1. Spirit Fanfics >
  2. O Hóspede >
  3. Ato VI

História O Hóspede - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Ato VI


Suigetsu emitiu um som baixo e incompreensível, durante sua patética e frustrante tentativa de se levantar, o que proporcionou a Hinata uma longa e demorada gargalhada, enquanto, a frente dela e interpondo-se entre ela e o seu décimo sétimo pretendente, Sasuke mantinha-se prostrado de pé, numa posição irredutível e atento a qualquer singelo movimento feito pelo homem que acabara de surpreender.

Evidentemente perplexo diante daquele encontro inesperado, o ex-companheiro de time do Uchiha piscou demoradamente os olhos, crispando as sobrancelhas numa tentativa desesperada de tentar compreender o que diabos tinha acabado de acontecer.  Até onde conseguia se lembrar das conversas informais com o atual Hokage,  Naruto nunca mencionou que Sasuke fosse próximo da  Hyuuga.  Levaria a algum tempo para que ele absorvesse aquela informação. Tossindo compulsivamente,  o prateado ameaçou se levantar, somente para levar uma rasteira inescrupulosa do shinobi de olhos negros como a noite.

—Em primeiro lugar, eu não sei do seu dinheiro. — titubeou o ex-Akatsuki, antes de ser violentamente erguido do chão. Ele arregalou os olhos, começando a tossir de verdade. Não era preciso ser muito inteligente ou mesmo um ninja experiente para temer seu agressor. Afinal, porra, era de Sasuke Uchiha com que estava lidando no momento. — E em segundo, eu não fazia à mínima ideia de que você e a Hinata se conheciam e em terceiro, será que dava para você por favor soltar o meu pescoço? — grunhiu, seu rosto começava a ficar avermelhado.

Sasuke, com toda a sua arrogância que lhe era característica, ignorou piamente as palavras do outro, exceto pela pergunta lhe dirigida.

—Quer que eu solte você? — inquiriu, divertindo-se com a expressão de idiota feita pelo outro, que assentiu bruscamente. — Você realmente quer que eu solte você? — ele assentiu mais uma vez e, Sasuke acatou a seu pedido, jogando-o  abruptamente para longe outra vez. — Suigetsu, você tem quarenta e oito horas para levar o dinheiro que me deve até a bouke, no distrito do clã Hyuuga ou eu vou fazer você voltar para a prisão de segurança máxima. — e em seguida, deu-lhe as costas indiferentemente, apenas para se deparar com uma Hyuuga bastante risonha. — Vamos pegar as garrafas de sakê e dar o fora daqui,hime.

Hinata concordou num aceno de cabeça, lançando seu olhar em direção ao Suigetsu,que demonstrou verdadeira e total perplexidade. Ela sorriu-lhe minimamente e gesticulou com os ombros,como quem dizia  silenciosamente não dar a mínima.

—Adeus, Suigetsu. Espero que você não volte a me perturbar. — e ao dizer isso, ela ergueu a cabeça para encarar os ninjas que irritantemente insistiam em seguir Sasuke; a Hyuuga rolou os olhos, com impaciência.

Iria dar um basta naquela situação constrangedora o quanto antes. Não era apenas o Uchiha que estavam começando a incomodar.

De volta a bouke, a kunoichi colocou ambas as garrafas de sakê sobre a mesa circular, disposta na sala principal da sua residência e então encheu os copos até o topo, oferecendo um ao seu hospede/segurança pessoal e outro, é claro, para si. Ela não se lembrava de ter rido tanto em toda sua vida desde o dia em que Hanabi foi flagrada aos beijos com Konohamaru dentro do quarto do próprio pai. Vê-lo flagrar a “filha perfeita” em situação tão descaradamente constrangedora foi a maior decepção enfrentada em toda sua vida, e nem mesmo aquela espetacular cena conseguia se comparar a da surra levada pelo interesseiro e arrogante Hozuki.

Estava óbvio para ela que havia tomado a decisão certa, ao contratar temporariamente Sasuke para enxotar seus candidatos.  Sorrindo largamente, ela ergueu o copo, sendo copiada pelo moreno, que encarava-a de volta.

—Um brinde ao melhor guarda-costas do mundo ninja! — declarou.

Os copos se tocaram, num tilintar abrupto e os dois riram abertamente, sentindo-se agradavelmente confortáveis o demasiado na presença um do outro.  Era inegável que a experiência havia sido divertida para ambos.

—Obrigado por me oferecer esse emprego, Hyuuga-san. Eu me diverti muito. — afirmou Sasuke, bebendo a grandes goles seu sakê, sendo imitado pela belíssima mulher sentada a sua frente, cujos olhos pareciam muito mais brilhantes que qualquer estrela prostrada no alto do céu.

—Acredite, Sasuke-kun, ninguém se divertiu mais do que eu. —  ela bebeu o sakê, deliciando-se com o gosto forte e suspirando, antes de rir. — Normalmente, eu mesma quebraria a cara deles, já cheguei a derrubar três ou quatro pretendentes desgraçados, mas — rolou os olhos, ficando vesga por alguns segundos, levando o Uchiha a rir. — Eu tenho uma imagem a zelar, e se eu quiser substituir meu pai, preciso me preocupar com a forma como as pessoas me vêem, entende?

—Entendo perfeitamente bem. — ele entornou o sakê, tal como a própria hospedeira. — É uma atitude bastante inteligente, inclusive. — elogiou-a. — Você será uma ótima líder.

—Obrigada. — ela fez uma breve mesura e Sasuke encarou-a demoradamente.  Os dois mantiveram-se num silencio doce, sem necessidade de importuná-lo com uma conversa desnecessária, limitando-se a apreciar a companhia um do outro, trocando olhares bastante significativos entre sis.  Os olhos claros e os escuros encararam-se por um minuto interminável, antes de a Hyuuga levantar-se subitamente,  estapeando o próprio quimono antes de estalar o pescoço.

—Vou preparar um yakissoba para nós. —informou.

—Eu ajudo você a prepará-lo. — ofereceu-se, ficando-se de pé. — Não gosto da posição de hóspede, embora não esteja reclamando da sua ajuda e do emprego arranjado, mas para um Uchiha o ócio é simplesmente... Desprezível.

—Sua ajuda será muito bem-vinda dentro da cozinha, Uchiha. Mas lembre-se de que é a parte da casa que eu odeio palpites desnecessários, está bem?

Ele mordeu a boca, reprimindo a vontade de rir e balançou a cabeça, seguindo-a silenciosamente em direção a copa.

Sasuke abriu os olhos, intrigado com os gritos que estava ouvindo e que surgia  do lado de fora da ramificação secundária. Sentou-se rapidamente na cama em que descansava e em seguida caminhou até a janela, para descobrir, através da mesma, a razão para tanta histeria ainda de manhã.  Ficou duplamente surpreso ao perceber que havia estava acontecendo um treinamento entre as irmãs Hyuugas, e mais ainda ao constatar que a garotinha que estava apanhando não era Hinata, muito pelo contrario, a morena, ele percebeu admirado, parecia pegar leve propositadamente. Ele piscou os olhos.

Ela estava concedendo a irmã uma falsa sensação de confiança para desarmá-la no minuto seguinte. Um sorriso mínimo surgiu em seus lábios, que estava claramente satisfeito com o que assistia. Hinata estava se revelando muito mais do que uma kunoichi gostosa e líder capacitada. Ele permitiu-se debruçar-se sobre a janela, concentrado no desenrolar do treinamento corpo a corpo.

Hinata, que usava camiseta e calça azul-escuro claramente dominava a situação, expressando seu melhor olhar de paisagem, enquanto a mais nova voltava a atacar-la incansavelmente, demonstrando uma irritabilidade cômica.

—Fala sério, Hinata. — pôde ouvir a mais nova, que também amadurecera muito bem, transformando-se numa mulher inacreditavelmente bonita,  respirar fundo antes de levantar-se, iradamente do chão, avançando na direção da primogênita. — Você só está fazendo isso porque o papai está olhando. — zangou-se.

—Não é verdade. — debochou a Hyuuga, antes de jogar os cabelos para cima, prendendo-os com a xuxinha que possuía em mãos. — Estou fazendo isso porque o Sasuke também está olhando e eu quero que ele saia daqui e diga para o Konohamaru o que acontece quando você toma um porre inteiro pelo fim de semana.

Hanabi sentiu as bochechas corarem furtivamente.

—A sua dependência alcoólica está começando a afetar sua habilidade em se desviar dos meus golpes —exclamou Hinata. — E é por isso que você vai continuar apanhando. — ao dizer isso,  concentrou uma quantidade considerável de chakra nos punhos.

A caçula emburrou-se,enquanto falhava mais uma vez em sua tentativa de esquivar-se dos golpes da mais velha, levando o próprio pai, a alguns metros de distância,assistir a cena com uma cara não muito amigável.

Sasuke permitiu-se sorrir orgulhosamente. Ver aquele velho maldito com cara de tacho pela manhã, foi simplesmente impagável. Mas ver Hyuuga Hinata colocando ele e os conselheiros em seus devidos lugares, foi extremamente prazeroso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...