História O idiota do meu irmão - Taekook - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 51
Palavras 3.038
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bom, já avisando que eu não fiz o Lemon taekook, pulei essa parte porque sinceramente eu não sei fazer isso, MAS EU JURO QUE VOU FAZER UNS LEMON TOP AÍ FUTURAMENTE, DESCULPA AÍ SE VOCÊ TAVA ESPERANDO PELA FODA DOS CARA.
Mas enfim, boa leitura.

Capítulo 2 - Change for the better


​Taehyung on

​Eu estava completamente aterrorizado observando a cena ao meu lado, Jungkook completamente nu, dormindo com uma expressão serena, desci meu olhar pelo seu corpo observando atentamente as marcas das minhas unhas, chupões pelo seu abdômen e pescoço. Eu havia passado o meu primeiro cio com a pessoa que eu menos esperava nesse mundo.

Levantei-me lentamente para não acorda-lo e senti uma leve pontada em meu pescoço, praticamente corri até o banheiro temendo ser o que se passou em minha imaginação, ao chegar no cômodo vou diretamente até o espelho, suspiro pesadamente antes de olhar para o meu reflexo. Arregalo meus olhos ao ver o que tinha em meu pescoço, Jungkook havia me marcado. Levei minhas mãos até minha boca cobrindo a mesma, sem acreditar no que estava acontecendo, eu não queria pertencer a ele, não desse jeito. 

Entrei no box e liguei o chuveiro deixando a água morna cair sobre meu corpo se misturando com algumas lágrimas que escorriam pelo meu rosto, eu estava completamente perdido, como posso pertencer a alguém que me odeia? O que será de mim daqui para frente? Peguei o sabonete e comecei a ensaboar meu corpo enquanto pensava em mil formas de iniciar uma conversa séria com Jungkook sobre isso, temos que chegar à um tipo de acordo, não podemos continuar com a mesma convivência, não com essa marca. Por outro lado eu me sentia aliviado pelo Jungkook não ter permitido que o Chanyeol realizasse tal ato, eu não iria conseguir encarar o Baekhyun depois disso.

O Baek sempre foi muito apaixonado pelo Chanyeol, ele sempre fala de seu sonho é passar pelo portão da escola de mãos dadas com o alfa, e provar para todas aquelas ômegas, que diziam ser um relacionamento impossível, que nada é impossível para ele. E pelo que eu já conversei com o Chanyeol, ele também parece um pouco interessado no ômega, mas diz que vai esperar até o momento certo para conversar com o Baek sobre isso, ambos soltam suspiros apaixonados quando se veem, e a parte fofa é que eles não percebem que fazem isso.

Termino o meu banho e me enxugo, logo saindo do banheiro com a toalha amarrada em minha cintura. Noto que Jungkook não estava mais em meu quarto e suspiro aliviado, me visto rapidamente e pego meu celular, envio uma mensagem para Baekhyun dizendo que precisava me reunir com ele e os meninos para termos uma conversa séria, e pedi para avisar aos outros. Guardei meu celular no bolso e saí rapidamente do meu quarto, desci as escadas e fui em direção a porta logo saindo de casa.

 

​Jungkook on

 

​Assim que abri meus olhos e me dei conta de onde estava, levantei e fui rapidamente para o meu quarto enquanto lembrava do acontecimento anterior, me repreendendo mentalmente por ter feito o que fiz. Taehyung deve estar me odiando, eu o tratei como lixo durante anos e no seu primeiro cio eu simplesmente o marco, onde eu estava com a cabeça? 

Tranco a porta de meu quarto e pego meu celular, vou na lista de contatos e ligo para o Chanyeol, minhas mãos estavam tremendo, não sei o que fazer. 

Ligação on

Chanyeol _ Alô? 

​Chanyeol, eu marquei o Taehyung _ Digo rápido tapando minha boca em seguida. _ Espera, eu não devia começar por essa parte...

​Chanyeol _ VOCÊ FEZ O QUE? 'TA LOUCO? OS AMIGOS DELE VÃO TE MATAR! "​Matar quem?" _ Pude ouvir uma voz ao fundo.​_ Jungkook marcou o Tae. ​_ Chanyeol pareceu responder a pessoa, que em seguida gritou algo que não consegui entender. 

​Com quem você está? _ Perguntei receoso. 

​Chanyeol _ Com o Byun Baekhyun, amigo do Tae. O encontrei no caminho e estou dando uma carona a ele até uma lanchonete onde o Tae está indo agora.  _ ​"EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ MARCOU O MEU BEBÊ, SEU FILHO DA PUTA, VOU ACABAR COM VOCÊ"​ _ Gritou o tal Baekhyun novamente. 

​Por que o Taehyung está indo à uma lanchonete? Desde quando fala com os amigos dele? Por que esse cara chamou o meu​ ômega de "bebê"? O que está acontecendo? CHANYEOL SEU TRAIDOR. _ Acabo me alterando, logo notando que me referi ao Tae como "meu ômega" _ Droga...  

Chanyeol _ ​"SEU É O CARALHO, ENLOUQUECEU?"​ _ Calma Baek, vamos resolver isso... Jungkook, se arrume e venha até a lanchonete, vou te mandar o endereço. 

​Chanyeol, o Tae...

​Chanyeol _ Apenas venha, vamos resolver isso. 

​Ligação off

Suspirei pesadamente e fui ao banheiro, logo entrando no box e ligando o chuveiro. Eu não me sentia totalmente arrependido do que fiz, só não queria ter feito desse jeito. Eu havia conversado com Chanyeol à um tempo, e falei para ele que iria preparar uma surpresa para o Taehyung como pedido de desculpa por todos esses anos, já estava na hora de parar de ser egoísta, além do mais, minha omma também ficava bastante abalada com meu comportamento. Ela sempre quis me dar um irmão para que eu não me sentisse tão sozinho quando ela estivesse trabalhando, por isso adotou o Tae, omma sempre conta da história de quando o adotou, ela entrou no orfanato e a primeira coisa que fez foi focar seus olhos em um garotinho sentado em um banco com alguns hematomas pelo corpo e chorando, ela se aproximou dele e disse que a primeira coisa que ele fez foi se encolher e cobrir seu rosto como se a ômega fosse o machucar. 

Taehyung diz não se lembrar de quase nada da época que morava no orfanato, e não se lembrava o motivo de estar machucado aquele dia, omma sempre desconfiou que ele era agredido de alguma forma ali pelas crianças maiores pelo fato de ser o único a estar machucado.

Apesar de odiar vê-lo se aproximar da minha omma, odiava mais ainda ver alguém se aproximar dele. Algumas vezes Taehyung chegava machucada em casa dizendo que alguns garotos bateram nele na escola, foi quando pedi para minha omma me colocar no mesmo colégio que ele, finalmente conhecendo Chanyeol lá. O alfa sempre foi pavio curto assim como eu, nós arrumávamos briga com qualquer um que olhasse torto para o Tae, Chanyeol era o primeiro a tomar a frente quando via alguém encurralar o Taehyung, ele o tratava como um irmão mais novo e isso também me incomodava, e por esse motivo eu e o Chanyeol passamos um tempo brigados. 

Tenho pequenos problemas em ser possessivo. 

~*~

Ao chegar na tal lanchonete vejo Chanyeol ao lado de algumas pessoas em uma mesa, Taehyung estava com a cabeça repousada no ombro de um rapaz, que eu tinha certeza que era um alfa, enquanto o mesmo acariciava seus fios. Respirei fundo e me aproximei da mesa, percebendo alguns olhares de ódio sobre mim, não vou negar que aquilo me deixou com medo. 

- Você está muito ferrado. - Disse Chanyeol me fazendo suspirar, abri a boca para dizer algo, mas fui cortado por um dos ômegas ali.

- Como ousa marcar o Taehyung? - Disse o mesmo, que pela voz deve ser o tal Baekhyun que gritava ao telefone enquanto eu falava com Chanyeol. - Já não basta tudo que fez ele passar? Agora ele vai ter que conviver com você para sempre? 

- Se fizer algum mal ao meu bebê, eu arranco o seu pescoço. - Disse o alfa que estava acariciando os fios do Tae, o metralhei com os olhos e ele fez o mesmo.

- Gente, vamos nos acalmar. - Um outro alfa que estava ali se pronunciou. - Se alguém precisa resolver a relação entre eles, esse alguém é o Jungkook e não a gente.

- Por que especificamente eu? - Perguntei o olhando incrédulo enquanto cruzava meus braços. 

- Nunca ficamos sabendo de nenhum mal que o Taehyung lhe fez. - Um ômega se pronunciou, me fazendo o encarar. - Se alguém precisa concertar as coisas, esse alguém é você. A única coisa que o Tae precisa fazer é tentar te perdoar. 

Ele estava certo, eu preciso me redimir com o Tae, pedir perdão por muitas coisas. Olhei para o "meu" ômega que permanecia calado, com o olhar baixo e aconchegado em seu amigo, como se temesse alguma coisa. Me aproximei do mesmo e o vi se encolher ainda mais nos braços do alfa.

- Tae, vamos conversar... - Digo baixo percebendo o olhar incrédulo de seu amigo em mim. - Só nós dois. - Completei e ele finalmente me olhou, seus olhos estavam marejados, ele parecia lutar para não desabar ali mesmo. 

Os amigos dele hesitaram em deixa-lo ir comigo, mas Chanyeol logo conseguiu convence-los. 

~*~ 

Eu estava andando de um lado para o outro na sala, enquanto Taehyung me encarava de forma confusa, eu queria me desculpar logo mas não sabia nem por onde começar, meu maior medo naquele momento é falar algo de maneira errada e deixar o Tae muito mal. 

- Olha... eu agia daquela forma com você porque eu tinha ciúmes, você sempre foi muito inteligente, compreensivo, obediente, sempre que minha omma precisava de ajuda ela te chamava... eu me sentia trocado. - Digo sem encara-lo, logo me arrependendo de ter começado por essa parte da coisa.

- Então... a culpa é.. minha? - Disse ele meio incerto.

- Não, não é sua culpa. Eu sempre fui muito egoísta e você sabe disso, olha Tae, nunca foi minha intenção fazer da sua vida um inferno, eu sei que nunca fui um bom irmão, mas mesmo assim você sempre foi tão carinhoso comigo que me deixava furioso, como alguém podia ser tão doce com alguém que lhe trata mal? Eu sei que você pode estar achando que esse sentimento repentino pode ser por causa da marca, mas não é, estou realmente arrependido e quero lhe compensar por tudo que te fiz passar. - Finalmente o encarei, seus olhos se prenderam aos meus fazendo meu coração acelerar, me aproximei e fiquei em sua frente. - Eu sei que você tem todo o direito de não querer me perdoar, só queria que ficasse sabendo que no fundo eu gosto sim de você, e me arrependo complet...

Taehyung me interrompeu envolvendo seus braços em meu pescoço, não pude deixar de me surpreender com tal ato. Aos poucos fui envolvendo meus braços em sua cintura e finalmente retribuí o abraço, Tae escondeu seu rosto na curva de meu pescoço me fazendo sentir algo pingar em minha pele. 

- Você está chorando? Eu disse algo que não devia? - Perguntei confuso e pude ouvir seu riso baixinho acompanhado de um soluço. 

- Você não tem ideia do quanto eu esperei para ouvir isso. - Disse ele me apertando mais em seus braços, aquilo fez o meu coração aquecer. 

Taehyung conseguia ser uma pessoa incrivelmente adorável, isso me fez rir nasalmente, em pensar que eu estava preocupado em fazer uma surpresa para ele quando o que ele realmente queria era um pedido de desculpas. Ouvi o barulho da porta abrir mas não me importei em ver quem era, estava ocupado mergulhando no cheiro doce que Taehyung, sua respiração batia calmamente em meu pescoço me fazendo arrepiar algumas vezes. 

- Eu achei que nunca veria isso. - Ouvi a voz da minha omma, que fez com que nos separássemos calmamente do abraço para encará-la, a ômega tinha um doce sorriso nos lábios e nos olhava de forma encantada. Mas seu sorriso logo sumiu ao focar no Taehyung, sua boca ficou em um perfeito formato de 'O' enquanto ela apontava para o ômega. - MARCADO? POR QUEM? COMO? O QUE FIZERAM COM A MINHA CRIANÇA? 

- Omma, Tae teve o primeiro cio. - Digo segurando o riso ao ver a reação da mais velha. - E ele é um ômega, e eu o seu alfa. 

- Eu já sabia que você é um alfa, Jungkook! - Disse ela se aproximando de Taehyung rapidamente, analisando desesperadamente o corpo do mesmo como se esperasse que algum órgão lhe fora arrancado. Logo ela parou e me encarou, seus olhos desceram para o meu pescoço e em seguida ela olhou novamente para o Tae, como se estivesse encaixando todas as peças. - Eu não estou acreditando! 

- Omma, eu posso explicar.. - Taehyung parecia estar ficando nervoso, eu apenas segurava o riso já sabendo o que viria. - Jeon, diga algo! - Completou, eu abri a boca para finalmente falar, mas minha omma me interrompeu. 

- VOCÊ FEZ SEXO COM O MEU FILHO? - A ômega gritou dramaticamente enquanto me encarava incrédula e ao mesmo tempo surpresa. 

- Eu também sou o seu filho, oras. - Digo cruzando os braços sentindo uma pontada de raiva, logo respirando fundo. 

- MAS O TAE É UM BEBÊ! - Gritou novamente erguendo sua mão como se fosse me dar um tapa. - EU NÃO POSSO SAIR DESSA CASA POR ALGUMAS HORAS, QUE MEUS FILHOS JÁ FODEM ENTRE SI. - Continuou gritando e começou a gesticular com as mãos o que havíamos feito, me fazendo gargalhar. 

- OMMA! - Taehyung repreendeu a mais velha cobrindo as mãos da mesma. - Não faça isso, é constrangedor. 

- O QUE? ISSO? - Ela se livrou das mãos do mais novo e repetiu o gesto, fazendo Taehyung corar e pegar uma almofada para cobrir o rosto. - QUANDO CRESCERAM TÃO RÁPIDO? - Me surpreendi ao ver a ômega começar a fingir seu choro, cobrindo seu rosto de forma dramática. - LIMPARAM OS LENÇOIS, NÃO É? NÃO SOU OBRIGADA! 

- Omma, vá tomar um banho. - Digo tentando acalmar a mesma, a ômega empinou seu nariz e foi andando em direção as escadas, subiu batendo os pés como uma criança, me fazendo rir. Olhei para o ômega que mantinha seu rosto coberto e tirei lentamente a almofada, o fazendo olhar para mim. - Vamos jogar? - Seus olhos brilharam ao ouvir minha pergunta, mas logo sua expressão alegre foi substituída por uma de desconfiança. 

- Não vai me enganar, sempre que me chamava para jogar ia correndo para o seu quarto e batia a porta na minha cara. - O ômega foi em direção às escadas. Ri nasalmente e fui até ele, o carreguei e subi as escadas rapidamente sem me importar com os tapas que o mesmo depositava em mim. - OMMA, JUNGKOOK ESTÁ ME SEQUESTRANDO. 

NÃO ME ENVOLVA NA SUA VIDA SEXUAL! -​ Gritou a mesma que deu quarto enquanto passávamos pelo corredor, me fazendo gargalhar. 

Ao chegarmos no quarto coloquei o ômega deitado em minha cama e fui até a televisão para ligar o jogo, lhe entreguei um dos controles e o deixei escolher um jogo. 

~*~

- Aigo, você esta trapaceando. - Choramingou Taehyung ao perder mais uma partida, ele então largou o controle e cruzou os braços. - Não vou mais jogar! - Completou formando um bico em seus lábios, me fazendo rir. 

- Não estou, você que não sabe jogar. - Digo dando de ombros e rio novamente ao ver seu olhar cético em mim, desligo o jogo e me levanto do chão logo indo para a minha cama. Encaro o ômega que ainda estava no chão com pernas de índio enquanto brincava com seus dedos, dei dois tapinhas no lugar ao meu lado e ele me olhou. - Vem aqui, Tae. 

- Não! - Respondeu baixo cruzando seus braços novamente. 

- Se não vier, eu irei. - Digo tentando parecer ameaçador, ele arregalou os olhos e levantou as pressas logo correndo para fora do quarto. Eu gargalhei e me levantei, logo o seguindo. 

O vi descer as escadas correndo e corri atrás dele, ao perceber que eu me aproximava e gritou e foi em direção à cozinha. - OMMA! - Ouvi a voz do ômega e ri de forma divertida, ao chegar na cozinha vejo Taehyung atrás da mais velha, me aproximei com um sorriso ladino em meus lábios e vi o ômega fazer um bico. 

- Aigo, não se aproxime. - Disse o mesmo com sua típica voz manhosa. 

O ignorei e com cuidado tirei minha omma da frente fazendo Taehyung pular quase apavorado, o puxei pela cintura fazendo o mesmo de desequilibrar e cair, me lavando junto. 

- Agora você esta perdido! - Digo me sentando em cima dele para o prender entre minhas pernas, começo a fazer cocegas enquanto o ômega lutava para sair. 

- Parem meninos, na minha cozinha não. - Disse a omma e eu logo a obedeci, levantei e ajudei o ômega a se levantar também. 

O mesmo me encarou de forma raivosa e eu não pude deixar de achar isso adorável, virei para a ômega, que nos encarava de forma encantada enquanto mantinha suas mãos em sua cintura. Percebo Taehyung sair da cozinha e vou atrás dele, ao perceber que eu o seguia ele andou mais rápido, o que me fez ficar confuso. 

- Tae? - O chamei ao ver o mesmo entrar em seu quarto, ele não me respondeu, apenas deitou em sua cama e encarou o teto. Me aproximei do mesmo e deitei ao seu lado, fazendo-o me encarar. - O que foi?

- Não é nada. - Ele disse me puxando para mais perto e se aconchegando em meu corpo, no inicio eu hesitei um pouco, mas logo o envolvi em meus braços permitindo que ele escondesse seu rosto em meu peito. Naquele momento pude sentir a melhor sensação da minha vida, era como se Taehyung me lançasse um feitiço a cada vez que eu me aproximo dele, pois eu me sentia totalmente perdido em seu cheiro, nada mais importava. - Promete que vai realmente mudar comigo? - Perguntou apoiando seu queixo em meu peito para me encarar. 

Por um momento me vi perdido em seus olhos, eu nunca tinha reparado no quanto os olhos do ômega são bonitos. Memorizei cada traço de beleza que Taehyung tinha, cada detalhe de seu rosto, ele é realmente perfeito. 

- Prometo. - Digo olhando em seus olhos, deposito um selar em sua testa e o mesmo volta a esconder seu rosto em meu peito. De repente uma emoção enorme se fez presente, mas eu percebi que não vinha de mim e sim do Tae, encarei suas bochechas e percebi que o ômega estava sorrindo. 

Taehyung é realmente precioso.

 

 


Notas Finais


OI


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...