1. Spirit Fanfics >
  2. O intercâmbio. >
  3. Capítulo X.

História O intercâmbio. - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Este capítulo está bem chatinho, mas é apenas é preciso para a continuação da história e para ser a porta de entrada para o capítulo seguinte.

Capítulo 10 - Capítulo X.


Fanfic / Fanfiction O intercâmbio. - Capítulo 10 - Capítulo X.

-Como assim você beijou o Vreth? –Pergunta Diana totalmente histérica.

-Não foi bem um beijo. –Sarah puxa a mão da amiga e a força a voltar a se sentar, as duas amigas estão sentadas no banco da quadra de esporte da faculdade. -Foi apenas um selinho inocente.

-Ah claro, porque dar um selinho no seu crush finlandês não é nada demais. –Diana revira os olhos.

-Talvez ele só estava um pouco alterado por causa da cerveja, ou algo do tipo. Sarah dar de ombros.

-Álcool não é desculpa, nunca será. -Diana coloca as mãos nos ombros de Sarah.

-Você usou como desculpa para apalpar o Warlord.- Sarah retira as mãos da amiga de si e lança um sorriso vitoriosa.

-Não estamos falando de mim.-Diana cruza os braços e olha a sua frene, aonde algumas garotas jogam vôlei.

-De qualquer maneira, foi apenas um selinho e não quer dizer nada, já se passaram dois dias e ele não me enviou uma mensagem sequer. –Comenta Sarah também prestando atenção nas garotas na quadra.

-Talvez só esteja criando coragem para falar com você. -Diana olha de soslaio para Sarah, para animar à amiga.

-Tá tudo bem, não espero nada dele, nem tem como esperar, ele é famoso, dever ter muitas garotas aos seus pés e eu não faço o tipo dele. –Sarah se levanta e pega sua mochila.

-Como sabe que você não é do tipo dele?-Pergunta Diana encarando a amiga.

-Não sou uma super modelo. Sou apenas uma estudante comum. -Sarah coloca a mochila nas costas e se distancia de Diana.

     Diana balança a cabeça e também se levanta e pega sua mochila e segue em direção contraria a Sarah indo para a sua aula.

   Sarah empurra a porta da sua sala de aula quando seu telefone começa a vibrar dentro de sua mochila, a garota coloca a mochila em cima da mesa e retira seu aparelho celular, na tela pisca o nome de Vreth e ela sente sua mão tremer quando atende a ligação.

-Você deve estar ligando para a pessoa errada. –Sarah sorrir durante a ligação.                              

-Porque eu estaria?-Mathias pergunto confuso.

-Sei lá, não vejo motivos óbvios para receber uma ligação sua. -Sarah puxa sua cadeira e senta.

-Só liguei para te dar uma bronca mesmo.-Lillmans gargalha, fazendo Sarah tentando segurar o riso.

-Porque?-Questiona curiosa.

-Saiu do Tavastia sem se despedir, faz isto sempre ou apenas fui o escolhido para ser ignorado?-Vreth usa entonação séria, deixando Sarah preocupada.

-Eu estava de carona com uma amiga da Diana, quando quiseram ir embora tive que acompanha-los, não podia abusar da boa vontade dela. -Explica enquanto tamborila os dedos da mão livre sobre a madeira de sua mesa.

-Irei acreditar desta vez, mas não abuse da minha boa vontade também. –Brinca Lillmans acompanhado de uma risada.

-Oh claro, terei cuidado, mas não garanto nada. -Rebate divertida.- Ah, preciso desligar, minha professora acaba de entrar em sala. –Informa ao ver a professora abrir a porta da sala de aula.

-Desculpa, não sabia que estava estudando. Conversaremos depois. –Mathias se despede e encerra a ligação.

   Com um enorme sorriso no rosto Sarah guarda seu celular na mochila e retira seu material para a aula. A garota esqueceu de colocar o aparelho tradutor e só percebeu que não estava prestando atenção em nada que  a professora dizia quando ela saiu de seus devaneios e percebeu que não entedia nada que a professora falava. Ela rapidamente colocou os fones e começou a ouvir tudo em inglês.

  No horário de almoço Diana e Sarah se encontraram no refeitório principal e dividiram a mesa com mais vários estudantes. Eni tinha algumas coisas para resolveram e não pode ficar almoçar com as duas brasileiras.

-Droga, acho que meu chip parou de funcionar. –Reclama Diana enquanto tenta mandar uma mensagem a sua irmã.

-Durou até muito. –Diz Sarah antes de encher a boca de frango assado.-Terá que trocar seu chip para um finlandês.

-Irei ter o maior trabalhão para salvar os contatos no novo número. –Choraminga Diana.

-Ou você pode não salvar nenhum número antigo e deixar livre para novas amizades. -Brinca Sarah.

-Eu não irei perder contato com a minha família. Você não salvou o número da sua família?-Questiona brincalhona.

-Não. -Responde Sarah séria.

-Tá brincando né?-Diana ergue a sobrancelha e olha para a amiga.

-Não, é a verdade, não tenho nenhum contato com o passado neste meu novo número. -Sarah dar alguns tapinhas na mochila, aonde seu celular está guardado.

-E porque não?

-Você sabe que minha relação familiar não é feliz como a sua. Eles não sabem que estou aqui e me sinto finalmente livre. -Responde Sarah com a voz bastante baixinha.

-Porque você nunca fala da sua família? Eu sou sua amiga, pode desabafar comigo.-Diana olha preocupada para a amiga, que evitava encará-la.

-Não vale a pena falar sobre isto, não quero estragar meu recomeço com lembranças ruins. -Sarah sacode a cabeça, como se tentasse distanciar os pensamentos de sua mente.-Lillmans me ligou antes da aula. -Diz para mudar o assunto.

-E sobre o que conversaram?-Diana aceita a mudança de assunto, mesmo que não queira isto.

-Ele só perguntou por que fomos embora sem se despedir, tivemos que parar quando a professora chegou. -Sarah dar de ombros.

-Vocês vão acabar namorando. –Implica Diana.

-Não faço oposição a isto. –Sarah sorrir.

   Duas semanas depois:

      Com o passar dos dias as obrigações universitárias se faziam presentes com mais frequência, dando pouco tempo para que Sarah e Diana conversassem, já que tinham que fazer os trabalhos com suas respectivas turmas e quando se encontravam a noite logo o sono as dominavam e cada uma iam para o seu quarto descansar.

    Os finais de semanas as brasileiras também não tinham muito tempo juntas, já que se encontravam com seus colegas de sala para estudarem e fazerem trabalhos. Mas quando a noite de sábado chegou elas combinaram de caminhar juntas.

     Sarah bate na porta de Diana e ela sai do quarto andando igual um pinguim, devido ao tanto de roupa que usava para se proteger do frio.

-Você prefere ficar aqui não?-Pergunta Sarah ao ver a amiga.

-Nem pensar, não vim para a Finlândia para passar meus finai de semana presa no quarto. –Diana fecha a porta e a tranca.- Quero aproveitar ao máximo.

-E você consegue andar assim? –Pergunta Sarah apertando o braço da amiga, que dar impressão que ela é musculosa.

-Claro que dou. –Diana dar de ombros e começa a andar.

     Diana tem seus movimentos limitados e caminhava devagar com um certa dificuldade, mas divertida ao ver de Sarah, que também está usando roupas quentes, mas não de forma exagerada como a amiga.

    Como havia chovido a tarde toda, as ruas estavam molhadas e algumas pequenas poças se encontravam na rua, mas já não chovia mais. E como em qualquer momento, o clima não parece incomodar as pessoas, que continuam andando alegres pelas ruas ensopadas. As brasileiras seguem o aplicativo de mapas que as guiavam até uma pizzaria próxima.

-Sarah, o que é isto?-Pergunta Diana chutando algo no chão.

-Não sei. –Sarah se agacha e olha melhor para o que Diana chutou. –Parece gelo. -Diz triscando com cuidado.

-Sério?-Diana se ajoelha com dificuldade ao lado da amiga e observa o pequeno motinho de gelo. –Será que isto é neve?

-Espero que não, é muito duro, sempre imaginei que gelo era algo mais macio. –Sarah pega o motinho na mão. –Parece gelo de geladeira.

-O que vocês estão fazendo?

     As garotas vêem um par de botas vermelhas próximos a elas e levantam o olhar até olharem para o rosto e Warlord as observando. Nygard está usando uma blusa do Exército, calças pretas e o cabelo preso, acompanhado de um sorriso sem mostrar os dentes.

-Nunca vamos poder sair por Helsinki sem dar de caras com você?-Pergunta Diana se levantando.

-Não é a minha culpe, a cidade é pequena. -Mathias sorrir e aponta para a mão de Sarah.- O que está fazendo?

-Hey, isto é neve?-Pergunta Sarah curiosa e levantando-se e mostrando o montinho em sua mão.

-Não é bem neve, é o início de uma, é comum acontecer no outono, mas veem em pouca quantidade e logo derrete. -Responde educadamente.

     Sarah coloca o montinho de volta no chão e limpa as mãos na calça.

-Isto significa que a neve se aproxima?-Diana abre um enorme sorriso em seu rosto e observa o vocalista.

-Neva mesmo em outubro. -Mathias pega na blusa de Diana e sorrir. -E faz um frio absurdo, senhorita Pinguim. -Brinca.

-Outubro, chegue logo por favor. -Sarah encara os céus e cruza as mãos.

-Estão apenas procurando gelo em descongelamento?-Pergunta Nygard olhando para Diana.

-Na verdade estamos indo comer pizza, querem ir conosco?-Diana mostra a tela do celular para o vocalista, aonde mostra o mapa que estão seguindo.

-Eu topo, mas esta pizzaria é horrível, conheço uma bem melhor.-Warlord aperta o “X” no celular de Diana, fechando o mapa no aplicativo. –Me sigam e lhe mostrarei a melhor pizza da região.

     As duas brasileiras concordam em seguida o vocalista e propositalmente Sarah enrolou para acompanhar Diana e Mathias e os deixaram andando sozinhos alguns passos de distância sua frente. Uma rápida ideia surge na mente de Sarah, que pega seu celular do bolso do casaco e abre a câmera, tentando ser discreta, ela levanta o aparelho e bate uma foto dos dois. Diana e Nygard andam consideravelmente próximos um do outro e trocaram olhares a cada segundo durante a conversa, fazendo com que Sarah sorria com a situação.

   O trio chega na entrada da pizzaria, que igual ao Tavastia não parecia a fachada de uma pizzaria que elas estão acostumadas a verem no Brasil. O prédio também parece ser antigo e quase um monumento histórico, com uma fachada sofisticada para apenas uma simples pizzaria. A enorme janela do local dar visibilidade total ao interior e contém apenas uma placa neon com algo escrito em finlandês, que Sarah presume ser algo como “Aberto”, já ao lado da janela tem uma porta de madeira com pequenos vidrais e acima uma placa com o nome da pizzaria, que Diana e nem Sarah conseguem entender o que esta escrito.

   Mathias abre a porta e segura para as duas garotas entrarem, Diana dar um passo em direção a porta, quando o telefone de Sarah começa a tocar. A brasileira atende o telefonema, enquanto é observada pela amiga e por Mathias.

-Eu preciso voltar para a faculdade, parece que fiz algo errado no meu trabalho e tenho que enviar por e-mail amanha.- Diz Sarah ao desligar a ligação.

-Claro, vamos voltar. –Diz Diana olhando para a amiga.

-Nem pensar, você fica aqui e experimenta a pizza. Você não tem que perder seu dia livre por minha causa. Acredito que o Mathias não se importa em te fazer companhia. -Sarah olha para Mathias que acena positivamente. –Nos vemos amanha, tchau.

         Sarah se distancia rapidamente, para não dar tempo para Diana contestar.

-E então, vamos entrar?-Mathias volta a abrir a porta da pizzaria e olha para Diana.

-Claro. –Responde com um sorriso singelo no rosto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...