História O Herdeiro Do Sol - HIATUS - Capítulo 29


Escrita por:

Visualizações 63
Palavras 4.441
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ecchi, Fantasia, Festa, Ficção, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Autor: eu já avisei, com o tempo eu aprendo a escrever hentais melhores, até lá, se contentem com o que eu posso oferecer.

Inner: ah, lembrete: o hárem do Kuro ainda não está completo, então caso tenham sugestões, podem mandar.

Autor: atualmente estou com problemas familiares, então o próximo irá demorar mais um pouco para sair.

Autor&Inner: agradecemos a todos que estão favoritando e comentando!

Capítulo 29 - Surpresa Tripla (Aquela Carinha).


“ngghgunigd” Kuro tentava puxar as correntes que o prendiam, mas mesmo usando toda força dele, elas nem sequer tremiam.

“não adianta resistir, Kuro, só aproveite o show”.

Tirando a roupa dele, Kurama e Yamata vêem o membro dele já pulsante pelo corpo das duas.

“você nos ignorou sabia, dando atenção para aquela outra” ambas seguram no membro dele, lentamente movendo as mãos delas, fazendo ele estremecer na cama.

“conssssidere isssso como sssseu casssstigo” se colocando entre as pernas dele, Yamata começa a lamber a extensão do membro dele, fazendo Kuro se debater.

“me deixe ajudar” se juntando a Yamata, Kurama começa a lambe-lo também.

Para Kuro aquela sensação era como estar no céu, a língua bifurcada da Yamata e a língua áspera da Kurama ao mesmo.

“aquela garota nem sssabe como agradar você” puxando ele até a beirada da cama, Yamata começa a sugar a ponta do membro dele enquanto Kurama movia a mão dela.

“nhgnh!” geme ele abafado pela mordaça sentindo Yamata mover a língua dela entorno dele enquanto sugava.

“você vai deixar louco desse jeito Yamata” enquanto Yamata chupava ele, Kurama massageava as bolas dele, fazendo um arrepio correr pelo corpo dele.

“phuah!” soltando o membro dele coberto de saliva, Yamata recupera o fôlego dela antes de olhar para o rosto dele, que tinha os olhos famintos com desejo olhando para ela.

“aposssto que aquela garota não consssegue fazer isso” colocando ele dentro da boca dela novamente, Yamata desce o máximo possível dela, fazendo ele chegar até a garganta dela.

“NHGJUH!” Kuro sente o corpo dele estremecer quando Yamata leva até o fundo da garganta dela.

“ela conseguiu” diz Kurama.

Não conseguindo mais segurar a respiração, Yamata solta o membro dele coberto de saliva com um sorriso no rosto dela enquanto tentava recuperar o fôlego.

Olhando para Kuro, Yamta percebe as mãos dele tentando inutilmente quebrar as correntes.

“Kurama, dissstraia ele um pouco” ouvindo ela, Kurama se senta encima do peito dele, dando um visão perfeita da intimidade dela.

“sua vez agora Kuro” removendo a mordaça dele, Kurama se senta sobre o rosto dele, sentindo a língua dele explorar todo canto possível dentro dela.

“Yama-AHH!, ande logo com isso!” geme Kurama sentindo dele mover a língua ainda mais rápido.

Ouvindo aquilo, Yamata volta a chupar ele, usando a garganta dela novamente.

Depois de vários minutos, Yamata sente ele começar a latejar dentro da boca dela.

“AHHHHHHH!” grita Kurama sentindo o orgasmo dela chegar.

“GFHFF!” sentindo Yamata sugar ele com força, Kuro sente a mesma sensação quente correr pelo corpo dele, gozando dentro da boca dela.

Yamata é surpresa pela quantidade que sai, enchendo a boca no mesmo instante, mesmo engolindo tudo aquilo, ela não consegue engolir o resto que saiu, que cai sobre os seios e queixo dela.

“*suspiro* isso foi tão bom asssim?” pergunta ela para Kuro sorrindo.

“olha só a bagunça que você fez Kuro, agora vou ter que limpar tudo” ficando de frente para Yamata, Kurama lambe tudo que havia caído sobre os seios dela, antes de subir lambendo o pescoço dela até chegar na boca dela, a beijando.

Vendo aquilo, Kuro já não conseguia mais controlar ele mesmo, a única vontade dele era quebrar aquelas correntes e ter as duas naquele momento.

Soltando beijo, Kurama olha para baixo vendo o membro dele ainda duro como pedra pulsando com a visão na frente de Kuro.

“meu, meu, mesmo depois de gozar tudo isso você não se cansa não é?” se colocando do lado dele, Kurama começa a lamber a ponta ainda sensível dele, fazendo as pernas dele se debaterem.

“acho que tenho uma idéia melhor” dia Yamata segurando os seios dela.

“isso vai ser divertido” colocando o membro dele entre os seios das duas, ambas começam a se mover de cima para baixo, fazendo ele começar a mover os quadris.

“você devia parar com esse fetiche Kuro” diz Kurama rindo com a reação dele.

De Kuro, tudo o que saia da boca dele eram grunhidos e rosnados de prazer em reação as duas.

Aproveitando a chance, Kurama beija Yamata enquanto Kuro olhava, fazendo ele mover os quadris dele ainda mais rápido.

Não bastou nem dez minutos para Kurama sentir ele latejar entre os seios dela.

“ainda não Kuro” segurando a base do membro dele, Kurama não o deixa gozar, acenando para Yamata continuar fazendo uma espanhola nele.

“GFHGJFDH!!” grita ele abafado pela maldita mordaça sentindo Yamata mover os seios dela entorno dele.

Sentindo ele não aguentar mais, Kurama empurra Yamata para o lado colocando ele dentro da boca dela, enquanto sentia ele gozar novamente.

Movendo os quadris dele, Kuro goza dentro da boca dela enquanto se movia, fazendo ela quase engasgar com ele.

“UFG!” Kurama não esperava ele gozar tanto novamente, fazendo ela quase engasgar com o tanto que saiu, fazendo uma boa parte cair sobre o chão.

“que desssperdício” fazendo ela soltar o membro dele, Yamata segura o rosto de Kurama e a beija, roubando tudo que havia sobrado.

“sua ladra” Kurama já não tinha quase nenhum fôlego, tanto do beijo quanto da Yamata, quanto de engolir tudo aquilo.

Na mesma hora, Yamata sente algo pulsar perto da barriga dela, vendo o membro dele ainda mais duro que antes se pressionando contra a barriga dela.

“você não cansssa mesmo não é?” fazendo um sinal com a mão, Yamata faz com que as correntes luxem Kuro devolta para o meio da cama, onde ela se senta encima do abdômen dele.

“eu esssperei mil anos para ter você, e aquela garota conssseguiu issso em messses?, você sabe o quanto isso me entrisssteceu?” Yamata tinha lágrimas no olhos enquanto olhava para ele.

Tirando a mordaça dele, Kurama faz um sinal com a mão dela, fazendo as correntes terem um pouco de folga para ele se mexer.

“Yamata, ouça bem o que eu vou dizer, não importa quantas garotas eu tenha na minha vida, quem realmente tem meu coração é você, sempre foi você” levando as mãos dele ao rosto dela, Kuro limpa as lágrimas dela dando um beijo longo nela.

“eu vou ficar com ciúmes assim” Kurama apenas assistia a cena, sorrindo pelo momento dos dois.

“nos mil anos que eu lutei, você sempre estava do meu lado, mesmo duzentos anos longe de mim você nunca me abandonou... Kurama, pode colocar de volta” olhando para Kurama, Kuro sinaliza para ela com a cabeça, fazendo ela apertar as correntes novamente.

“tem certeza que quer a mordaça?” pergunta Kurama segurando outra mordaça, pois a outra já estava rasgada pelos dentes dele.

“vocês começaram, agora terminem” diz ele antes de Kurama colocar novamente a mordaça nele.

“você sssabe como fazer meu coração quassse parar sssabia” passando as mãos pelo rosto dele, Yamata sente algo tocar a bunda dela, a fazendo lembrar da situação que estavam.

“você me fez esssperar mil anosss, melhor tomar a responsabilidade” segurando o membro dele, Yamata o coloca na entrada da intimidade dela, lentamente se abaixando, sentindo a dor de ter a primeira vez dela.

Sentindo o quão apertada ela era, Kuro lutava contra a vontade de mover os quadris dele, o fazendo quase enlouquecer.

Se ajoelhando atrás de Yamata, Kurama começa a massagear os seios dela, a ajudando a esquecer da dor.

“espero que não se importe, vou me divertir um pouco, Yama-chan” mordendo o lóbulo da orelha dela, Kurama ouve um gemido quase escapar de Yamata enquanto ela movia os dedos dela, apertando os mamilos dela.

Sentindo a dor sumir aos poucos, Yamata começa a se mover, sentindo Kuro a preencher por dentro.

“ahh!” geme ela quando Kurama morde a lateral do pescoço dela.

“continue se mexendo” segurando nos quadris dela, Kurama começa a guiar os movimentos dela, fazendo Kuro perder o pouca de sanidade que ele ainda tinha, sentindo ele começar a mover os quadris dele, Yamata já estaria gemendo se não fosse por Kurama que estava beijando ela.

“agora eu sei porque ele gosta tanto de beijar você” separando o beijo, Kurama vê o rosto de Yamata todo corado com a língua para fora enquanto cavalgava Kuro.

Dando um sorriso de canto, Kurama se coloca na frente dela, bloqueando a visão de Kuro.

“eu sempre quis tentar isso” segurando nos quadris dela, Kurama volta a guiar os movimentos dela, isso enquanto ela chupava um dos mamilos dela.

“GR!” Kurama ouve um rosnado vindo de Kuro.

“desculpe, mas vou ter que apressar as coisas um pouco” segurando os seios da Yamata, Kurama começa a sugar os dois mamilos ao mesmo tempo.

“AHHH!” grita Yamata sentindo aquilo.

Com a reação dela, Kuro sente ela apertar ele ainda mais, enquanto a sensação de algo quente chegar ao membro dele voltava.

“AHHHHHHH!” dando um grito, Yamata se senta com toda a força sobre ele, o fazendo chegar o mais fundo possível dentro dela.

“GHHHHF!” gemendo abafado pela mordaça, Kuro se libera dentro dela.

Yamata sente a mente dela entrar em branco quando ela sente algo quente a encher por dentro, a fazendo cair sobre Kuro, enterrando o rosto dela no pescoço dele.

“meu, meu, você realmente encheu ela” olhando para os dois, Kurama vê o esperma dele começar a sair de dentro de Yamata, que havia desmaiado daquilo.

Segurando o membro ainda duro dele, Kurama lambe até a ponta, fazendo ele se debater na cama.

“espero que você ainda aguente mais” subindo encima dele, ela se aproxima do rosto dele enquanto colocava o membro dele perto da entrada dela, colocando ele dentro dela lentamente.

“NGHDG!” Kurama era apertada, mesmo não chegando perto de Yamata, Kuro sente o quão quente ela era por dentro, fazendo ele sentir como se estivesse dentro de uma sauna.

“hah!, *suspiro*, isso realmente dói” sentindo a dor, Kurama deixa uma lágrima escorrer pelo rosto dela, que cai sobre o peito de Kuro.

Olhando para ele, Kurama vê o olhar preocupado dele, fazendo o coração dela quase parar por um instante.

“droga, mesmo nessa situação esse seu olhar me derrete” começando a se mover, Kurama vê o olhos dele se fecharem enquanto ele aproveita a sensação.

“ahhh!” geme ela sentindo ele começar a se mover também.

Se abaixando, Kurama pressiona os seios dela no peito dele, deixando ele mover os quadris dele a vontade.

 

Não demorou muito, para Kurama sentir ele latejar dentro dela, assim como os movimentos dele ficarem mais rápidos.

Se levantando, ela começa a cavalgar ele ainda mais rápido, sentindo o orgasmo dela chegar.

“AHHHHHHH!” grita ela quadno ele a penetra totalmente, gozando dentro dela, a fazendo gozar também.

Sentindo ele a encher por dentro, Kurama deita encima dele, respirando pesadamente enquanto ele sai de dentro dela, fazendo o esperma dele começar a sair de dentro dela.

“v-você realmente exagerou sabia?” diz ela tentando recuperar o fôlego dela.

 

*CLING* *GLINT* *CLANG* *GANLC*

 

Kurama é surpresa quando Kuro quebra as quatro correntes que prendiam ele, e ainda mais quando ele a pega no colo, a deixando de quatro encima da cama.

“*rasga*, vocês brincaram o suficiente comigo, agora é minha vez” se aproximando dela, Kuro coloca o membro dele na entrada ainda escorrendo esperma dela, a penetrando de uma só fez.

“AHHHHHH!” gritando com a ação dele, Kurama não consegue mais esconder as caudas dela, que reaparecem no fim da coluna dela.

“eu também sei seu ponto fraco, Kurama” segurando em duas caudas dela, Kuro as puxa enquanto move os quadris dele, a fazendo arquear as costas com a onda de prazer que corre nela.

“KYAHH!” grita ela sentindo ele puxar ainda mais forte as caudas dela.

Sentindo ela o apertar ainda mais, Kuro segura mais duas caudas, começando a mover elas em círculo, fazendo Kurama morder o travesseiro da cama tentando abafar os gemidos dela.

Sorrindo com a reação dela, Kuro solta as caudas dela, segurando o cabelo dela com uma das mãos, a fazendo parar de morder o travesseiro.

“eu quero ouvir você gemer Kurama, nem pense em fazer isso” soltando o cabelo dela, Kuro segura as caudas dela novamente, se movendo ainda mais rápido.

“AHH!, AHH!” geme ela com os braços já sem forças para se apoiar na cama.

Sentindo as caudas dela começarem a se mover, Kuro se move o mais rápido possível, enquanto a sensação quente volta a correr pelo corpo dele.

“EU NÃO AGUENTO MAIS!” grita ela sentindo outro orgasmo chegar.

“então vamos juntos!” dando uma última estocada, Kuro goza dentro dela novamente, puxando todas as caudas dela ao mesmo tempo.

“AHHHHHHHHHHHHHHHHH!” tendo orgasmos múltiplos, Kurama cai sobre a cama, desmaiando com um sorriso no rosto.

Respirando pesadamente, Kuro olha para o lado vendo Yamata “dormindo” virada para o outro lado.

não pense que esqueci de você, Yamata” se aproximando dela, Kuro morde o pescoço dela levemente, arrancando um suspiro dela.

Descendo a mão dele, Kuro chega até a intimidade dela, sentindo o quão molhada ela estava.

“meu, meu, parece que alguém estava gostando do show não é?” sussurrando do lado do ouvido dela, Kuro vê ela cobrir o rosto com as mãos, corando profundamente.

Sorrindo com a reação dela, Kuro se aproxima do rosto dela, tirando as mãos do rosto dela, revelando os olhos dourados que ele tanto amava.

“eu já te disse Yamata, você tem meu coração, você é quem eu realmente amo, e ninguém no universo vai mudar isso” beijando ela, Kuro sente o gosto viciante dela, fazendo ele quase perder o controle novamente.

“Kuro...” sussurra ela corando ainda mais.

“hum?” pergunta ele.

“podemosss fazer outra vez?” cobrindo o rosto novamente, ela olha para o lado, evitando olhar para ele, tinha um sorriso estampado no rosto.

“fazer o que?” passando a ponta do membro dele na entrada dela, Kuro sente ela se arrepiar com o contato.

“Kuro, me possua, agora” segurando o rosto dele, Yamata o beija, fazendo ele a penetrar de uma só vez.

“aahhh!” geme ela sentindo ele se movendo dentro dela.

Mordendo o pescoço dela, Kuro desce para os seios dela, dando chupões e mordidas em todo lugar possível, fazendo ela gemer ainda mais alto.

“eu te amo” diz ela entre os gemidos passando os braços dela por trás do pescoço dele.

Ouvindo aquilo, Kuro sente o coração dele ser tomado de alegria, fazendo ele derramar uma lágrima normal pelo rosto dele.

“eu també- ahh!” antes de terminar de falar, Kuro sente ela se apertar entorno dele, mostrando o quão sensível ela estava.

“acho que você vai ter de aguentar mais um pouco” diz ele.

 

 

Depois de vários minutos, ambos já estavam suados e cansados, já chegando no limite dela, Yamata já havia perdido a conta de quantos orgasmos ela tinha tido, enquanto Kuro resistia até agora.

“Y-Yamata...” olhando para ela, Kuro percebe a expressão de puro prazer dela, focada no momento deles.

Sentindo o mesmo calor percorrer o corpo dele, Kuro segura com força na cintura dela, a penetrando uma última vez. Se liberando dentro dela, Kuro deixa o corpo dele tombar entre as duas, que ainda estavam levemente acordadas.

“você exagerou sabia” Kurama estava deitada do lado esquerdo dele, desenhando círculos no peito dele.

“e de quem é a culpa?” responde ele tentando recuperar o fôlego.

“acho que todosss tem um pouco de culpa” diz Yamata deitada do encima do peito dele.

“mudando de assunto, como você quebrou aquelas correntes?” pergunta Kurama.

“Gleipnir, são as correntes que usaram para prender o Fenrir, por minha sorte elas são réplicas, então depois de um tempo foi fácil” responde ele.

“trapaceiro” diz Yamata se movendo encima dele.

“um... acho que temos um problema” Kuro tinha o rosto corado enquanto olhava para o lado.

“o que fo- tá de brincadeira?!” olhando para baixo, Kurama vê o membro dele lentamente ficando ereto.

“você realmente não cansssa, não é?” diz Yamata.

“eu tenho duas deusas deitadas do meu lado, não é minha culpa” diz ele.

“as coisas que eu faço por você viu” diz Kurama beijando o rosto dele.

“ainda bem que temosss tempo” diz Yamata.

“bom mesmo, porque nenhuma de vocês vai sair dessa cama hoje”.

 

 

Mundo Real (Algumas Horas Antes)...

 

 

Desde a noite que ela teve a primeira vez dela com Kuro, Akeno só pensava em ter ele novamente, não importava quantas vezes ela se masturbava, só de chegar perto dele a vontade era tanta que ela tinha vontade de rasgar as roupas dele ali mesmo na frente de todo mundo.

Um pouco antes de receber a mensagem dele, Akeno estava deitada na cama dela, suada pelo sonho nada inocente que ela havia acabado de ter.

“hyaa!” embaixo dos cobertores dela, Akeno tinha uma mão na intimidade dela com dois dedos se movendo dentro dela, enquanto a outra massageava o próprio seio dela.

Mordendo o coberto dela, Akeno sente outro orgasmo chegar, abafando um grito de prazer vindo dela.

Respirando rapidamente, Akeno sente a vontade novamente voltar no corpo dela, assim como a imagem de Kuro aparecer na mente dela.

“olha o que você fez comigo... já é a décima vez que faço isso hoje, e você ainda não saiu da minha cabeça” quando ela ia voltar ao ato dela, Akeno ouve o celular dele vibrar de cima do criado mudo dela.

Olhando para o celular, ela vê uma mensagem de Kuro na tela do celular, assim como a foto dele, fazendo um calor correr pelo corpo dela.

“eu vou usar um feitiço que deixará meu corpo desligado por algumas horas, então não deixe ninguém entrar no meu quarto, okay?” enquanto lia a mensagem, Akeno sente a mão livre dela chegar novamente na intimidade dela, a fazendo quase derrubar o celular dela com o toque.

“dá próxima vez que você ficar sem dormir por uma semana e não me avisar, nós vamos ter uma conversa bem séria” terminando de digitar, Akeno não resiste em massagear o seio dela, tentando se livrar da vontade.

“tá bom, tá bom, boa noite” no momento que ela introduz um dedo dentro dela, Akeno sente outro orgasmo chegar, a fazendo deixar o celular cair no chão enquanto ela enterra o rosto no travesseiro, abafando outro grito.

Depois de alguns momentos, Akeno se recupera e pega o celular dela.

“boa noite” responde ela antes de jogar o celular no chão.

Sentindo o sono chegar, Akeno também sente o mesmo calor voltar ao corpo dela, a fazendo quase enlouquecer.

“espera, desliga o corpo dele?... acho que tenho uma idéia” diz ela se levantando da cama dela com um sorriso maléfico.

Olhando para trás, Akeno percebe a bagunça da cama dela.

“nota mental, trocar os lençóis e os cobertores”.

 

 

Andando pelos corredores da casa só com um lençol fino enrolado no corpo, Akeno se aproxima do quarto do Kuro.

“ainda bem que ninguém está acordado essa ho-merda!” ouvindo um barulho, Akeno se esconde atrás de um vaso de planta grande o suficiente para esconder ela.

Olhando para a fonte do som, Akeno vê Chifuyu com as bochechas coradas e os olhos fechados sonambula quase trompando nas paredes.

“então quando ela bebe ela fica sonambula?, isso é estranho” depois que Chifuyu seguiu até o quarto dela, Akeno se aproxima do quarto de Kuro.

Segurando a chave reserva que ele deu a ela, Akeno sente as mãos dela tremerem, tanto pelo medo de ser pega, quanto pelo medo dele estar acordado na hora que ela entrar.

“é agora ou nunca” abrindo a porta dele, Akeno entra no quarto, dando duas voltas na tranca da porta.

Se virando, ela anda até a cama dele, puxando o véu que cobria a cama dele para o lado, revelando ele dormindo pacificamente no meio da cama.

Na mesma hora que viu ele, Akeno sente o calor se intensificar no corpo dela, a fazendo cruzar as pernas com força.

Derrubando o lençol que cobria ela, Akeno sobe encima dele, vendo o peito dele subir e descer lentamente, os lábios vermelhos dele, e a pele pálida como porcelana dele.

“eu já não aguento mais” beijando ele, Akeno sente o calor dela se tornar suportável, mas a vontade dela aumentar ainda mais, a fazendo aprofundar o beijo ainda mais.

Enquanto beijava ele, ela sente algo cutucar a coxa dela, atraindo a atenção dela.

Puxando o cobertor dele, Akeno consegue ver o volume nas calças dele, que parecia querer romper o zíper da calça a qualquer instante.

“acho que não sou só eu com problemas para dormir” puxando as calças dele, Akeno é surpresa quando vê o membro dele tão duro quanto pedra na frente do rosto dela, parecendo estar em dor de tão pulsante.

“ainda não acredito que algo desse tamanho estava dentro de mim” segurando na base dele, Akeno começa a mover as mãos dela, fazendo a respiração dele ficar mais rápida.

Lambendo da base até a ponta, Akeno sente Kuro se mover na cama, a fazendo sorrir com a reação dele.

Colocando a ponta dentro da boca dela, Akeno vê ele agarrar os lençóis, os apertando com força.

Movendo a cabeça dela de cima para baixo, Akeno mantém uma das mãos dela se movendo ao longo do membro dele, enquanto a outra já tinha dois dedos introduzidos dentro da intimidade dela, se movendo cada vez mais rápidos.

Continuando com isso por vários minutos, Akeno sente ele começar a latejar dentro da boca dela soltando o membro dele, Akeno escuta um rosnado vir do corpo inconsciente dele.

Pensando por um tempo, Akeno tem a idéia perfeita.

Levantando os quadris dele, Akeno se ajoelha na cama, apoiando as pernas dele encima das pernas dela.

Apertando um seio dela contra o outro, Akeno coloca o membro dele entre os seios dela, o apertando ainda mais enquanto os movia de cima para baixo.

“você devia *suspiro* parar com esse fetiche” diz ela sorrindo antes de pôr a parte que os seios dela não cobriram dentro da boca dela, sugando ele enquanto movia os seios dela.

Não demorou muito tempo para ela sentir ele voltar a latejar com ainda mais força dentro da boca dela.

Tirando ele do meio dos seios dela, Akeno leva o membro dele o mais fundo possível, não chegando nem na metade dele, sugando com força, ela sente o corpo dele se debater na cama antes de explodir dentro da boca dela.

Mesmo se preparando, Akeno não consegue engolir nem metade do que saiu, fazendo quase tudo cair sobre os seios dela.

“phuah! *suspiro* é muito mais do que daquela noite” pegando o resto que caiu sobre os seios dela, Akeno o lambe até limpar tudo que havia caído.

Olhando para Kuro, Akeno vê o membro dele ainda mais duro enquanto Kuro respirava pesadamente.

Subindo encima dele, Akeno o coloca na entrada dela, antes de se abaixar com tudo, sentindo ele chegar até o limite dela.

“AHHHH-!” sentindo ele a preencher por dentro, Akeno se apoia no peito dele antes de começar a cavalgar ele, se abaixando, ela morde levemente o ombro dele, tentando abafar os gemidos dela.

“finalmente, depois de tanto tempo!” mesmo com o pouco tempo que ela estava com ele dentro dela, Akeno já podia sentir a mente dela entrar no mesmo branco da última noite.

Pegando uma camisa dele, Akeno a morde para abafar os gemidos altos vindos dela.

 

Depois de quase uma hora, Akeno já havia desistido de contar quantos orgasmos ela teve, para ela a única coisa que importava era ter ele dentro dela naquele momento.

No pouco de sanidade que ela ainda tinha, Akeno sente Kuro começar a pulsar, a fazendo cavalgar ele ainda mais rápido, fazendo a cama dele ranger com a força.

Se abaixando com tudo, Akeno sente ele explodir dentro dela, assim como algo quente a encher por dentro, fazendo a mente dela entrar num branco completo.

“AAAHHHHHHHHHHHHHH!!!” todos puderam ouvir o grito vindo dela.

Não tendo mais forças nela, Akeno se deita sobre o peito de Kuro, babando pela experiência que acabou de ter.

“huh?” recuperando o fôlego, ela olha para baixo apenas para ver o membro dele nem um pouco satisfeito já ereto.

“já percebo que não sairemos dessa cama tão cedo” diz ela sorrindo.

 

 

 

No Outro Dia....

 

 

 

Sentindo os raios de luz no rosto dele, Kuro se arruma para voltar a dormir.

“mais dez minutos mãe” diz ele se movendo um pouco, apenas para os raios se tornarem ainda mais fortes, finalmente acordando ele.

“pronto, pronto, já acorde-huh?!” no momento que ia se levantar, Kuro vê Akeno deitada encima do peito dele, com um sorriso estampado no rosto corado dela.

“que feio, logo quando estou dormindo?” diz ele rindo.

Se separando com cuidado dela, Kuro dá um beijo na testa dela, a fazendo abraçar um travesseiro da forma mais fofa possível.

Descendo as escadas, Kuro anda até a cozinha, olhando para o relógio da parede.

“12:00?, acho que eu realmente exagerei um pouco” indo até a geladeira, Kuro pega uma garrafa de suco e coloca num copo.

“K-Kuro...” olhando para o lado, Kuro percebe Rossweisse olhando para ele tão corada quanto um pimentão.

“não te vi ai Rossweisse, algum problema?” pergunta ele bebendo o suco.

“v-você está sem roupas!” diz ela virando o rosto.

Olhando para baixo, Kuro percebe a falta de roupas dele, assim como várias marcas de batom e chupões no corpo dele.

“ah, me desculpe” fazendo o sobretudo dele aparecer, Kuro o veste, cobrindo todo o corpo dele.

“pronto, já estou vestido” diz ele.

Olhando para ele, Rossweisse evita ao máximo olhar a virilha dele, passando despercebida por Kuro.

“a Senhorita Rias pediu para que eu lhe avisasse. A situação com Diodora mudou, parece que algo aconteceu no inferno e um jogo de classificação será feito entre os demônios da nova geração, e você foi convidado” explica ela ainda corada.

“obrigado, e Rossweisse... pode não dizer pra ninguém o que você viu agora a pouco?” diz ele corado sobre as marcas de batom.

“c-claro, não tem nenhum problema” diz ela.

“obrigado” se aproximando dela, Kuro dá um beijo na bochecha dela antes de subir pro quarto dele.

Enquanto isso, Rosswiesse estava sentada no banco da cozinha tentando processar o que havia acontecido.

“ahh!” diz ela sonhando acordada.

 

 

“hora de acordar dorminhoca” Kuro estava sentadona cama dele enquanto Akeno não soltava do travesseiro dele.

“só mais dez minutos” diz ela apertando ainda mais forte o travesseiro.

Se aproximando do ouvido dela, Kuro dá uma pequena mordida nele.

“tem certeza?” pergunta ele com a voz mais sedutora possível.

“*arrepia*, trapaceiro, não brinque com isso” diz ela se levantando.

Olhando para o lado, Kuro evita olhar para os seios dela nus na frente dele.

Vendo a reação dele, Akeno dá um sorriso travesso antes de passar os braços dela entorno do pescoço dele, colocando o braço dele entre os seios dela.

“eu não ganho nenhuma recompensa por ser uma namorada tão boa assim?” pergunta ela passando o dedo pelo pescoço dele.

“ganha: um banho frio” diz ele antes de pegar ela no colo.

“NÃOOOOOOOO!!!”.

 

 

FIM!


Notas Finais


Espero que tenham gostado! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...