História O Inimigo da Nação - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Star Wars
Personagens Kylo Ren, Rey
Tags Ben Solo, Drama, Guerra, Rey, Reylo
Visualizações 171
Palavras 1.278
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, xuxus! Como vocês estão??
Sei que ainda não respondi os comentários do capítulo anterior, mas quero muito agradecer por eles!!
Eu espero que gostem desse capítulo de hoje ;)

Capítulo 5 - V - Compassion


O dia seguinte é estranhamente calmo.

Ela não está no quarto com ele e não aparece durante o dia inteiro.

Sua perna direita dói um pouco menos do que há três ou quatro dias atrás, mas há outra coisa incomodando dentro dele como uma pedra em um sapato.

Suas memórias agora estão o assombrando, e continuam o atormentando pelos próximos dois dias. A culpa nunca pareceu ser mais pesada do que agora, especialmente quando ela entra na sala para fazer seu trabalho, trocando a bolsa com o líquido transparente, a bandagem em sua perna, verifica a febre e sai sem nem olhar para ele.

Seu olhar frio é terrível. Mas Ben descobriu que sua indiferença era ainda pior.

Quando outro dia começa, nada acontece. Ela nem aparece quando é hora de comer.

A comida é sopa mais uma vez, para não incomodar seu sistema digestivo, que deveria estar sensível sob a influência da morfina que ele não está tomando.

Ainda assim, ele come tudo e se prepara para ir ao banheiro. Todo esse líquido o faria urinar o dia todo se ele não se controlasse.

Ele vai abrir a porta do banheiro com a perna instável e fraca. Ben coloca as mãos na parede para segurar o peso do corpo, fraquejando algumas vezes e grunhindo, por causa da frustração de não ser capaz de mijar como um ser humano decente e também por causa da dor. Ele não consegue ficar muito tempo de pé com sua perna naquela estado.

Ele está suando e grunhindo os dentes enquanto tenta voltar para a cama sem cair no chão.

E como se ela sentisse que ele estava com problemas, Rey entra na sala. Ele está encostado na porta e lhe dá um olhar sério, um pedido de ajuda nada orgulhoso. Ela apenas olha para ele primeiro, o observando enquanro ele mal consegue se manter de pé. Sua pressão sanguínea está caindo, a náusea está voltando, porque ele ficava deitado o dia todo. Sua visão começa a ficar embaçada também. Ele vai cair a qualquer momento se ela esperar mais.

- Por favor, me ajude a voltar para a cama! - ele mantém a voz baixa.

Rey hesita. Seu punho está fortemente cerrado quando finalmente dá os passos para alcançá-lo. Como no dia em que ele caiu no banheiro, ela rodeou os braços em volta da cintura dele e colocou obraço dele sobre os seus próprios ombros, carregando-o para a cama como um rato carregando um leão.

Ela era tão pequena.

Quando ele sentiu a suavidade da cama e finalmente conseguiu se deitar devidamente, ela se afastou dele rapidamente. Suas mãos agarrando o tecido de seu uniforme como uma necessidade, como se ela quisesse se desfazer do toque dele.

Ela ainda não olhou para ele. Rey foi até a bolsa suspensa, trocando por uma nova e dando uma olhada rápida em sua temperatura corporal.

Ela escreveu alguma coisa na ficha dele e já estava se preparando para deixá-lo novamente. Quando a voz finalmente sai de sua boca.

- Me desculpe! - ele diz. Um sussurro baixo e fraco, mas ele sabe que ela ouviu. Seus olhos castanhos olham para ele como se ela estivesse com medo e raiva ao mesmo tempo.

Sua expressão é confusa e ela não diz uma única palavra antes de sair pela porta.

***

Na manhã seguinte, ele acorda com o barulho de passos dentro do quarto. Ele abre os olhos para ver o médico verificando-o. Rey também está lá, parada ao lado da cama, observando o médico analisar o estado da perna de Ben.

Quando o médico sai da sala, ela fica ali de costas para ele, os braços lado do corpo, ainda em silêncio, por um bom minuto inteiro.

Ela então se vira lentamente e abre a porta do banheiro sem dizer uma palavra e desaparece lá dentro. Ben não se move nem fala, incapaz de ler esse comportamento dela.

Ele ouve a água correr por um momento.

Ela está de volta segurando uma bacia, uma esponja e um sabão. Ele está inquieto ao ver que ela está evitando o olhar dele.

- É hora de tomar banho! Já faz dois dias desde o seu último. - ela diz como um robô.

Ela embebe a esponja com a água e esfrega o sabão nela.

Quando ela lava a mão esquerda de Ben, com cuidado, ele tem medo de se deixar acreditar que isso não é uma armadilha. Até a água não é gelada, como nas outras vezes.

É morna.

É gostoso.

É bom sentir a água morna contra sua pele.

Ela faz círculos no seu antebraço, bíceps, axilas. Molha a esponja e começa de novo, fazendo o mesmo com o outro braço.

Ben deixa a cabeça cair suavemente contra o travesseiro, relaxa os ombros, engole e exala uma longa respiração enquanto fecha os olhos por um instante, aproveitando a sensação.

Seu peito sobe e desce quando ela passa a esponja lá com um toque suave, e ele suspira de contentamento. Mas Ben tenta o seu melhor para manter as pálpebras abertas e uma expressão neutra no rosto.

No entanto, suas mãos seguram o lençol com apreensão quando ela chega ao seu estômago. Ela para antes de chegar aos quadris dele.

Ele está aliviado, mas também pensa consigo mesmo que havia entendido o plano dela. Ela vai lavar tudo, mas não as partes que mais precisa.

É só quando ela começa de novo com cada um dos seus pés que ele pensa que sabe o que ela está realmente fazendo.

Pensativo, ele ri amarga e sarcasticamente dentro da própria cabeça. É amargo a sensação de se sentir tocado daquela forma doce pela mulher que o estava torturando há semanas. Ele acha engraçado o fato de ela está mostrando um pouco de decência afinal.

Ela lava os pés com muito cuidado, uma espécie de ternura, mantendo uma expressão fechada, e ele não é capaz de não suspirar novamente com a sensação. Ela ainda não olhou para ele, e isso o incomoda.

Ela faz círculos em suas pernas. Ele estremece quando ela se aproxima de suas feridas, mas ela consegue não machucá-lo. Retirando a bandagem com cuidado e limpando o ferimento com uma delicadeza que ela ainda não havia mostrado a ele.

Ele percebe apenas como as mãos dela são delicadas. E, pela primeira vez, ele realmente presta atenção nela. Seu estômago se retrai ao ver a pele das mãos de Rey danificada. Queimaduras nas mãos que sumiam pelos pulsos cobertos pelo uniforme.

Ele tenta não olhar e não pensar sobre isso. Fixa seus olhos no teto e aproveita a sensação antes que ela volte a tratá-lo com crueldade.

Ele fica duro sem querer quando ela finalmente alcança seu membro, e agora é ele quem procura outro lugar para olhar desesperadamente, sentindo o pescoço e as orelhas queimarem com a vergonha. Ela não comenta nada sobre isso para o alívio dele.

- Sente-se na beirada. Preciso trocar os lençóis antes de lavar as costas. - ela pede com uma voz suave.

Isso é uma mudança. Normalmente, ela apenas dá ordens para ele sem justificar qualquer uma delas, e Ben deve admitir que é bom vê-la dizendo a ele por que ela faz o que faz. Ele obedece, corpo fraco ao se sentar sozinho enquanto ela puxa o resto dos lençóis.

Ela troca a água, coloca-o de frente, lava o resto de seu corpo em silêncio.

Quando ela termina, Ben sente algo estranho.

Ele odeia sentir compaixão por ela quando ela claramente não merece.

Ela não merece nenhuma compaixão.

- Obrigado! - diz ele, contrariando seus pensamentos.

Seu rosto se volta para ele. Ela olha para ele com raiva.

E então, vai embora.


Notas Finais


Hoje, a Rey resolveu ser menos má com o Ben!
Ele pediu desculpas, mas ela não levou muito a sério não hahahaha
O que vocês acham que vai acontecer agora? Por que vocês acham que a Rey está irritada com o Ben?

Beijoooos 😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...