníaca lançou um feitiço que perfurou o coração do rei, sorrindo divertido Ragdarus gritou pelos guardas acusando o mais novo de ter matado o rei e por ser odiado o papel de vilão caiu muito bem sobre o pobre príncipe, mas ele sabia que aquele não era Beryel e enquanto fugia jurou um dia voltar e matar aquele que dizia ser o príncipe.

         Sem poder fazer as malas, Gaelitel foge do reino que um dia foi seu lar apenas com uma espada presenteado por seu pai momentos antes de ser morto. Sem escolha busca refúgio em Kaylessa, o reino que pertencia ao seu tio Myrthal, sem quem a recorrer implora refúgio ao rei e conta o que aconteceu, porém Myrthal ri diante do jovem, porque ele pensaria que o rei de Kaylessa o ajudaria? Afinal ele odiava o irmão assim como o resto da família. Vendo que se ficasse levaria a sua morte, Gaelitel foge mais uma vez, dessa vez não sem lutar acarretando em um ferimento de flecha em seu ombro, desesperado corre para o oeste em direção as terras selvagens onde ninguém poderia ataca-lo já que ali não era terra de ninguém e assim desmaia rezando aos deuses que o salvassem de seu destino cruel.


Notas Finais


Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...