1. Spirit Fanfics >
  2. O inferno de Taehyung >
  3. Capítulo 09

História O inferno de Taehyung - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Olá como vocês estão?
Boa leitura!

Capítulo 9 - Capítulo 09


 

Na quarta-feira seguinte, Jungkook estava caminhando para fora do edifício do departamento após o seminário do Professor Emerson, quando ouviu uma voz familiar chamar por ele. 

— Jungkook? Jeon Jungkook é você? 

Ele virou ao redor e foi arrastado para um abraço tão apertado que achava que ia engasgar. 

— Rachel! — Ele conseguiu dizer, lutando por ar. 

A magra menina de cabelos loiros gritou em voz alta e abraçou Jungkook novamente. 

— Eu senti saudades. Eu não posso acreditar, faz tanto tempo! O que você está fazendo aqui? 

— Rachel, eu sinto muito. Sinto muito por tudo e por sua mãe e... Tudo. 

Os dois amigos ficaram quietos, compartilhando suas tristezas abraçados por um longo tempo. 

— Eu sinto muito por ter perdido o funeral. Como está seu pai? Jungkook perguntou, enxugando as lágrimas. 

— Ele está perdido sem ela. Nós todos estamos. Ele está afastado por licença em Susquehanna, agora, tentando resolver algumas coisas. Eu estou de licença também, mas precisava sair. Por que você não me disse que estava aqui? — Rachel o censurou, chorando. 

Os olhos de Jungkook mudaram desconfortavelmente de sua amiga para o Professor Taehyung, que tinha acabado de sair do prédio, ele ficou de boca aberta olhando para ele como se fosse um bacalhau. 

— Eu não tinha certeza se ia ficar. As primeiras semanas foram realmente duras.   

Rachel, que por todas as contas era muito inteligente, percebeu a estranha energia um tanto conflituosa irradiando entre seu irmão adotivo e seu amigo, mas no momento ignorou a situação. 

— Eu estava simplesmente dizendo a Taehyung que vou cozinhar para ele esta noite. Venha para casa com a gente. 

Os olhos de Jungkook se arregalaram ficando redondos, e parecia levemente em pânico. 

Taehyung limpou a garganta. 

— Ah, Rachel, tenho certeza que a Sr. Jeon está ocupado e tem outros planos. Jungkook observou o seu olhar, cheio de significado, e começou a acenar com a cabeça, obediente. Rachel virou-se. 

— Sr. Jeon? Ele era meu melhor amigo na escola, e nós temos sido amigos desde então. Você não sabia disso? Rachel procurou os olhos de seu irmão e não viu nada, nem sequer um lampejo de reconhecimento. 

— Esqueci que vocês nunca se conheceram. Independentemente disso, sua atitude é um pouco demais. Faça-me um favor e perca um pouco dessa sua superioridade. Ela virou ao redor para ver Jungkook engolir a língua. Ou pelo menos é o que parecia que ele estava fazendo, pois quase ficou azul e começou a tossir. 

— Nós deveríamos nos encontrar para almoçar, em vez disso. Tenho certeza que o Professor... Seu irmão quer ter toda a sua atenção. Jungkook forçou um sorriso, consciente do fato de que Taehyung estava olhando fixamente para ele e atirando adagas com o olhar sobre a cabeça de sua irmã. 

Rachel estreitou os olhos. 

— Ele é Taehyung, Jungkook. O que há de errado com vocês? 

— Ele é meu aluno. Existem regras. O tom de Taehyung começou a mudar cada vez mais frio e hostil. 

 — Ele é meu amigo, Taehyung. E eu digo para quebrar as regras! 

— Rachel olhou entre seu irmão e seu amigo e viu Jungkook olhando para 

seus sapatos e Taehyung carrancudo com os dois. 

— Será que alguém, por favor, pode me dizer o que está acontecendo? 

Quando nem Jungkook nem Taehyung responderam, Rachel cruzou os braços na frente do peito e estreitou os olhos. Ela considerou brevemente a observação de Jungkook sobre as primeiras semanas de universidade e sobre ter sido áspera e chegou a uma conclusão rápida. 

— Kim Taehyung Emerson, você tem sido um imbecil com o Jungkook? 

Jungkook sufocou uma risada, e Taehyung franziu a testa. Apesar do silêncio coletivo, a reação de ambos teria sido o suficiente para contar a Rachel que a suspeita estava correta. 

— Bem, eu não tenho tempo para isso, é um absurdo. Vocês dois vão ter que se beijar e fazer as pazes. Eu só estou aqui por uma semana, e espero passar muito tempo tanto um como com outro. Rachel agarrou cada um deles pelo braço e arrastou-os para o Jaguar. 

Rachel Clark não era nada parecida com o seu irmão adotado. Ela era assistente do secretário de imprensa do Prefeito de Filadélfia, que parecia importante, mas realmente não era. Na verdade, a maioria de seus dias ela passava vasculhando os jornais locais buscando qualquer menção sobre o prefeito ou tirando xerox de comunicados da imprensa. Em dias favoráveis, ela era autorizada a atualizar o blog do prefeito. Na aparência, Rachel tinha traços finos e era esbelta, com cabelo liso e longo, sardas e olhos cinzentos. Ela também era muito extrovertida, que por vezes tinha deixado seu irmão mais velho irritado, pois era muito introvertido. 

Taehyung manteve seu lábio firmemente pressionado durante o trajeto ao seu condomínio, enquanto os dois conversavam no banco de trás como dois colegiais, rindo e relembrando. Ele não gostaria de passar uma noite com os dois, mas sua irmã estava sofrendo no momento, e ele não estava disposto a fazer qualquer coisa que lhe acrescentasse desgosto. Logo duas das três pessoas estavam subindo feliz no elevador no Edifício Manulife, um luxuoso e impressionante arranha-céus na Bloor Street. Quando eles saíram do elevador no andar de cima, Jungkook percebeu que havia quatro portas que se abriam para o corredor. Uau! Estes apartamentos devem ser enormes. 

Uma vez que Jungkook entrou no apartamento e seguiu Taehyung através do pequeno salão, entrando em sua sala, percebeu o porquê de ele ter ficado tão ofendido com seu apartamento. O apartamento era espaçoso e glorioso do chão ao teto, possui cortinas de seda azul-gelo penduradas para o sul em direção a Torre CN e acima do Lago Ontário. O piso era de madeira, escura e rica, com tapetes persas, e as paredes eram de um claro marrom-acinzentado. Sua mobília da sala de estar parecia como se tivesse sido escolhida para a Restauração do Hardware, e variava de um grande sofá de couro castanho chocolate da marca nailhead, com duas poltronas de couro combinando, as poltronas laterais, de um estofado veludo vermelho, estavam no canto ao lado da lareira. 

Jungkook olhou para as lindas poltronas vermelhas e a sala de Taehyung, como tudo combinava, e sentiu um pouco de inveja. Seria o lugar perfeito para se sentar em um dia chuvoso, enquanto tomava uma xícara de chá e lia um livro favorito. Não que ele nunca fosse ter essa oportunidade. A lareira era a gás, e Taehyung havia suspendido uma televisão da tela plana de plasma sobre a verga da lareira como se fosse uma pintura. Várias peças de arte, pinturas a óleo, esculturas que decoraram as paredes e alguns móveis. 

Ele tinha peças com qualidade de museu, jarros romanos, jarros gregos intercalados com reproduções de esculturas famosas, incluindo A Vênus de Milo, Apolo e Daphne de Bernini. Na verdade, pensou Jungkook, ele tinha esculturas demais todos nus,mas não havia fotografias pessoais. Jungkook achou legal, mesmo que meio estranho, que ele tivesse fotos em preto e branco de Paris, Roma, Londres, Florença, Veneza e Oxford, mas não havia fotos dos Clarks, nem mesmo de Grace. 

Na sala ao lado, perto da grande mesa de jantar formal, havia uma estante de ébano. Jungkook notou sua riqueza e vastidão apreciativa. Ela estava vazia, exceto por um vaso de cristal grande e uma bandeja de prata ornada onde estavam várias garrafas de cor âmbar contendo líquidos, uma caixa de gelo e vidros antiquados de cristal. Pinças de gelo de prata completaram a vinheta, inclinado por uma pilha de pequenos quadrados, guardanapos de linho branco com o T.O.E. em iniciais bordadas neles. 

Em resumo, o apartamento do Professor Taehyung era esteticamente agradável, decorado com bom gosto, escrupulosamente limpo, intencionalmente masculino, e muito, muito frio. Jungkook perguntou brevemente se ele trazia alguém para casa, para este espaço frio, então ele tentou não imaginar o que ele fazia com quando as trazia ali. Talvez ele tivesse um espaço para esses fins, de modo que elas observassem suas coisas preciosas... Ele passou a mão em toda a fria bancada em granito, preto na cozinha e estremeceu. 

Rachel imediatamente pré-aqueceu o forno e lavou as mãos. 

— Tae, por que não dá a Jungkook um Grande Tour por aqui enquanto eu começo o jantar? 


Notas Finais


espero que tenham gostado e até amanhã. ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...