1. Spirit Fanfics >
  2. O Irmão da Minha Melhor Amiga >
  3. Jantar de boas vindas

História O Irmão da Minha Melhor Amiga - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


... E vamos de surtos.

Capítulo 2 - Jantar de boas vindas


Fanfic / Fanfiction O Irmão da Minha Melhor Amiga - Capítulo 2 - Jantar de boas vindas

Abrir os olhos é algo realmente difícil quando se está tendo um sono perfeito, dou alguns tapinhas na cama buscando um travesseiro ou algo para poder tapar meu rosto, essa claridade realmente está incomodando, essa tentativa teve êxito, mas sinto algo estranho ao passar a mão pela cama uma segunda vez, abro os olhos e levanto minha cabeça na tentativa de conseguir identificar melhor o que é aquilo. Minha mão pousava sobre aquele peitoral, ele parecia calmo enquanto dormia, sua respiração é leve e sua face é de paz, até parece que estou descrevendo alguém que acabou de morrer, credo. Tento me livrar de seu toque, porém foi falha, o moreno agora me abraçava e quase não consigo respirar, minhas narinas estão em seu pescoço, o cheiro é realmente agradável, pude sentir que ele acariciava meus cabelos e logo respirou fundo.

Continuei o encarando, sua barba por fazer, seu peitoral com alguns pelos e sua mão próxima ao abdômen, minha curiosidade falava mais alto... Claro que me lembro do que fizemos noite passada, porém eu precisava matar ainda mais minha curiosidade. Levantei o cobertor e pude ver que o moreno vestia uma cueca Box azul marinho, de certa forma isso me aliviou, porém eu me assustei um pouco ao ver o volume mesmo dentro do tecido era bem marcado, engoli minha própria saliva e abaixei o cobertor, percebo que estou vestido com uma camiseta enorme, provavelmente do homem deitado a meu lado. Meu pai me mataria se soubesse que acabei indo embora da festa de Lydia e que passei a noite com um completo estranho, meus amigos com certeza irão comemorar o fato de finalmente eu ter saído com alguém depois do que me aconteceu com Theo há algum tempo atrás, olho meu celular e vejo que já é quase meio dia, acho que ambos estamos cansados pelo fato da noite passada ter sido agitada para nós dois, eu não sabia dessa minha capacidade de passar horas transando com alguém, e esse homem deitado do meu lado parece ser insaciável. Vejo que Scott enviou-me algumas mensagens, diversas chamadas perdidas e áudios me xingando em todos os palavrões possíveis e em diferentes idiomas. Sento-me na cama e vejo o moreno ainda dormir, que mal teria se eu simplesmente fosse embora e o deixasse aqui? Não, que tipo de pessoa eu seria se fosse embora sem ao menos me despedir? Foi apenas uma noite, não que isso vá acontecer mais vezes e não que o veja novamente, ele deve ser algum dos amigos de Jackson da tal faculdade que Lydia falou que viriam para festa, quem me garante que o verei uma segunda vez?

Cuidadosamente me levanto e começo a buscar por minhas roupas, o quarto é realmente enorme, a cama está bem no centro, porém não consigo achar minhas calças e sapatos, saiu do quarto e dou de cara com um corredor, se esse cara mora sozinho por que um loft desse tamanho? Desço as escadas e estou na sala, lembro-me da noite anterior e foi bem naquele sofá que tudo começou as taças de vinho ainda estão sobre a mesinha do centro, e depois de tanto procurar achei meus Jeans jogados atrás do sofá, um pé de meu tênis estava próximo à geladeira e outro junto à varanda, minha camisa não fora difícil de achar a mesma estava bem pendurada na televisão da sala, as outras vestes jogadas não são pertencentes a mim, mas riu ao lembrar-me de minha dificuldade para abrir o zíper do Jeans do moreno.

Por sorte a porta estava aberta e sair não foi um problema, o problema era conseguir um táxi justo próximo à zona portuária de Beacon, eu estava a uns vinte minutos do centro, isso indo de carro, mas andando isso levaria mais tempo, o jeito é tentar pegar um carro de aplicativo, porém a maioria estava a cancelar a corrida, olho as horas e já são meio dia e meia, um táxi passou e finalmente consegui entrar no mesmo e ir diretamente para casa de Lydia, envio um torpedo para ruiva dizendo que estava a caminho de sua casa e a ajudaria a organizar tudo, com toda certeza a casa estaria um verdadeiro caos por conta da festa de noite passada.

Paguei ao motorista e logo na varanda pude ver que vários copos de bebida estavam espalhados pelo local, dentro da casa não estava tão bagunçado, afinal Scott e a ruiva já estavam quase terminando de organizar a cozinha.

- Finalmente apareceu a margarida, pelo visto teve uma noite ótima. - O queixo torto foi quem disse, ele tinha um saco preto de lixo em mãos enquanto pegava alguns dos copos espalhados.

Sentei-me em um dos bancos do bar da cozinha, Lydia estava lavando a louça, ela tinha luvas laranja em suas mãos, provavelmente para não sujar suas mãos de gordura e suas unhas.

- Achei que Jackson ficaria para ajudar com a bagunça. - Falei colocando minhas chaves e celular em cima do balcão.

- Ele foi o segundo a se mandar, já que você foi o primeiro com um bonitão.

Meus olhos quase saltaram para fora com a fala da garota, olhei para Scott e o mesmo levantou as mãos em sinal de rendição.

- Já estamos acabando aqui, mas você já pode ir começando a contar quem ele é e como foi à noite!

Lydia sempre fora assim, não tem uma fofoca que ela não fique por dentro, ela se nomeia de comentarista da escola, sempre atenta a todos os boatos, ela e Cora se tornaram melhores amigas por conta das fofocas e por são inseparáveis até hoje, Alisson também fazia parte do inseparável trio de comentaristas da escola, mas sua família decidiu voltar para França.

- Se eu conheço bem vocês Cora já deve estar sabendo que eu dormi com um cara, e se a noite eu vou ter de repetir tudo novamente eu prefiro esperar e contar tudo de uma vez.

- Isso não é justo! - Agora era o moreno com saco de lixo quem se manifestava o que arrancou risos meu e de Lydia.

- Por aqui não teve nenhuma fofoca ou confusão?

A garota fechou a torneira e retirou as luvas deixando as sobre o balcão, sentando no balcão ela aproximou sua face do meu ouvido.

- Scott quase chorou quando viu Isaac beijando o garoto do primeiro ano que quase se afogou na piscina.

Não faço a menor ideia de quem seja esse garoto, mas se ele conseguiu chamar a atenção de Scott para algo negativo, boa sorte para ele, pois ter esse queixo torto como inimigo não é nada bom.

- Eu ainda não acredito que você saiu para dar uma rapidinha ontem à noite, quer dizer, Stiles o todo certinho?

Chutei a perna de Scott que começou a pular enquanto segurava a mesma, ele se queixava de dor, porém não dei importância.

- Passei a noite inteira com aquele cara, como pode ter sido uma rapidinha?

Lydia gargalhava para minha fala.

- Ok, vamos deixar isso para outra hora, eu ainda tenho cabelo e pele para cuidar antes do jantar na casa da Cora e se eu não estiver perfeita nem de casa irei sair, afinal estamos falando do filho mais gato de Talia Hale...

- Mas ela só tem um filho homem!

Scott podia ter ficado com sua boca fechada, porém não o fez, Lydia agora deu um beliscão em seu braço que fez o mesmo passar a mão diversas vezes no local.

-

Após nossa conversa na casa de Lydia o queixo torto me deixou em casa para que eu pudesse descansar um pouco, o jantar na casa dos Hales seria às sete da noite e já se passavam das três da tarde, eu teria muito tempo para relaxar meu corpo e escolher com cuidado uma boa roupa, meu celular tocou e vi a foto de meu brilhar na tela do objeto.

- Stiles, ah, graças a Deus você atendeu esse telefone, o que aconteceu e por que não me atendeu das primeiras oito vezes que liguei?

Esse tom eu conheço bem, meu pai está agindo com preocupação e como xerife da cidade, como sempre faz até mesmo comigo que sou seu próprio filho.

- Eu estou bem pai, só dormi até tarde na casa da Lydia, estive com dor de cabeça por conta da música alta, nem bebi se é isso que o senhor quer saber!

O velho murmurou algo antes de falar com alguém que estava na presença dele, eu continuava a revirar meu guarda-roupas em busca de algo para usar mais tarde.

- Apenas liguei para dizer que não me espere acordado, ficarei até tarde, farei ronda hoje e assim que terminar irei para casa.

- Sim senhor, as portas e janelas já estão trancados, mas hoje irei jantar na casa de Cora, alguma coisa de boas vindas pro irmão mais velho dela.

Consegui ouvir a respiração funda de meu pai, isso não significaria boas coisas.

- Tudo bem Stiles, quando eu chegar conversaremos melhor sobre essas suas saidinhas, não quero discutir por telefonema.

Concordei com sua fala, como sempre meu velho tem razão no que diz, encerramos a ligação e eu voltei minha atenção para meu guarda-roupas novamente, minha vontade de ir a esse jantar é completamente nula ainda mais depois de ter tido essa conversa com meu pai. Entendo sua preocupação, sei que lhe causei problemas me envolvendo com Theo, mas isso foi há um ano, as coisas eram diferentes e eu tentava tapar um buraco que para mim nunca fora preenchido, uma dor que não consigo esquecer, mas da forma que fiz foi a mais errada de todas e por isso dou total razão a meu pai e a suas palavras.

Quando me envolvi com Raeken eu afastei todos meus amigos de perto de mim, Cora e Lydia foram as mais prejudicadas com minhas atitudes, pois eu não queria nem vê-las pintadas de ouro, Scott fora o único quem eu afastei aos poucos, porém o tapa final foi pensar que o vazio dentro de mim estava sendo preenchido por Theo quando na verdade ele cavava esse buraco mais fundo dentro de mim e despertava o pior de meus sentidos. Enquanto eu desistia de todos e principalmente de mim mesmo, meus amigos pareciam ir à contra mão de meus pensamentos e atitudes, foi Lydia quem me deu o tapa inicial e Cora jogou a última pá de terra no Stilinski idiota que eu era quando estive com Theo, MacCall fora diferente, nunca saiu do meu lado mesmo eu o afastando, mesmo eu o envolvendo em problemas e em mais brigas e de certa forma isso fortaleceu nossa velha amizade e criamos ainda mais confiança um no outro, assim como meu pai que confia cegamente em meus amigos.

Finalmente consigo escolher uma boa roupa, um jeans escuro com uma camisa preta e meu velho xadrez por cima, separo os mesmos e me jogo na cama, meu corpo está completamente exausto minhas costas doem e meu quadril está o próprio pó, acho que exagerei noite passada com aquele cara, mas com certeza ele deve estar em um estado pior que o meu.

-

Narração na terceira pessoa

 

À noite para o moreno de olhos verdes realmente fora divertida, ter encontrado aquele jovem rapaz de pele clara com diversas pintinhas espalhadas pelo corpo, à maneira como se conheceram foi a mais engraçada para si, o tadinho do mais baixo havia caído de cara no chão sem derrubar a garrafa de cerveja, era de se admirar. Porém a falta de educação do mesmo era mais do que notória, geralmente era Derek quem ia embora sem se despedir da pessoa com quem passou a noite, e essa é a primeira vez que isso acontece consigo ser deixado para trás sem nenhum tipo de explicação se quer, sem bilhetes ou números trocados, e pensar que o mais velho tinha gostado da noite passada, o garoto era alguém divertido com um bom papo, o que é bem raro de se encontrar hoje em dia, o prazer que ambos sentiram foi algo além do carnal e Derek sabia bem disso, ambos haviam enlouquecido de prazer, tão tal que se passaram horas e os dois ainda estavam juntos gemendo de prazer.

Há tempos o Hale não se sentia dessa forma, há tempos que não encontrará alguém com quem tivesse passado horas transando sem sinal de cansaço durante o ato, mas tudo não passou de uma noite e tudo que ficaram foram lembranças de um momento de puro prazer, e a cueca vermelha deixada pelo rapaz de cabelos castanhos, Derek tinha o objeto em mãos e o observava atentamente, um sorriso se fez presente em sua face, será que veria o dono de tão bela peça? Só o destino saberia, mas por via das dúvidas era bom guardar, não só a caso de devolver a mesma, mas como uma ótima lembrança daquela noite.

Seu dia hoje seria cheio, na verdade sua noite, mesmo estando na cidade há dois dias, sua família não sabia de nada disso, seus planos agora eram outros, ficar na casa de seus pais estava completamente fora de cogitação, então antes de seu retorno o moreno falou com seu tio para que ele pudesse arrumar um lugar para que ele pudesse ficar o que Derek não esperava era que Peter conseguiria um apartamento tão bem decorado para si, pelo que soube aquele é o loft em que o mais velho passou alguns anos antes de se mudar de vez para a mansão na reserva. A casa de seus pais é realmente confortável, com sete quartos, um jardim enorme e piscina, porém já está mais do que na hora de correr com suas próprias pernas, seu retorne para cidade é para ficar perto de sua família, esse é seu desejo, fincar raízes em Beacon e aquietar um pouco seu coração e espirito aventureiro, sua juventude foi bem vivida, mesmo tendo vinte e quatro anos e uma vida longa pela frente.

Derek não reclamaria afinal ele entende bem sua mãe, tudo que a mulher quer é ter os filhos por perto, e poder ajudar no crescimento de todos eles, fora assim com Laura que é a mais velha dentre os irmãos, a mulher agora era formada e mesmo assim vivia na mesma casa dos pais, não apenas por uma questão econômica, mas pelo fato de Laura sempre ter sido alguém muito apegada ao pai e estar distante dele estava fora de cogitação, a mais velha é alguém totalmente dedicada a sua profissão, sem tempos para relacionamentos e coisas que possam interferir em sua ambição, o que para Talia é algo fora do normal, cedo ou tarde a filha vai sentir a vontade de criar uma família e de se tornar mãe, vontades essas que já se passavam na mente de Derek, ter sua família, alguém que quando o moreno chegue de um dia cansativo de trabalho possa abraçar e esquecer o dia exaustivo e dos problemas, uma pessoa que recarregue suas energias só com uma troca de olhares, alguém que o moreno possa dedicar total confiança e expressar todos os dias o quanto ama esse ser.

Graças aos seus sua família fora mente aberta quando o rapaz revelou sua bissexualidade, mesmo seu pai não entendendo muito bem do que se tratava essa coisa de BI, ele não interferiu afinal a filosofia de sua família é que o mais importante é a felicidade, não importa de onde ela venha, se algo te faz feliz lute por essa felicidade, e por isso Derek era grato todos os dias, mesmo quando decidiu viajar ao redor do mundo com uma mochila nas costas, sua mãe foi totalmente contra o rapaz largar a faculdade de Engenharia para se aventurar, porém não o impediu, era isso que ele queria fazer naquele momento, era isso que fazia seu filho feliz então não interferiria na felicidade do jovem. Foram diversos os momentos em que pensou em voltar para casa, foram muitas as dificuldades que passou nessa sua descoberta, porém a experiência foi incrível, conheceu lugares que apenas tinha visto por fotografias, conheceu pessoas e histórias ao longo dessa jornada e disso o rapaz não se arrepende.

As horas realmente passavam rápido, e quando se estava perdido em lembranças e pensamentos é que as horas voavam, o relógio marcava seis em ponto, o moreno conhece bem sua mãe e os Hales são conhecidos por sua pontualidade, um carro de aplicativo já o aguardava do lado de fora de seu prédio, o homem já estava devidamente vestido e com uma mochila nas costas, deixaria algumas coisas na casa de sua família, afinal foram três anos de viagem e o mínimo que podia fazer era ter comprado alguns presentes para as irmãs e para seus pais.

Narração em primeira pessoa, Stiles.

Chegar à casa dos Hales não fora difícil, um carro de aplicativo foi capaz de me deixar na casa que fica distante da cidade, o caminho fora tranquilo e agora eu me encontrava sentado na cadeira de escritório que Cora usava para mexer em seu computador, Lydia havia retirado seus sapatos de salto alto e estava deitada na cama da Hale trocando mensagens com seu namorado, Scott parecia emburrado sentado no chão do quarto e a dona do cômodo penteava seus cabelos.

- Não creio que deixastes um cara desses dormindo e simplesmente desses no pé, você tem um parafuso a menos na cabeça só pode!

Cora falava, seu tom era alto e tudo por conta do que lhe contei do ocorrido na festa de ontem a noite, tanto ela quanto os outros dois presentes pareciam não acreditar de eu ter passado a noite com um cara e ter fugido na manhã seguinte sem ao menos dar alguma explicação ou pegar seu número de telefone.

- Não está errado Stiles, muitos caras já fizeram isso conosco! – A ruiva partiu em minha defesa, porém isso não fez com que eu me sinta melhor.

A garota que finalizava seu penteado apontou a escova para a outra garota e concordou com a cabeça.

- Foi apenas uma noite, não é como se esse cara fosse cair dos céus nos meus braços.

O rapaz de queixo torto gargalhou para minha fala, o que é tão engraçado assim que ele não pode conter essa risada?

- Você não aguentaria com esse cara, digo, você mesmo disse que um braço dele é uma coxa magricela sua.

O tom de Scott era de puro deboche, porém eu não gostava e nada quando ele tirava sarro com a minha cara.

- Estás falando isso por que eu passei a noite com alguém e você foi trocado pelo pirralho do primeiro ano?

Uma de minhas sobrancelhas estava erguida para a pergunta que fiz, eu vi Scott se enfurecer e as meninas se olharem com seus olhos quase saltando para fora. O rapaz sentado cruzou seus braços e virou sua face para o lado direito.

- Eu nem se quer fui escolhi para ser trocado por aquele bebê de fraldas! – Sua fala era em um tom fofo, mas ainda assim podíamos sentir raiva em cada palavra que saiu de sua boca.

Lydia jogou uma almofada bem na face do mesmo que quase caiu no chão.

- Não é escolhido por que não toma uma atitude, e bem feito do Isaac ter ficado com a criança ao invés de você!

MacCall fez beicinho para a fala da garota. Finalmente Cora estava pronta, ela vestia jeans e uma blusa com um unicórnio estampado, algo bem alegre e feliz para chegada de seu irmão, seus cabelos estavam soltos, porém bem penteados e agora estávamos prontos para descermos ao andar de baixo, onde sua família aguardava a chegada do rapaz. Meus amigos e eu nos sentamos no enorme sofá da sala de Tv, algum seriado passava, porém não dei muita atenção, a matriarca da família junto de seu marido estava pondo a mesa, eu sempre me perguntei o motivo de uma casa tão grande não ter empregados, quer dizer, eles têm dinheiro suficiente e vivem uma vida mais do que confortável, duas vezes na semana uma senhora vem para manter a casa em ordem, mas nunca vi empregados ou cozinheiros. Fui arrancado de meus raciocínios pela campainha, pude ver um enorme sorriso aparecer na face do casal, o que fez a garota ao meu lado revirar os olhos e sua irmã mais velha respirar fundo.

Talia correu para a porta e abriu o objeto de madeira, minha curiosidade aumentava a cada beijo que ela dava na face do homem de cabelos pretos, ela sorria e abraçava o mesmo, quando a cabeça do rapaz encostou-se a seu ombro foi que pude ver melhor seu rosto e não pude acreditar no que meus olhos viam, é ele, o cara com quem dormi noite passada. Meus olhos arregalaram-se quando mãe e filho se desfizeram da troca de caricias, ele agora olhava a enorme sala e pude ver que o mesmo estava tão surpreso quanto eu. As possibilidades dançavam em minha mente, o homem com quem tive uma noite incrível e dei no pé é na verdade irmão mais velho de Cora, o tal aventureiro, merda! Tantos caras pra eu dormir eu tinha de ter pegado justo o irmão da minha amiga? Não tinha como eu saber que ele é irmão dela, quer dizer, as fotos que eu vi dele são de três anos atrás, nunca que eu ia imaginar que o garoto que usava aparelhos e tinha as sobrancelhas juntas se tornaria esse gostoso.

- Eu fiz seu prato favorito e quero que você conheça algumas pessoas que começaram a fazer parte da nossa família enquanto você esteve fora!

A mulher passou seu braço pelas costas do homem, ele deixou sua mochila no chão e adentrou o cômodo ao lado de sua mãe, mas seus olhos não foram tirados de mim um minuto se quer, por sorte ele havia passado para o outro lado do cômodo e ninguém percebeu que o mesmo me secava com aqueles olhos esmeraldas.

Laura se levantou de sua poltrona e foi em direção à mãe e ao irmão, vi ambos se abraçarem e sorrirem de algo, não consigo tirar meus olhos dele e de suas ações...

- Você não disse que seu irmão era um gato! – A ruiva afirmou falando um tanto baixo para que o homem não ouvisse. – Você nem se quer foi abraçar ele, que tipo de irmã é você?

Cora estava entediada com a fala da outra, e eu começava a não gostar daquilo também.

- O tipo de irmã que o quer longe, ele dentro desta casa e vocês irão ver que minha adolescência foi um verdadeiro inferno!

Essa história eu conhecia muito bem, na época eu não era tão próximo de Cora e nem frequentava sua casa, mas sei que aquele cara mesmo de aparelho e sobrancelhas juntas era um verdadeiro escroto e que vivia proibindo a mais nova de fazer o que tinha vontade, a porta do quarto mesmo com seus pais em casa sempre aberta para que ele pudesse fiscalizar o que ela fazia, vestidos no comprimento dos joelhos e sem blusas decotadas.

- Eu não ligo, só quero poder comer logo, estou faminto! – Scott disse fazendo todos olharem para ele.

- Quando é que você não está com fome? – Perguntei vendo que o queixo torto mostrou a língua para mim.

Risadas nos fizeram olhar em direção ao outro cômodo, eles pareciam se divertir em uma conversa aleatória, suponho que algo de viagem do rapaz. Laura veio até nós e nos convidou a nos juntarmos a ele, pois todos iriamos poder desfrutar da boa comida feita pela matriarca. Juntamo-nos aos adultos, eu estava sentado do lado esquerdo de Cora e direito a Lydia, a minha frente estava o tão ilustre Derek Hale, ele tentava, mas não conseguia parar de me olhar, apesar de seus tacos estarem bem no prato a sua frente seus olhos buscavam uma resposta, resposta essa que eu não sei bem do que se trata.

- Eu soube que você viajou ao redor do globo durante três anos, quais os lugares você mais gostou de conhecer?

Scott parecia empolgado ao falar com o moreno a seu lado, ambos trocavam sorrisos em meio a essa amável conversa que está a me dar náuseas, sei bem que tudo que o imbecil com o queixo torto quer é puxar o saco do lobo em pele de cordeirinho.

- Japão com toda certeza, na verdade a maioria dos países asiáticos, foi tudo novo e completamente diferente pra mim, então foi a melhor experiência.

A conversa sobre as diversas aventuras de Derek Hale continuaram, ele contou sobre o que viu na África, sobre como andou de elefantes na Índia, o dia em que pulou de paraquedas próximo a uma vinícola de uvas em Portugal, e para finalizar nos contou sobre o carnaval no Brasil e em como o país é rico em cultura não apenas em um estado. Realmente é de se admirar, para um homem com apenas vinte e quatro anos ter experiências tão ricas deve ser algo gratificante, porém nem todos podem desfrutar dessa mordomia de viajar ao redor do mundo com uma mochila nas costas. O jantar havia se encerrado, Cora ajudou sua mãe a retirar a louça, Scott foi o primeiro a ir embora com Lydia em sua moto, eu já havia solicitado um carro de aplicativo para que pudesse ir para casa, observava atentamente o céu estrelado e a meia lua iluminando a enorme tela escura. Passos me fizeram olhar em direção a porta, ele esticou o corpo quando cruzou a porta, seus olhos pousaram diretamente sobre mim e pude sentir minhas bochechas queimarem, o moreno parou a meu lado.

- Eu quero te perguntar uma coisa... – Ele ainda me encarava com o mesmo olhar de mais cedo, ainda sedento por respostas.

- Só uma? – Levantei minha sobrancelha para ele, o moreno sorriu.

- Por favor, me diz que você não é namorado da minha irmã e que eu não dormi com meu cunhado?

Agora era minha vez de gargalhar.

- Se essa era sua única preocupação pode ficar tranquilo, sua irmã e eu somos apenas ótimos amigos.

Voltei minha atenção para minha frente, o portador dos olhos verdes deslizou sua mão pelas minhas costas e pude sentir a mesma apertar minha nageda, minha única ação foi dar um tapa em seu pulso para que ele parasse com aquilo.

- Que foi? Ontem você não hesitou quando eu fiz isso, ou quando eu mordi você todinho. – Sua expressão agora era diferente, sua voz era mais suave e seus olhos estavam sedentos por outra coisa. – Ainda consigo ver as marcas que deixei em você.

Ele olhava para dentro de minha camisa, mesmo meu peitoral não estando tanto exposto ele conseguiu ver bem o estrago que me causou.

- O senhor parece querer uma parte dois. – Agora eu estava no mesmo tom provocativo que ele. – Mas lamento informar, eu não fico com aventureiros, ainda mais quando são irmãos de amigas.

Eu estava praticamente em cima dele, ele se apoiava pelas palmas das mãos na cerca da varanda e eu mantinha o contato visual com ele, sua respiração era falha, nem eu mesmo sabia que podia ser tão provocante assim. Uma buzina me fez desviar o olhar, o carro de aplicativo havia chegado e eu já estava pronto para ir, porém antes que eu pudesse dar um único passo o moreno segurou em meu pulso e me virou para si olhando bem nos meus olhos, seus lábios foram bem próximos a meu ouvido e pude sentir um arrepio.

- Você foi o primeiro a fugir sem pegar meu número ou ao menos ter me acompanhado no café da manhã.

- Eu tinha coisas mais importantes a fazer do que pegar o telefone de um cara que não quero encontrar novamente.

O que era tão engraçado? Ele ainda tinha esse sorrisinho no rosto e isso começava a me dar nos nervos.

- Uma pena que não queiras repetir a dose, assim não preciso devolver sua cueca vermelha que você esqueceu no meu apartamento.

Olhei em seus olhos e pude ver uma expressão alegre aparecer em sua face, ele piscou rapidamente as sobrancelhas e então foi que percebi, a peça intima na qual voltei para casa mais cedo é da cor branca, sendo que sai com a vermelha.

- Faça bom uso dela, guarde como lembrança de algo que não irá acontecer novamente!

Eu já tinha certa distancia dele, mas foi quando comecei a descer os degraus que ele gritou.

- Você vai me procurar novamente, sempre acabam procurando! – O Hale mantinha seus braços cruzados na altura de seu peitoral, aquela pose de confiança, como eu desejo acabar com ela.

Abri a porta do veiculo e olhei para ele uma última vez, aqueles orbes verdes ainda me encaravam e aquele sorriso ainda estava em seu rosto.

- Eu já fugi de você uma vez lembra? O que te faz pensar que eu vou te procurar?

Minha expressão era de puro deboche, eu mesmo podia ver pela janela do carro, o motorista não entendia nada, apenas olhava para mim pelo retrovisor.

- Escreva o que eu digo você vai pedir por mais coelhinho, e quando você vier me procurar eu vou te receber de portas e braços abertos.

Balancei minha cabeça em negação.

- Vai sonhando vovô!

Foi tudo que falei antes de entrar no carro, minha última visão foi daquele sorriso nojento que o moreno tinha no rosto. Pervertido, ele nem foi tão bom assim, quer dizer, estou com marcas de arranhões e chupões, mas isso significa nada, ele nem se quer é meu tipo! Espera qual meu tipo de cara? Definitivamente irmãos de amigas não estão na lista de homens com quem eu passaria a noite, porém eu já passei a noite com ele, que mal teria em repetir a dose? Não, sem chance, ele é o irmão que Cora mais odeia então o melhor é se afastar e fingir que aquela nunca aconteceu. Será que eu consigo fazer isso?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...