História O Homem Que Eu Fui Te Amava - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Sasuke Uchiha
Tags Sasuhina
Visualizações 295
Palavras 3.284
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Fanfic em comemoração do mês SasuHina.
Dia 9- Tema: Pós Guerra
Para o grupo curtidores da SasuHinabr oficial.
Boa leitura ❤🌻🐝

Capítulo 1 - Segredo...


Tudo começou no dia que ela ouviu Naruto falando aquilo:

-Ah Sakura-chan eu seria tão feliz se o Sasuke não fosse embora mais. Esse é o lar dele e fiquei sabendo que depois que terminar as revisões da cirurgia para repor seu braço, ele vai embora.

Hinata estava escondida atrás de uma coluna de concreto quando chegou a insana conclusão de que poderia impedir Sasuke de ir embora, se tornando amigo dele.

Isso mesmo, amigo, gênero masculino, ela iria se vestir com roupas masculinas e fazer amizade com o Uchiha já que ele no momento não tinha amigo nenhum, além de Naruto, na vila e todos o olhavam torto. Ela imaginou que se impedisse sua partida, Naruto seria mais feliz e ela faria qualquer coisa por Naruto.

...

Sentindo-se ridícula e usando roupas masculinas, prendendo os cabelos com grampos pela cabeça e colocando uma peruca masculina, os seios envolvidos com um tecido varias e varias vezes para não aparecerem na roupa, Hinata da seu primeiro passo como homem. Ela se arrumou num quarto de hotel, não podia permitir que seu clã pensasse que ela enlouqueceu.

Ela imaginava onde Sasuke estaria? Nunca havia pensado nos detalhes do seu plano. Então chegou a conclusão que onde quer que ele estivesse com certeza iria para o clã Uchiha uma hora ou outra.

Hinata se encaminha pra lá. Ela fica escondida atrás de um poste espionando o clã e pensando qual a melhor maneira de aparecer na frente dele. Poderia falar que veio fazer uma visita para lhe dar as boas vindas porque o lider do clã Hyuuga ordenou... Poderia falar que queria ser um aprendiz porque ele era o homem mais forte do mundo... Poderia...

De repente Hinata sente seu corpo ser puxado com brusquidão e jogado contra o muro, uma katana é colocada contra o seu pescoço, mas ela para de respirar mesmo é quando seus olhos encaram os dele. Olhos escuros e gélidos. Hinata perde o ar.

-Quem é você e porque esta espionando a minha casa? –Sasuke diz com uma voz grave que faz até os cabelos da nuca dela arrepiar.

Hinata tenta falar, mas não sai nenhum som da sua boca, ela só conseguia olhar naqueles olhos escuros e intensos.

-Veio me condenar também pelas coisas que fiz? Você me odeia, quer me matar?

Hinata arregala os olhos ela nunca imaginou que Sasuke soubesse que as pessoas o odiavam. Quer dizer, não achava que ele se importasse tanto com isso. Seu coração se aperta em piedade. Ele não merecia isso, não. Aquela não era sua opinião.

-E-eu não a-acho i-isso... Sasuke-sama. –ela gagueja com a melhor imitação de uma voz masculina que era capaz.

-Ah não? –ele pergunta retirando lentamente a katana do pescoço dela. –E o que você faz aqui?

-E-eu...E-eu...Vi-vim co-conhecer você...-Hinata sente vontade de que a terra se abrisse e a engolisse. De tantas coisas que ela podia ter falado, ela falou justamente a coisa mais sem noção. –Di-digo...e-eu a-acho que vo-você e-esta certo. Se-sempre e-esteve...E-eu...se a-alguem me-mesmo que fo-fosse pe-pelo bem da vila ma-machucasse mi-minha família...Eu os mataria. E nunca me arrependeria. –seus olhos faíscam encarando os dele. Ironicamente nenhuma daquelas palavras era mentira. Hinata realmente pensava isso.

Sasuke a olha intrigado. Seus olhos escuros perscrutavam seu rosto a procura de algo. Hinata solta lentamente o ar pela boca sentindo o corpo e o coração se aquecer com aquele olhar intenso.

-Realmente pensa isso? –Sasuke pergunta arqueando as sobrancelhas e estreitando os olhos.

-Sim, é verdade. –Hinata já não gaguejava, era verdade tudo o que ela dissera e se sentiu estranhamente calma perto dele.

Sasuke lhe da espaço para ela sair do muro onde ele a encurralara. Ela se move tremula sentindo seu corpo roçar no dele ao passar e um arrepio tomar toda sua coluna.

-Quem é você?-ele pergunta olhando-a nos olhos. –Vejo que é um Hyuuga.

-Sou... Me chamo...-meu Deus, como ela era tola, nem escolheu um nome antes de começar aquela loucura.- ...Me chamo Hi...Hino. Hyuuga Hino. –ela diz rezando para que aquele nome realmente existisse em algum lugar.

-Hino?

-Sim.

-E você veio até minha casa para quê mesmo?

-Como eu disse, eu quis te conhecer porque penso que não fez nada de errado e não merece a maneira como todos tem te tratado. –ela não gagueja porque novamente estava sendo honesta.

-E você quer me conhecer pra...

-E-eu só imaginei que você pudesse querer um amigo e-enquanto estiver aqui.

-Um amigo? Não sei o que sabe sobre mim, mas eu não gosto das pessoas, não tenho nenhum interesse em ter amigos. Principalmente um amigo como você que até onde eu vejo me é inútil.

Hinata fica revoltada. Depois de chegar tão longe iria perder seu tempo.

-E-eu não sou inútil. E-eu sei...cozinhar...-ela arregala os olhos, por Kami, que homem sabia cozinhar? –E...eu sei que vo-você só come comidas prontas.

-Ah é? E como sabe disso? Andou me espionando?

-Posso ver na sacola que carrega, só tem comida instantânea e arroz de minuto.

Sasuke da um sorriso enigmático.

-E você veio até aqui pra se oferecer pra cozinhar pra mim porque em sua opinião eu não estou errado... É isso mesmo ou eu deixei faltar alguma coisa?-ele diz irônico.

-É isso mesmo. –Hinata diz sentindo as bochechas esquentando. Sabia que estava corada e que isso só tornaria as coisas piores, mas não tinha presença de espírito ou força emocional pra criar um mentira mais plausível.

Ele olha seu rosto por um minuto enquanto ela respira pela boca arfante. E então ele diz:

-Tudo bem, esquisito. Mas se sua comida for ruim eu jogo você pela janela.

-Sé-sério? Va-vai me deixar entrar? –Hinata pergunta quase se esquecendo de fingir a voz masculina.

-Ora não é o que você queria?

-Si-sim.

-Então anda logo antes que eu mude de ideia.

...

No clã Uchiha, recentemente reconstruído, mais especificamente na casa principal, Hinata se sente aflita. O lugar era tão solitário, triste e vazio. Ela não compreendia como Sasuke suportava viver ali todos os dias. Devia ser horrível ver um lugar onde ele um dia foi tão feliz, agora ser vazio e sombrio. Carregando o peso daquele massacre, olhar aquelas paredes e reviver todos os dias a própria perda, a própria dor, o próprio ódio.

Hinata se sente imediatamente culpada. Como ela pode colocar o bem estar do Naruto, que agora em sua opinião era um idiota, já que ele viera ali mil vezes e nunca parou pra pensar no quanto Sasuke sofria, acima de qualquer coisa? Como Naruto podia não ver o quanto aquele lugar não fazia bem a Sasuke? Como ele podia ser egoísta a ponto de querer obrigar Sasuke a ficar ali apesar de tudo?

-Ei, você morreu ai? –Sasuke pergunta de trás dela.

Hinata congela ao olhar para ele. Sabia que seus olhos estavam cheios de ternura e afeto e tinha que se segurar pra não chorar. Sabia que aquela não era a melhor cara de homem que podia fazer, mas já não queria mais fazer aquilo. Embora também já não quisesse deixá-lo ali sozinho.

-De-desculpe Sasuke-kun...E-eu só estava...Reparando no quanto de sujeira tem aqui? Você n-não conhece lata de lixo não? Ou aspirador de pó? Vassoura? Espanador...

Sasuke arqueia uma sobrancelha enquanto Hinata gaguejava sobre a sujeira do lugar.

-Que falatório. Se te incomoda tanto porque não limpa?

-E-eu farei isso.

Sasuke a deixa sozinha e some subindo por uma escada. Hinata limpa toda a casa, lava as louças, organiza toda a comida do armário. E cozinha um jantar com peixe grelhado com legumes, arroz e salada de tomate. Ela ainda prepara um bolo e corta em pedaços pequenos e guarda numa tupperware. Quando Sasuke reaparece ela já havia feito uma torta de frango e guardado em outra tupperware, e agora fritava pasteizinhos e guardava em outra.

-Porque tanta comida assim? Planeja fazer uma festa no meu clã ou o que?

Hinata se assusta com a aquela voz soando bem atrás de suas costas e salta pra frente esbarrando na panela com gordura que rodopia no fogão e vira tudo...Hinata podia ver a gordura chegando até sua perna e deixando-a na carne viva, ela não conseguia desviar...não dava tempo...Mas então...

Sasuke a puxa contra seu corpo, ela sente as mãos dele acima do lugar onde seus seios estavam apertados pelo tecido. A gordura quente cai no chão a um palmo dela.

-Você é idiota ou o que? –Sasuke pergunta soltando-a assim que o perigo passa.

Hinata gira o corpo e fica de frente com ele, ela encara seus olhos, sérios e preocupados. Tão escuros, honestos e verdadeiros. Tão atenciosos por trás daquele disfarce de frieza. Hinata sente que poderia abraça-lo. Mas ela ainda era homem na visão dele, e não tinha coragem de revelar seu segredo, principalmente porque não queria ser obrigada a ir embora dali, não queria sair de perto dele, não ainda.

-De-desculpe...E-eu só...E-eu queria deixar alguns aperitivos na geladeira pra você comer durante o dia, porque notei que tirando a água, sua geladeira estava vazia...Me desculpe pela bagunça, eu limparei tudo...-Ela diz se curvando em sinal de arrependimento e pedido de perdão, e então ela completa, enquanto levanta o rosto olhando o tempo todo nos olhos dele, hipnotizada.-Eu lhe agradeço por ter salvo a minha vida.

Sasuke ri suavemente e Hinata observa encantada, nunca imaginou que veria um semblante assim naquele homem que antes ela até tinha medo.

-Acho que salvar a sua vida é exagero, mas pode agradecer vindo cozinhar pra mim por um mês em troca. Se sua comida for boa claro, senão te jogo pela janela. –ele diz piscando pra ela e Hinata se vê sorrindo e corada.

-E-eu virei...

...

Foi assim que essa loucura começou. E agora Hinata vinha sempre na casa dele. Todos os dias ela vestia suas roupas, sua peruca e sua cara de homem e vinha ali fazer companhia a ele.

Ela descobriu maravilhada que Sasuke gostava de ler e então começou a trazer seus livros preferidos para emprestar a ele. E antes que percebesse, eles se viam em grandes disputas cheias de argumentos sólidos onde cada um defendia um ponto de vista diferente sobre o livro.

E depois percebeu que Sasuke não era o monstro que todos pintavam. Ele apenas escondia sua gentileza em algum lugar escuro, onde ninguém mais pudesse feri-lo.

E Hinata viu que seria capaz de guarda-lo dentro de seu coração.

Um dia Sasuke lhe contou sobre um cachorrinho que tinha na infância chamado Shiro e Hinata procurou em todos os abrigos até encontrar um da mesma raça e cor e lhe deu de presente com um laço lilás em volta do pescoço.

Sasuke a olhou surpreso e sorriu. Ele pegou o filhotinho no colo e fez carinho no pelo amarelado.

-Shiro... Você gosta desse nome amiguinho? –ele falava acariciando a cabeça do cachorrinho que batia a cauda feliz.

E olhando para ela, Sasuke diz com um sorriso genuíno, que Hinata nunca imaginou ver:

-Obrigado.

E Hinata percebeu que poderia beija-lo.

...

O mês passou mais rápido do que ela imaginou, e quando percebeu já não importava mais o porquê, ela iria vir ali vê-lo todos os dias enquanto ele ficasse. E nenhum dos dois comentou sobre isso.

-Hoje está tão calor... -Hinata comenta depois do almoço sentada no sofá enquanto Sasuke brincava com Shiro sentado no chão.

-Porque não vamos nadar na cachoeira? –Sasuke responde sem desviar os olhos do cachorrinho.

-Na-nadar? –Hinata sente seu rosto esquentando até as orelhas.

Como ela poderia nadar de roupas? Como ela poderia nadar sem roupas, se havia coisas ali que eram impossíveis de não notar? Como ela poderia lhe contar tudo e implorar seu perdão se agora não conseguia ficar nem mesmo um dia longe dele? E como poderia dizer não, se em seus sonhos mais profanos ela já vira seu corpo nu milhares de vezes?

-É. Você disse que esta com calor...

-Tu-tudo bem, vamos. –ela gagueja tentando controlar a respiração.

Sasuke a olha de uma maneira que ela podia jurar que ele estava flertando com ela. Mas como poderia ser isso? Se ele pensava que ela era homem.

...

Hinata observa enfeitiçada enquanto Sasuke despe as roupas tranquilamente e ficando nu ele entra na cachoeira nadando até a nascente da cascata.

Hinata sente o rosto corado, se sente uma pecadora imperdoável. Como ela podia ser capaz de ficar ali espionando um homem nu enquanto se fazia passar por homem? Como podia?

-Você não vem? –Sasuke pergunta olhando-a. A luz do sol refletindo em seu corpo através da água. E Hinata percebe que seria capaz de fazer amor com ele.

-E-eu... Lembrei-me que não sei nadar... –ela gagueja envergonhada, mas sem conseguir esconder um sorriso.

-Como se esqueceu de algo assim? Você é meio doente não é?

Hinata ri suavemente.

-Sim, acho que um pouco.

Sasuke nada até ela e joga água contra ela, molhando-a. Hinata ri enquanto admira aquele homem. Nunca imaginou que esse era ele. Mas ela o compreendia, em seus dias escuros ela se escondia também, atrás da timidez, da gagueira, de um amor infantil e agora de roupas masculinas. Ela entendia porque ele se escondia atrás da frieza, da ironia cruel e da grosseria.

Hinata também foi machucada, ela também teve que se esconder da dor pra sobreviver, mas agora ela percebeu que não poderia mais se esconder. Ela precisava que ele a visse, ela precisava que ele soubesse quem era ela.

Foi então que Hinata percebeu, que não só poderia amá-lo, como já o amava.

...

Quando voltaram para o clã Uchiha, Hinata ficou pensativa. Como dizer? Como explicar o que não tinha explicação? Como poderia esperar que ele compreendesse um gesto egoísta que ela tivera? E mais, que não se arrependia, pois se não fosse por isso não o teria conhecido. Não o teria amado.

-Está mais silencioso que o habitual. –Sasuke comenta depois de voltar do banho e encontrá-la sentada no sofá olhando fixamente o nada e pensando na vida.

Hinata o encara. Ela o amava tanto. Não queria perdê-lo. Será que se ele soubesse... Será que ele a perdoaria um dia?

-Sasuke-kun eu preciso te contar uma coisa. –ela diz fitando os olhos escuros dele.

-Fale então. –ele responde fixando seus olhos nos dela.

Hinata se sente assustada, mas não podia ser covarde agora.

-Sasuke... Eu não sei bem por onde começar, mas... Eu não vim aqui naquele dia por causa dos motivos que disse, embora aquilo não fosse totalmente mentira... Sasuke, eu... Ah... Eu... Eu o amo. Eu amo você. Amo demais. Eu...

Hinata é interrompida quando sente os lábios dele nos seus. Ele havia se ajoelhado a sua frente e beijado a sua boca, se Hinata não estivesse sentada naquele sofá com certeza teria caído, suas pernas não tinham força suficiente pra suportar o peso daquele sentimento. Os lábios quentes e macios que ela sonhara por tanto tempo, o beijo fazia seu coração se sentir esmagado e sua alma infinita. Seu corpo ascendeu ao beijo dele, e ela já não era capaz de acreditar que um dia pensou que sabia o que era amor, porque o amor só começou a existir quando ela sentiu o seu coração ser aquecido pelos beijo do homem mais frio do mundo. O homem que ela amava. O homem que era quente apenas para ela. Mas...

Hinata começa a chorar fazendo Sasuke soltá-la e olhar para ela confuso.

-Não...Não pode ser...-Hinata diz desesperada enquanto as lagrimas vertiam por seus olhos.

-Qual o problema? Achei que quisesse depois dessa declaração.

-Eu quero. Eu quero mais que tudo. Mas... Sasuke-kun...Você é gay? –Hinata volta a chorar. –Você é sim, meu Deus, senão nunca teria me beijado...

-Ora e você não é? –Sasuke pergunta fitando o rosto dela com um sorriso travesso.

-Não. Eu não sou. Meu Deus. -só então Hinata se deu conta de que desde a declaração ela começara a falar com sua voz verdadeira, sem imitar a voz de um homem. –Sasuke eu me chamo Hyuuga Hinata, eu sou mulher... -ela diz tirando a peruca e olhando envergonhada nos olhos dele. –Eu...Eu não posso acreditar que a primeira vez que sou beijada é porque o homem que eu amo pensou que eu era homem...-Hinata geme recomeçando a chorar.

Então ela ouve a risada de Sasuke ecoando por todo seu coração.

-Você é muito boba mesmo. Achou que eu não sabia que era você? –Sasuke diz arrumando os cabelos dela que estavam caídos e bagunçados pela retirada brusca da peruca.

-Vo-você sabia que era eu?

-É claro que sim. Eu a vi naquele dia espiando o idiota do Naruto. Eu a segui por curiosidade e vi você comprando aquelas roupas e vindo para cá. Eu só não sabia o que você planejava.

Hinata estava boquiaberta.

-Não achou mesmo que eu levaria um marmanjo pra tomar banho comigo não é? Eu apenas achei que assim você revelaria seu segredo.

Hinata fica corada até as orelhas.

-Mas você não assumiu. Pelo contrario, você gostou de ficar me olhando sem roupa não é? –ele diz piscando pra ela.

-Sasuke...-ela geme envergonhada.

-Tudo bem, eu também te espiei varias vezes. Toda vez que você ia embora eu te seguia pra ter certeza que chegaria bem ao seu clã, e sempre dei uma espiadinha enquanto você trocava de roupa. Admito que fiquei admirado de você ser capaz de esconder os seus...-ele para quando vê que Hinata vai desmaiar.

-E-eu nunca te e-espiei... E-eu...

Sasuke sorri.

-Espiou sim. Mas isso não importa agora não é?

-Sasuke eu preciso pedir seu perdão. Eu vim aqui por um motivo puramente egoísta. Eu fiz tudo isso para você ficar, mas agora eu faria qualquer coisa pra não te ver partir...-Hinata diz sentindo os olhos arderem.-Sasuke eu amo você de todo meu coração.

-Eu perdoo você. Eu nunca imaginei que essa loucura me faria tão feliz. -ele toma seus lábios novamente em outro beijo e dessa vez Hinata sente que poderia flutuar.

-Case-se comigo? –ele diz com o rosto ainda muito próximo ao dela. Seus olhos a encarando intensamente.

-Sim...

Hinata sorri e o beija. Não era uma pergunta que precisava de resposta, porque aquela pergunta já havia sido respondia há muito tempo. Mesmo assim era sempre bom poder dizer seus sentimentos em voz alta finalmente.

-Eu te amo Uchiha Sasuke.

-Eu te amo Hyuuga Hino...

Hinata da uma gargalhada e o abraça caindo sobre seu corpo fazendo os dois rolarem no chão.

...

No casamento Shiro entrou com uma cestinha carregando as alianças. Sasuke usava um kimono tradicional preto com alguns detalhes em cinza e branco. E Hinata um kimono branco com pequenas e delicadas flores prateadas bordada pelo tecido. Ela segurava um buquê com lírios brancos. Estava tão linda.

A igreja inteira ecoa em comoção quando vê o noivo sorrindo. Algumas mulheres desmaiam. Alguns velhos dizem que aquele é o fim dos tempos. Sasuke Uchiha sorrindo... Não era possível. Só se fosse por milagre.

Mas nada mais importa. Sasuke finalmente encontrou um motivo para ficar. Porque agora o seu clã era dentro do coração dela.

Sasuke a beija quando ela chega até ele, e ambos riem sob os protestos do clérigo que disse que ainda não era a hora de beijar a noiva.

-Eu te amo Sasuke. –Hinata diz sorrindo docemente.

-Eu também amo você Hinata...

Hinata fica na ponta dos pés e o beija novamente fazendo o clérigo e os convidados irem à loucura em comoção, clamor e aplausos.

-Ainda não é a hora pra isso... -o clérigo protesta.

-Já passou da hora reverendo. Já passou da hora. -Hinata responde beijando o noivo novamente.

A igreja ovacionava e o clérigo fazia um sermão. Shiro latia feliz. Os amigos aplaudiam. Sasuke a toma nos braços fazendo-a se curvar e a beijando. Ele finalmente estava em casa.


Notas Finais


Obrigada por ler ❤🌻🐝


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...