História O irmão postiço - Capítulo 16


Escrita por:

Visualizações 1.842
Palavras 2.966
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 16 - Sensação de calor


Fanfic / Fanfiction O irmão postiço - Capítulo 16 - Sensação de calor

Naruto decidiu que era melhor fazer suas pesquisas em seu celular.

Naquele dia, ele e Sasuke se despediram de seus amigos em frente a casa laranja e o moreno, como de costume, foi direto tomar um banho. Naruto ainda repetia a palavra dita pelo amigo ruivo na mente, com medo de esquecer. Foi direto para cozinha ajudar Sasuke com o que precisava, mas logo o Uchiha o liberou pra tomar seu próprio banho.

Foi no banheiro, trancado e nu, que começou a procurar sobre a tal chuca.

Abriu o primeiro link que apareceu, virando a cabeça e coçando a orelha enquanto lia algo sobre “sexo anal higiênico”. Rolou a tela mais pra baixo, vendo os enunciados e franzindo o cenho. A palavra “mangueirinha” foi o que o fez prestar mais atenção ao texto.

Por essa, ele realmente não estava esperando.

٭

Lee estava deitado de costas para o colchão com Gaara sobre si.

O ruivo beijava suas bochechas e seu pescoço enquanto o moreno exibia um sorriso e alisava cada parte do corpo pálido que conseguia alcançar. Os olhos verdes se ergueram, divertidos e Lee puxou-o para lhe dar um beijo demorado. O Sabaku, aproveitando a posição, passou a friccionar o próprio corpo contra o do namorado enquanto continuava o ósculo.

— Você é tão perfeito – o moreno disse, abrindo um pouco os olhos para encarar a face corada do outro – Te amo.

Gaara amava isso. Amava o modo como Lee sempre fazia questão de dizer mil vezes, se fosse necessário, o quanto o amava e enchê-lo de elogios. E essas atitudes eram sempre tão genuínas, que não havia como não se apaixonar cada vez mais por ele.

Deixou que as mãos brancas descessem pelo tórax até alcançar o membro do namorado sobre a bermuda e o gemido que este soltou o fez sorrir. No entanto, o barulho do celular fez os dois virarem a cabeça.

— Vai atender? - o moreno perguntou.

— Não. Deixa tocar.

E deixou mesmo. Mas as duas tentativas seguintes realmente o tiraram do sério. Esticou-se contra a vontade, pegando o celular e atendendo, ainda deitado sobre Lee.

— Que é?

“Que merda é essa que você me mandou procurar?” - a voz de Naruto parecia realmente chocada e uma luz se acendeu na mente do Sabaku, fazendo-o rir.

Colocou a ligação no viva-voz.

— É algo muito importante pra fazer o que você quer fazer, loiro – Gaara debochou.

— “Todo mundo tem que fazer isso?” - ele ainda parecia nervoso.

— Deveria, pelo menos. A não ser que queira uma surpresinha na hora H.

— Do que ele ‘tá falando? - Lee perguntou.

— Chuca.

— Ah – o moreno começou a rir – Mas espera. Naruto-kun não era hétero?

“Eu nunca disse isso” – o Uzumaki disse pelo telefone.

— E com quem você ‘tá saindo?

— Com o irmãozinho postiço – Gaara ironizou.

— Sasuke-kun? - Lee arregalou os olhos.

— O próprio.

“Será que dá pra vocês prestarem atenção em mim?” - o loiro chamou atenção – “Como que eu vou enfiar uma mangueira na bunda?”

— É pra limpar. Não é pra fazer um túnel, idiota. Se não aguenta um chuveirinho, como pretende aguentar uma rola?

“Vai tomar no cu, Gaara”.

— ‘Tô tentando. Mas você ‘tá atrapalhando.

Lee fechou os olhos, sem saber se devia rir ou se envergonhar. Mas aquele era seu namorado, bastante inconveniente em boa parte do tempo e essa era apenas mais uma das coisas que amava nele.

— Vai, Naruto. Coragem. Se depila, se lava e se alimenta direitinho. A gente se fala outra hora.

— “Hum” – o outro resmungou – “Tchau”.

Gaara sorriu antes de desligar a chamada e olhar maliciosamente para o namorado.

— Onde estávamos?

٭

Naruto estava meio tenso.

Sasuke notou isso assim que viu o garoto saindo do banho. Parecia pensativo e acuado, o que deixou o Uchiha um tanto preocupado. Kushina chegou um pouco mais tarde e chamou os dois para assistirem a um filme com ela na sala. Colocaram alguns futons por ali e a ruiva quis ficar no meio deles.

Era comédia com aquela ponta de drama que fez os dois Uzumakis ficarem emotivos e o moreno revirar os olhos. Kushina foi a primeira a dormir. Os dois ainda colocaram um segundo filme, já que ainda estavam de castigo e não poderiam jogar nada e nem tinham como transar no meio da sala com a mãe ao lado. No entanto, Sasuke levantou-se do seu lugar com cuidado e foi para o lado de Naruto, apenas para ficarem juntos enquanto deixavam o sono vir.

Seus dedos começaram a brincar uns com os outros, até que deram as mãos. Naruto deitou a cabeça no ombro alheio sem tirar os olhos da TV. Sasuke olhou para além do Uzumaki, vendo que Kushina dormia pesadamente e deixou um beijo nos fios loiros. Naruto também deu uma olhadela na ruiva antes de virar-se e dar um selinho no moreno.

Sasuke sorriu, de um jeito que ele parecia sorrir só pra si. Era espontâneo demais para que até mesmo ele notasse que o estava fazendo. Seja lá o que estivesse incomodando Naruto mais cedo parecia ter passado.

Voltaram a olhar a TV. Pegaram no sono pouco tempo depois.

٭

Sasuke acordou com a risada de Kushina.

O café da manhã já estava pronto e a ruiva cobria a boca enquanto encarava a cena. Naruto estava novamente abraçando Sasuke. O Uchiha se ergueu rápido, levando Naruto a soltar um resmungo. Esfregou os olhos, vendo que a mãe postiça não parecia chateada.

— Naruto tem essa mania desde pequeno. Pobre Sasuke – sorriu – Ter que aguentar os apertos desse menino. Mas como vocês dois foram parar do mesmo lado?

Sasuke deu um bocejo, tentando disfarçar o susto enquanto pensava em alguma coisa.

— Eu fui até a cozinha pegar um pouco d’água e achei melhor ficar do lado de cá pra não te acordar – deu de ombros, sem levantar o olhar.

Kushina sorriu, parecendo convencida, tagarelando um pouco mais sobre a mania de Naruto, dando tempo do loiro também despertar. Claro, acordar abraçado com Naruto não era uma novidade, porque aquele galego agarrava o que aparecesse pela frente. Mas pra quem está devendo…

Passaram aquele resto de manhã de forma tranquila, até Naruto começar a agir estranho outra vez. Parecia chateado com algo na hora do almoço, depois de ter enchido o prato com verduras. Sasuke não perguntou, ainda que estivesse curioso.

Viu que ele trocava mensagens com alguém incessantemente e só parou quando foram ao trabalho. Ele ainda parecia meio aéreo e Sasuke estranhou quando, ainda antes de irem pra sala de brinquedos, o loiro e a Hyuuga sumiram.

Queria dizer que não estava nenhum pouco afetado por isso, mas quem queria enganar?

Desde que tinha descoberto que os dois tinham transado, Sasuke vivia numa constante briga interna para não repudiar a garota. Já não bastava o amiguinho ruivo, com quem Naruto insistia em ter conversas particulares, agora precisaria aguentar a princesinha também?

Céus, estava parecendo um namorado ciumento. Balançou a cabeça, tentando expulsar esses pensamentos até o loiro voltar. Continuaram o serviço como em todos os dias, brincando com Aya, com quem realmente começava a se acostumar – e até se apegar – e ao fim, foram ao refeitório.

Naruto chamou Hinata outra vez, e a menina riu de algo que ele disse. Sasuke estava ficando cada vez mais irritado, tanto com as atitudes esquisitas de Naruto quanto com essas conversinhas.

Ele ainda parecia nervoso perto de si, de forma que o Uchiha não compreendeu.

Será que ele não queria mais continuar com o que tinham? Mas na noite passada ele parecia bem, mesmo tendo agido estranho por um momento. Então por que?

As crianças lotaram o refeitório poucos minutos depois e Sasuke e Hinata começaram a ajudar os pequenos. O moreno queria se segurar, porque normalmente, não dava a mínima para coisas como aquela, mas não conseguiu segurar a língua.

— Você gosta muito do Naruto, né? - perguntou.

Hinata encarou-o, parecendo perdida, como se não tivesse entendido a pergunta – principalmente porque veio do nada. Depois de alguns segundos, trocou a confusão por um sorriso.

— Gosto. Ele é uma das pessoas mais especiais que conheço.

— Hum – puxou a respiração, tentando controlar a irritação.

— Ele e meu namorado também se dão muito bem – falou, simplista – Na verdade, foi Naruto o nosso cupido. Ele parece um anjo, sempre me ajudando.

A frase fez qualquer coisa morrer na garganta do Uchiha enquanto a garota se ocupava novamente. Namorado, hein? Ok, sentia-se um idiota agora.

Mas Naruto ainda estava esquisito e ele ainda não sabia o porquê.

Os pensamentos não o deixaram em paz até a hora de irem embora. Chegaram em casa e Sasuke tomou seu banho primeiro. Depois Naruto correu pra dentro do banheiro e se trancou lá pelo que pareceu uma eternidade. Sasuke já tinha esquentado o jantar e nada do outro aparecer. Surgiu apenas longos minutos depois, vermelho e encabulado.

— A comida ‘tá pronta.

— Não vou comer agora – respondeu – Vou voltar para o quarto.

Não esperou uma resposta. Apenas subiu as escadas com pressa e dessa vez Sasuke não o deixaria escapar. Seguiu o loiro até o andar de cima, fechando a porta do quarto ao vê-lo deitado de bruços com a cabeça enterrada no travesseiro.

— Posso saber o que você tem? - o moreno perguntou, trancando o quarto pelo costume recém-adquirido e se aproximando da cama.

Naruto virou-se para encarar o Uchiha.

— Hum?

— Você ‘tá todo esquisito.

— Como assim? - o loiro de repente, parecia nervoso, arregalando os olhos azuis – Esquisito como?

— Assim – acenou na direção dele – Desde ontem. Aconteceu alguma coisa? É… É comigo?

Naruto suspirou, apertando mais o travesseiro contra si.

— Não é nada, teme.

— Então vamos jantar.

— Não ‘tô com fome agora.

Sasuke, novamente, estranhou. Queria estrangulá-lo por ser tão teimoso, mas o orgulho acabou falando mais alto quando disse.

— Então ‘tá.

Ia se levantar e comer sozinho, mas sentiu a mão de Naruto segurar seu pulso, trazendo-o de volta. A pose orgulhosa que tinha adquirido se esvaiu quando sentiu os lábios cheios tocarem os seus. As duas mãos de Naruto seguraram seu rosto, correndo pelo pescoço e nuca, trazendo-o para mais perto.

— Então era saudade? - o Uchiha brincou, enquanto se deixava levar.

— Cala a boca.

Sasuke deixou que o corpo ficasse sobre o do loiro que o puxava pra se deitar com ele. Sem interromper o beijo, Naruto abriu as pernas para que o moreno se acomodasse entre elas. As mãos do Uchiha se moveram pelos lados do corpo moreno, se aproveitando da boca sedenta.

A verdade era que Naruto estava morrendo de vergonha de dizer com todas as letras o que queria. Além disso, estava morrendo de medo. Tudo bem que estava curioso já que Sasuke sempre parecia gostar muito de estar naquela posição, mas a ideia ainda era assustadora. Será que ele entenderia o que Naruto queria pelo jeito em que se encontravam agora?

Puxou a regata de Sasuke para tirá-la de uma vez e assim que a peça caiu no chão, os beijos voltaram. Naruto estava só com a bermuda que foi tirada devagar e naquele momento, as coisas realmente ficariam sérias.

Quando Sasuke tirou o tecido da bermuda junto com a roupa íntima, Naruto dobrou os joelhos, na intenção de mostrar algo em suas partes traseiras. Se Sasuke não fosse tão perceptivo, certamente teria deixado passar, mas esse não era o caso.

O Uchiha ficou ali, sentado sobre as próprias pernas observando a intimidade do loiro com a boca semiaberta sem saber o que dizer e nem se devia dizer alguma coisa.

— Você… Se depilou? - acabou perguntando.

Naruto mordeu o lábio e assentiu. Sasuke deixou o ar escapar dos pulmões, tentando processar aquilo. Era higiênico, certo? Não significava necessariamente que…

— Eu queria… - Naruto interrompeu seus pensamentos – Queria tentar de outro jeito hoje.

Ok, sem desculpas. Ele tinha acabado de confirmar.

— Tem certeza?

Novamente, o loiro só assentiu.

— Certo.

Por incrível que pudesse parecer, Sasuke ficou nervoso. É claro, Naruto estava visivelmente nervoso também, mas não esperava essa reação de si mesmo. Levantou-se, tirando o que restava da própria roupa e pegando a camisinha e o lubrificante pra deixar mais perto da cama.

Já tinha feito aquilo antes, então por que estava se perguntando agora por onde devia começar?

Talvez fosse o olhar receoso de Naruto que o estivesse desestabilizando, Sasuke não saberia dizer. Apenas deitou-se sobre ele outra vez, beijando-o. As mãos bronzeadas voltaram para o seu pescoço, enquanto se acomodava novamente entre suas pernas. Deixou que os membros se friccionassem com cuidado e algum tempo depois, decidiu abrir o tubo com o lubrificante.

A excitação formada parecia ter dado lugar ao receio novamente. Com os dedos melados, Sasuke beijou a barriga morena enquanto levava a falange até a entrada do outro. Não colocou o dedo inicialmente. Apenas acariciou observando a reação do loiro. Uma das mãos apertou os lençóis, mas não parecia ser uma resposta prazerosa. Era apenas Naruto tentando não surtar.

— Naruto – Sasuke chamou – Você realmente quer isso? Ou só está tentando pra me agradar?

— É claro que eu quero – agora, o loiro parecia um tanto impaciente.

Sasuke sentou-se novamente sobre as pernas, encarnado o Uzumaki.

— Então por que todo esse nervosismo? Pra isso dar certo, você tem que relaxar. Se você quiser, podemos tentar outro dia…

— Sasuke – Naruto sentou-se também – Eu coloquei uma merda de mangueira na bunda, não como nada pesado desde ontem, tive que me encher de folhas, interrompi uma transa do Gaara, pedi pra Hina me comprar uma merda de creme de depilação… Se você não me comer agora eu vou fazer um escândalo.

Sasuke novamente ficou observando o rosto corado de Naruto. Parecia raiva além da vergonha. Sorriu enquanto absorvia cada palavra do que o loiro disse, percebendo que era ainda mais idiota do que pensava. Balançou a cabeça, tirando os fios escuros do rosto em seguida.

Saber que ele tinha se preocupado com aquilo fez algo se espalhar pelo peito, causando um calor desconhecido.

— Dobe – disse, enquanto puxava suas pernas para que ficasse novamente deitado e voltou a beijá-lo, apenas com selinhos curtos – Se é isso mesmo que quer, então confie em mim, ok?

Dessa vez, Naruto finalmente sentiu-se mais calmo. Havia algo no tom de voz de Sasuke que conseguiu ativar um gatilho em sua mente. Deixou-se ser beijado novamente com cuidado, mas tão profundamente que sentia-se a beira de perder a consciência.

Os beijos desceram pelo pescoço e peito até chegarem ao falo. Começou a chupá-lo devagar melando os dedos outra vez. Acariciou a entrada com cuidado, recebendo uma resposta melhor do que a última vez. Forçou o dedo pra dentro devagar, vendo os olhos azuis se abrirem. Sasuke o encarava de volta, ainda com o membro alheio na boca, querendo passar sem palavras que estava tudo bem.

O loiro pareceu ter entendido, já que relaxou um pouco mais, permitindo que Sasuke explorasse melhor o canal. Alguns minutos a mais e Sasuke tentou colocar o segundo dedo. Naruto mordeu o lábio, tentando superar a ardência, mas o Uchiha estava sendo realmente gentil. Cada movimento seu era extremamente cuidadoso e leve, preocupando-se em não machucá-lo ou fazê-lo sentir muita dor.

Lentamente, tentava abrir espaço, procurando pelos nervos com certa urgência. Queria que Naruto pudesse sentir mais prazer. Achou-o depois de algumas tentativas e um gemido lânguido escapou dos lábios cheios.

— Achei – soltou o membro por pouco tempo, enquanto sorria.

As mãos do Uzumaki voltaram a agarrar os lençóis, mas dessa vez, não era medo.

Tentou colocar um terceiro dedo e Naruto resmungou. Sasuke deixou um beijo em sua coxa e lambeu toda sua virilha, tentando atingir seus pontos erógenos para que a dor se tornasse menor. Ele pareceu se acostumar com alguma facilidade, embora ainda estivesse apertado.

— Suke – Naruto chamou – Por favor.

Sasuke tirou os dedos com cuidado e se apressou em vestir a camisinha. Derramou mais do lubrificante em si mesmo e em Naruto antes de erguer mais suas pernas e se encaixar em sua entrada. Quando mais exposto estivesse, mais fácil seria. Teria pedido para que se virasse e se apoiasse nos cotovelos e nos joelhos, mas havia algo dentro de si gritando que queria olhar seu rosto enquanto faziam.

Empurrou-se um pouco pra dentro, recebendo um gemido um tanto dolorido do loiro que jogava a cabeça para trás. Movia-se devagar, esperando que ele se acostumasse a cada nova investida e parou um pouco quando viu lágrimas se formando no canto dos olhos alheios. Baixou mais o corpo, passando o polegar pelo rastro molhado em seu rosto e beijando-o mais uma vez.

— Vai passar, eu prometo – sussurrou.

Naruto assentiu rapidamente, abraçando-o enquanto sentia-se ser totalmente preenchido. Respirava pesadamente, tentando se acostumar, sentindo que Sasuke estava se segurando até que ele desse permissão para se mover. Não demorou muito para isso, lidando com a ardência das primeiras estocadas cuidadosas de Sasuke, até que o ritmo se estabilizasse e o ato não parecesse mais tão ruim.

Finalmente, Sasuke encontrou o ponto que queria depois de algum tempo, tirando de Naruto o gemido que queria ouvir. Concentrou-se naquele mesmo ponto, mantendo o ritmo até ouvir o resmungo do Uzumaki.

— Mais rápido.

Obedeceu sem contestar. Continuou de modo mais apressado, sentindo-se satisfeito em ouvir a respiração entrecortada do outro em favor de suas investidas. Os olhos se encontraram por longos segundos, nublados. No entanto, havia ali algo aparentemente precioso demais para que pudessem desviar.

Uma das mãos de Sasuke começou a estimular Naruto porque sentia-se muito perto do limite. O mais novo agarrou os lados do rosto pálido, beijando-o enquanto sentia o prazer inundá-lo, mas não fechou os olhos até que finalmente gozasse. O aperto em torno de Sasuke o levou a se derramar também.

O beijo continuou, mesmo assim.

E mesmo quando o moreno decidiu sair de dentro do loiro, ambos ainda sentiam aquela sensação quente se espalhando pelo corpo, sem nenhum sinal de que desapareceria tão cedo.

 


Notas Finais


OLÁAAAAAAAAAA
OLHA AEEEE O LEMON SASUNARU PROS AMANTES
Ah, gente, eu espero que ces tenham curtido, pq eles foram uns príncipes.
Sem comentários para o início do cap uahdoamdalemkfemfse
Bem é isso, gente. Espero que tenham gostado.
UM BEIJO NO KOKORO DE VOCÊS E JA NEE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...